Faltam só oito meses: dá tempo para inventar um candidato?

Faltam só oito meses: dá tempo para inventar um candidato?

“A pátria precisa tanto de líderes como de instituições. E principalmente de um eleitorado que leve ao poder quem tenha visão de país e de mundo”.

A descoberta acima foi feita pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em seu artigo dominical publicado no Globo e no Estadão.

Até aí estamos de acordo, mas a pergunta que a maioria do eleitorado está se fazendo é: quem?

A apenas 250 dias de irmos às urnas, pela primeira vez desde a redemocratização estamos no breu absoluto, com o cenário eleitoral ainda absolutamente indefinido.

O país continua dividido ao meio após a segunda condenação e o provável impedimento pela Justiça de Lula, o pré-candidato que lidera todas as pesquisas, participar da disputa.

Seus adversários comemoraram a derrota do ex-presidente no TRF-4 ao verem o campo livre para eleger o sucessor de Temer, mas descobriram que estão sem um candidato competitivo, como fica claro no artigo de FHC.

Mais de um terço dos eleitores responderam aos pesquisadores do Datafolha que ainda não têm candidato ou não pretendem votar em ninguém.

Depois de afirmar que a eleição sem Lula “produz certo alvoroço para saber como se distribuirão seus votos”, o ex-presidente tucano constata o óbvio: “E assim será a cada nova pesquisa eleitoral que apareça. As eleições, entretanto, virão”. Não diga.

Os nomes até aqui testados pela direita governista _ Alckmin, Meirelles, Maia e Doria _ não conseguem passar de um dígito nas pesquisas, mesmo sem Lula na lista de candidatos.

É por isso que FHC voltou a falar tanto em Luciano Huck, que já havia desistido de concorrer, mas isso não pode ser levado a sério.

A Presidência da República não é um programa de auditório que distribui oferendas.

Não dá para inventar um candidato em tão curto espaço de tempo.

Quem for eleito vai herdar um país destroçado, tanto econômica como politicamente, a exigir medidas urgentes para evitar o caos social que já se desenha no horizonte com mais de 12 milhões de desempregados e o colapso nas áreas de saúde, educação e segurança pública.

A tal “ponte para o futuro” produziu em dois anos um retrocesso de décadas nas condições de vida da maioria da população e dos direitos dos trabalhadores.

O tal do ajuste fiscal só fez aumentar o rombo nas contas públicas confirmado no orçamento deste ano.

Até agora, nenhum pré-candidato ou partido foi capaz de apresentar programa mínimo de governo, muito menos um projeto de país.

Continuamos sendo um deserto de homens e de ideias, discutindo o varejo do poder, a distribuição de verbas e cargos.

Pontificam na cena pública tipos como Carlos Marun e Cristiane Brasil, retratos de um país que já não se dá ao respeito e, se o Judiciário serviu para tirar Lula da parada, não se mostra capaz de fabricar o candidato procurado por FHC, que joga para o eleitorado o desafio de encontrar um nome capaz de unir o país.

Este candidato simplesmente não existe até onde minha vista alcança. Bom domingo.

Vida que segue.

 

16 thoughts on “Faltam só oito meses: dá tempo para inventar um candidato?

  1. Vejo que a direita da como favas contadas, só eles escrevem artigos, emitem opinioes, batem cabeça, se descabelando para encontrar, ou fabricar um candidato para perder. Segundo as pesquisas, a maioria silenciosa já decidiu o que é melhor para o Brasil é os brasileiros.

  2. “A tal ponte para o futuro produziu em dois anos um retrocesso de décadas nas condições de vida da maioria da população e dos direitos dos trabalhadores.”…..ahahahah essa sua frase Kotscho é muita cara de pau, você quer apagar ou esquecer o que fez o seu pete?

  3. FHC é o menos indicado a palpitar sobre a “pátria”. Seu governo foi o maior exemplo de “governo apátrida” da história brasileira. Foi o principal mentor do impedimento da ‘presidenta’ com seu linguajar melífluo e, também, banalizou os efeitos deletérios incontroláveis de se engaiolar aquele que ainda permanece como a única liderança política de expressão nacional com alguma base popular e assentamento nos movimentos sociais. FHC leva sua água ao moinho da Globo, ao reanimar o garoto da Vênus Platinada, como sempre o fizera, desde a época em que namorava o ministério da relações exteriores de Collor de Mello em 1990.

  4. Os golpistas de 2016 não tinham dúvidas, os golpistas de 2018 não tem nenhuma certeza. Acreditaram nas mentiras que eles próprio contavam e a cada revelação da verdade a mentira ia ficando com as pernas cada vez mais curtas. Talvez não tenham nem fôlego para cruzar a meta de chegada ou ao fim da pinguela, a eleição do candidato do Golpe. Se a pinguela cair FHH já avisou que o negócio é atravessar o rio a nado ou, em último caso, fazer igual aqueles asquerosos arremessos de anões. Talvez por isso poupem Bolsonaro, vai que até lá não aparece nada e ai, depois daquele banho de loja na Globonews, vão fazer igual aos Antas_agonistas que já sentem cheiro de queimado no avião do Golpe, não tem tu vai tu mesmo.

  5. Frase 1: “A Presidência da República não é um programa de auditório que distribui oferendas”…

    Que hipocrisia…o que fez o PT em 13 anos de governo? fez do Brasil um programa de auditório onde a “estrela” maior do PT distribuiu “oferendas” sem pensar em como pagá-las depois.

    Frase 2: “A tal ponte para o futuro produziu em dois anos um retrocesso de décadas nas condições de vida da maioria da população e dos direitos dos trabalhadores…”

    Aí vc está agindo como Goebbels…quer enganar quem cara pálida. Kotscho, aí vc perde completamente a credibilidade conquistada. Nao deixe a sua paixao partidária dominar a sua razao.

    1. Carlos Fontes,
      da minha credibilidade cuido eu. Não quero enganar ninguém. Respeito a tua opinião e espero que você respeite a minha, que se baseia em fatos concretos, e não em paixões. Aqui ninguém é dono da verdade.

  6. “O país continua dividido ao meio após a segunda condenação e o provável impedimento pela Justiça de Lula, o pré-candidato que lidera todas as pesquisas, participar da disputa.” R.K.
    Matemática nunca foi o forte dos petistas, principalmente quando o resultado lhes é adverso.
    Pesquisa do data folha, mostra que de 35 a 37% preferem Lula. 65% não.. 74% o querem ver preso…
    Pelos numeros, o Brasil não está dividido ao meio, pelo contrario, a maioria absoluta sabe o QUE NÃO QUER…

    1. José Antonio,
      como provado pelo internauta Dias aí acima, você também não é muito bom de números, e chuta índices da pesquisa Datafolha. Estão todos errados.
      Antes de digitar é melhor se informar melhor.
      Ricardo Kotscho

      1. Pesquisa on line da folha mostra que 74% querem ver Lula preso. Se este numero está errada,a culpa é da folha, que também fez a pesquisa de intenção de votos com 35 a 37% para Lula. Também na folha de hoje, 06/02, tem uma pesquisa on line. 64% das pessoas acham que Lula não deve ser candidato.Está lápara quem quer ver e votar

  7. O editorial de Mino Carta, em Carta Capital, está disponível aos não assinantes, nesta segunda-feira, sob um título desolador: “O país encarcerado”. De certo modo constata que ao país faltaria uma outra dimensão das coisas: “Fosse este um país civilizado e de tradição democrática, a explosão da revolta popular seria inevitável, sem contar que os trabalhadores viveriam em greve”. Os desolados botões do genovês esquecem que, enquanto o patriciado tucano, emedebista e demo multiplica suas grandes fortunas por todos os meios ilícitos, o povaréu costuma ofertar suas esperanças ao templo de Momo e penitenciar-se das cinzas pagãs na quarta-feira.

  8. E segue o esperneio contra fatos e o cenário exposto pelo Mestre.
    Um ‘desavisado’ convicto, diz que o PT é quem passou 13 anos com ‘oferendas’ ao país e penso se fala das 422 Escolas técnicas, mais que todas criadas em 128 anos de República, e das 18 Universidades, cujo custeio futuro baseava-se em recursos legalmente reservados do Pre-sal, outra ‘oferenda’, descoberta por pesquisadores da Petrobras, liderados por Guilherme Estrela e que a Globo Marinho dizia inútil, de extração impraticável, quer pela tecnologia, quer pelos custos, e que agora, quando representa a maior parte do petróleo extraído aqui e a custo não inferior apenas ao do Oriente Médio, é entregue por golpistas a empresas estrangeiras, a preço de banana, no momento em que o barril sobe (US$ 70) e sabendo que não mais custeará a nossa educação, conforme decreta a ‘Pinguela para o Passado’, que hoje no desgoverna e saqueia. Ou será que refere-se a outra singela ‘oferenda’, a das reservas internacionais de US$ 283 bilhões, que afastou o país da quebradeira dos tempos de FHHC?
    Aí outro ‘desinformado’ confessa, como sendo de Mestre, a incapacidade de intelecção de texto e exposição de resultados de pesquisa, ignorando que Lula com 40% de rejeição e vencendo todos no 2º turno com preferência em torno de 49%, não possuí 65% de não preferência. Quanto aos que querem-no preso, a pesquisa crava: 53% querem e 47% não. E mais não precisa ser esclarecido, eles só, se revelam.

  9. Kotcho, adorei sua leitura da situação política do Brasil, mas uma pergunta me intriga: você não acha Ciro Gomes um candidato preparado para assumir as rédeas do nosso país?

    1. Caro Pedro Paulo,
      minha resposta é sim. Caso se confirme o impedimento de Lula de disputar as eleições, Ciro é o candidato mais preparado no campo progressista.Conheço bem o Ciro desde quando foi governador do Ceará e tive a melhor impressão dele quando trabalhamos juntos nos dois primeiros anos do governo Lula. Além de preparado, tenho de Ciro a imagem de um homem correto, cumpridor de palavra, coisa muito rara na política. A grande crítica que se faz a ele é seu comportamento mercurial, que muitas vezes se volta contra ele mesmo.
      Grato pela participação,
      Ricardo Kotscho

    1. Caro Daniel,

      Bolsonaro não é ainda, que eu saiba, candidato do chamado centro governista. E a análise que fiz foi sobre os pré-candidatos da base aliada de Temer. Se não conseguirem encontrar um candidato competitivo, nada impede que mais à frente apoiem Bolsonaro para enfrentar um candidato do campo progressista. Não acredito, porém, que Bolsonaro vá ao segundo turno.
      Abraços,
      Ricardo Kotscho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *