O filho de Mourão e o irmão de José Alencar: dois casos exemplares

O filho de Mourão e o irmão de José Alencar: dois casos exemplares

“Cada grupo de interesse pegou um pedaço, uma teta, sempre perguntando o que podia tirar. Nosso grupo tem outra mentalidade” (Paulo Guedes, ministro da Economia, ao dar posse a presidentes de bancos públicos no Palácio do Planalto).

***

No mesmo dia, o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, promoveu e triplicou o salário do funcionário Antônio Hamilton Rossell Mourão, que passou a ganhar R$ 36,3 mil por mês.

Rossell Mourão vem a ser filho do general Hamilton Mourão, que tomou posse na vice-presidência da República oito dias antes.

“Quando o vento era outro, ele era prejudicado. Agora, que o vento é a favor, ele foi favorecido por suas qualidades”, justificou o papai Mourão, e deu o assunto por encerrado.

De fato, quando o vento era outro, no início do primeiro mandato de Lula, em 2003, houve um caso semelhante no gabinete do vice-presidente José Alencar, que nomeou um irmão para o gabinete.

Só que a reação de Alencar, ao ser confrontado com as normas éticas do serviço público e as críticas da imprensa, foi oposta à de Mourão:

Em vez de defender o parente, o vice de Lula imediatamente voltou atrás, e exonerou o irmão no dia seguinte.

Lembro-me bem do episódio porque ajudei Alencar a redigir a nota em que ele comunicava sua decisão.

E não se falou mais deste assunto na imprensa, tendo José Alencar completado seus oito anos de mandato como vice com uma conduta impecável nos 398 dias em que assumiu a presidência da República durante as viagens de Lula

Alencar também manteve em seu gabinete os assessores herdados de Marco Maciel, o vice de FHC, porque eram funcionários de carreira, ao contrário do que fez agora o ministro Onyx Lorenzoni, que demitiu 320 integrantes da Casa Civil, para “despetizar” o governo.

Quando assumi a Secretaria de Imprensa e Divulgação da PR, fiz como Alencar: mantive quase todos os 70 funcionários que trabalhavam com a competentíssima Ana Tavares, que exerceu esta função nos oito anos de FHC.

Fiz várias reuniões com eles durante a transição. Eram excelentes profissionais, funcionários de carreira de diferentes órgãos do Estado, cedidos para a Presidência da República. Por que mudar o que está funcionando bem?

A ninguém perguntei em quem tinham votado e se eram filiados a algum partido, bem diferente do que o governo Bolsonaro está fazendo agora. Até as secretárias ficaram comigo.

São casos exemplares que demonstram comportamentos opostos dos governos diante da mesma questão, revelando a hipocrisia de quem se arroga o monopólio da moral e dos bons costumes.

Até o momento em que escrevo, Paulo Guedes ainda não se manifestou sobre a “teta” gorda do funcionário do Banco do Brasil, por acaso filho do general Mourão.

Dá para ver como “nosso grupo” tem mesmo outra mentalidade.

Como escreveu o internauta Pedro Luis Cândido, deve ser esta a “mouralização” do governo.

Vida que segue.

 

40 thoughts on “O filho de Mourão e o irmão de José Alencar: dois casos exemplares

  1. Caro Kotscho, mourão é aquele pau mais grosso e vertical onde se sustentam as varas, ou “fios” de uma cerca. É nele também onde o “caba” costuma amarrar seu burro na sombra. E mourão rima com figurão, durão, venturão, dependurão… camburão.

  2. Nossa! O tempo é o tempo, o cofre é o cofre, o “pudê” é o “pudê”! Toda dor e todo sofrimento nasce na ignorância. As urnas revelaram um obscurantismo profundo. Até torço pra dar certo, mas é irresistível a despretensiosa pergunta: Nossos generais tem muitos rebentos? A vida do íntegro José de Alencar revela que ele era um fiel Marechal da paz e amizade. Tem o moço competência? Não duvido. Mas a simples resposta não fecha a questão. Apenas mostra a amplitude de secretos emaranhados políticos e misteriosa luta do “pós urna”. Companhia, sentido! Ordinário, marche!

  3. Em qualquer canto do Brasil, lá nos cafundós dos judas (como diz o caipira) qualquer prefeitinho eleito, no primeiro ato é nomear familiares para compor seus staff, com a justificativa que eles são as pessoas de sua confiança. Em suas empresas, antes de tomar posse, nenhum deles serviam para seus cargos de confiança, mas no serviço publico, a teta é gorda e cabe a familia toda.
    É o que acontece no presente caso. Mas e a meritocracia, onde fica? alguns se apressaram e mostraram que o curriculum do nomeado justifica o cargo contratado. Mas aqui se aplica aquela velha maxima:” Não basta a mulher de Cesar ser honesta, tem que mostrar que é honesta”
    Já na comparativa feita pelo nobre articulista de quando o Lula tomou posse, ilustrando inclusive com sua pasta na assessoria de imprensa, não bem isto que ocorreu na totalidade do governo.
    Quem acompanhou a politica da época deve bem lembrar do famigerado Silvinho Pereira, famoso Silvinho Land Rover, que era o encarregado de colocar todos os PTistas carimbados para dentro do governo.Passou de cem mil cargos de confiança. Foram milhares de sindicalistas, sem qualquer qualificação curricular, que pouco trabalharam ou se qualificaram na vida e passaram a ocupar cargos de Ministérios, Diretorias, Estatais , Fome Zero e tudo mais o que tinham direito. Ai veio Berzoine, Gushikem, Paulo Okamoto, Paulo Bernardo, a turma dos metalurgicos de São Bernardo, os do Sindicato dos Bancários, a republica de Ribeirão Preto do Palloci, o0s ungidos do Direceu e muitos e muitos outros que ajudaram arrombar o serviço publico, estatais e fundos de pensão, fazendo dos cofres do governo um verdadeiro balcão de negocios, origem do Mensalão e do Petrolão. Deu no que deu. A grande maioria estão condenados ou processados pela justiça por problemas no serviço publico
    Bolsonaro e seus asseclas já estão incorrendo no mesmo erro ao adotar o compadrio para cargos de muita importância.
    Que ele tenha, ao menos, a nobreza de corrigir seus erros e não só o de seus antecessores

    1. “…ajudaram arrombar o serviço publico, estatais e fundos de pensão, fazendo dos cofres do governo um verdadeiro balcão de negócios, origem do Mensalão e do Petrolão”.
      As pessoas passaram a repetir chavões que veem na imprensa sem o mínimo de capacidade crítica. Alguns desses clichês dizem que “os governos do PT quebraram o país”; “o PT promoveu a maior corrupção da história” e “Lula roubou bilhões.
      O espaço é curto, mas sempre que peço para essas pessoas apresentarem evidências do que dizem, mostram-se incapazes para tanto, limitando-se, como disse, a repetir chavões. Obviamente houve casos individuais mas que pouquíssima influência tiverem nos destinos do país. De qualquer forma, nada há de errado em colocar nos cargos de confiança pessoas ligadas ao partido ou ao governo ou a aliados o que é bem diferente de nepotismo ou “despetização” do governo

      1. Ari, não se faça de rogado. O que aconteceu com os fundos de pensão dos Correios, Funcef, Petros, Banco do Brasil, todos adminsitrados por PTistas?
        Os funcionários dos correios estão sendo obrigados a repor o rombo das aplicações “dirigidas” que causaram enormes prejuizos aos Fundos , até 2025 ou mais.
        O que aconteceu com a Cooperativa dos Bancários administradas pelo Sr. João Vacari?
        Voce tem duvida que existiu o Mensalão e o Petrolão?
        Entra no Google e coloque lá “presos pela lava jato”, voce vai ver que não são caos individuais e sim coletivos, tanto é que dentre as condenações está a formação de quadrilha.
        Foi o maior rombo da história e, talvez, até o maior do mundo.

        1. José Antonio, você que sabe tudo, poderia nos informar qual foi a participação do Paulo Guedes numa empresa de prateleira que está sendo investigada pelo MP por fraudes nos fundos de pensão?
          Dá uma pesquisada no Google que pode te ajudar. Acho que você precisa se atualizar um pouco. Estas tuas histórias já estão com prazo de validade vencido.

          1. Ricardo, se o ministério publico tem indicios ou provas da participação do Sr. Paulo Guedes em atos ilicitos, nós da sociedade temos mais é que cobrar rigorosa apuração (na mesmo forma que exigimos nos governos PTistas) e que, se comprovado, que o puna nos rigores da lei, inabilitando-o para o exercicio do cargo publico. Não tem dessa de bandidos de esquerda ou de direita, ambos são bandidos, uma vez comprovada sua participação.
            Quanto ao prazo de validade vencida das historias de falcatruas do PT, não existe “caducidade” para assaltantes de cofres publicos. Eles sempre vão dever .

      2. Perfeito, Ari. Faço minhas as suas palavras! Confundir indicação de companheiros de confiança com nepotismo é no mínimo desonestidade intelectual!

    2. Pelo amor fe Deus, hein! Falar em meritocracia em um país como o Bradil! Meritocracia com papai general! A HIPOCRISIA nesse lugar não acaba NUNCA!!

    3. Se verdade fosse, tonho, teriam presidido, ajudado e assistido ao MELHOR e mais extraordinário periodo da Historia brasileira, que tal? Então engula!
      Foi duro para a elite ver isso, aplaudir a contragosto a performance, relaxar e gozar…os lucros como nunca anteriormente.
      Mas nunca fizeram ‘limpeza’ pseudo partidaria como agora. Alias dizem limpeza para rotular mais bonito o seu aparelhamento… ate agora brilhante pelos zurros e patadas…
      Esta como os de ‘elite’ e classe media da bolivia em Santa Cruz, Pando. QUERIAM porque queriam e tentaram sua ‘independencia’ com ajuda externa e tudo. Agora ha anos que estao quietinhos,nada de independencias… relaxando e gozando o crescimento vigoroso e continuo da economia boliviana, nas mãos do Indio. Como solidário que sou, compreendo que tenhas dificuldade para digerir tudo isso.

  4. Caro amigo Kotscho,o general do Exército Antonio Hamilton Martins Mourão (PRTB) foi acusado pelo coronel da reserva Rubens Pierrotti Junior, 49, de ter favorecido a empresa espanhola Tecnobit a desenvolver o Simulador de Apoio de Fogo (SAFO)mesmo este tendo sido reprovado por sete vezes por Pierrotti, que, à época, era supervisor operacional do projeto. O caso teria ocorrido em 2012, período em que Mourão participava do projeto, e foi revelado pelo jornal “El País” em agosto de 2018. Tal pai ,tal filho!!
    O juizeco mouro que sempre foi um leão contra lula e o PT,foi também sempre um paizão ao lidar com os adversarios do PT!!!
    Ganhou com isso o cargo de ministro protetor geral da nova republica e seus asseclas!!
    Vai proteger o bozo,seus filhos ,acessores etc!!
    Investigar o Queiroz e familia NUNCA !, investigar o bozo e filhos NUNCA! investigar mourão e filho NUNCA! investigar onixy NUNCA!
    Tá tudo dominado!!!
    Força Amigo! Estamos juntos na resistência!

    1. Lendo seu comentário, me questiono se nada sei sobre as funções do ministro da justiça.
      Pela sua concepção, Moro deveria prender todos os bandidos, independente da tipologia do crime ou onde foi cometido.
      Vc coloca a estrela de xerife e o cobra para acabar com todas as mazelas do país, pois ele é o xerife e não existe outro, não precisa seguir leis, não precisa de processos e muito menos escutar uma defesa.
      Acredito que conheça um advogado ou até mesmo tenha um na família, faça este mesmo comentário sobre o Moro e ouça o q te diz este advogado ou um simples entendedor de leis.
      Seu comentário me lembra bastante qdo via nos blog´s de esquerda (247, dcm, cafezinho…), vários eleitores do PT ofendendo o José Eduardo Cardozo, então ministro da justiça do governo Dilma. Estes ofendiam o ministro, pois na visão deles, o Cardozo tinha q parar a lava-jato, prender os procuradores e soltar os presos desta operação. Ele não fez nada disto, mas te conto um segredo, o ministro da justiça comanda somente o ministério, não tem poder para investigar, julgar ou condenar.

      1. Paulo, o conceito de Justiça descrito está correto, mas me parece equivocada sua interpretação do comentário de jose carlos, que não falou nada quanto à atuação de ministro, apenas como pessoa do atual ocupante… os fatos (e atos) falam por si só, quando Moro era o poderoso juiz da “Lava Jato”, e agora como “super ministro”, apenas neste começo de mandato, de decretar sigilo e restrições ao COAF!!!
        Você acha que o intuito é para defender quem exatamente???

  5. Balanço de uma semana do governo do Pai, Filhos e Espírito de Porco (Moro):
    -Lorenzetti enrolado com faturas, caixa 2×2 (mas ele pediu desculpas, disse que não ia acontecer mais e o Moro aceitou numa boa).
    -Messias desmentido no I.R., IOF e taxa de juros da CEF.
    -Anunciou uma base militar para os usamericanos, quando o secretário Pompeo quase caiu da cadeira, mas os militares não gostaram da idéia e disseram um sonoro “NÃO”.
    -Queirós e a filha não aparecem para dar esclarecimentos.
    -Filho de Mourão promovido a assessor especial do BBrasil triplicando seu salário e o papai coruja dizendo que é meritocracia. Ou seria “MOROtocracia?
    -Pedro Guimarães, genro de Léo Pinheiro, um dos delatores do Luiz Inácio, nomeado presidente da CEF. Seria um pagamento por serviços prestados?
    Isso em UMA SEMANA!!
    Nem conto as declarações disparatadas do Messias antes de assumir…

  6. Esse caso do filho do genersl é decepcionante. Não há dúvida , porque é vergonhosa. Um servidor do BB que não sai de Brasília, nao enfrenta o cliente ao menos por cinco ou mais anos , não deveria exercer cargo de comando ou de assessoria na empresa, porque não tem experiência ou porque sempre quis viver em foufas almofadas.
    Trabalhar em agência no BB é ter que cumprir metas de venda de produtos todos os dias ou larga o cargo . Um tormento. Na outra ponta, sindicalista preguiçoso te atrapalhando . Por falar nessa turma, Luis Osvaldo, Sergio Rosa,Herrique Pizolato, todos sindicalistas e de currículos medíocres tiveram cargos no BB de vice presidente, Presidente da Previ e diretor de marketing, nessa ordem, cujo mérito era ser do PT. Um desastre para a moral de quem trabalhava. A safadesa se repete.

  7. Pessoal, essa é demais. A ministra Damares lamenta que a Teoria da Evolução tenha sido introduzida nas escolas!!! Para ela, Adão comeu a Eva e a maçã de sobremesa. E a serpente assistiu a tudo. O “astrólogo” O. de Carvalho dizendo que a Terra não gira. Ela fica parada e o Sol é que gira em torno dela. Estamos entrando num período de obscurantismo religioso, científico, moral, intelectual. Estamos voltando à Idade Média das trevas, não a Idade Média da Luz. Confiram:

  8. Há um brocardo popular que diz: “por onde passa um boi passa uma boiada”. Válida com ou sem viés ideológico. O açodamento em incensar os novos operadores do poder é um sinal de que a boiada começou a andar.

  9. Os milicos vão passar ilesos do sucateamento da previdência, a capitalização vai ser um gradíssimo dildo no rabo dos trabalhadores que recebem um salario mínimo.

    os coxinhas fazem a festa na republica das bananas brasil-sil-sil.

  10. Prezado Kotscho: Se até agora “Paulo Guedes ainda não se manifestou sobre a “teta” gorda do funcionário do Banco do Brasil”, pode ser que ele esteja mais preocupado com o que vai falar em Davos nos próximos dias 22 a 25/01/2019 na reunião das autoridades do G20. Mas você não acha que ele deve estar preocupado à toa, já que ele estará ao lado do presidente que, além de ser um grande comunicador, deve ter um inglês e um francês fluentes? No meu modo de entender, uma preocupação deveria existir mesmo é sobre aquela suposta “bolsinha” externa para que não haja nenhum fluxo ascendente, a coisa acabe parando no cérebro e aconteça um estrago em escala global.

  11. A velha moral da UDN : façam o que eu digo, mas não o que eu faço !
    Esta norma de conduta é considerada normal entre os ” cidadãos de bem ” ( tem sempre uma justificativa ) . Para os demais, o fogo do inferno…
    E pensar que um Ministro de Dilma caiu por que comprou tapioca com cartão corporativo….

  12. Esta nomeação é um absurdo e me parece q não tem volta.
    Onyx não demitiu nenhum funcionário de carreira, até mesmo pq a lei não permite.
    Sempre disse q minha preocupação na eleição era em votar em um candidato apoiado pelo mercado, que nos garantiria investimentos e geração de emprego. É impressionante a lua de mel q estamos assistindo entre o mercado e o novo governo, ontem a bolsa superou 93k e o dólar continua em queda. Continuando nestes passos, veremos em breve a criação de empregos em massa.

  13. Prezado Kotscho: Não sei se é possível aqui no seu blog, mas você poderia lançar a seguinte enquete: “Se você acredita no criacionismo responda: quem criou a Damares?”.

  14. O que ninguem parece ter ressaltado é o seguinte: Neste País há ou não há teto salarial para o serviço público?
    Ora falam de juízes, ora falam de promotores, ora falam de outras instâncias governamentais com supersalarios. Mas afinal, pode um assessor do Banco do Brasil ganhar mais que Ministro?

  15. Dez dias de Bolsonaristão que parecem meses, Mestre, dada a velocidade com que produzem Atritos & Detritos em todas direções.
    Enquanto o citado general Mourão atacava o perigo comunista e o desperdício, no Banco do Brasil, sacrificando o próprio filho na ocupação de espaço na Diretoria, genitóriamente triplicando-lhe o salário, familiares do citricultor, rolista e motorista, Queiroz, deixavam de comparecer ao MP para deporem e o ministério da Educação ia e vinha com o edital de aquisição de livros didáticos, atribuindo a Temer o que Haddad lacrou, “só pode ser sacanagem”, ao menos uma coisa sensata ocorria: O cancelamento de base americana no Brasil.
    Afinal, há mais de sessenta anos, tem um exército de ocupação, então, pra que base?
    Mais ‘adequado’ seria-lhes, mudar o nome da Praia Vermelha na Urca, para Praia Amarela, né?

  16. Caro Kotscho, ainda tem mais uma coisa.
    Mourão disse que era justo esse salto que o filho deu agora, porque ele teria sido injustiçado durante os governos petistas.
    O general é injusto ou mentiroso.
    Afinal, foi publicado hoje no UOL uma matéria que esclarece que o filho do general foi tratado de forma justa entre os anos de 2003 e 2013. Durante esse período, o filho do general foi promovido 8 vezes no Banco do Brasil.
    8 vezes!!!

  17. Elliane Brum no El País em ensaio do dia 4 sobre o bolsonariano e Eduardo Escorel na Piauí do dia 9 fazem duas análises imperdíveis que se complementam. Merecem uma boa e detida leitura.

  18. Os casos do Laranja do Senador e do Filho do Vice apenas mostram que La Nave Va.
    As calças continuam completamente arriadas, sem os devidos esclarecimentos, que continuam eclipsados sob os mais surrados e atrevidos pretextos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *