Já estamos caminhando para uma nova ditadura? Para o “Mito”, democracia é um estorvo

Já estamos caminhando para uma nova ditadura? Para o “Mito”, democracia é um estorvo

“Bolsonaro assume posturas de ditador” (Aldo Fornazieri, professor e sociólogo).

***

Numa só canetada, ao completar 100 dias de governo, o presidente Jair Bolsonaro, também chamado de “Mito”, acabou na semana passada com mais de 700 conselhos da sociedade civil organizada.

Não escapou nem o Conade (Conselho Nacional das Pessoas Deficientes).

Entre todas as maluquices e indignidades cometidas até agora pelo governo do capitão de olhos arregalados, o mais grave para mim foi este decreto, um verdadeiro AI-5 redivivo, que acabou com os conselhos criados desde a redemocratização do país.

O mais impressionante nisso é que a demolição deste sustentáculo da democracia participativa não gerou maiores reações da sociedade civil, como se fosse uma coisa normal.

Fornazieri alerta em seu artigo publicado hoje no portal 247, que também publica este Balaio:

“Portador de uma mentalidade ditatorial _ não por acaso elogia ditadores sanguinários, Bolsonaro não se preocupa muito com as avaliações da opinião pública. Os políticos vocacionados às ditaduras tornam-se cada vez mais perigosos à medida crescente de seu isolamento”.

Despencando em todas as pesquisas, volta-se cada vez mais para o núcleo duro do seu eleitorado, os chamados “bolsonaristas de raiz”, a extrema direita brasileira que lhe dava 20% dos votos na campanha presidencial, antes da facada e da prisão de Lula, que decidiram a eleição.

E o que se poderia esperar de quem tem como seus ídolos e modelos políticos figuras abomináveis como Pinochet e Stroessner, um deputado do baixo clero sempre defendeu a ditadura e as torturas do regime militar e tem como guia o coronel Brilhante Ustra e Olavo de Carvalho?

Chegamos a um ponto de esquizofrenia política que já tem muita gente achando que só os generais, liderados pelo vice Mourão, podem salvar o Brasil de uma nova ditadura.

O fim dos conselhos foi um passo emblemático deste governo paramilitar para afrontar o Estado de Direito, o respeito às liberdades individuais e o direito de organização e participação da sociedade num regime democrático.

Para Bolsonaro, as conquistas sociais e civilizatórias dos últimos anos são um apenas um estorvo na sua escalada autoritária, em que só ele quer mandar no pedaço, como se o Brasil fosse uma propriedade privada dele.

Acabar com os radares nas estradas, o liberou geral das armas, as seguidas agressões aos órgãos de defesa do meio ambiente, tudo isso faz parte de uma estratégia ensandecida do “quanto pior, melhor”, que antes era uma arma da oposição, não dos governos.

Acreditando mesmo que é um “Mito”, que cumpre uma missão divina. parece que o presidente joga no caos generalizado para ver o circo pegar fogo e depois surgir como o salvador da pátria.

Ele mesmo falou em Washington que primeiro é preciso destruir para depois começar a construir um novo Brasil.

A destruição já começou, mas ninguém sabre o que virá no lugar dos escombros.

Vida que segue.

 

 

 

 

 

 

 

17 thoughts on “Já estamos caminhando para uma nova ditadura? Para o “Mito”, democracia é um estorvo

  1. Boa tarde amigo.
    Quando populares chingam, e execram a classe política. Eu refuto, dizendo que tudo aquilo, e muito mais. Tem que ser direcionado para o corrupto, e hipócrita eleitorado. Que elege, ou pior. Reelege estas tétricas figuras políticas. Encalacradas em uma série de ilegalidades, e inrregularidades. E depois se arvora no (sic)”direito” de reclamar da atuação deles???

  2. Caro amigo Kotscho,este desgoverno está implantando no brasil a lei de “MURICI” cada um por si(que só vale para pobre),e a proteção do estado agora fica somente para os empresários,ruralistas,militares .
    O resto agora é resto mesmo, o povão é resto,o trabalhador é resto, o professor é resto, o jornalista é resto,o aposentado é resto ,o deficiente é resto,o favelado é resto , depois de distribuir a riqueza entre os ricos o resto que sobrar fica com o resto da população!!
    E já que sou resto só me resta lutar!!!
    Força amigo! Estamos juntos na resistência!!

  3. Realmente esse silêncio da sociedade me impressiona, parece que estão surdos e mudos, e todos os dias vem uma canetada daquelas que mexe com a vida de todos nós. Momento muito difícil, parece um pesadelo.

  4. Bozo é o verme que surgiu da carniça dos partidões, PT, PMDB, PSDB, etc., cresceu enquanto estes se lambusavam na grana da corrupção pensando no próprio umbigo. Bozo é resultado, não causa. Tenho minhas dúvidas que estaríamos vivendo algo muito diferente se Haddad fosse o eleito. A presidente de seu partido prestigiou em pessoa a posse do grande democrata Maduro, a presidente do partido de sua vice por esses dias andava por Cuba, democracia que enjaula dissidentes políticos a reclamar da prisão de Lula. Os ventos, de nenhuma cor, sopravam democracia de verdade.

    1. Engraçado que vocês da direita, apesar de serem os responsáveis da destruição do país, usam os argumentos da “currupição” para justificar toda a série de absurdos praticados desde 2016 e principalmente agora com o MINTO no poder. Alegar que com Haddad não seria diferente, é no mínimo má intenção, porque não seria ele que colocaria no governo 3 filhos envolvidos com a milícia, como é o caso do clã bolsonaro. Acorde para a realidade: bolsonaro, além de um FARSANTE incompetente, é corrupto e você é um dos responsáveis por te-lo elegido.

  5. Prezado Kotscho: “E o que se poderia esperar de quem tem como seus ídolos e modelos políticos figuras abomináveis como Pinochet e Stroessner […]?”. Acho que isso mesmo, o capitão está sendo coerente, porque foi para isso que ele foi eleito por 57 milhões de seguidores: para ser um ditador. “O único ditador que eu aceito é a voz silenciosa da minha consciência.” – Mahatma Gandhi

  6. Mourão aparece nas fotos com um olhar e sorriso bem diferentes. No caso do pior que se avizinha, com quem as Forças Armadas ficarão? Com o tenente que pediu reforma, ou com o general de pijama encardido? Lopovokisofoda. Loucura por loucura, fica aí a de minha sofrível lavra. Coitado, o Balaio é que paga o pato. Até mais, o moderador tá chegando.

  7. Mito, 100 dias depois? Leva-se um tempão para o reconhecimento de um mito. Este é falso. Em 100 dias, o capitão reformado ” desmitou-se “.
    Os dicionaristas já estão em campo, pesquisas o novo vocábulo: desmitar. O “pai dos burro” não merece.

  8. Kotscho, entre os “escolarizados” o pessoal mais à esquerda é minoritário, mas é, por natureza, mais coletivista. Essa foi sua força desde a escola. Eles dominavam o grêmio estudantil e editavam o jornalzinho onde falavam em nome dos outros sem consultá-los. Isso se repetiu em entidades de profissionais ou criadas apenas para lhes dar mais poder. E funcionou porque eles também se concentraram em áreas como o jornalismo, onde – você sabe melhor que eu – a maioria é esquerdista e referendava seu discurso.

    Eu achava que eles não representavam ninguém e intuía que a maioria pensava como eu, mas não tinha certeza. A Internet me deu essa certeza. Me deu também o poder de falar, não só de ouvir. E me permitiu fazer isso sem abandonar a minha natureza menos coletivista. Eu não preciso perder a tarde na reunião, entro na rede e dou meu recado quando quiser.

    O PT não conseguiu “controlar socialmente” a imprensa ou substituir o parlamento por “conselhos populares” como os irmãos bolivarianos. Mas utilizou as características supracitadas para espalhar conselhos menores por todo canto. 700 deles! Ressalvadas as exceções, essa seria uma maneira do partido se manter no poder mesmo fora dele, um truque antidemocrático.

    Todos sabem disso, motivo pelo qual o apoio à medida do Bolsonaro é enorme. Os que se intitulam “representantes da sociedade civil” também sabem. Por isso eles não reclamam. Se o fizessem, teriam que em algum momento abandonar o seu mundo fechado, os seus blogs que proíbem comentários de “inimigos”, e se expor aos demais. Então, muitos lembrariam que eles não foram eleitos por ninguém e estão apenas atuando como militantes partidários. E eles poderiam tentar negar, mas seria fácil desmenti-los. Assim, nem tentam.

  9. “A destruição já começou, mas ninguém sabre o que virá no lugar dos escombros.”
    A destruição não é só de agora, ja vem à decadas.
    Estamos sendo pilhados ha muito tempo.

  10. E pior: uma ditadura eleita. Falaram tanto da Venezuela, olha nóis aí…
    Quanto ao Messias, depois de considerado “burro” pelo eleitorado nativo, é chamado de “sujeito perigoso” pelo prefeito de Blasio. E o rega-bofe de N. York é cancelado. Se sou eu, saio de fininho sem olhar pra trás. E as mentiras?

  11. Restaurante de luxo nos EUA também nega receber evento em homenagem a Bolsonaro.
    Os Divergentes

    Não foi apenas o Museu de História Natural de Nova York que se recusou a sediar o jantar em homenagem ao presidente Jair Bolsonaro, escolhido “Homem do Ano” pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos. Fontes do circuito novaiorquino informam que a segunda opção consultada, o tradicional e caríssimo restaurante Cipriani, também disse “não”. O rega-bofe, em meados de maio, continua sem local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *