Bolsonaro pede passagem: “O pessoal verde está chegando, e o bicho vai pegar!”

Bolsonaro pede passagem: “O pessoal verde está chegando, e o bicho vai pegar!”

Mais cedo do que se temia desde a sua posse, o capitão Jair Bolsonaro resolveu ir à guerra contra tudo e contra todos ao mesmo tempo: o Congresso, os governadores, a imprensa, a cultura, a ciência, os direitos humanos, os índios, as mulheres, os negros, o meio ambiente e o que mais encontrar no caminho rumo ao caos.

Como se previa, não restará pedra sobre pedra quando esta barbárie chegar ao fim, se um dia chegar.

“Tem que entender que o pessoal verde está chegando, e o bicho vai pegar”, ameaçou o presidente da República em sua “live” semanal das quintas-feiras, ao anunciar o envio de tropas das Forças Armadas para o Ceará. “Se é pra tratar com flor essa galera, não fiquem enchendo nosso saco”, acrescentou com sua finesse habitual.

Era tudo o que ele queria. O autogolpe está em pleno andamento, após as ameaças feitas ao Congresso Nacional pelo general Augusto Heleno, ao mesmo tempo em que 20 governadores se uniam para assinar um documento contra os desatinos presidenciais.

Bolsonaro ouviu os conselhos de Heleno e ligou o “foda-se”, dando uma banana para a imprensa livre e o público em geral.

O pretexto para botar as tropas das Forças Armadas na rua foi um motim armado pela PM do Ceará, entrincheirada num quartel em Sobral, provocando o que Bolsonaro chamou de “guerra urbana”.

A semente deste cenário beligerante foi plantada ainda durante a campanha eleitoral, quando policiais militares de todo o país foram aos aeroportos em bandos, para recepcionar o candidato, fazendo arminhas com os dedos.

Emponderados e com licença para matar, esses PMs bolsonaristas agora foram pedir aumento de salários com armas na mão, fantasiados de milicianos. Embolou tudo.

As coisas nunca acontecem por acaso. Bolsonaro cevou essa tropa de choque policial desde 2014, quando montou suas milícias digitais e ia a todas as solenidades nos quartéis das PMs por todo o país. Na época, ninguém deu bola ao deputado do baixo claro.

Assim como aquele alemão montou as suas SA e SS para o assalto final ao poder, o delirante nazifascista nativo criou suas forças auxiliares próprias, enquanto convocava generais de farda ou de pijama para comandarem mesas na burocracia do governo.

Entregou a economia de porteira fechada para Paulo Guedes, o quindim do mercado, e a Justiça para Sergio Moro, com a tarefa de proteger as relações da família presidencial com as milícias, que saíram do Rio para o poder central.

A armação desse esquema não pode ter sido obra só do ex-tenente reformado como capitão, afastado do Exército com 33 anos, depois de planejar ataques aos quartéis e à Cedae, para pedir aumento de salários, o que o levou a ser preso e processado no Superior Tribunal Militar (leiam a história completa no livro “O cadete e o capitão”, de Luiz Maklouf Carvalho).

Não por acaso, foi também em 2014 que a Lava Jato começou a montar suas barricadas para detonar os partidos de oposição e a indústria nacional, após a descoberta do pré-sal.

Nestes seis anos, vicejaram por toda parte as igrejas neo-pentecostais dos pastores da grana e as milicias virtuais e armadas, que formam a base do bolsonarismo em marcha, junto com a rede bolsonarista de televisão.

Com a militarização do governo e a milicialização das PMs, chegamos a esta pornochanchada tropical estrelada por tipos recrutados no submundo olavista e em outros desvãos da civilização.

A seguir nessa batida, Bolsonaro vai acabar desmoralizando as Forças Armadas, que lhe deram sustentação durante toda a campanha, algo que nenhum governo civil conseguiu desde a redemocratização.

Agora está todo mundo se perguntando o que acontecerá depois da trégua do Carnaval, que já começa em clima de Quarta-feira de Cinzas para as instituições.

Quem será que criou e dirigiu esse trágico samba-enredo do capitão ensandecido, que não passa num exame psicotécnico para pilotar um tanque?

“O bicho vai pegar!”, anuncia o puxador do samba, entrando na avenida alegremente, como se não houvesse amanhã.

Bom Carnaval a todos.

Vida que segue.

 

15 thoughts on “Bolsonaro pede passagem: “O pessoal verde está chegando, e o bicho vai pegar!”

  1. Amigo Kotscho
    O Brasil político chegou ao carnaval com um bloco só, gostem ou não os espectadores. Nessa folia não haverá quarta-feira de cinzas. Porque a brincadeira não vai acabar nesse dia da semana.
    A alegria do carnaval popular será trocada por uma loucura cívica gerada por um foda-se belicoso.
    A quartelada, até então restrita a militares em cargos civis, vai sair às ruas e encontrará um gado extasiado pelas rocambolescas mensagens disparadas por sites bolsonaristas em apoio ao general Heleno.
    A provocação presidencial chegou ao limite tolerável. No entanto, encontra terreno fértil com as instituições acovardadas, encolhidas, cada dia mais humilhadas.
    O governo miliciano adota a tática de guerra e sabe que nesse momento a sociedade civil está com o rabo entre as pernas.
    Depois da terça de carnaval haverá um outro.
    Na avenida da falta de liberdade vão desfilar blocos como, os homofóbicos, os misóginos, os racistas, os neofascistas, os direitistas, os assediadores, os golpistas.
    A quarta-feira de cinzas já começou.
    Ulisses de Souza

  2. É inacreditável. Acabo de ler numa semanal que o doutor (sic) em economia em Chicago disse que mora em hotel e fica mais fácil de ir embora e, se isso acontecer, o dólar vai a 7. Esse governo não faz nada de proveitoso e ainda traz à cena gente imprópria como esse obsoleto que se alimenta de besteiras verbais e ofusca sua incopetência para a função que esse (des) governo lhe atribuiu. Vai embora que dentro de uma semana não será mais elmbrado pela maioria das pessoas de bem neste país que está em queda livre. Lá atrás, no julgamento da funcionalidade legal da lei da anistia, governo Temer dando aos militares julgamentos específicos anulando conqusitas nos anos 1980 e estão aí os fatos como preâmbulos do que ainda virá, pois, a partir de outubro tende a piorar. Não foi o povão quem colocou o país nessa direção vulcânica sem freio e, até o momento, sem iminente inflexão para amenizar a degradação generalizada. A politização de isntituições que devem se manter a distância da política partidária e ideológica, indiferenças a fatos graves contra o estado de direito… estão em fatos e não mais em possibilidades.

  3. A responsabilidade de polícia militar é do estado como os secretários estaduais gostam de alardear.
    Ceará é de governado pelo Camilo Santana nesta gestão e pelos Gomes, nas anteriores. Era alardeado por Ciro como um estado modelo.
    Essa crise da PM não é de agora e junto com sucessiva crises nos presídios estaduais mostra um completa incapacidade de gestão estatudal.
    Governador pediu ajuda federal (Exercíto só vai se governador chama) e foi prontamente atentido pelo governo federal, mesmo atacando sucessivamento o Presidente e o ministro da Justiça.
    Há exageros retóricos do Presidente. Agora, isso ser o motivador do que ocorre no Ceará e misturar com a Lava Jato é um exercício de criatividade e tanto.
    O fato: índice de crimes violestos no país caiu 22% em 2019 comparado ao ano anterior.

    1. Caro Edson o Jornalista sabe muito bem que a convocação do exército só é determinada pelo presidente após o pedido formal do governador. Também sabe que o Ceará e demais estados do nordeste estão perdendo a guerra contra a criminalidade pelas suas incompetências e claro tratar bandidos como vítimas da sociedade. O que corroe o Jornalista que a queda da violência no ano passado se deve a parceria do grande Sérgio Moro e o Mito que colocaram a vagabundagem no seu lugar. Sem falar das anistias de militares pelos seus heróis petistas tenta ligar o protesto de hoje como inédito. O Nobre Jornalista esconde a verdade de forma patológica. Os textos são para agradar seus cumpanheiros e claro tem que tentar mudar o cenário atual que está seguindo tranquilo para o Mito. Os factóides não fizeram efeitos e a população contínua apoiando nas redes sociais e nas ruas o Mito. Mais um comentário para ser censurado. Vida que segue

    2. É oportuno lembrar aqui, que a cidade de Fortaleza é dividida ao meio pelas facções criminosas do PCC e Família do Norte. Membros de uma facção que atravessar a linha dentro do território do outro, logo é punido.
      Se os governantes daquela localidade são incapazes de acabar com isto, o que esperar do restante..

  4. Prezado Kotscho: Se”Com a militarização do governo e a milicialização das PMs, chegamos a esta pornochanchada tropical”, quando ela pode acabar, se não com um processo de impeachment do capitão?

  5. Como é que é, Kotscho?
    O presifake estaria mantendo contato com marcianos?
    Palavras dele, comprovando que não sou fofoqueiro: “O pessoal verde está chegando, e o bicho vai pegar”.
    O bicho deve ser algum dragão.
    Verde, claro!
    O Brasil cansa a minha beleza.
    Logo eu que sou mais bonito do que o George Clooney.

  6. A famiglia está interessada no carnaval, nas polêmicas dos terrores empreendidos pelas polícias estaduais para ofuscar e postergar o caso do miliciano morto na Bahia. No início dos anos 1980, Ernesto Geisel disse o que é esse desqulificado que se prepara para falar besteiras e quando a reporter pergunta se foi ele quem mandou o filho empregar a mulher e a mãe do miliciano, ele ameaça acabar a entrevista. É um machão que não tem capacidade pra mentir a uma pergunta fora do script a que ele foi programado pra dizer. O doutor (sic) tem por volta de 65 anos, sem nenhuma relevância no cenário nacional e nem entre os do mercado finacneiro e agora se acha imprescindível. Fará um serviço imensurável a nós brasileiros se for embora agora. Mas é capaz que o depreparado coloque um pior do que o atual, se isso for posível que haja alguém mais despreparado, arrogante e impróprio. Não foi o povão que levou o país pra esse abismo sem fundo e escuro.

  7. “Guerra contra todos.” Realmente, o povo está apavorado com o presidente. Principalmente as mulheres, que se revoltaram contra ele como previu a moça do El País. Mas, bem feito, é ele que procura. Se vivesse escondido em quilombos ou em sítio de cupinchas nada aconteceria. Foi hoje ao supermercado e teve que suportar as consequências:

    1. Nobre Ernesto esse vídeo faz a esquerda tremer. Você acha que textos e reportagens uma atrás das outras para tentar minar a popularidade do Mito não é por nada? A surra das próximas eleições que irão provar que o povo está ao lado do Mito tira o sono da galera que perdeu a boquinha. Mulheres, negros, nordestinos e o povão querem abraços e selfes para mostrar a família e aos amigos que o um presidente honesto e verdadeiramente igual a eles pode andar ombro a ombro com seu povo. Será que o ex e condenado teria essa coragem de andar no meio do povo?? A mídia agora fala em Impeachment como uma única tentativa de voltarem a usufruir dos nossos impostos. Mas o vídeo prova que essa estratégia está fadada mais uma vez a dar em nada. Caro Jornalista mais um texto para quem sabe passar pelo moderador. Vida que segue

  8. Incisivo, corrosivo e escancarante até a espinha do fato, Mestre.
    Sequer de longe deveria permitir, de ‘Arnestos a Zeixeiras’, no Balaio, dessa vez, não inteligirem e despertarem, com tamanha clareza e precisão na autópsia do desgoverno ‘cavalão’. Mas não!
    Permanecem solidários a barbárie, com pleno conhecimento e concordância, quer por comunhão de valores, no caso dos cínicos, quer por incapacidade de inteligir fatos pela submissão pétrea a ‘verdade bolsorácula’, no caso dos trouxas, ambos comparsas cônscios e diminutos da tragédia que se anuncia.
    Parabéns pela coragem, lucidez, síntese e precisão informativa, e obrigado pela valiosa colaboração à resistência, cada vez mais imprescindível e urgente, em tocar corações e mentes, para que a tragédia anunciada não aconteça.
    A tempo: Os trouxas trombetam melhora no índice de morte por violência no país, por ouvirem os oráculos, que sem relação factual se apossaram de tal resultado, sem aterem-se que na realidade é resultante de fatos nos e dos estados responsáveis pela segurança, conforme constituição, e que no caso dizem respeito, substancialmente, a cinco estados nordestinos da oposição, mais o Espírito Santo, e que o resultado provem de nova metodologia, implementada há dois anos, onde a coleta dos dados é por conta de órgãos das Organizações Globomarinho de Desinformação.
    Oportuno lembrar ainda que o PCC, organização mor do crime organizado, junto com as Milícias, é genuíno produto paulista, estado governado há mais de 25 anos pelo PSDB, rumo aos 28.

  9. “O bicho vai pegar”. Pra quem? Quem é “essa galera?”. Os amotinados? O sr. Messias passou parte de sua vida se amotinando. Ameaçando explodir bombas em quartéis ou no Guandú, e depois de desligado do Exército, mas com uma polpuda aposentadoria – isso deveria ser investigado – indo aos quartéis insuflando a tropa contra o comando. “Um mau militar”, dizia Geisel.
    RK, você fez uma referência às SA e SS nazistas. De vez em sempre, o psicopata do Alvorada ou algum de seus ministros, através de ações ou palavras, nos faz lembrar da Alemanha dos anos 30 do século passado. Milícias (êpa, êpa), generais insatisfeitos com o crescimento da SA – e Hitler precisava do apoio deles – até que chegou a “Noite dos longos punhais”, em 30 de junho de 1934.
    Voltemos ao Brasil. Fala-se abertamente em auto-golpe. O general “foda-se” não esconde isso. Seriam as PMs e suas milícias o instrumento para tal?

  10. A queda nos índices de violência se deve a ações dos governadores e secretários de segurança na legislação anterior. Mas o feminicídio aumentou. Seria por causa da misoginia presidencial? Quanto ao filmete mostrado, boa produção. Câmera profissional, acompanhando o dito cujo por trás, poucos cortes na imagem, mais seguranças do que fregueses, a arrogância boçalnariana como a dizer “eu mando aqui”. Alguns fregueses vendo de quem se tratava, afastam-se. Se concorrer em Cannes, ganha a Palma de Ouro por melhor informe publicitário. O Messias poderia ir conhecer o tal triplex que não era do Luiz Inácio. Preferiu uma padaria no Guarujá em vez de um camarote na Marquês de Sapucaí. O Witzel convidou? Ah, então é melhor não ir. Será um festival de VTNC…
    Boçalnaro, fique por aí mesmo. Aproveite e emende o próximo de semana. Quem sabe assim, o país tem sossego.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *