“O pior está por vir”: reportagem da Piauí mostra como uma democracia pode acabar

“O pior está por vir”: reportagem da Piauí mostra como uma democracia pode acabar

Calma, não estão falando (ainda) do Brasil.

O título é da reportagem de Anne Applebaum, colunista do Washington Post  (aquele jornal comunista odiado por Trump), publicada na edição de novembro da revista Piauí, que relata o esfacelamento das instituições democráticas na Polônia.

Lá, a nova ordem da direita mundial já está no poder há alguns anos, sob a bandeira do partido Lei e Justiça, a versão polonesa do PSL de Bolsonaro.

No momento, o governo polonês está promovendo a reforma do Judiciário para “purgar tribunais da herança comunista”.

Aqui, a tropa de choque do bolsonarismo também já está trabalhando no Congresso Nacional para fazer algo parecido.

Nos dois países, o objetivo é substituir os atuais juízes e colocar gente de confiança dos novos governantes em suas vagas.

Ao ler a estupenda reportagem de Applebaum, judia americana casada com um político polonês, fui anotando as incríveis semelhanças entre os dois processos em marcha.

“Polarização, teorias conspiratórias, ataques à imprensa _ como uma democracia pode acabar”, este é o subtítulo da matéria da Pìauí,

Na marcha batida rumo ao retrocesso institucional em que caminhamos, o Brasil pode virar a Polônia amanhã, se as forças democráticas sobreviventes no nosso país não abrirem logo os olhos.

“O que terá causado essa transfiguração?”, pergunta-se a colunista do Post, que foi procurar a resposta num diário do escritor romeno Mihail Sebastian em que relata a escalada do nazifascismo na Europa dos anos 30.

“Assim como eu, Sebastian era judeu e a maioria dos seus amigos era de direita. No diário, ele anotou como, um por um, eles foram atraídos pela ideologia fascista, tal um bando de mariposas em direção à luz (…) Reparou que descambavam para o pensamento conspiratório ou se tornavam irrefletidamente rudes. Gente que ele conhecia fazia anos o insultava abertamente e depois se portava como se nada tivesse acontecido”.

A certa altura do seu diário, em 1937, o escritor romeno se questiona: “Será possível manter amizade com pessoas que compartilham uma série de percepções incompatíveis com as minhas _ tão incompatíveis que se calam de vergonha e constrangimento assim que entro no recinto?”.

Applebaum retoma o texto: “Não estamos em 1937. Entretanto, hoje vem ocorrendo transfiguração semelhante na Europa em que habito e na Polônia, um país cuja cidadania obtive. E vem ocorrendo sem a desculpa de uma crise econômica como aquela que a Europa sofreu nos anos 30 (…) Dadas as devidas circunstâncias, qualquer sociedade pode se voltar contra a democracia. Aliás, a julgar pela história, todas as sociedades acabarão por fazê-lo”.

Vejam este outro trecho se não lembra o que está acontecendo em nosso país neste preciso momento:

“Profundas mudanças políticas _ eventos que de uma hora para outra separam famílias e amigos, atravessam classes sociais e reconfiguram alianças de maneira impressionante _ não acontecem todo dia na Europa, mas tampouco são desconhecidas”.

Para mostrar a divisão de um país por razões políticas, a reportagem trata também do célebre caso Dreyfus, quando um oficial do exército francês foi acusado de traição, sentenciado por uma corte marcial e confinado numa solitária na ilha do Diabo, próximo à costa da Guiana Francesa.

“Dreyfus não era um espião. Para demonstrar o indemonstrável, seus opositores precisavam desacreditar a evidência, a lei e até o pensamento racional. A  polêmica dividiu a sociedade francesa em duas linhas ora bem conhecidas. Os que sustentavam a culpa de Dreyfus compunham a direita alternativa _ ou o partido Lei e Justiça, ou a frente Nacional Britânica _ da época (…) Já os partidários de Dreyfus argumentavam que certos princípios seriam superiores à honra nacional e que, sim, importava se ele era ou não culpado”.

Não lembra alguma coisa? Em consequência desse antagonismo feroz, Applebaum lembra o que aconteceu:

“Os ânimos se acirraram. Arrebentavam bate-bocas nas salas de jantar de Paris. Familiares deixaram de falar uns com os outros, às vezes por mais de uma geração (…) Bastou um caso judicial – um julgamento contestado – para lançar um país inteiro num debate furioso, gerando desavenças indirimíveis entre pessoas que não sabiam que discordavam entre si”.

A reportagem é longa, tem nove páginas, mas muito bem escrita, vale a pena ler até o fim.

Tenho a impressão de que muita gente ainda não se deu conta dos perigos que estamos correndo no Brasil, onde o pior também ainda está por vir.

Por isso, é bom saber o que está acontecendo em outros países.

Em tempo: outra coincidência na história dos dois países é que a Polônia, assim como o Brasil com Lula, foi um dos raros países do mundo a ser governado por um operário (Lech Walesa). E o líder operário polonês também sofreu as mesmas acusações feitas contra Lula.

Da mesma forma, condenado e preso sem provas, num processo até hoje contestado, o ex-presidente Lula me fez lembrar o caso do capitão Alfred Dreyfus, uma farsa que custou a ser descoberta, e até hoje ainda divide os franceses.

Alguém já disse que a história sempre se repete como farsa ou como tragédia. Quem foi? Vou consultar o Google…

E vida que segue.

 

68 thoughts on ““O pior está por vir”: reportagem da Piauí mostra como uma democracia pode acabar

  1. Depois de 200 anos de independência das ex-colônias latino americanas, em que passamos por toda sorte de tiranos, sobraram três ditaduras: Cuba, Venezuela e Nicarágua, as três de esquerda e apoiadas fortemente pelos petistas. Pessoas são mortas nas ruas, estudantes são violentados nas masmorras dos regimes, presos políticos morrem de fome ou sob tortura. Enquanto apoiam este tipo de coisa, ficar posando de democrata preocupado com a “destruição da democracia” no Brasil é balela, conversa mole. Primeiro façam a mea culpa, peçam perdão por apoiar ditadores ao redor do mundo, daí conversamos. Saiam da bolha, conversem com as pessoas do povo, esqueçam o ódio. Sejam humildes, meus caros, ouçam os que pensam diferente, não adianta discursar para convertidos.

      1. Concordo, você está certo. Mas é que quando vejo petistas falando em democracia fico fulo da vida, me vem à mente a figura dos inquisidores espanhóis querendo salvar a alma dos índios (rss). Mas vou me segurar, desculpe, você tem razão. Abçs.

      2. Kotscho, na sua resposta a esse Paulo você cometeu um erro ou ato falho. Vc escreve: “tudo bem que você pensa diferente”. O verbo “pensar” deveria ser substituído. Afinal, o cidadão é mais um emprenhado pela mídia

        1. E pior, desliza pela mediocridade impune vigente, acreditando com convicção no que desinforma, como o caso de abrir comentário afirmando, “Depois de 200 anos de independência das ex-colônias latino americanas…”, ignorando que dos vinte países latino-americanos, exclusive o Brasil, apenas cinco tem mais de duzentos anos de independência.
          E olha que essa é a frase mais aproveitável, pois contém 25% de verdade e trocando-se 200 por 120, ficará 100% correta.

          1. Meu caro Dias, a afirmação foi feita no sentido genérico, poderia ser “em torno de 200 anos”. É impressionante como se apegam a mimimi com o intuito único de bloquear qualquer possibilidade de debate. Argumentos ad hominem, grosserias, ofensas, etc, etc. É por isso que o gritedo de “ risco à democracia” não pegou e nunca vai pegar. Vindo de democratas deste naipe, soa ridículo.

          2. Paulo, tu és ‘um barato’, exposto a desinformar, sem ter como contestar e incapaz de admitir o fato, tenta deslizar, agora pela tangente, transformando a específica afirmativa em, genérica, acessória, secundária, ‘mero mimimi’, bem à moda ‘capitão & rebentos’, emendando-a com o indefectível ‘ad hominem’ como fogo de dispersão e tábua de salvação genérica, sem perceber a impropriedade do truque no caso, por não ater-se “que essa é a frase mais aproveitável [do comentário]”, a única que transparece como mera ignorância no todo, que factualmente no resto, soa ridículo.
            Embora concorde com Ari, quem sabe?
            Informe-se sobre, pense e comprove.

  2. Prezado Kotscho: Como você bem alerta no final do seu post “é bom saber o que está acontecendo em outros países”, porque no nosso país o que está acontecendo em Ponta Grossa (PR) é um retrato 3×4 de nosso triste Brasil como consta no artigo “Ponta Grossa no divã II” de Mário Sérgio de Melo de 21/11/2018. Um trecho: “dirigentes sem a coragem de contrapor-se a barbáries institucionalizadas são os responsáveis pela ascensão de regimes de terror, como o foi o nazismo na Alemanha.” Artigo completo em https://perrengasprincesinas.blogspot.com

      1. RK, gosto muito de História, nossa Grande Mestra mas ignorada por quase todos, mas peço a você, que um dia, escreva um post sobre as experiências vividas de sua família na Europa durante a Guerra.

      2. Prezado Kotscho: Se “O pior está por vir”, acho que já veio. Pelo andar da carruagem o Brasil está virando um caso de polícia. O novo governo está colocando em postos chaves para comandar o país nos próximos quatro anos militares, policiais civis, juízes-justiceiros, procuradores e não estranhemos, se daqui a pouco, aparecerem até milicianos nessa parada. Depois se apresentam com o discurso de que o governo não vai ser “instrumento de ideologização” e defendem a “Escola sem Partido”. Conversa para boi dormir. Para completar esse quadro, acabou de ser indicado para ministro da Educação um professor da Escola de Comando e Estado Maior do Exército. Mussolini e Hitler devem estar esfregando as mãos, seja lá onde estiverem, e loucos para voltar e pegar uma boquinha nesse governo com ideologia da extrema direita e nazi-fascista. Acredita-se que Nostradamus se referia a Hitler quando fez essa profecia: “Da região mais a leste da Europa ocidental, uma criança nascerá de pais pobres. Ela seduzirá grandes multidões e fará muito barulho no caminho do poder em direção ao leste.” Pergunto: será que ele errou de continente e de ponto cardeal com essa profecia?

  3. Caro amigo Kotscho,é triste ver um país que têm tudo pra dar certo nas mãos de barbaros com sede de poder e vingança!
    Este militares que agora chegaram ao poder( pelo voto)sempre viveram nas trevas desde o fim da DITADURA(movimento segundo dias tofolli),sempre alimentando o ódio e a sede de vingança pelos que lutaram pelo fim da DITADURA(inclusive voçê) e agora os bolsonaros , os bolsonetes, o moro, e seus asseclas com o apoio da grande mídia e do judiciário darão continuidade a tão sonhada “caça as bruxas”ou seja a caça a todos nós que sempre sonhamos e lutamos pela democracia,pelo direito das minorias e por um país melhor para todos!
    Nunca aceitaram a derrota da DITADURA e se prepararam não para a vitória mas para a vingança!
    Agora cabe a nós democratas incuraveis resistir !!!
    O mal só prevalece quando bem esmorece!!!
    Não podemos desistir do Brasil,NUNCA!!!
    Força Amigo! Estamos juntos na resistência!!!

  4. O que acaba com a democracia são eleições com resultados de acordo com o voto popular!.Um exemplo bem próximo é a Venezuela.Maduro não perde eleições nem querendo!.

  5. Foi Marx no 18 de Brumário. Marx completou a assertiva de Hegel, que disse que ” A história se repetia duas vezes”. Marx a emendou: ” A primeira como farsa, a segunda como tragédia”. Portanto, Hegel e Marx merecem o crédito dessa frase histórica.

      1. Aproveitando a sempre brilhante intervenção da Karla, também há no 18 de Brumário, uma passagem que já antecipava a “repetição” da história no tocante aos “salvadores da pátria”. Observe-se a genial visão de Marx – ao tratar da chegada de Napoleão Bonaparte ao poder na França em 1799 -, quando analisava aquela conjuntura vislumbrando um “personagem medíocre e grotesco desempenhar o papel do herói”. Valeu, Karla. O 18 de Brumário está mais atual do que nunca!

    1. Bolsonaro me lembra Hitler. Uma energia negativa, um baixo astral danado. Um sujeito preconceituoso, rancoroso, raivoso, vingativo. Seu olhar não nega. Só fala em matar, matar, “eliminar os vermelhos” – Hitler falava isso em seus discursos – metralhar…
      Só falta o bigodinho, pois o cabelo já é parecido, penteado de lado. “Brasil uber alles”. Estamos mal, pessoal, muito mal.

  6. Muito se fala aqui neste blog de “Forças Democráticas” , numa forma um tanto evasiva.
    Gostaria imensamente que o colunista detalhasse quem seriam essas forças democráticas tão ameaçadas aqui no Brasil, porque estariam sendo concretamente ameaçadas e também quais seriam os partidos politicos que efetivamente estão comprometidos com a Democracia, cantada em versos e prosa por aqui

      1. Pois é, tem certas coisas que são mesmo inesplicaveis. Uma delas é querer incluir o PT como “forças democraticas”
        Me diga com quem andas que direi quem tu es

        1. José Antonio, leia o comentário do José Carlos.
          Não sei com quem você anda, mas da minha parte prefiro os comentários do José Carlos, do Dias, do Enio, que são capazes de pensar, e não apenas de repetir jargões antipetistas.

          1. Kotscho, tem também o Celso Junqueira, a Karla, o CésarT, o Heraldo Campos, o Ari. Esqueceu de citá-los. Eles estão em companhia com você.

      2. Caro jose antonio, Forças Democraticas não tem nada a ver com partidos e sim com pessoas!
        Pessoas comprometidas com o bem comum,que sempre lutaram por um país melhor,sem usar para isto as bandeiras da discriminação racial,homofobia,do machismo, da xenofobia e do desrespeito as minorias !
        Quando eu digo que as forças democraticas estão em perigo,é porque todas aquelas pessoas que lutaram(e muitas foram torturadas e mortas) durante 21 anos da DITADURA MILITAR ,para que voçê tenha hoje o direito sagrado de voz e voto estão sendo simplesmente sendo desrespeitadas, dicriminadas e ameaçadas pelos novos governantes do meu sofrido Brasil!!
        Se hoje eu,voçê e todos deste país temos a oportunidade de colocar nossa opinião neste blog ou em qualquer lugar,e temos o direito sagrado de escolher através do voto livre nossos governantes,devemos isto a todos aqueles que lutaram e muitos que tombaram na luta pela nossa liberdade!!!
        Não podemos esperar perder nossa liberdade para depois começar a lamentar e valoriza-la!!
        Torço e trabalho para um país melhor e principalmente mais esclarecido,onde todas as pessoas tenham opiniões iguais ou divergentes ,mas sempre respeitadas,por todos a começar pelo presidente!!!

          1. Jose Carlos, isso deveria ser ensinado ja na pre-escola, e se alguma ensina, o professor e chamado de comunista, vermelho, bolivariano, ou a pecha ta moda e sintetiza tudo isso que esta ai, “petralha”.

  7. Caro Kotscho, a cura definitiva para essa fascinante “doença” terminal chamada VIDA não existe asseguram os sábios e duvidam os mais tolos. Mas existem o início, o fim e o meio
    E é no meio que se dá o prazer de aprender com cada dia e “com viver” , “com partilhar” com pessoas.
    Lendo certos comentários publicados aqui, pergunto:
    Pra que vive essa gente???
    Qual o sentido de viver dessa gente???
    Será o ódio, o único sentimento que lhes causa prazer???
    Saberão um dia SOLIDARIZAR??? Pensar no outro??? Tolerar o outro??? Acreditar no outro??? VOTAR pensando no outro especialmente no que mais precisa???
    Não é só a cada quatro anos!!!
    São todos os dias!!! Porque nessa rara e maravilhosa viagem que o Senhor do universo presenteou para bem poucos
    Todos os dias é um vai-e-vem
    A vida se repete na estação
    Tem gente que chega pra ficar
    Tem gente que vai pra nunca mais
    Tem gente que vem e quer voltar
    Tem gente que vai e quer ficar
    Tem gente que veio só olhar
    Tem gente a sorrir e a chorar
    E assim, chegar e partir
    São só dois lados
    Da mesma viagem
    O trem que chega
    É o mesmo trem da partida
    A hora do encontro
    É também de despedida
    A plataforma dessa estação
    É a vida desse meu lugar
    É a vida desse meu lugar
    É a vida…

  8. É sempre complicado comparar fatos e coisas, especialmente acontecimentos históricos de épocas e lugares diferentes. Mas, uma leitura atenta do clássico “Ascensão e queda do III Reich” mostra o quanto o processo de tomada do poder é bem semelhança com o que ocorre por aqui, inclusive no que diz respeito ao judiciário, aspecto abordado no livro “Os Juristas do Horror”.
    Muito interessante o artigo do Roberto Amaral publicado no 247 https://www.brasil247.com/pt/colunistas/robertoamaral/375755/A-nova-cara-da-ditadura-brasileira.htm

  9. Não se se vão conseguir acabar com a democracia, porque todo e qualquer projeto costuma ficar inconcluso no Brasil, para o bem ou para o mal. O certo mesmo é que vão esquartejar a Petrobrás, como bem notou o Jânio de Freitas na Folha, com “manu militari”, no estilo pinochetiano: governança híbrida castrense guiados pelos meninos de recado do mercado financeiro guiados por Chicago. Vem aí o conjunto: “Messias e seus Chicago Boys”. Nas palavras de Jânio de Freitas: “Integrados na brava campanha “O petróleo é nosso”, que teve o Clube Militar como sua fortaleza, os militares foram decisivos para a existência da Petrobras e, daí, para a potência petrolífera que o Brasil é hoje. Não é irônico que sejam militares a ameaçar a existência da Petrobras e mesmo a riqueza petrolífera do pré-sal”.

  10. Caro e prezado grande repórter RK, li que os EUA querem o Brasil longe da China.
    Tio Sam não precisa se preocupar até porque o Brasil está longe desde a criação do mundo 4,5 bilhões de anos atrás.
    A distância entre os dois países é de 16.632 km.

  11. Fala-se em futuro. Mas eu vejo que esse processo de desconstrução de conquistas nos últimos 35 anos já está em curso, há tempo. Por que um general como assessor do presidente do STF. Por que prenderam o melhor presidente do Brasil nos últimos anos. Porque a esquerda é nacionalista e atrapalha interesses de multinacionais. Não entende o aptriotismo desse militares brasileiros. Querem vender os dois bancos públicos que são lucrativos. Querem vender a Petrobrás se é lucrativa, querem vender a embraer se é lucrativa… Eu estou doido ou a matemática mudou… Mandam médicos cubanos embora só porque Cuba é comunista… e os brasileiros que ficam sem médicos nos sertões deste país não faem parte do aptriotismo… Nos 21 anos que comandaram o país disseram que iam fazer o bolo pra depois distribui-lo… até hoje espera-se por uma fatia desse tal bolo… e a reforma da previdência dos militares…. sei que naquela época os fiscais e auditores do FMI chegaram ao Brasil e davam as ordens… Lula pagou as dívias feitas por eles e por FHC e está preso… vão acabr com a corrupção, mas não prenderam nem o que foi pego pedindo proprina e entregue ao primo dele não restando dúvidas de nada… isso é combater a corrupção ou é algo que ainda não foi inserido no meu vocabulário…

    1. “Não entende o aptriotismo desse militares brasileiros. Querem vender os dois bancos públicos que são lucrativos. Querem vender a Petrobrás se é lucrativa, querem vender a embraer se é lucrativa… ”

      Você foi na veia, José.

      São militares que não ligam pro POVO a que deviam servir. E esses eleitores todos achando tudo muito normal.

  12. O que ficou lacunoso na matéria encorpada foi ter sido ignorado o processo de “rebelião das elites”, deslocalizando em escala global os sistemas sociais e arranjos produtivos, em busca de maior volume e velocidade de acumulação de riqueza. O que implicou a intensificação e ampliação dos desarranjos sociais e econômicos locais. Isso tudo criou um caldo de cultura fervido pelo desemprego em massa. A escalada fascista e autoritária dá-se a partir do ambiente econômico depressivo. e de baixíssima perspectiva de mobilidade social, sobretudo aos jovens. Como dizia um sociólogo alemão, do Grupo Krisis: “estamos indo a todo vapor ao colapso”.
    Recomendo, também, na mesma Piauí, A Valsa de Waldheim – A Invenção do Passado.
    Um documentário que desvela alianças suspeitas e crimes do ex-presidente austríaco durante a Segunda Guerra Mundial, que também foi secretário-geral da ONU, cuja matéria é assinada por Eduardo Escorel. Há muita gente querendo esconder sua biografia passada em uma outra biografia futura. Porém, ninguém escapa à tomografia após o tempo devidamente decorrido.

  13. Se a grandeza de um país e conquistada por meio da educação, pegunto aos senhores e senhoras (e, claro, o colunista), o que esperar do futuro do Brasil com um ministro da educação, recém escolhido pelo presidente eleito, que prega idéias tão medievais, fascistas e claramente partidárias? ainda assim é a favor de escola sem partido? ou seria sem partido de esquerda?

  14. “O Ministério da Saúde informou nesta sexta-feira que já foram selecionados 7.154 médicos para as 8.517 vagas abertas no último edital do programa Mais Médicos . ” Manchete do globo.com de 23/11/2018. Ricardo Kotscho parece que ao contrário do que eu e você achávamos a coisa está andando positivamente.

  15. Caro Kotscho,
    Considero o livro “ O Mundo que eu vi”, do Stefan Zweig, de 1942, que acabei de ler, com muitas reflexões semelhantes às que você cita no seu artigo, em que comenta a reportagem de Anne Applebaum, no Washington Post.
    O livro do grande escritor austríaco serve para nos alertar para os perigos do nazismo e de como essa ideologia maldita vai aos poucos se infiltrando e destruindo toda uma civilização, no caso, europeia.

  16. No mesmo blog da Revista Piauí-Tem uma outra matéria muito interessante e também,muito TRISTE: Cartas da Venezuela.Deixando muito claro que para muitos venezuelanos sobreviver é um motivo de satisfação.

  17. Prezado Kotscho. As esquerdas brasileiras são de muito falar e pouco agir. De minha parte, militante convicto, me sinto impotente ao observar a completa omissão dos que deveriam estar fazendo contraponto a esta jornada rumo ao passado, desde já.

  18. “Tenho a impressão de que muita gente ainda não se deu conta dos perigos que estamos correndo no Brasil, onde o pior também ainda está por vir.”
    Pois é, Mestre, pior que isso, é muitos que se deram conta disso, não se deram conta de perigos outros que corremos desde antes e que permitem esse pior que também ainda está por vir.
    Mesmo depois de tudo que ocorre(u), tem muitos que ainda dão de ombros à geopolítica que esmurra à nossa porta e à tal guerra híbrida e seu instrumental semiótico, agora direcionado por algoritmos e ‘data-bases’ fartas das redes sociais, via WEB, essa maravilha saltada da garrafa de um ‘gênio ocioso’ por aí, que permite conectar todos, quase ‘de grátis’, todo dia e hora, com fartura, por obra e milagre de deuses anônimos, incertos e não sabidos de tão sabidos e ‘desinteressados’, né?
    Mas temos especialista no assunto, Wilson Ferreira, que hoje em, “Arte, Política e Guerra Antimídia em ‘Art of The Prank’… mas não conte pra esquerda!”, apresenta Joey Eskaggs dizendo: “Jornalistas são perigosamente ingênuos… não se interessam pela verdade, mas apenas por uma boa história”.
    O resto, pode e merece ser lido no artigo que recomenda o vídeo com Pedro Bial caindo na pegadinha de Skaggs quando performou o “famoso” psicoterapeuta Baba Wa Simba.”

  19. Até o momento via apenas um governo do ranço e formado por muito mais do mesmo. Exceto quando vejo Moro ( braço do Tio Sam), Guedes ( braço do mercado ) e Mourão para calar o judiciário.

  20. Bem…. a maioria preferiu arriscar nas ideias do “coiso” do que na volta da “Coisa”! “A coisa” representada pela candidatura do Haddad, decidida dentro de um cela, por um condenado e réu em vários processos, de um esquema de corrupção, que já foram presos mais de 250 pessoas de todos quilates da República e do empresariado, onde 142 sentenças foram decididas, porém, 141 são culpados, e Lula o único inocente dessa corrupção toda (segundo os petistas).
    Ainda mais, de certo, o governo Haddad traria para o Planalto: Dilma, Lindemberg, Suplicy, Mercadante, Graziotim, Quáquá, e até Lula, entre outros indicados por Renan Calheiros, Eunicio Oliveira, José Sarney, e pela família Barbalho como Ministros.
    Pelo visto, sempre pode ser pior!!
    Ah, não votei no “coiso” mas sou um dos que também não queria “A coisa” de volta!

      1. Que eu saiba, nunca fizeram parte do “quadrilhão do PT”!
        Quantos ministérios o PSDB teve no governo do PT? Quantas diretorias de estatais para arrecadação de propinas? Sabia caro Kotscho, que não só do PT, mas de vários partidos aliados, de primeira linha, como PMDB e PP tiveram dos seus pegos e condenados pela Lava Jato? Falando nisso, a Dilma, “flor nascida no lodo”, como bem disse o Josias de Sousa, virou ré por corrupção. Fosse ex-Presidenta de um País sério, como a Korea do Sul, por exemplo, ela também não estaria solta, não é mesmo?!
        Em tempo, todos do PSDB que tem acusação de envolvimento em corrupção estão também sendo alvejados pela Justiça. Ou Marconi Perillo, Beto Richa e Aécio são do PT?
        Aí você vai novamente indagar, pq não estão presos!!…Respondo.. pelos mesmo motivos que outros do PT, como a Dilma, o Mantega, o Fernando Pimentel, por exemplo, estão soltos… Minha vez de perguntar… Porque estes estão soltos e não te incomodam?

          1. Nisso eu concordo plenamente!
            Nunca vi tão explícito,
            nestas eleições, quando defensores de um “ídolo” rivalizou com defensores de um “mito”!
            O velho Saramago, de ontem estiver riu….
            Não é que no Brasil eles levaram a sério a minha obra de ficção? (Ensaio sobre a cegueira).

  21. Boas notícias. 84% das vagas disponíveis médicos cubanos há foram ocupadas. Parece que a tentativa do pior melhor para a esquerda não deu certo. Os médicos brasileiros com diplomas legais estão dispostos a ajudar a construir um novo país. Contra todas as torcidas contrárias. Vida que segue

        1. Maurício, eu não quero te convencer de nada, mas deixa de ser cretino. Não se trata de torcida, mas de não brigar com os fatos.
          Quem tem torcida é o Corinthians e o Flamengo, que não vão ser campeões.
          Isso não é jogo de futebol, é o destino do país que está em jogo. E você está achando tudo ótimo? É isso que você queria para o teu país?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *