Brasil virou um país fake: fica batendo palmas pra ver louco dançar

Brasil virou um país fake: fica batendo palmas pra ver louco dançar

A chave de ouro do ano em que o Brasil virou um país fake, onde tudo é falso como uma nota de 3 reais, foi a “entrevista” do motorista Queiroz ao SBT, o último ato de um teatro de circo mambembe.

No picadeiro, fica uma gente esquisita que bate palmas pra ver louco dançar na platéia, gritando “Mito! Mito! Mito”, sem perceber que a lona está pegando fogo.

Só podia ser mesmo no SBT de Silvio Santos, aquela ilha de fantasia brega do “Baú da Felicidade” (a felicidade do dono, é claro).

O que foi aquilo? O cara ria sozinho na cara da repórter, nem ele acreditando no que falava.

Debocharam da nossa cara em horário nobre e tenho certeza que muitos seguidores fanáticos do homem que veio combater a corrupção vão achar que foi isso mesmo, compra e venda de carros usados, qual é o problema?.

Que maravilha! Com tantas doenças que ele até se perdeu ao falar de todas, não tinha mesmo condições de depor no MP. Só tinha forças pra falar com a repórter fake do SBT.

O que o MP e a PF estão esperando para decretar uma condução coercitiva do indigitado motorista, ou no Brasil fake isso não vem mais ao caso, depois que Sergio Moro ficou com o Coaf?

Um detalhe que escapou nesta história toda: o levantamento do Coaf sobre a movimentação financeira de Fabrício Queiroz, o ex-super-assessor dos Bolsonaro, refere-se a apenas um ano.

E o que aconteceu nos muitos outros anos todos em que ele serviu no gabinete de Eduardo Bolsonaro na Alerj?

Não seria o caso de fazer um levantamento completo para saber quantos carros ele comprou e vendeu neste período?

Sobram mil outras perguntas a fazer a Queiroz, mas parece que o MP e a PF, sempre tão expeditos em outros casos, não têm pressa.

As inacreditáveis imagens do capitão reformado e presidente eleito, lavando roupa e brincando com um facão, em seu retiro na restinga militar da Marambaia, servem como pano de fundo funesto desta pantomina a que o país assiste resignado.

Se era para ser assim, poderiam ter votado logo em Silvio Santos de uma vez, que pelo menos é mais engraçado, embora também patético e grosseiro.

Nem o mais delirante autor de ficção da emissora dele seria capaz de criar uma história tão inverossímel, mas que é real no Brasil fake de 2018.

Acredite quem quiser. Queiroz não é laranja.

Vida que segue.

 

14 thoughts on “Brasil virou um país fake: fica batendo palmas pra ver louco dançar

  1. Caro Kotscho!
    Este cidadão apresentou argumentos tão inconsistentes que nos olhos e trejeitos faciais pudemos notar que ele próprio não acreditava no que dizia.
    Tudo é parte de um grande concerto (eles adoram esse termo) com a única intenção de interromper o avanço da sociedade brasileira.
    O presidente eleito atenderá uma significativa parcela de brasileiros: aqueles que creram em factoides, os conservadores que sequer podemos qualificá-los como conservadores, pois, estão embasados em conceitos contraditórios, ultrapassados e invalidados.
    A outra parcela, a maioria formada por minorias, será a dos excluídos; os que não serão aceitos na “nova” ordem social, os que terão as vozes abafadas…Os sem Presidente!
    Casos similares ao do motorista Queiroz ocorrerão com frequência e as justificativas serão tão infundadas como as que assistimos. Quem vai acabar batendo palmas pra louco dançar seremos nós, os que estão fora desse picadeiro.

  2. Triste país! Aquilo não foi uma entrevista, qualquer novela mexicana que o SBT apresentava antigamente parecia mais verdadeira. Um horror. E a outra deslumbrada sai com uma camiseta com a frase infeliz da juíza poderosa do Paraná. Se a frase já foi inapropriada na hora em que foi proferida, imagine replicada de forma pueril por uma pessoa que vai ocupar um cargo importante, ainda que simbólico, no governo? Realmente estamos perdidos… que 2019 tenha piedade de nós.

  3. Caro Kotscho, não se deve desrespeitar as dores e as doenças de ninguém e eu, por conta das minhas, jamais o farei.
    Ocorre que no “depoimento” do “fazedor de dinheiro” Fabrício Queiroz (Fernando Moraes acha que ele deveria ser nomeado para a presidência do Banco Central) ao SBT e não ao MP, muita merda foi dita. Não se viu sangue na tal facada do Bozo mas quem cagou sangue foi o seu, segundo ele mesmo, maior baba ovo !!! Ele, que não se lembra do nome do médico e do hospital em que se internou pra fugir do depoimento da mesma maneira que seus chefes fugiam dos debates, disse que é câncer mas o que lhe incomoda de verdade é a dorzinha no ombro.
    Há dois anos, na disputa pela prefeitura do Rio de Janeiro, Flávio Bolsonaro desmaiou ao vivo durante um debate e teve que ser socorrido pela médica comunista Jandira Feghali e no único debate em que o pai compareceu para disputar a presidência da República, não desmaiou mas teve que ser socorrido por uma cola na mão para não passar vergonha.
    Que vergonha!!! Que família!!! Que asseclas!!! Que gente é essa, Deus do céu???
    Em tempo : O meu irmão também compra e vende carros, é do que tenta sobreviver, conversando com ele hoje, me contou que fazem três anos que esse mercado está parado e que se não fosse o emprego da sua esposa estariam todos lá passando fome. Eu disse a ele que para procurar o Queiroz e propor sociedade já que os dois se encontram desempregados no momento.

  4. Presidente Dilma e seus eleitores.
    Eterna gratidão em livrar o Brasil de José Serra e Aécio Neves.
    Agora, sei não.
    É aguardar.
    Talvez, chegaremos a nos manifestar por camisas.
    Tem alguém aí que já começou. Só que com frase de bronca chula…

  5. No Brasil há dois pesos e duas medidas em tudo: um para aqueles que são de esquerda ligados às lutas populares, aos trabalhadores, aos de “baixo” e outra aos poderosos os grandes “donos” do país. Fingir que não vemos a diferença entre a Casa Grande e a Senzala não faz desaparecer as diferenças, por mais que tenha muita gente da Casa Grande fingindo ser da Senzala por pura hipocrisia e cálculo oportunista e muita gente da Senzala pensando que é da Casa Grande por pura ilusão política e ignorância crassa mesmo…
    Para aqueles que não acreditam na luta de classes como interpretação histórica o país não passa mesmo de um hospício, mas um hospício que os médicos e loucos convivem em um conflito aberto em que a loucura é o menor dos males…

  6. Prezado Kotscho: Nessa área de “compra e venda de carros usados”, tenho uma Brasília amarela, 79, lindona, único dono, 1964 km rodados, com quatro rodas de magnésio, quase tudo original. Preço de ocasião. Como é carro para gente do bem, só tenho restrição de venda para oportunistas, grossos, lambedores de coturnos e rastaqueras.

  7. Ao ver a “entrevista” do Queiroz, lembrei-me da “entrevista” do Lula nos jardins de um hotel de Paris. A tática foi a mesma: enrola-se um pouco até criar uma fábula, e concede uma entrevista a um jornalista amigo, do tipo que não faz perguntas inconvenientes. Os carros do Queiroz são tão plausíveis quanto o caixa dois do PT.

    1. Interessante!
      Bestificado com a ‘propriedade’ factual, a ‘profundidade’ lógica e a convicta ‘plausibilidade’ correlata, da analogia, também lembrei-me…, de Lincoln:
      “Às vezes é melhor ficar calado deixando que os outros pensem que você é…”

  8. Aqueles que confirmam suas suspeitas de fuga populacional contra o bolivarianismo da venezuela precisam estudar um pouco a vida e a situação dos tres paises bálticos. Letonia, lituania e Estonia. Uma pesquisa por favor.
    Todos são anti Russia – e com muitas e históricas razoes.
    Todos hoje são consentidos suditos do imperio americano e agora hospedam alegremente armas e misseis da OTAN/Usa, esquecidos que virarão alvo e a seguir poeira nos primeiros minutos de uma guerra grande na região.
    Mas não sabia que desde 1992 perderam m algo acima de 25% (1/4!!) de sua populaçao para emigração, suicidios etc. Tudo concomitante com pobreza e baixos salários.
    Nada nada uma venezuela crescente na europa oriental, mas sem petróleo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *