Até agora, novo governo só faz ameaças: “meter a faca”, fechar escolas e adotar Lei Seca

Até agora, novo governo só faz ameaças: “meter a faca”, fechar escolas e adotar Lei Seca

Por mais que eu queira, é impossível mudar de assunto.

Nem eu aguento mais escrever sobre esse escalafobético governo de transição, em transe permanente, mas a cada dia surgem novas ameaças no horizonte, em vez de projetos para melhorar o país.

Sem ter apresentado até agora um programa econômico concreto e factível, com números, prazos e metas, como faz qualquer governo novo, a equipe de Bolsonaro prefere fazer ameaças no varejo a torto e a direito (mais torto do que direito).

A novidade do dia vem de Osmar Terra, ministro da Cidadania, Cultura, Esporte e Desenvolvimento Social.

Com tantos setores da sociedade sob o seu comando, qual o primeiro projeto apresentado pelo novo ministro?

“Osmar Terra propõe limite para venda de bebidas alcoólicas”: esta é a manchete que está agora no portal do Globo.

Sim, é isso mesmo. É dessa forma que ele pretende combater a violência no país, em parceria com o superministro da Justiça, xerife Sergio Moro.

Lei Seca no Brasil é o que falta para reduzir os mais de 60 mil assassinatos por ano, um recorde mundial?

Ou poderá acontecer exatamente o contrário, como já vimos em experiências anteriores?

Não custa lembrar que no início do século passado foi graças à Lei Seca que um certo Al Capone construiu sua imensa fortuna nos Estados Unidos, justamente na terra dos Chicago Boys de Paulo Guedes.

E de onde ele tirou essa brilhante ideia?

“Antes de sair do governo Temer (boa referência…), fui à Islândia conhecer o programa de juventude que mais reduziu o consumo de drogas na Europa. Não deixam expor bebidas alcoólicas em nenhum lugar, têm um toque de recolher. Depois das 22h, jovens com menos de 18 anos não podem andar sozinhos na rua. Claro que é uma realidade bem diferente”, explicou Terra ao repórter do Globo.

Beleza. Ainda bem que ele fez a ressalva no final e lembrou que a Islândia é um país de 500 mil habitantes, menor do que o bairro onde moro em São Paulo.

Também pensando certamente em combater a violência juvenil, Paulo Guedes, o superministro da Economia, que se formou em Chicago, ameaçou “meter a faca” para cortar 30% dos recursos do Sistema S (Sesi, Sesc, Senai e Senac), em discurso a empresários, esta semana, na Federação das Indústrias do Rio.

Falando em tom de galhofa, o poderoso “Posto Ipiranga” de Bolsonaro não se deu conta de que este corte significaria o fechamento de 1,1 milhão de vagas em cursos profissionalizantes, só do Senai, em 162 escolas do sistema, segundo levantamento feito pela Folha.

Como lembrou Reinaldo  Azevedo em sua coluna desta sexta-feira na Folha, o Sesi teria que fechar 468 mil vagas do ensino básico e de educação para jovens e adultos.

Esta insanidade atingiria também o Sesc de São Paulo, o maior polo cultural do país, que no ano passado investiu o equivalente a dois terços da despesa do Ministério da Cultura, agora extinto.

Guedes já tinha feito também ameaças, na mesma linha do deixa que eu chuto, ao Congresso e aos governadores eleitos, para aprovarem rapidamente a reforma da Previdência.

O que se está montando não é um novo governo, mas uma verdadeira bomba-relógio.

Desde o começo desta história, tenho comentado que, perto do explosivo banqueiro Paulo Guedes, Jair Bolsonaro é um ex-militar até moderado.

Por isso, não me surpreendeu o título dado por Azevedo à sua coluna: “Que Bolsonaro modernize Guedes”.

Eu sei, o mercado esperava exatamente o contrário…

Bolsonaro poderia agora também incluir na lista outros ministros como Osmar Terra, com suas soluções modernizadoras do século passado, que não deram muito certo em lugar nenhum.

Desse jeito, aquela pinguela “ponte para o futuro” do golpista fracassado Michel Temer vai dar direto numa via expressa rumo ao caos.

E querem que eu mude de assunto? Como?

Sem esquecer que o principal fato político do dia hoje é o depoimento do PM motorista Fabrício Queiroz, para explicar o funcionamento do seu movimentado caixa eletrônico particular.

Será que dessa vez ele vai aparecer?

Querem que eu fale do quê? Do calor infernal e do Natal que está chegando?

Tudo bem: Boas Festas para todos, feliz Papai Noel!

Vida que segue.

 

21 thoughts on “Até agora, novo governo só faz ameaças: “meter a faca”, fechar escolas e adotar Lei Seca

  1. João de Deus, o Papa Francisco garantindo que nunca mais a igreja Católica Romana vai tolerar abusos sexuais de qualquer tipo em seu seio, Pesão preso, calor recorde no país, Trump sempre dando motivo, as palhaçadas de Marco Aurélio Melo, Manchinha assassinada. Com todo o respeito, e eu tenho muito por você, mas claro que dá Ricardo. E no duro, não é preciso querer tanto assim. Ricardo eu mudei o email.

  2. Caro amigo Kotscho,como diria Paulo Diniz,numa brilhante canção da década de 70,com esse desgoverno é preciso “um chopp para distrair”,e agora querem proibir até meu chopp,ai não!!
    Sem uma cerva gelada fica mais difícil encarar a realidade!!
    Os fundamentalistas vão instituir novas leis apartir de 01/01/2019:
    Lei da Mordaça(ninguém pode falar mal do governo)
    lei seca (proibido toda que qualquel bebida alcoolica,para todos encarar a realidade sóbrio)
    Lei da castidade(sexo só com fins reprodutivos,escondido e no escuro. Para fins recreativos jamais)
    Lei da Escola sem partido(só serão admitidos professores fundamentalistas que pregam a moral e os bons costumes “deles”)
    E serão revogadas e ou reeditadas algumas leis importantes para eles!
    Lei Aurea(está lei será reedidada e modernizada (colocando como escravos todos os pobres independente da cor,raça e religião pois serão todos iguais no novo desgoverno)
    Lei Maria da Penha( Será revogada pela necessidade neopentecostal de provar que o homem é o”varão”da casa e a mulher tem de sem submissa a ele)
    Lei do colarinho branco(será revogada por o coaf ter vasculhado a vida dos bolsonaros)
    É amigos parece brincadeira mas não é,tá ruim e vais piorar muito e até lá “um chopp para distrair”
    Força amigo ! Estamos juntos na resistência!

  3. Caro Kotscho ,

    Acho que o Posto Ipiranga venderá combustível adulterado , no conteúdo e na quantidade , uma mistura ruim para o motor Brasil.

    Mexer no Sistema S , que nos parece funcional é
    incrível ; com tantas outras alternativas de corte de despesas passíveis de serem feitas.

    O motorista declarará que tudo está correto e o
    indicado ministro ambiental tem inquérito no
    curriculum .

    Que pais será esse?

    É de temer o tosco messias e cia !

    sds

  4. Caro Kotscho, pelo que eu entendi, o tal ministro quer tirar a cachaça do pobre e a cerveja da classe média mas nas altas rodas de poder em Brasília o whisky e a cocaína continuarão liberados.
    Quero saber o que pensa sobre isso o Lemann, o homem mais rico do Brasil, dono da AMBEV, eleitor e financiador do Bozo!!! Vai se juntar aos donos do agronegócio quando estes começarem a perder exportações para a China e o mundo árabe???
    Esse governo está “fardado” a um retumbante fracasso!!!
    Mas o lado bom de toda essa merda é que nesse natal não vai ter Papai Noel nas casas dessa truculenta e histérica ruma de ignorantes eis que o Papai Noel além de barbudo, veste vermelho e é conduzido por “veadinhos”
    Essa gente, ao votar no Bozo por conta de seu ódiozinho infantil, perdeu completamente o respeito pelo Brasil, daí que eu não vou nunca mais respeitar puto nenhum dessa laia.
    É isso. Que eles tenham um infeliz natal e um péssimo 2019, que do meu ano novo eu me viro como sempre foi até hoje.

    1. Ênio, você acredita que em um shopping de Brasília o Papai Noel é azul? Não estou brincando não. A imbecilidade ainda tem mais espaço para crescer. Deus nos proteja!

  5. Concordo plenamente com a linha do artigo, mas é bom lembrar que as escolas do SESI faz algum tempo cobram mensalidades de seus alunos. Ou seja, além de receber e aplicar dinheiro público em suas escolas, o Skaf cobra um pouco mais de cada aluno.

  6. Estamos indo firmes, rápidos e obstinados rumo a um grande precipício, pra piorar argumentamos:
    “não, é só um pinguela na estrada, vamos atravessar na boa, tudo bem, na frente a estrada recomeça…”
    Já vi muita gente morrer assim, na tentativa de achar que é só um caminho abrupto…
    Sorte, muita sorte para nós, vamos precisar…

  7. Prezado RK, já que você citou o Al Capone, seguem dois aforismos dele:
    1-Não entendo quem escolhe o caminho do crime, quando há tantas maneiras legais de ser desonesto.
    2-Proibição não causou nada além de problemas.
    (esta é pro ministro Terra)
    No mais, vamos aguardar a posse do Walfrido Canavieira na presidência da República Federativa do Brazil(assim mesmo).

  8. Esperando Queiroz, enquanto a estória plausível não vem, não transferem a embaixada para Jerusalém e Damares não arreda o pé da goiaba, nada mais natural outros Rinocerontes anunciarem no balcão da desgovernança, a ‘Lei Seca’ e o ‘Corte no Sistema S’ para poupar empresários que já sofrem e muito com essa praga vermelha chamada ‘empregado’, com desejo imperdível de ex Reinaldo Azevedo, ao antever o desastre: “Que Bolsonaro modernize Guedes”.
    E Mestre de saco cheio, ‘de placa’, encerra o episódio, não o absurdo no roteiro: “Eu sei, o mercado esperava exatamente o contrário…”
    E nosotros aqui a participar, sem desejar, da série Netfria: “O Alienista no Chapadão do Bugre”, em quatro temporadas, sabendo-se improvável chegar-se ao final da primeira, caso obediente Totó não revogue agora as ‘Leis de Newton’.

  9. O sistema “S”, para o qual eu contribuo compulsóriamente , traz sim um enorme beneficio aos empregados a eles vinculados. Como já colocados aqui neste post, é inegável a contribuição de um SESI, SENAI , SENAC e SESC, para dizer somente alguns deles. Quem conhece as colonias de férias do SESC, notadamente a de Bertioga, vai reconhecer o seu valor. Mas nem tudo o que reluz é ouro e conhecemos alguns desvios de conduta dentro de suas administrações. UM exemplo clássico foi o uso abusivo por parte de Paulo Skafe, durante a campanha eleitoral, onde as escolas do SESI eram mostradas exaustivamente. com a finalidade de alavancar sua candidatura.
    A gestão destas entidades também é compartilhada com as respectivas federações de empregados e neste aspecto vira cabide de empregos. Jair Meneghelli quando saiu da politica se abrigou no SESI com salarios astronomicos e por la permaneceu (ou permance , nao sei deizer) por longos anos. O mesmo aconteceu com o Sr. Paulo Okamotto, que foi presidente do Sebrae durante o governo Lula, ainda que, seu curriculo em nada o gabaritava para tal cargo. Do lado patronal também não fica diferente, onde são abrigados inumeros presidentes de Sindicatos e seus apaniguados, geralmente ex-empresários. Que me diga o Sr. Affif Domingos.
    Muitas vezes, somos obrigados a sacrificar a vaca para acabar com os carrapatos. Não foi assim com o cargo de Juiz Classista , na justiça do Trabalho?
    Durante os governos PTistas foram inumeras as tentativas das centrais sindicais e seus sindicatos de se apoderarem do sistema, o que não prevaleceu. Agora acho que é chegada a hora de algum acerto de contas. Veremos……

  10. Prezado Kotscho: Se ““Osmar Terra propõe limite para venda de bebidas alcoólicas”, vai ver que ele tomou umas a mais e perdeu a linha e o carretel. Vai saber. Tudo é possível para esse embuste de governo que virá pela frente.

    1. Prezado Kotscho: Mas “para explicar o funcionamento do seu movimentado caixa eletrônico particular”, não seria porque ele e seu ex-chefe trabalhavam com empréstimo de dinheiro no sistema de delivery de algum banco e a gente não sabe? Ou será serviço de agiotas esse fluxo de dinheiro? Pelo que entendo parlamentar não é instituição financeira para fazer ou receber empréstimos de dinheiro, certo?

  11. Tá osso este pré inaugural governo Bolsonaro. Todos os dias temos uma noticia nova, uma bomba nova que nos leva a crer que o fundo do poço ainda está longe!
    O motorista-caixa não apareceu, de novo!, para depoimento e a Procuradoria do Rio vai ‘convidar’, iiso mesmo!, vai convidar Eduardo Bolsonaro para prestar esclarecimentos.
    Se eu sou convidado para uma festa, evento ou qualquer outra coisa, vou se eu quiser!!!

  12. Está faltando ainda: proibir rinha de galos, proibir uso de biquini nas praias, proibir corridas de cavalos, alguém lembra de mais alguma “novidade”…?

  13. Kotscho, este post parece que foi escrito por alguém do MBL, de tão tendencioso. Comparar o que o futuro ministro propõe com a lei seca da década de 30 no EUA é desonesto. Todos sabemos da influência dos bêbados na violência urbana e nos acidentes de trânsito, somados os dois segmentos passa de 110 mil cadáveres por ano, muitos deles descem sete palmos levados por alguém que consumiu álcool em demasia, pela facada ou tiro em briga banal de botequim de favela, ou por motoristas bêbados assassinos e impunes. Se ver algum jornal ainda hoje, terá alguns exemplos.
    Ele falou em estabelecer algum grau de restrição, não proibição total “Lei Seca”. Você não acha mesmo que precisamos de alguma regulamentação no comércio de bebida alcoólica, como o veto a publicidade de cerveja dirigida a adolescentes vendendo a bebida como se fosse suco de fruta? Limitar o horário de venda em todos os lugares e não só em lugares violentos como ele propõe seria muito bom.
    Nos países nórdicos, não só na Islândia que ele usou como exemplo, há um controle rígido do comércio e consumo de álcool, tenho um parente que viaja com frequencia à Suécia, a venda de álcool por lá é bastante controlada. Podemos falar também do Reino Unido, onde os famosos Pubs são obrigados a fechar as 23 horas, e mesmo lojas 24 hs são proibidas de vender álcool das 23hs as 8hs. Mesmo no EUA que fracassou com a lei seca, existem algumas restrições para a venda e consumo de álcool, como a proibição do consumo em locais públicos, no Canadá também há restrição no mesmo sentido. Vindo aqui mais pra perto, Diadema no ABCD paulista realiza há mais de uma década uma experiência muito bem sucedida limitando o horário para abertura dos bares, houve redução significativa dos casos de homicídios e da violência em geral. Pra variar, só não teve resultado melhor por falta de fiscalização. O futuro ministro em nenhum momento falou em proibir a birita do peão depois do expediente na firma, nem a cerveja do churrasquinho da laje, sejamos honestos.
    Quanto ao famoso Sistema S, ninguém sabe o que se passa lá dentro em termos de controle de grana, como já citado aqui em um comentário, além do descontrole financeiro, como o caso de políticos que usam milhões da entidade para fazer campanha política disfarçada de institucional. Todos do sistema, Sebrae, Sesi, Senac, Senai, servem também de cabide de emprego (ótimos empregos) para agradar apaniguados e parentes do governante de plantão. É preciso falar das virtudes do sistema S, mas também dos vícios, acho que se cortar os 30% como disse o ministro, e botar uma auditoria séria lá dentro, sobra dinheiro.
    Quanto ao governo do Bozo, a possibilidade de dar certo, concordo, é muito remota. Podemos nos preparar para ter um general da reserva no governo, o que, dado ao contexto e a qualificação do titular, não é má ideia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *