“Nós, cidadãos de bem…” Nós quem?, cara pálida? Quem nomeou vocês?

“Nós, cidadãos de bem…” Nós quem?, cara pálida? Quem nomeou vocês?

“E então, cadê o meu prêmio?”, pergunta o “cidadão de bem”, depois de executar quem estava diante de uma barraca de tiro-ao-alvo.

No meio deste feriadão de 1º de maio, quem melhor resume o atual momento da tragédia brasileira é o chargista João Montanaro, na página de opinião da Folha.

Vocês já devem ter reparado na profusão dos autodenominados “cidadãos de bem” que se multiplicam nas redes sociais e nas colunas dos jornais, e que também se intitulam “brasileiros decentes”.

São bolsonaristas militantes, agroboys furiosos, emebeeles da “escola sem partido”, tucanos xiitas que ficaram órfãos, adoradores de patos amarelos e de camisas da CBF, senhoras histéricas, motoqueiros com o escapamento aberto, atores de pornochanchadas e roqueiros decadentes, uma fauna variada que perdeu a modéstia e tomou conta do palco do grande hospício nacional.

Eram até outro dia apenas tipos folclóricos que batiam panelas e desfilavam com babás e cachorros pelas avenidas de olho nas câmeras de TV, mas agora se tornaram meliantes perigosos.

De uns tempos para cá, resolveram argumentar com tiros de 9 mm, na certeza da impunidade garantida pelas chamadas autoridades constituídas.

Formam milícias patrióticas contra a “ameaça comunista”, em defesa da família e da propriedade.

Quem os nomeou para exercer estes mandatos?

Gostaria de saber também o que acham deles os auditores da Receita Federal responsáveis pela malha fina, os seus colegas de trabalho, seus familiares e vizinhos.

Serão mesmo na vida real, estes cidadãos acima de qualquer suspeita, heróis da moralidade num país de corruptos?

Pelo que conheço de alguns deles, a imagem pública que querem aparentar não corresponde à vida privada.

Para estes beatos, sonegar não é crime, embora este seja o tipo de corrupção mais praticado desde sempre pelos arautos da moralidade.

“Não vou mesmo dar meu dinheiro para este governo sustentar vagabundos do Bolsa Família com meus impostos”, costumam argumentar.

A internet os tirou do anonimato dos pijamas e das saunas dos clubes elegantes, e os promoveu a cruzados em busca de seguidores tão fanáticos quanto eles.

Na falta de partidos, criam seitas que têm suas próprias leis e avançam celeremente sobre os direitos dos outros, tratados como inimigos de classe.

Por falar nisso, a quantas andam as investigações sobre o fuzilamento da vereadora Marielle e do motorista Anderson, no Rio, e dos atentados a bala praticados no Paraná?

Quantos mais precisam morrer para que a pátria amada (não confundir com pátria armada) tome uma providência enquanto é tempo?

Chegamos a um ponto de insanidade em que devemos temer não só os bandidos juramentados, as milícias e as polícias, mas agora igualmente a ameaça dos “cidadãos de bem” e seus exércitos cibernéticos.

Vida que segue.

 

 

40 thoughts on ““Nós, cidadãos de bem…” Nós quem?, cara pálida? Quem nomeou vocês?

  1. No Brasil de de hoje não sei quem pode ser “classificado” como cidadão de bem!.Levando em consideração que o sujeito mais honesta do mundo(dito pelo cujo) -Comparou-se ao incomparável Jesus Cristo -Foi condenado e está preso!.VIVA O BRASIL LIVRE!.

    1. pelo que nos consta, este cidadão foi julgado por uma corja jurídica-policial marginal, o que nos garante a sua inocência…ou vc acha que bandidos não podem vestir togas e portarem carteiras de policiais.Vc tem tudo pra ser um “cidadão do bem “

      1. Aplaudo de pé e assino embaixo. Por essa razão meu sangue ferve quando denominam FlaFlu, o debate democrático que travamos aqui. Se atè a morte de Enio os “antipetistas de bem” ja desejaram, o que esperar dos cidadaos de bem, como esse tal Rafael Andrade Couto, para o qual, certamente, Petista bom é petista morto, mas na impossibilidade de matar, serve uma fraudezinha pra condenarem a prisão. Sejamos francos, Everaldo e Balaieiros: por tudo que escrevem no Balaio, não vejo diferença entre Mauricio Teixeira, Johnny, Velho etc…e esses Mutley Risonho atrás de uma medalha citado por Kotscho.

  2. Sempre é possível encontrar figuras exóticas entre milhões (e só os que saíram às ruas já são uns seis milhões). Mas o fato é que tanto insistimos no “nós contra eles” que eles decidiram se livrar de nós. E agora eles têm até como se comunicar entre si. Maldita Internet! Bons tempos aqueles em que bastava juntar nossos amigos esquerdistas do jornalismo, da CNBB e que tais para dizer que a sociedade civil estava do nosso lado.

  3. Daí, caro jornalista, dá pra tirar várias conclusões. Se tu não queres que a sua vida não vire uma privada, não entre na vida pública. O risco que se corre, atualmente, é ver um preso, condenado, todo enroscado com a Justiça – ainda conseguir indicar um próximo presidente. Tamanha é a imbecilidade deste povo a que ponto irrisório chega. Isso é Brasil! E diante dum quadro deste: o que eu tenho, como cidadão de bem, é a vergonha de ser brasileiro!

    1. Definitivamente tu além de prolixo, aluado e confuso não é daqueles comentaristas que escrevem algo inteligente ou que acrescente bons argumentos ao bom debate, tu é um PIXADOR DE BALAIO !!!
      Pense num “caba” que entra na roda só pra estragar a conversa.

  4. Caro Kotscho, esses auto proclamados “cidadãos de bem” são na verdade uma sub classe dos “cidadãos de bens”, são a chamada classe media (ou classe meia boca, classe meia tigela, classe “meia dura – meia mole”) que se acham ricos, e que por não serem ricos como imaginariam, se revoltam, perdem a vergonha, o pudor e a dignidade saindo por aí aos berros xingando e atirando contra Deus e o mundo. São o que temos de pior na nossa sociedade porque são esses a imagem viva da hipocrisia.
    Que Deus resgate quem o capeta já abraçou.

      1. As redes sociais são interessantes, mas as pessoas ansiosas exageram e passam o dia vendo mensagens, recados e pedindo explicação sobre tudo. Pessoas exageradamente ansiosas ou obsessivas. Ninguém consegue viver muito tempo sob o clima de desconfiança e ser chamado de mentiroso o tempo todo.

      2. Rodrigo Espósito, não há nenhum traço de ódio no comentário do Enio. Se houvesse, seria contra os pistoleiros que vitimaram duas pessoas desarmadas e indefesas. Já, voce outra coisa não faz que não seja destilar ódio contra o PT e seus eleitores, sempre com comentários ridículos, ainda piores que este. Se juntarmos tudo que voce escreveu no Balaio e trocarmos por cem gramas daquilo que o gato enterra, estaremos lesando o bichano, com certeza.

  5. No caso Dreifus, por exemplo, o que mais ressoa até hoje é o texto de Zola. Seu texto de hoje, Ricardo, tem a mesma força e impacto. Porque é verdadeiro e escrito com toda a sua indignação e hombridade. O Brasil terá jeito porque tem pessoas como você, além e ao contrário daquelas que você tão bem descreve e que tão bem conhecemos, porque estão ao nosso lado, entre nós, infelizmente.

  6. A elite não aceita que pobre tenha direitos somente deveres,êste é um país de hipóc ritas onde uma minória pode ter todos os direitos,inclusive cometer crimes,pois podem pagar os melhores advogados ,que a pretensa justiça está aí para absolv~e-los,iinclusive quanto a justiça é a mais cara do mundo e se consideram Deuses;são uns verdadeiros hipócritas e sem um mínimo de sensilidade.As cadeias estão abarratodas e com 656.000 mil presos com certeza 99.9% são pobres e pretos,existe 448.000 mandatos de prisão,o deficit é de 164%,aonde vamos chegar

  7. Caro Kotscho, pessoas que pegam armas para matar e ainda assim se julgam “cidadãos de bem que tem vergonha de ser brasileiro”, nunca passaram de pessoas inescrupulosas com índole de santo do pau ôco … até ficam indignados quando Lula faz comparação à sua perseguição e condenação sem provas e diante de um tribunal de inquisição com juizes corruptos, com a perseguição e condenação de Jesus Cristo por um tribunal viciado, corrupto e corrompido pelo poder romano …. esses mesmos, após aprovar tentativas de assassinato em suas páginas de face, vão fazer cara de piedosos em suas igrejas. Esse tipo de gente, ao longo da história, sempre foram contra Gandhi, Martin Luther King, Bob Kennedy, Tiradentes, Jesus Cristo, Lula e outros que buscaram, em vida, denunciar, agir, lutar, gritar, denunciar as injustiças do opressor contra o oprimido, do rico contra o pobre, do agressor contra a vítima. No passado, usavam paus, espadas, lanças. Depois, passaram a usar rifles. Hoje, usam pistolas … e sempre com a conivência das autoridades de suas épocas. A polícia pode não estar envolvida, mas é conivente quando se torna omissa. Se quiser, prende quem fez o atentado contra Marielle, contra as mulheres que caminhavam com suas bandeiras para receber Lula, contra a CARAVANA DO LULA, contra o acampamento D. Marisa…. Esses mesmos, esquecem que, tiro que vai, é tiro que vem.

  8. Ao analisar com coerência os fatos ocorridos nos tornamos cidadãos do bem, sem paixões política corrupto é corrupto independente da cor partidária. A justiça tem que valer para todos, doa a quemem doer, tem que cortar na carne mesmo que seja seu ídolo

  9. Não espere coisa alguma da Receita. Basta consultar o “google”, como você costuma sugerir algumas vezes. Coloque as palavras ” Receita Cúpula Rachid ” e leia o resultado da matéria publicada na Folha, assinada por Leonardo Souza da sucursal dirigida à época por Josias de Souza.

  10. Sr. Kotscho.
    Basta apenas que Vsª e quem mais anda buscando os cidadãos de bem e não conseguem enxergá-los, basta repito, que se deem ao trabalho de se levantar por volta da 4 da manhã e ir a uma estação de trem, metrô ou ônibus. Nestes locais os incrédulos verão quem são os cidadãos de bem que, estes sim, não queimam pneus, não atrapalham a vida de quem trabalha e produzem, além de não viverem nas tetas do tesouro e também não acampam em frente ao presídio, ovacionando um ídolo do qual a justiça, em todas as instâncias o considerou culpado das acusações que lhe foram feitas. Os cidadãos de bem, até mesmo porque não lhes sobram tempo para tanto, trabalham para manter esta escumalha que esvaziam o tesouro em transações que lhes permitem uma vida NABABESCA. O Brasil é um país injusto sim, mas estes brasileiros do bem agradecem a atuação dos salvadores da pátria no sentido de reverter as injustiças que vitimam os trabalhadores de verdade. O mundo não será salvo pelos bem intencionados, mas pelos competentes.

    1. É isso mesmo Luiz, neste país república (res publica em latim: coisa pública)) nenhuma nunca funcionou. Só a de Curitiba.

  11. O único cidadão de bem e mais honesto no mundo é seu ídolo condenado por corrupção. Deve ser realmente difícil acordar e se convencer ao contrário que a esquerda é igual ou mais corrupta que a direita. Jogar nos outros sua frustração com ofensas pessoais colando pseudônimos numa tentativa de trazer para lama todos que não lhe seguem na ideologia. É só acender o pavio que lá vem os esquerdopatas e alienados ofendendo claro a todos que não são adoradores da esquerda. Ontem quando afirmou que todos são a mesma geleia volta a realidade nua e crua. Mas logo percebe que precisa trazer seus ídolos de volta e dá-lhe escracho nos inimigos. Entendo que nesses tempos que a Rocinha não desce e não assistimos o povo gritando o nome do ex condenado como o vídeo patético do lindinho falando para ninguém. A esquerda e seus seguidores estão em letargia e chorando os milhões de cidadãos de bem que em 2003 se iludiram em acreditar que a esquerda iria dar exemplo. Mas se lambuzou nos 2 a 5% das propinas. Vida que segue

    1. Sr Mauricio Teixeira, nunca vi, em todos esses anos que participo do Balaio, Kotscho ou qualquer “petista” tratando Lula por ídolo. Alguns de nós manifestam, de forma aberta e entusiasmada a Lula, a mesma admiração e apoio que V Sa manifestou de forma explicita e eufórica a Eduardo Cunha, por ocasião do impeachment. Mas se insiste em afirmar que idolatramos Lula, afirmo que V Sa idolatra Eduardo Cunha, Aécio Neves, Romero Jucá e Geddel Vieira Lima, não só por afinidade, como por terem trocado Dilma Rousseff por Michel Temer. Sr Mauricio Teixeira, gostaria que as regras do Balaio fossem mais “flexíveis” pra que pudêssemos adjetivar tôcucunhas de forma mais justa e adequada. Por hora, digo que conhecer as pessoas que admiramos revela muito sobre nosso caráter. Boa noite, Sr Mauricio Teixeira. Ótima noite, demais Balaieiros.

  12. E é com este exemplo que queres defender tuas ideias?
    “Gostaria de saber também o que acham deles os auditores da Receita Federal responsáveis pela malha fina, os seus colegas de trabalho, seus familiares e vizinhos.”
    Que provas tens? Críticas falácias com mais falácias.
    Um erro não justifica outro. E se o PT, MST, PSol tem direito de fazer passeatas, agredir verbalmente seus opositores (e para isso há provas = vídeos de sobra) porquê a “direita” não pode fazer o mesmo.
    Não concordo nem um pouco com estes grupos citados, que não minha visão, são meros aproveitadores, mas a esquerda não tem crédito algum para criticar. Quem planta “desobediência civil” colhe a mesma.

  13. Para quem foi radical nos anos 60 do século passado deve ser realmente difícil entender os radicais dos anos 10 desse século. É interessante ver que muitos dos adjetivos usados para descrever os atuais jovens conservadores de 2018 foram usados naquela época contra os jovens progressistas de 1968.

  14. Caro Kotscho, trabalhastes por um período na Record e lá deve de ter conhecido alguns pastores.
    Não seria o caso de promovermos uma sessão de descarrego no Balaio para nos livrarmos de alguns encostos ???
    O “tararequeiro” não concorda em nada com o blogueiro, não tolera esquerdista tem asco da cor vermelha, defuma o próprio corpo quando o assunto é Lula, coceira quando é de pobre, cegueira, surdez e mutismo pras injustiças portanto só pode ser encosto !!!
    Fazendo o que no teu blog a não ser provocar ???
    Parecem adolescentes birrentos criados com Nutella em condomínio dando chiliques a torto e a direito (torto não !!! é muito “petista” esse termo, que horror !!!)

    1. Em tempo: “Tararequeiro” é uma expressão que eu inventei e que vem de “tarareca”.
      E “tarareca”é o “caba”que fala muito sem dizer nada.

  15. Parabens pelo texto, caro Kotcho! Acrescentaria a lembrança do assassinato da juíza Patricia Acioli e a estranha e oportuna morte de Teori às perguntas sem resposta (ou sem resposta digerível)…
    Abraços!

  16. Depois de um abraço: “Que bom te ver por aqui, o quadro está muito feio; eles estão de volta com toda ferocidade”. No dia seguinte, bato a porta do carro e me dirijo para a ilusão de normalidade do meu trabalho. Basta! Chega desta autogratificação com pequenas confraternizações de gente querida-que-se-quer, de gente civilizada horrorizada com a irrupção da barbárie! Na beira do precipício, no dia do trabalhador, com o maior líder da história recente do mundo confinado para não transferir sua popularidade!
    Eu não tenho, em outro estado, que pagar a conta regional de duas décadas de ressentimento acumulado: há algo como vinte anos de racionalidades setoriais consolidadas do PSDB (elitistas que sejam!), no estado mais rico da federação, que precisam dialogar imediatamente com políticas de inclusão federativas e municipais reconhecidas no mundo inteiro. É como se todos achassem que Bolsonaro vai evaporar de repente, para retomarmos nosso ping pong de sempre. Chega! “Há perigo na esquina”.

  17. Kotscho, há dias me divertia com a tua dicção dos “encalhados nas pesquisas”.
    Hoje, a bem humorada menção sobre os “roqueiros decadentes”.
    Eu me divirto no Balaio, e nunca esqueço de quando uma balaieira dizia que “o FHC é um estadista”. Meu, como eu ri ao consultar a definição de estadista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *