Dona de dois apartamentos, filha de Fux recebe auxílio-moradia, que já torrou R$ 2 bilhões

Dona de dois apartamentos, filha de Fux recebe auxílio-moradia, que já torrou R$ 2 bilhões

Mais jovem desembargadora nomeada para o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Marianna Fux, 37 anos, dona de dois apartamentos no Leblon, a menos de um quilômetro da praia,  avaliados em R$ 2 milhões, recebe R$ 4.300 de auxílio moradia, graças a uma liminar de seu pai, Luiz Fux, ministro do Supremo Tribunal Federal, que em 2014 estendeu o benefício a todos os juízes, mesmo os que têm imóvel próprio na cidade em que trabalham.

Quando Luiz Fux finalmente liberou, no final do ano passado, o processo para julgamento em plenário (marcado para depois do Carnaval, é claro), a liminar já tinha custado ao país mais de R$ 2 bilhões em benefícios para os magistrados.

Se a liminar for derrubada pela maioria dos ministros do STF, quem vai pagar o prejuízo aos cofres públicos? O dinheiro será devolvido?

A notícia sobre os imóveis da desembargadora, que teve uma ascensão fulminante no Judiciário carioca, foi divulgada na quarta-feira pelo repórter Filipe Coutinho, do site BuzzFeedNews.

Em novembro, com todos os benefícios a que tem direito, Marianna Fux recebeu um total de R$ 36,5 mil. Com menos de dois anos no tribunal, recebeu quase o mesmo que o pai, o ministro do STF, que tem salário de R$ 37,4 mil.

O clima promete esquentar nos tribunais em Brasília logo após o Carnaval. A presidente do STF, Carmen Lúcia, já comunicou às associações de magistrados que vai colocar em votação no início de março a ação que pode acabar com o auxílio-moradia, como relata Daniela Lima, no Painel da Folha.

As excelências já estão em pé de guerra para não perder os benefícios e todos os penduricalhos. Seus líderes sindicais prometem levar 300 magistrados para um ato no Congresso, no dia 1º de fevereiro, contra a reforma da Previdência. Além deles, cerca de 200 procuradores e promotores também devem participar do protesto.

“Os mais exaltados alertam que ministros do Supremo podem ser pressionados pelas categorias a apresentarem seus ganhos no magistério e em palestras. Citam ainda o caso de Gilmar Mendes, que é sócio de um instituto de ensino”, informa o Painel.

A guerra das togas promete destampar a caixa preta do corporativismo do Judiciário, uma das causas apontadas por Matias Spector, professor da FGV, da ligação direta entre a corrupção e o problema fiscal brasileiro, como escreve em sua coluna desta quinta-feira na Folha:

“Grandes conglomerados rentistas compram junto aos deputados e ao executivo a legislação que cria crédito subsidiado, perdoa dívidas irresponsáveis de grupos privados e impede o funcionamento bem-regulado do mercado nas áreas que mais afetam a vida do cidadão, como educação, saúde e saneamento básico. Tais grupos atuam em associação estreita com o alto funcionalismo público e a Justiça, eles próprios organizados como grupos de interesse dedicados a extrair vantagens do Estado. A captura do estado por grupos de interesse é a causa central do problema fiscal e da corrupção no Brasil”.

É o melhor resumo que já vi da ópera bufa encenada pelo poder esfrangalhado em Brasília, que acaba de conceder um salário mínimo abaixo do índice de inflação e cortou as verbas do Minha Casa Minha Vida.

Resultado trágico: enquanto os meritíssimos donos de belos tetos ganham auxílio-moradia, milhões de brasileiros sem teto vagam pelo país sem ter onde morar.

E esta legião pode aumentar, se derem certo os planos de Roberto Jefferson para acabar de uma vez com a Justiça do Trabalho, o principal objetivo da família com a insistência da indicação da filha Cristiane Brasil para o ministério do mesmo nome.

Sem o incômodo desta Justiça, a resiliente Cristiane não terá mais o aborrecimento de ter que registrar registrar seus empregados e correr o risco de ser condenada a pagar os direitos deles.

É a política do salve-se quem puder, meu pirão primeiro, e o resto que se dane.

Pois é o que temos por hoje.

Vida que segue.

 

6 thoughts on “Dona de dois apartamentos, filha de Fux recebe auxílio-moradia, que já torrou R$ 2 bilhões

  1. O Judiciário está no coração de toda corrupção que está aí. Felizmente com a lama subindo as togas tiveram que erguerem-se e mostrar a cara. Que nos diga o Supremo: Lewandowski re-escrevendo a Constituição no julgamento do Impeachment; Barroso “esquecendo” parte do regimento da câmara ao julgar Eduardo Cunha; Dias Toffoli “roubando a bola” em julgamento já definido. E claro, o “amado” Gilmar Mendes que faz o que quer, na hora que quer, com quem quer. Isso para citar somente os notórios. Salários milionários, benefícios, apadrinhamentos. Não tem como terem sustentado toda corrupção que está aí sem um Judiciário “amigo”. Difícil é como resolver. Nunca vi Impeachment de ministro do STF. Ministro ou pede aposentadoria ou morre. Sem que coisa pior substitua do STF só nos restas aguardar a renovação que o tempo trará e fazer pressão (que pouco tem funcionado) nos atuais ministros, juízes, e demais.

  2. No universo tupiniquim, existe algum objeto símbolo mais desmoralizado que a toga? O que leva o ser humano a desprezar a justiça que o próximo merece? Não, o exemplo da filha do Fux, não vale como resposta. Ora togas, toguinhas e togões! Pau de galinheiro é bem mais útil que uma toga. Se bem, que a fedentina dos augustos togados alcançou um nível insuportável. Essa bolha do galinheiro togado está a merecer uma “saudação” de tiro de canhão.

  3. Falar em crise fiscal diante de tamanho disparate é mais um deboche. Pq tenho que auxiliar no pagamento de moradia,educação,transporte e até ternos pra estas figuras,que já ganham salários de nababos?

  4. Kotscho, uma curiosidade [completamente fora de quaisquer assuntos]: você já perguntou pro Paulo Caruso porque ele aproveitou uma caricatura do Tancredo, colocou uma barbinha rala e disse que era você? 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *