No ano em que Lula ficou preso, boçalidade fez do Brasil uma republiqueta

No ano em que Lula ficou preso, boçalidade fez do Brasil uma republiqueta

“Acompanhar a política brasileira é tão legal quanto passear num lixão atômico (…) Além do empobrecimento material, a contaminação envenena a cultura. Cinema, música, literatura e artes plásticas andam entorpecidos. Silêncio e renúncia são subprodutos da ruína atômica que Brasília erige” (Mario Sergio Conti, na Folha).

***

Foi tudo muito rápido.

Num outro sábado, um ano atrás, Lula era carregado pela multidão em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, onde tudo começou.

No mesmo dia, foi levado pela Polícia Federal para a cadeia de Sergio Moro em Curitiba.

Hoje, caminhamos sobre os escombros da ruína atômica do bolsonarismo, que em apenas três meses vilipendiou, prostituiu e destruiu o país.

Em menos de 100 dias, a boçalidade da nova ordem transformou o Brasil numa republiqueta de bananas.

Cumprida sua missão de condenar e tirar Lula da campanha eleitoral, Moro virou ministro da Justiça do capitão Bolsonaro e seus generais, eleito por 57 milhões de bolsonarinhos.

Voltamos ao Mapa da Fome, somos ridicularizados mundo afora, 17 milhões voltaram para a extrema miséria, o desemprego galopa e tchutchucas ultraliberais só falam em acabar com a Previdência Social.

Educação e Cultura estão em colapso, a Amazônia e o pré-sal vão sendo rifados, as estradas foram abandonadas, as conquistas sociais dos últimos anos estão sendo detonadas uma a uma, sem piedade.

Nulidades e figuras exóticas tomaram conta do Palácio do Planalto e da Esplanada dos Ministérios, a violência ficou fora de qualquer controle.

Confinado numa cela solitária da carceragem da Polícia Federal e proibido pelo STF até de dar entrevistas, Lula resiste a tudo e continua lutando, em todas as instâncias da Justiça, por seus direitos básicos de cidadania.

Pensar que apenas um ano atrás o Brasil voltava a ter esperança nas eleições, com Lula, mesmo condenado sem provas e preso, liderando todas as pesquisas, registrando o dobro das intenções de voto no capitão.

Quarenta anos atrás, eu também tinha muita esperança quando fui escalado por Mino Carta para seguir esse tal de Lula, a nova liderança que surgia nas lutas dos metalúrgicos do ABC.

A primeira vez que vi a cara dele foi na capa da revista IstoÉ, dirigida pelo Mino, que me foi enviada à Alemanha onde eu era correspondente do Jornal do Brasil.

“Presta muita atenção neste cara porque você ainda vai ouvir falar muito dele quando voltar ao Brasil”, escreveu o profético amigo num bilhete.

Só não poderia imaginar que minha vida, e a do país, ficariam tão embicadas com a dele, depois que nos tornamos amigos nas históricas greves dos metalúrgicos.

Por isso, não me conformo até hoje em ver Lula preso, logo ele que nunca ligou nem falava de dinheiro, não tinha ambições materiais e só vivia para a política.

Como assessor de imprensa em três campanhas eleitorais, disputadas em dois turnos, dei várias voltas pelo Brasil ao lado do candidato e nunca vi nada que o desabonasse.

Depois, quando venceu em 2002, fui com ele para Brasília como Secretário de Imprensa da Presidência, passamos muitos fins de semana juntos, no Alvorada e no Torto, e quando fui embora, dois anos depois, Lula até chorou no discurso de despedida. Eu também.

Nossas famílias ficaram muito amigas, mas após ele deixar o governo nos vimos poucas vezes.

Por não ter mais condições de viajar, ainda não pude visitá-lo na prisão. Não é difícil imaginar o que está passando, logo ele que passou a vida toda cercado de gente e falando sem parar.

Passou apenas um ano desde que nos despedimos no sindicato, na véspera da sua prisão e, no entanto, parece uma eternidade pelo tanto que nosso país já mudou.

O estrangeiro que tivesse visitado o país durante seu governo e voltasse agora não iria mais reconhecer o Brasil e seu povo.

Junto com Lula, prenderam nossos sonhos, o orgulho de sermos brasileiros, a alegria de viver e de ter esperanças num futuro melhor.

Como é possível tratar como coisa normal, parte da paisagem, o encarceramento do melhor presidente que nosso país já teve, segundo todas as pesquisas?

Sem poder receber visitar nos fins de semana, Lula vai amargar sozinho neste domingo o primeiro ano da enorme injustiça que se comete com um dos maiores líderes mundiais do seu tempo.

Não prenderam só o meu amigo, mas o líder de milhões de brasileiros que saíram da pobreza e da miséria e viraram cidadãos nos seus oito anos de governo.

Foi esse o seu grande crime.

Passamos a ser respeitados ao viajar para fora, o Brasil era um dos países mais admirados do mundo, tinham até inveja da nossa forma de viver.

Acompanhei Lula em 26 viagens ao exterior e sou testemunha da forma carinhosa e respeitosa como era recebido em todos os lugares, nas ruas e nos palácios, contando orgulhoso as profundas transformações que estavam acontecendo no Brasil.

Viraram o país de cabeça para baixo, tuitando adoidados, passando por cima de direitos, exterminando a sociedade civilizada que aqui foi construída.

Nenhum inimigo estrangeiro, que não temos, seria capaz de fazer tanto estrago em tão pouco tempo.

Vou parando por aqui porque para mim é muito sofrido escrever este texto sobre o que foi e é agora o Brasil, sobre o que já fomos e o que somos hoje.

Valeu, velho amigo Lula. Muita força nessa hora.

Por mais escura que seja a noite, uma hora há de clarear o dia.

Vida que segue.

 

18 thoughts on “No ano em que Lula ficou preso, boçalidade fez do Brasil uma republiqueta

  1. Caro Kotscho, ao ler esse teu post, resolvi também escrever uma CARTA AO LULA,
    O NOSSO ETERNO PRESIDENTE DO POVO. Sei que aqui não é o Correio mas se tu permitires, aqui vai:

    “Venho por meio dessas mal traçadas linhas te dizer que essa carta deveria ser escrita de próprio punho, mas como tanto o meu punho, meus dedos e mão me falharam tornando-se analfabetos, escrevo com o coração.
    Meu caro amigo me perdoe por favor se eu não lhe faço uma visita. É que me contaram que tem escadas pra chegar aí nessa cela medieval controlada pela barbárie judicial da republiqueta de Curitiba em que te tentam isolar e calar. Mas o que eles não se deram conta é que há um ano atrás tu abdicastes de ser apenas uma pessoa para se tornar uma ideia, ideia e pessoa estas que eu abracei bem antes, precisamente em 1977, na porta de uma fábrica em Santo André e que nunca mais “desabracei”. Sei como é isso, essas transmutações, pois quando a vida me tirou os pés do chão e me sentou numa cadeira foi que eu aprendi e descobri que posso voar !!!
    Pois veja, a minha maior tristeza e maior dor foi ser impedido por motivos de saúde de também estar ali em São Bernardo, há exato um ano atrás, para também te abraçar e tanto agradecer quando todos o fizeram. Eu não pude ir mas voando e chorando acompanhei tudo pela Internet. Eis a prova de que podemos voar aqui fora enquanto tu, aí dentro desse tão injusto cárcere, nem isso te é permitido fazer. Malditos sejam !!!
    O nosso Chico me inspira, meu caro amigo. E sendo assim eu não pretendo provocar, nem atiçar tuas saudades, mas acontece que não posso me furtar a te contar as “novidades” . Aqui na terra, o Brasil do lado de fora daí, estão jogando um futebol triste e de péssima qualidade, tem muito sangue, muito choro e besteirol, mas o que eu quero é te dizer que a coisa aqui tá feia, muita mutreta pra levar a situação (e a oposição), que a gente vai levando de teimoso e de pirraça e a gente vai tomando que, também, sem a cachaça, ninguém segura mais esse rojão, ainda que calejados pra isso.
    E como a esperança nunca pode e nem deve ser triste
    VOLTA LOGO !!!
    É URGENTE !!!”

      1. meu irmão…antes de ser um bravo guerreiro, tú é um domador de borboletas.
        Coloca aí no rodapé desta tua carta, que um velho nordestino como ele, mandou-lhe dizer que: quem tem alma de carcará, não morre antes de engolir a sua presa, e abandonar suas carcaças para que sirvam de alimento aos vemes.

  2. Desejo muita força também ao presidente Lula, que Deus esteja sempre ao seu lado, muita tristeza de imaginar ele dentro de uma cela com tanta sabedoria encarcerada, tudo realmente de cabeça pra baixo. Tenho esperança que ele seja libertado logo, espero que seja em breve.

  3. Correição à vista.
    .
    Ao anoitecer
    pode vir o choro,
    mas a alegria vem
    pela manhã.
    .
    Correição, sim.
    Já!
    Numa dessas manhãs,
    o Presidente
    receberá honraria maior,
    Nobel da Paz…
    O mundo fará Justiça a Lula.
    .
    Benvinda Correição!
    Fardas do planeta,
    direita enlouquecida,
    elite dominante,
    idiotas,
    antis,
    invejosos,
    filhotes do plim plim…
    .
    Abatidas barras da injustiça
    na cela da consciência.
    Unidos por infame erro,
    a contemplar
    CORREIÇÃO…
    na História do povo brasileiro.
    .
    PSL
    Para Sempre Lula…
    Nobel da Paz
    Na Páscoa da ressurreição
    Social.

  4. LAU, ALU, LUA,
    UAL, LALU, LUAL,
    LAUL, ULAL e ALUL.
    O mundo não teve medo de ser feliz,
    quando aprendeu e ensinou
    a ler e escrever LULA.
    UALL .

  5. Prezado Kotscho: Está aí um dos artífices do caos: “Cumprida sua missão de condenar e tirar Lula da campanha eleitoral, Moro virou ministro da Justiça do capitão Bolsonaro e seus generais, eleito por 57 milhões de bolsonarinhos.” Por isso é que “O Brasil é uma nação de espertos que reunidos, formam uma multidão de idiotas.” Gilberto Dimenstein.

  6. Nunca fomos tão altivos e bem-quistos no mundo: no longo período que vai da engenhosa estabilização da moeda às políticas certeiras de inclusão contra pobreza (no mais desigual país do mundo, tudo dentro dos marcos do moderno estado democrático de Direito) dizíamos com insuspeito orgulho a nossa nacionalidade em qualquer lugar do planeta.
    FHC venceu a inflação, Lula tornou a pobreza extrema uma página virada da história antes muito excludente desta terra. Não apenas a esquerda e os liberais superaram a tentação autoritária sempre presente no seu campo gravitacional como também os militares tomaram distância do passado ditatorial de gerações anteriores, ao agir como defensores da Constituição e como forças de paz no âmbito internacional dos Direitos Humanos. Militares brasileiros, Lula e FHC desfrutavam de inequívoco prestígio no mundo. Hoje, o Brasil virou piada e medo.
    Quer saber? Lula Livre no exílio é mais importante agora do que qualquer projeto de poder; aliás, o maior poder das esquerdas é saber continuar viva fora do poder, é vencer a barbárie em curso, endossando eleitoralmente um governo vindouro de centro. Nosso papel histórico foi mesmo cumprido a contento: com muito mais erros e imperfeições do que gostaríamos de admitir, mas sem nunca derrapar da democracia, enfrentamos a desigualdade vergonhosa, tiramos 36 milhões da linha da miséria e no plano da liberdades individuais Estocolmo ficou muito mais próxima do Rio de Janeiro. É isso o que no fundo eles chamam de corrupção: o medo ancestral diante de um país mais livre e menos injusto.

  7. Enio, tu escreve sempre bem. Mas, com esse coração e comprimido pela dor, ainda melhor.
    Peço permissão para apresentar um raciocinio simples para dar certa medida e avaliaçao do que sejam hoje os nossos militares, hoje montados na sela do bucéfalo que nos governa.
    Nao que eu concorde com dar um naco valioso do Brasil, Alcantara no MA, ao controle de ninguem, muito menos do mais maléfico império que ja houve na História. (sim, pelo conjunto da obra, porque o nazismo por ex. nao teve tempo, só durou 12 anos).
    Ja que era pra dobrar-se a essa sacanagem, srs. generais Heleno, Mourão, Fernando azevedo, Santos cruz voces não tem vergonha na cara de sequer estudar alternativas?
    Getulio Vargas ao menos trocou a base de Natal, RN em negociaçao com eles,pela criaçao da CSN de Volta Redonda.
    Mas estes generalecos exigiram algo GRANDE em troca? (ou devo suspeitar de coisa pior?) Por exemplo, CONDICIONAR e exigir podermos -a Avibras de SJC- produzir, utilizar e vender misseis de medio alcance tipo 4.000 km. [que hoje não pode…] Qualquer estudante de RI sabe o que isso significa. Abrir caminho para a soberania futura. Mas voces, generais, são burros ou submissos vassalos de rabinho abaixado? Me dá vergonha.

  8. Kotscho, politicamente não tenho origem no sindicalismo, mas lendo a carta do Ênio da um orgulho danado do PT. De resto, não tem saida, ou soltem Lula, ou sera uma desse pior que a outra.

  9. 07/04/19 – Um ano de Brasil Covarde que não merece Lula:
    “Prefiro ser um preso digno do que um solto rato” (Lula via Juca)
    “(…) Por que têm tanto medo de Lula livre, se já alcançaram o objetivo que era impedir minha eleição, se não há nada que sustente essa prisão? Na verdade, o que eles temem é a organização do povo que se identifica com nosso projeto de país. Temem ter de reconhecer as arbitrariedades que cometeram para eleger um presidente incapaz e que nos enche de vergonha.
    Eles sabem que minha libertação é parte importante da retomada da democracia no Brasil. Mas são incapazes de conviver com o processo democrático.” (Lula, hoje na Folha)

    A cada minuto que a classe dominante xucra, através do chefe do cativeiro, mantém-no sequestrado político e preso, graças a nossa anomia e na base do vale tudo e do custe o que custar, vitima de ‘sequestro político-jurídico-midiático’, planejado e operado pela ‘organização criminosa’, mais os ‘soltos ratos’ sentem-se e tornam-se, presos, enquanto o ‘preso digno’ sente-se e torna-se, solto, pois livre ideia que multiplica-se em vida e não em rancor e ódio que dividem, em ode a morte.
    Vivas ao Mestre pelo texto vivo e digno.
    Viva Lula Livre, para sempre!
    Viva a Dignidade e Viva a Vida!

  10. Kotscho, Bolsonaro ao menos em uma coisa acertou. Quando diz que não nasceu para ser Presidente.
    Mas em seguida também já mentiu ao dizer que nasceu para ser militar, quando, defenestrado das forças.
    E disso tudo, então, mais certo ainda é que também não nasceu para ser deputado federal, ao cumprir os oito mandatos mais vazios, inúteis e ociosos da história do Congresso Nacional.

  11. Leitura obrigatória do editorial de Mino Carta em CartaCapital. O sumário do anuário do país e do prisioneiro número um. Sem saída nem esperança na pátria da Casa Grande.

  12. Não ser moderado aqui, onde cabe tudo, dói, magoa muito.
    Coitado do Bozo, que vem perdendo o apoio de 57 milhões de alucinados apoiadores.
    Deve doer mais.
    Bem feito para ele e seguidores.
    Nestes 98 dias de governo, segundo se comenta, perdeu o apoio de 15 milhões de seguidores desencantados.
    Humm…. está perdendo mais de 150 mil apoiadores por dia. Se você é bom de Matemática, dá para acertar a data da posse de Mourão do pijama.
    Vai doer do mesmo jeito.
    Jamais serão moderados, como Lula o foi.

  13. E diz bolsonossário:”O unico que vai ficar contra é o Iran e Palestinos, que tem (esta ultima) embaixada aqui sem ser pais”.
    Ué. Primeiro não é verdade que a Palestina nao represente um pais – ainda que sufocado.
    Haverá outros e outros exemplos, mas vamos a estes.
    C.deGaulle criou no ideario ocidental um governo da França no seu exilio ingles, não foi?
    O tal Chiang Kai chek fez isso com anuencia americana e ocidental por muito tempo contra a RPC, não? (ate a realidade economica faze-los desistir)
    E agora o canino do Guaidog nao esta, fazendo esse jogo com a aprovaçao do proprio Bolso e seus patroes de Warshington?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *