“Não queria falar de política hoje” (Michel Labaki, engenheiro aposentado)

“Não queria falar de política hoje” (Michel Labaki, engenheiro aposentado)

Quem me mandou este texto reproduzido abaixo foi meu velho amigo Frei Chico, metalúrgico aposentado, irmão mais velho de Lula, que continua preso há mais de 400 dias por decisão do Supremo Tribunal Federal. 

Labaki é engenheiro metalurgista aposentado, um brasileiro como tantos que não aguentam mais falar de política, mas sabem que é dela que depende o nosso destino. 

Lula costumava dizer que quem fala que não gosta de política acaba sendo governado por quem gosta, geralmente os piores, que se apresentam como salvadores da pátria. 

Gostaria de ter escrito este libelo, que expressa exatamente o meu sentimento e, tenho certeza, o de muitos brasileiros massacrados pelo bolsonarismo em marcha. 

***

NÃO QUERIA FALAR DE POLÍTICA HOJE.

Queria falar dos campos, das matas, das águas, dos mares, dos rios, da selva, da fauna, da flora, dos peixes, do céu, da lua e do sol.

NÃO QUERIA FALAR DE POLÍTICA HOJE.
Queria falar da chuva, dos ventos, da neve, das estrelas do céu, das estrelas do mar, das ondas, das cachoeiras e da pororoca.

NÃO QUERIA FALAR DE POLÍTICA HOJE.
Queria falar do amor, do amor dos pais e mães, do amor dos filhos e filhas, do amor de avós, do amor dos netos e netas, do amor dos amantes, do amor dos casais, do amor dos amigos e amigas.

NÃO QUERIA FALAR DE POLÍTICA HOJE.
Queria falar da solidariedade, da compaixão, da amizade, do companheirismo,

NÃO QUERIA FALAR DE POLÍTICA HOJE.
Queria falar dos feriados, dos domingos, das festas de aniversário de crianças, das festas de aniversários dos idosos, das bodas de 60 anos dos casais felizes.

NÃO QUERIA FALAR DE POLÍTICA HOJE.
Queria falar da valsa, do samba raiz, do samba canção, do sambinha, da bossa nova, do bolero, do xote, do forró, do frevo, das marchinhas, do pagode, do sertanejo, das rodas de samba.

NÃO QUERIA FALAR DE POLÍTICA HOJE.
Queria falar dos 3 milhões que foram na parada LGBT e dos 3 milhões da marcha com Jesus. E descobrir quantos que foram em ambas as manifestações.

NÃO QUERIA FALAR DE POLÍTICA HOJE.
Queria falar de religião e de como é complicada a aceitação das religiões diferentes das de cada um. Não gosto da expressão “devem estar se revirando no túmulo”, mas é exatamente isso que penso do meu pai e da minha mãe, que eram evangélicos e teriam grande dificuldade em ver uma marcha com Jesus, com as pessoas fazendo arminhas com as mãos.

NÃO QUERIA FALAR DE POLÍTICA HOJE.
E não vou falar. Não vou falar do STF que vai esperar mais algumas revelações do Intercept para libertar o Lula. Apenas vou observar que a superestrutura toma seus cuidados em se proteger, mas que o STF vai libertar o Lula em seguida.

NÃO QUERIA FALAR DE POLÍTICA HOJE
E não vou falar. Apenas vou dizer que não importa muito que o Celso de Melo tenha sido indicado pelo Sarney, o Gilmar Mendes pelo Fernando Henrique, o Levandovsky e a Carmen Lucia pelo Lula e o Fachin pela Dilma. Há algo misterioso no STF. Quem vai para lá parece que deixa de ter um pensamento próprio.

NÃO QUERIA FALAR DE POLÍTICA HOJE

Mas bem que a luta política poderia ser mais agradável, menos odiosa, menos preconceituosa, menos violenta.

Mais amorosa.

Miguel Labaki, junho de 2019

***

Vida que segue.

 

 

 

 

 

19 thoughts on ““Não queria falar de política hoje” (Michel Labaki, engenheiro aposentado)

  1. Adorei ler o texto do Michel no seu balaio.
    Ele escreve e coloca nossos sentimentos relacionados a este tema sobre a injustiça a que foi vítima o Presidente Lula.

  2. Labaki comete o mesmo erro de avaliação do entorno de Lula, que aconselhou o encarceramento ao asilo político, sob o argumento ingênuo de “crença” na Justiça. Nenhum daqueles rábulas lembrou a Lula de que a Justiça da Casa Grande não é cega; vê com os olhos bem abertos e protege com garras suas posições e interesses, enquanto estraçalha seus adversários de classe.
    Lula não sairá das grades, porque já se encontra em andamento acelerado uma terceira condenação para fechar a porta por onde, supostamente, os advogados do ex-presidente esperam tirá-lo do cárcere.
    Lula entregou-se quando, politicamente, jamais poderia tê-lo feito. Jamais!!!
    Não sairá, porque, politicamente, o atual ‘status quo’ – cuja hegemonia as direitas recém conquistaram -, não autorizaria. Basta ver o veto militar sistemático que o presidente do STF assimila de imediato.
    Afinal, o ícone da Lava Jato é o ex-presidente. Lula é o seu troféu. Lula é o preso emblemático da Lava Jato. O chefe do bando, o dono do morro, “il capo di tutti cappi”.
    A Casa Grande não dá viagem perdida, nem recuará depois de haver provocado a maior derrota das forças populares desde o suicídio de Vargas e do exílio de Jango.
    Da mesma forma que estava escrito que Lula não poderia deixar de ser condenado, porque a Lava Jato estava obrigada a condená-lo, também está escrito que Lula não poderia ser solto, porque isso implicaria fazer despencar toda a estrutura do Judiciário que coonestou e convalidou o processo penal que começa com a AP 470, a condenação de Dirceu e a alcaguetagem premiada do “Italiano” de Ribeirão Preto.

    1. Bom comentário.
      LULA preso, é mais do que um troféu, é uma justificativa para que permaneçam no poder.
      Só será solto depois de esgotarem os FORAS.
      já tivemos o FORA DILMA, o FORA TEMER, estamos no FORA BOLSONARO, e por último ainda falta o FORA MILITARES, aí sim ele será solto.

  3. Acima de tudo e todos- o AMOR!.Embora um talentoso artista numa de suas famosas canções:GUITA. Diz:” …eu vi O AMOR nascer e ser crucificado…”.Esqueceu de dizer: O AMOR é imortal.INFINDÁVEL!.Apesar de tudo e de muitos.

  4. Prezado Kotscho: Também “Queria falar dos campos, das matas, das águas, dos mares, dos rios, da selva, da fauna, da flora, dos peixes, do céu, da lua e do sol.”, como diz esse trecho do belo texto de Michel Labaki que você reproduz no seu post. Mas, depois da apreensão de 39 quilos de cocaína em avião da FAB da comitiva presidencial, em Sevilla na Espanha, confesso que fica difícil. Um cartaz da UNE parece que resume bem a situação que vivemos: “39 kg de cocaína. Não é no corredor de uma universidade. É no avião presidencial do Brasil. Balbúrdia é esse governo!”. É impressão minha ou parece que o nome do capitão sempre anda meio enroscado ou associado com atividades de milicianos, de matadores de aluguel e, agora, de traficantes?

  5. Prezado Netho,
    O atual ‘status quo’, representado pela direita, extrema direita e fascistas em geral, me dá a dimensão de quanto essa turma é desprezível, só não são desprezíveis os métodos e a “solidariedade” que faz dessa turma uma irmandade unida em busca de manter seus privilégios e o status de donos do Brasil. JÁ A ESQUERDA, DA QUAL POSSIVELMENTE SOMOS PARTE, é composta de cada por sí, de pseudos solidários, de pessoas que esqueceram a importancia de ocupar as ruas, de peitar a elite podre, de manifestar contra as injustiças, de apoiar um presidente preso injustamente, de por em prática a luta de classes, de perceber que o judiciário é parte da elite, de tomar posse do que é nosso, O BRASIL.

  6. Em outras palavras: deixemos de lado o que a direita faz e preocupemos com o que não estamos fazendo para muda a situação. Não vamos agir como cordeirinhos mas como brasileiros que lutam, que faz oposição, que se manifesta e que sabe mudar o jogo.

  7. O texto do Miguel Labaki é um libelo contra o “atual estado de coisas” que assola o Brasil. Enquanto os ministros do STF não se dignarem a libertar o ex Presidente Lula, essa crise não terá fim. Lula LIVRE, já!

  8. TAMBÉM NÃO QUERIA FALAR DE POLÍTICA HOJE.
    Queria falar do ‘Democracia em Vertigem’, em especial da cena em que uma das mulheres que limpam a escada do palácio, enquanto as coisas de Dilma são embaladas, provocada pela pergunta de Petra, “E vocês já esperavam por isso?”, feito escola de samba, vai respondendo, formulando e evoluindo, em voz alta, mais pra si, em camadas, feito cebola, circulando e desfazendo-se, progressivamente, da conveniente e protetora resposta inicial, rumo a inconvenientes e sinceras, mais que respostas, indagações, de risco, sobre o que realmente se passa, feito matrioska que a cada boneca surgida, nova verdade revela, inversamente proporcionais. Quanto menor a boneca, maior a verdade.
    O povo não é bobo, Mestre, é por sobrevivência escaldado e precisa ser provocado para reflexivamente deixar de ser desagregado e desigual, como o quer, desde sempre, a classe dominante. De cócoras…
    Esse é o real ‘crime’, ousado pelo PT e Lula, o resto…, hoje por exemplo, é o ‘Pó de Sevilha’.

  9. Desculpe, Glenn, mas chamar um experiente e provado assassino para entrar e seguir
    no teu barco não é coisa de quem quer aportar em terra firme. Em que planeta?
    De agora em diante, depois deste estrambótico convite a Veja em diante,…vamos ter que usar lupa nas tuas materias, no seu timing, e no alcance de seu conteudo.
    è o que vou fazer, e confindo ate a parte em ingles. Sorry.

  10. “Mas bem que a luta política poderia ser mais agradável, menos odiosa, menos preconceituosa, menos violenta.”
    Sem o NÓS CONTRA ELES….

  11. RK, foste feliz ao pautar a excelente, atual e oportuna manifestação do engenheiro Michel Labaki. Felicíssimo, o autor denuncia o desamor e a criminosa omissão de “otoridades de plantão”. Um tapa de pelica na elite escravocrata e dominante. Sempre quis louvar um texto nota 10 (dez). Louvação múltipla a Michel e ao bondoso Frei Chico. Em tudo dai graças, diz o texto sagrado. Rui Barbosa disse que “a Pátria somos todos nós”. Certíssimo nosso Águia de Haia, mas atualmente a Pátria parece não ter povo. O povo brasileiro ainda não acredita na união que eliminará injustiças. O Post do Balaio com esta carta aberta ao público, deveria chegar a todos os bancos escolares. Vamos falar de política? Afinal, Nietzschi disse que tudo na vida do ser humano envolve a política. Abaixo a politicalha denunciada por Michel, o doutor engenheiro. Não deixe de orar, Frei Chico. Lula, a cela infame, breve será escancarada, como escancarados estão os vazamentos criminoso de Moro e Dallagnol. Muita fé e paz, amigo dos pobres.

  12. Quantos sargentos, tenentes, capitães, majores, coronéis e generais estão por trás dos 30 Kg de cocaína? Avisem a Espanha para não soltar o preso, caso contrário, ~logo será transfomado no “Sargento Queiros”. Humm. lastimávelllllllllllllllllllllll l l l l l

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *