Quem banca os 33 milhões de seguidores de Bolsonaro nas redes sociais?

Quem banca os 33 milhões de seguidores de Bolsonaro nas redes sociais?

Empresa especializada em monitorar as redes sociais, a Bites projeta que o capitão presidente Bolsonaro chegará ao dia 31 de dezembro, no final do primeiro ano de mandato, com 33 milhões de seguidores nos seus perfis oficiais no Facebook, Twitter, Instagram e Youtube.

É o quarto colocado no mundo inteiro na lista de 13 nomes com maior contingente de aliados digitais, segundo a Bites.

Para se ter uma ideia do que representa esse exército digital do capitão, foram 19 milhões de posts para a ativista sueca Greta Thunberg, contra 103 milhões, sendo 90 milhões no Brasil, sobre Bolsonaro.

Como a gente sabe que não tem almoço grátis, a pergunta que cabe nessa hora é uma só: quem banca esse banquete do governo virtual?

A CPI das fake news e os ministros do  Tribunal Superior Eleitoral poderiam consultar as planilhas da Bites para descobrir de onde vêm e como são alimentados esses seguidores fiéis que fazem de Bolsonaro um “Mito” na internet.

A versão completa do estudo da Bites ficará disponível para clientes, na próxima sexta-feira, dia 20.

Qualquer discussão política que não leve em conta esses números é chover no molhado.

Vida que segue.

 

 

 

 

12 thoughts on “Quem banca os 33 milhões de seguidores de Bolsonaro nas redes sociais?

  1. Quem dera se eu fosse tão famoso quanto o presidente. Cada um jogando com a força que tem. Tá no caminho certo. A propaganda é a arma do negócio. Brincadeira. Descartes: conhecimento de si pela via da razão e do pensamento. É uma pena que todo filósofo é paranoico.

  2. Pelo menos já se sabe o tamanho daquela “legião de imbecis”, disposta a seguir o ideário do “cretino fundamental”, de que falavam Umberto Eco e Nelson Rodrigues, respectivamente.

    1. Criar tolerância e respeito tb é uma questão de empatia…’Uma conversa por vez’. Há um poder em entender as visões de pessoas com as quais discordamos. Nossa capacidade de empatia está ligada à herança genética. E exercitar a empatia não é tarefa fácil, porque a maioria falha como ser humano. O conhecimento depende de fontes confiáveis. Você deveria estudar mais sobre política de empatia. Educação: em casa; Na escola: ensino e instrução.

      1. Karla referiu-se, acertadamente, ao contemplar as expressões de Umberto Eco e Nelson Rodrigues, à romaria de boçais e à cantilena dos beócios que configuram o séquito de seguidores do ‘novo messias’. Um conjunto social que jamais estudou, absolutamente nada, não apenas sobre política, mas de tudo, a começar da cultura humanística, seja em casa ou na escola. Se há uma expressão de falta de empatia é exatamente aquela que faz a apologia da tortura, cuja performance é a principal característica presidencial ao propugnar a edificação de uma estátua consagrada ao patriarca dos torturadores: o coronel Brilhante Ustra.
        Senão vejamos: 1) “O erro foi torturar e não matar”. 2)”Se ela tivesse matado mais gente, teria sido melhor”. 3)”Quilombola não serve nem pra procriar”. 4)”A PM deveria ter matado mais de mil presos, e não só 111”. 5) “Só vai mudar com guerra civil, matando uns 30 mil”. 6) “Eu seria incapaz de amar um filho homossexual. Prefiro que um filho morra num acidente do que apareça com um bigodudo por aí”. 7)”Não te estupro porque você é muito feia e não merece”. 8) “Eu sonego imposto. Sonego o que for possível”. 9)”A Amazônia não é do Brasil. Devemos entregá-la aos Estados Unidos, porque não sabemos explorá-la”.
        As frases encontram-se disponíveis nas redes sociais e o patrono da Era Demencial nunca as negou. Ao contrário, regozija-se com esses enunciados que pavimentaram sua carreira política e pastoreiam o seu projeto de poder autoritário. Para o referido parlamentar que virou presidente, fascismo, racismo, misoginia, homofobia, sonegação, entreguismo são “mi,mi,mi”.
        Tudo junto e misturado; tanto a legião de imbecis quanto o cretino fundamental.

  3. Amigo Kotscho, segundo informações, são R$ 40.000,00 por seguidor. Com 33 milhões de seguidores, chegamos ao custo de R$ 1.320.000.000,00. Sinceramente, não consigo imaginar de onde sai esse dinheiro. Nem Odebrecht, nos seus tempos áureos de compra de governos, gastou tanto.

    1. Exatamente, não existe almoço grátis e até me lembrei de Tal, “não me convidaram, pra esta festa pobre que os homens armaram pra me convencer”…

  4. O Brasil é o exemplo mais acabado no mundo de como as redes sociais, sem regra civilizatória severa introduzida desde a cadeia de comando global do negócio privado, descambam para uma regressão assustadora, para a destruição das instituições democráticas, para a recriação de formas pré-modernas de vida, agora respaldadas por uma imagem deturpada da liberdade de expressão como um vale-tudo selvagem e narcísico.
    Quando cai nas mãos dos arautos nativos da barbárie ….., vira um brinquedinho perverso de perpetuação no poder.

  5. Há, sim, que olhar o próprio quintal, também e ao mesmo tempo, para se não chover no molhado. A tentativa de fazer da política eleitoral municipal de 2020 um atalho para recompor as forças capazes de resistir à barbárie crescente até 2022, pelo menos por ora e até agora falhou rotundamente no campo da suposta ‘oposição democrática’, usualmente autodenominada ‘progressista’ e ‘popular’.
    Sequer há um mínimo saldo meramente organizativo deste infrutífero experimento, que pudesse constituir um ‘eixo elementar’.
    Aparentemente, o que se vê à frente tem pouco de promissor para confrontar a escalada e a ofensiva da extrema-direita consorciada com a direita, os militares, os paramilitares, as milícias e o conjunto das igrejas evangélicas, que arregimentaram ideologicamente todas as camadas sociais, mas especialmente o conjunto das classes dominantes.

  6. Nesta historia de almoço gratis, tem muita gente que conhece muito bem este caminho. Alguns se deram muito mal. Que o diga os governantes do estado da Paraiba, que hoje estão corridos da policia….. e de quebra, vai sobrar também para o governador do Rio de Janeiro.
    Aos poucos, este massacrado Brasilzão de meu Deus está mostrando para muitos que lá atrás o crime compensou muito; hoje nem tanto.
    Esperamos que o congresso tenha juizo e compromisso com a nação e restaure logo a prisão em segunda instancia, colocando esses salafrários no seu devido lugar

  7. O momento, de tão extremo, exige respostas também extremas! Quais? Não faço a mínima ideia…Ciro Gomes já escolheu a sua extremidade, goste-se ou não dela, e esta pelo menos por enquanto exclui o PT…Então se o PT não quiser fenecer, está na hora do partido escolher uma extremidade para chamar de sua.

  8. “Como a gente sabe que não tem almoço grátis, a pergunta que cabe nessa hora é uma só: quem banca esse banquete do governo virtual?”

    O buraco grátis desse almoço é bem mais em cima, diriam, Assange, preso, Snowden, asilado e Greenwald, ameaçado, Mestre.

    Não basta observar apenas a árvore…, necessário perguntar também, QUEM PAGA O BANQUETE universal DAS REDES SOCIAIS e com quais intenções?

    Aproveito para reiterar sugestão de ver ou rever, “Três dias do Condor”, de Sidney Pollack, de 1975, repito, de 1975.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *