IBGE 2017: milhões de brasileiros voltam ao fogão a lenha e moram de favor

IBGE 2017: milhões de brasileiros voltam ao fogão a lenha e moram de favor

Com os moradores sem condições para comprar gás de cozinha, 1,2 milhão de domicílios brasileiros passaram a usar também lenha e carvão no ano passado.

E 6,7 milhões de pessoas, sem renda para pagar aluguel ou a prestação da casa própria, foram morar de favor em casas cedidas por parentes ou amigos.

Estes são os dados maior reveladores de como sobrevivem os brasileiros mais pobres atingidos pela crise econômica, que já deixou 13 milhões de desempregados, segundo pesquisa do IBGE divulgada nesta quinta-feira.

Com o país em marcha batida rumo ao passado e ao atraso, a pesquisa Características Gerais de Domicílios e dos Moradores 2017 mostra que 12,3 milhões de casas ainda usavam fogões a lenha para cozinhar, um crescimento de 11% em relação a 2016, no ano em que o preço do gás de cozinha bateu recordes históricos.

Entre junho de 2017, quando a Petrobras mudou sua política de preços, e o final do ano, houve um aumento de 67,8% nos preços.

Como nada indica que essa política vá mudar tão cedo, deverá crescer, em consequência, o desmatamento para alimentar os fogões, e a poluição do ar nas periferias das cidades.

Com mais gente morando nas casas, pode-se imaginar a qualidade de vida dessas pessoas respirando fumaça, enquanto a televisão mostra os comerciais do Brasil Maravilha criado pela “Ponte para o Futuro” de Michel Temer, sob o lema “Ordem e Progresso” da propaganda oficial.

De um ano para outro, caiu 4,5% o número de domicílios onde o morador é proprietário, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad-C).

Neste contingente se inclui a legião de brasileiros que conseguiu comprar a casa própria, mas já não tem mais condições de pagar as prestações.

Enquanto na média do Brasil a renda domiciliar per capita subiu de R$ 1226, em 2016, para R$ 1268, no ano passado, pouco acima do salário mínimo, no Estado de São Paulo, o mais rico do país, esta renda caiu de R$ 1723 para R$ 1712.

Estamos ao mesmo tempo ficando mais pobres e mais velhos, segundo a pesquisa do IBGE.

De 2012 a 2017, a população de idosos cresceu a uma média de 1 milhão por ano.

Nos últimos cinco anos, o total de brasileiros com 60 anos ou mais subiu de 25,4 milhões para 30,2 milhões, uma alta de 18,8%, chegando a 14,6% da população brasileira.

Como o caro leitor já deve ter reparado, nenhuma destas questões levantadas pela pesquisa consta dos discursos e dos programas dos 20 pré-candidatos que já apareceram concorrendo à Presidência da República.

A seguir nesta batida, com o aumento contínuo nas tarifas de energia, em breve poderemos voltar a usar também velas e lampiões de gás.

No Brasil de 2018, tudo pode sempre piorar ainda mais, dirão os menos pessimistas. Ainda não vimos tudo.

Vida que segue (para trás).

 

 

 

 

22 thoughts on “IBGE 2017: milhões de brasileiros voltam ao fogão a lenha e moram de favor

  1. Isso é herança de governos populista que no princípio da a sensação de prosperidade mas depois vem a conta e o final vocês já sabem como terminam, vide situação do nosso país vizinho dominados pela esquerda a Venezuela

    1. Grande mentira, pois Lula governou por 8 anos, terminou o segundo mandato com 87% de aprovação e elegeu Dilma, que também se reelegeu. Vou refrescar sua memória: Juan Carlos, Rei da Espanha, pediu a Dilma que investisse algum dinheiro na Espanha, pois a economia espanhola estava em estado de calamidade e o desemprego, alarmante. É graças ao apoio de mentirosos descarados como voce e Luis Carlos Velho, que Dilma foi impedida e Temer está levando o Brasil pro buraco. Palmas pro senhor Mario Cezar Bittencourt !!!

      1. E ai Dilma deixou de investir na Espanha, com retorno seguro, e investiu em Cuba, Venezuela, Nicarágua e na África, onde o dinheiro nunca mais vai voltar…. depois falam que foi golpe…

        1. Sr josé antonio, Dilma sofreu impeachment por Pedaladas Fiscais, ou seja, o sr não passa de outro mentiroso tão ou mais covarde que os outros dois.

          1. Difícil fazer uma análise imparcial aqui. mas acredito sim que o PT contribuiu muito para a atual situacao. O aparelhamento do Estado tem o seu custo. Nao há free lunch. O custo maior foi a destruicao da confianca de todos em relacao às instituicoes já consolidadas. O que dá raiva nas pessoas, nao é saber que fulano é metalúrgico ou nao tem as maos, mas sim o papo hipócrita de honestidade….o PT agiu como o padre com o coroinha…os pais do coroinha confiaram no padre e o padre…bom, vcs já sabem…

            Lula é tao pestilento que, se eu estivesse em um rio e o Lula e um cachorro estivessem se afogando no mesmo tempo, com certeza tentaria ajudar antes o cachorro….esse é fiel…

          2. Aí reside o grande ‘defeito’ de Lula, salvaria ambos, você antes do cachorro, por incrível que pareça, mesmo conhecendo-o.

    2. Herança nenhuma. Tudo começou quando foram descobertas grandes reservas de petróleo. Você reparou que todos os países com grandes reservas de petróleo estão desestabilizados, exceto a Arábia Saudita, uma ditadura tutelada pelos EEUU? Líbia e Iraque totalmente destruídos. A Venezuela, então… Dilma foi apeada para que a quadrilha Temer fizesse o que está fazendo. Entregando nosso patrimônio energético, mineral, territorial aos estrangeiros, principalmente os EEUU. A Lava jato está nesse contexto. A prisão do Luiz Inácio faz parte do plano. Tirá-lo de campo é necessário. Pelo seu raciocínio, nunca poderemos nos desenvolver, pois sempre haverá uma fatura a pagar. Raciocínio cretino.
      “Os Estados Unidos jamais permitirão o surgimento de um novo Japão, abaixo do equador” (Henry Kissinger – Secrt. de Estado do governo Nixon).
      Em que país ele estava pensando?

  2. Kotscho, estou nesta casa de um milhão de idosos, de 2012 a 2017. Parece que este país não está sabendo aproveitar a sua mão de obra ativa. Desempregado, e sem uma alimentação saudável, aumentam os casos de doenças, sobretudo da depressão. Sabedoria deve estar faltando aos pré-candidatos, nós que somos uma das maiores economias do planeta. Deve ser muita humilhação ter que sair do seu próprio país para trabalhar fora. E uma pessoa desempregada – não tem nem como economizar. Pra todo lado que você vai, só se ouve essa mesma ladainha do Desemprego, mesmo aqui no Vale do Aço, que é uma das regiões mais ricas do Estado de Minas, conhecida internacionalmente. O primeiro e derradeiro passo, é não votar em candidatos envolvidos em casos de corrupção, já valendo para a próxima eleição deste ano. Finalizando, o ideal não seria ficar mais velho e mais pobre. E sim, mobilizarmos no sentido de ficarmos mais velhos e mais sábios. (Renê Descartes).

  3. O “Milagre” sumiu!.O Brasil está calejado de tantos “milagres”,desde o tempo da ditadura.Normalmente esses “milagres no final tem custo social elevado.

  4. Pois é, Kotscho, vale lembrar o Stanislaw Ponte Preta: “Se a situação continuar desse jeito, pobre tende a desaparecer no Brasil”.
    No caso da iluminação, acrescento a lamparina e, agora, ouvirei Inezita Barroso cantando a bela valsa Lampião de Gás.

  5. Daqui a 10 anos, com um país conflagrado, desemprego, miséria e a fome batendo no portão da casa dela, Mirian Leitão vai estar dizendo a mesma coisa aos fantoches, tudo culpa do PT. Para que isso não se torne uma realidade, Lula Libre, de resto o povo se encarrega.

    1. Essa de pedido de impeachment do governador mineiro, do PT, é sinal que a roda do PT está rodando mesmo é só pra trás. E depois que começa rodar pra trás, não pára nunca.

      1. É claro!! O terceiro estado da federação comandado por um petista que tem um vice do PMDB! Já vi este filme antes! Estão tentando fazer com Pimentel exatamente o que fizeram com Dilma e coma anuência toda planejada e orquestrada pelo PMDB.
        Não defendo Pimentel porque ele não precisa. Mas pegou um estado com um rombo de 7,5bi na arrecadação. Ao invés de ter detalhado tudo e jogado toda a merda no ventilador foi dar uma de republicano como Dilma e o PT fizeram e olhem só!! Está pagando com a mesma moeda que ela. A desfaçatez deste PMDB é de enrubescer as meretrizes da Rua Guaicurus.

  6. Moro em uma cidade cuja economia principal é a industria metalurgica, voltada para o agro negocio. Na decada de 70/80 havia 12.000 metalurgicos. Quem era soldador, pulava de uma empresa para outra com significativo aumento de salarios dado a oferta que existia. Hoje não tem mais que 4.000 metalurgicos e as empresas produzem muito mais, graças aos robôs e maquinas sofisticadas.
    No corte de cana, na safra vinham milhares de nordestinos e mineiros para dar conta do serviço (muito duro por sinal). Hoje as máquinas cortam cana dia e noite e equivale ao trabalho de 100 homens. Uma unica industria citrica empregava diretamente mais de 2.000 ( e mais 6.000 indiretos) funcionários e moia 10 milhões de caixa ano. Hoje, implantada a automação industrial, não emprega mais que 500 funcionários e móe 40 milhoes de caixa por safra. De 2010 para cá muitas profissões sumiram do mapa e muitos não se deram conta disso e ficam aqui discutindo qual governo ou partido desempregou mais. Já fizeram uma comparação para ver se a produção caiu na mesma proporção do desemprego? acordai-vos… os tempos são outros. Quem não conseguiu evoluir de soldador para operador de robô está mesmo literalmente desempregado

  7. Caro Kotscho! O senhor é um mal vendedor das notícias.
    Devias nos passar esta informação como a Globo faria. Exaltar o fato da população estar migrando para o fogão a lenha, pois não usamos mais combustível fóssil e estamos preservando o meio ambiente, já que, a cada árvore arrancada para lenha, plantamos 2 em nossos amplos jardins e, para uma maior interação social estamos mudando para casa de amigos e parentes.
    Além do mais, a Petrobrás (pobre Heródoto) com esta sábia medida de aumentar os preços do GLP, está preservando nossas reservas de petróleo para as gerações futuras. Se necessitarem, claro!
    O êxito total na gestão da direita fez com que a “Ponte para o futuro” fosse um avanço próspero inigualável do Brasil que, consequentemente, extirpou o PT e as esquerdas do cenário político.

    PS.
    Só a crítica que lhe fiz é verdadeira o resto é puro devaneio irônico.

  8. Vem aí o “Fogão a Lenha para Todos” e o “Bolsa Família Midiática”, para enfrentar os percalços dos velhos tempos, na volta à colônia do atraso.
    Fica mantido o ‘Pó para Poucos’. Enquanto o medíocre, sem enxergar-se, fica dando nó em pingo d’água, explicando o inexplicável, o piloto dos Perrela, Rogério Antunes, preso e solto pela PF, no episódio dos ‘quatrocentos quilos de pó’ em helicóptero de gente acima de qualquer suspeita, ‘de bem’ e ‘pais de família’, está de novo preso pelo ‘transpórte’, agora para ‘Facção Criminosa’, também conhecida por PCC.
    Tá tudo péssimo, mas dominado, Mestre, os lavajateiros pilhados, pela ameaça do STF ao voltar a cumprir a Lei e respeitar a Constituição, esquecem a recém risível jabuticaba jurídica, “atribuição de imóvel”, e já querem lançar, com apoio da ‘mídia parceira’, jabuticaba nova, a ‘cartografia virtual’, que permite enxergarem as cidades paulistas de Atibaia e Guarujá, no Paraná, mais precisamente em Curitiba, vindo ao caso.
    E o ‘Ipsos-OESP’ silenciado, por revelar que a rejeição a Moro já é maior que a aprovação, explicando que, quanto mais explicam, sem entenderem, mais o povo entende e explica-lhes.

  9. Estão reclamando de quê?
    Quem elegeu, Lula, Dilma/Temer?
    São os efeitos nocivos do populismo… Só isso!
    Ainda bem que Dilma caiu, senão estávamos nós em acampamentos em Roraima!

  10. O ciclo Lula Dilma durou quase duas décadas, incentivando trabalhador a se endividar e aposentado a entrar na arapuca do empréstimo consignado a juros de agiota, e a culpa pela desgraça é do Temer que não tem dois anos no governo. A crise que estamos vivendo não se constrói em dois anos, nem se esforçando.

  11. César T
    Com quase três dias de atraso, respondo sua consistente objeção aqui neste outro tópico, uma vez que relacionada com ele (a volta da penúria). Desculpe!
    Minha posição é ainda mais reticente: o tempo de lançar uma candidatura própria de uma frente das esquerdas já passou, não por erro de avaliação ou falta de timing eleitoral, mas porque nós da esquerda fizemos o que era devido: defendemos com todas as forças o direito de Lula se candidatar, ao mesmo tempo que escancaramos para o mundo a ficção da prova “reprovada”. Com a inelegibilidade, juridicamente postiça, inviabilizando Lula (já com a ampulheta virada), pensei inicialmente em uma candidatura dentro e fora do jogo: o lastro diplomático mundialmente reconhecido e a longa experiência, começando em FHC e chegando em Dilma, do brilhante Celso Amorim.
    Eu realmente esperava que a primeira fala cifrada do Alto Comando não fosse uma indireta, desajeitada e com lapso sintomático, sobre a pretensa “impunidade” (logo essa palavra!), fala capaz de impactar a ministra Rosa, mas um pequeno e discreto “toque”: militares modernos não votam em Bolsonaro. Coisa que acredito. Pude desenvolver isso nos comentários do blog. A fala do general Leônidas, involuntariamente, eu acho, trouxe combustível para a candidatura da extrema-direita. Meu medo é a extrema também confiança da centro-direita e de toda a esquerda na inevitabilidade do vôo de galinha, em breve, do paraquedista; no pior dos casos, pensam, haveria uma cirurgia de lipoaspiração de alto risco em Agosto-Setembro. Bem, a suspeita de racismo, com o assustador discurso na Hebraica (MP), e a reportagem (Estadão) sobre o arquivamento do inquérito militar interno, não surtiram mesmo efeito. Ele está lá, como Trump estava, não sai do lugar. E não apenas porque o possível racismo reforça posições racistas não mais tímidas da nossa África do Sul-no-Sul, mas porque o candidato se faz passar por representante dos militares na eleição. Promessa de segurança militar e de cidadãos armados em sua própria defesa. Isso pegou. Abreviando: diante deste risco, não acho um despropósito uma aliança nacional das esquerdas com Alckmin e o PSDB. E mais: não tenho medo agora de perder esta eleição, mas sim de ganhá-la. Ali, na minha intervenção, a eventual acolhida indireta do programa social do PT ecoava uma coluna do Jânio de Freitas, se eu o entendi bem, alertando para a nosso vício da divisão em hora imprópria. Em tempos de guerra, vale a sopa aguada. Obrigada pela crítica bem construída.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *