De Getúlio a Jefferson, PTB acaba com direitos e Temer mente sobre emprego

De Getúlio a Jefferson, PTB acaba com direitos e Temer mente sobre emprego

A trajetória do PTB (para quem não lembra, a sigla quer dizer Partido Trabalhista Brasileiro), de Getúlio Vargas, seu fundador, a Roberto Jefferson, atual dono da legenda, é emblemática da degradação do sistema político-partidário no país.

Getúlio criou a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) na década de 40 do século passado, que acaba de ser desmontada em poucos meses pelo governo Michel Temer, ao implantar na íntegra o projeto de reforma apresentado pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), sob a alegre batuta do agora ex-ministro Ronaldo Nogueira, do PTB gaúcho (gaúcho como Vargas!), indicado por Jefferson, que atendeu a todas as antigas reivindicações do patronato para acabar com os sindicatos, a Justiça Trabalhista e os direitos dos assalariados.

Ninguém sabia quem era Ronaldo Nogueira, que agora voltará para o anonimato do baixo clero, mas seu nome será lembrado como o do ministro do PTB que tentou revogar a Lei Áurea. Houve protestos até da ONU e Temer foi obrigado a recuar daquela barbaridade que praticamente liberava o trabalho escravo no Brasil.

Sob o pretexto de “modernizar a legislação trabalhista” para criar mais empregos, Nogueira apresentou um balanço da sua gestão na carta em que pediu demissão do cargo na quarta-feira.

“Saímos de um modelo de alta regulação estatal para uma forma moderna de autocomposição dos conflitos trabalhistas, colocando o Brasil ao lado das nações mais desenvolvidas do mundo”.

Que beleza, agora somos modernos! O que dirão disso as “nações mais desenvolvidas”? A quem eles pensam que enganam?

Colocar os trabalhadores para defender seus direitos em negociação direta com os patrões, sem a intermediação dos sindicatos e do Estado, é mais ou menos como botar o meu São Paulo para jogar de igual para igual com o Barcelona, no campo do Barcelona, num jogo sem juiz, com os direitos de transmissão de TV negociados por Marin, Teixeira, Del Nero e cia. bela.

Por ironia do destino, no mesmo dia, o ministro do PTB, que será substituído por outro deputado do PTB, também indicado pelo inefável Roberto Jefferson, foi obrigado a anunciar que em novembro o Brasil teve mais demissões do que contratações, com um saldo negativo de 12,3 mil vagas, justamente no mês em que foi implantada a nova legislação trabalhista. Em lugar de mais empregos, mais demissões.

Nos primeiros 11 meses de 2017, o saldo foi positivo em 299,6 mil vagas, bem longe do um milhão de novos empregos repetidamente anunciados pelo presidente Temer e o ministro Meirelles em seus discursos e na feérica e milionária campanha do governo “Agora, é avançar” veiculada dia e noite nos meios de comunicação.

Avançar para onde? A propaganda oficial só não fala que vivemos num país onde ainda há quase 13 milhões de desempregados e correm, ou melhor, dormem no Supremo Tribunal Federal 12 ações diretas de inconstitucionalidade contra a tal “Lei da Modernização Trabalhista”.

De mentira em mentira, de recuo em recuo, estão criando um Brasil de fantasia nas fake news com carimbos oficiais embaladas na propaganda pública e privada de que agora tudo vai melhorar.

Bem que poderia ser verdade nesta passagem de ano, um tempo em que sempre há uma renovação de esperanças, mas os números insistem em mostrar a realidade e os Maruns da vida nadam de braçada tirando um sarro da nossa cara.

Se os fatos negam a propaganda, danem-se os fatos.

Vida que segue.

 

 

18 thoughts on “De Getúlio a Jefferson, PTB acaba com direitos e Temer mente sobre emprego

  1. Os sindicatos a muito tempo já não defendem os trabalhadores. São financiados pelos patrões e o governo. Dia primeiro de Maio fazem uma grande festa com artistas famosos e farta distribuição de prêmios tudo patrocinado pelos patrões e o governo. Temos 17 mil sindicatos com mais de 100 mil funcionários vivendo as custas do salario dos trabalhadores. Defender os trabalhadores? A mais de 30 anos foi aprovado a lei constitucional e até agora não regulamentaram a lei que regulamenta o salario mínimo. Dizem que não da para pagar o salario mínimo da constituição. Não dá porque o pessoal de cima recebem muito. Se os trabalhadores recebessem o salario mínimo legal constitucional a crise não seria tão aguda. Não haveria tanto desempregos e essa grande quantidade de lojas fechadas por falta de dinheiro no bolso do trabalhador. Também não haveria tanto políticos incompetentes e corruptos porque os trabalhadores votariam mais conscientes. O que essas entidades que dizem defender direitos humanos, direitos dos trabalhadores, tanto igrejas, sindicatos, direitos humanos querem é o povo pobre e dependente de tutores para tudo.

  2. Prezado Kotscho,
    parabéns pela sua análise.
    Gostaria só de acrescentar que o nome do agora ex-ministro do Trabalho é Ronaldo Nogueira, não Roberto. E que o presidente Temer não arrependeu-se da absurda portaria sobre o trabalho escravo. Esta teve seus efeitos suspensos devido a uma decisão liminar da ministra Rosa Weber.

  3. Os quadros depressivo da economia, da regressão social e de degeneração política do triênio 2015/2016/2017 são inigualáveis, quando comparados a quaisquer triênios anteriores da história republicana. Não há registro de tamanho estado de alargada degradação do país; sem falar na indisfarçável disseminação profunda do narcotráfico, com suas inexoráveis resultantes, horrendas e aterrorizantes, experimentadas amargamente pelas populações colombiana e mexicana, decorrentes da influência dos Cartéis, a ponto de México e Colômbia serem tratadas em alguns textos como “Narco Repúblicas” (e o Brasil não está muito longe de vir a ser catalogado nesse conceito). Quanto ao que resultou do PTB de Vargas e Brizola, já o sabíamos desde Collor de Mello, quando “Bob Jeff” fazia parte da ‘tropa de choque collorida”. Lamentavelmente, de concessão em concessão, o lulo petismo deixou as portas abertas aos malfeitos permissivos, que trouxeram das profundezas do inferno esse quadro demoníaco para atormentar, de ora em diante, todas as gerações. Ulysses dissera profeticamente, em 05/10/88: “Conhecemos o caminho maldito: rasgar a Constituição”. O Senhor Diretas acertou na mosca.

  4. O PTB é um feudo. Jeferson é o senhor feudal. O Ministro que saiu e o que entra, ambos pela porta dos fundos, são lacaios. Tomam posse com agenda imposta pelos senhores feudais, Temer no meio, bandidagem quadrilheira, idem. A mídia recebe alto pela propaganda, cujo conteúdo é de versões descabidas e plantadas em mentes incultas, seguidoras de “faustões, carnaval, futebol e cerveja… embriagando a compreensão de fatos reais, tipo 13 milhões de desempregados, para apontar uma única mentira deste representante do bom povo libanês. Temer, o “rei” da mentira, propagandeia versões e a mídia enche o cofre com o dinheiro do pobre. Feliz “ano novo”? Certamente, Temer, dono de quase tudo do Porto de Santos, terá um ano novo pra lá de bom. De seu castelo, Temer “num tá nem aí” com o povo borralheiro. Nas urnas de 2018, os infelizes dominados não podem borrar mais. Nem me falem do indulto que assinou… só livrou dominantes das grades. Raquel já bateu à portas do STF…… adianta? Brasil, meu Brasil brasileiro…. digo: Brasil, meu Brasil libanês. Parabéns batedores de panela….. hm…..

  5. Tenho certeza que a maioria da população : “está a se perguntar”: Quem é Getúlio? Ninguém pergunta de Tiririca, pois todos o conhecem. Quem é Temer? Infelizmente, pouquíssima gente sabe quem é, maldita exceção aos de sua organização criminosa! Vai Raquel, mostre a que veio. A próposito, Kotscho, conte um pouco mais sobre Getúlio. Conte tudo no Balaio sobre o impichado Temer. Faltam 9 meses para as urnas. O quê? Conheça os candidatos. Tem tempo.

  6. Como empregado de multinacional tendo a oportunidade de trabalhar e conhecer as leis trabalhistas de outros países digo que do jeito que estava não dava. Sindicato? Pra quê? Em 12 anos de carreira o “meu” só comeu meu dinheiro. Qualquer um que fosse em assembléias reclamar dos “acordos” era demitido. Não conheço uma pessoa que queira estar sindicado. Quando um sindicato defender os meus interesses o defenderei. Esse é apenas um aspecto da reforma, vale a ressalva. Engraçado que todas as opiniões contrárias que vi foram de órgãos que perderam benefícios. Ninguém de meu círculo profissional reclamou. Vai ver que ter um dia a mais de salário deixe as pessoas felizes.

  7. A legislação trabalhista no Brasil criou tantas jabuticabas, que cada politico populista e governos incopetentes enfiavam obrigações para os patrões cumprirem, num legitimo cortesia com o chapeu dos outros. Aqui empregado pela CLT trabalha 11 meses e recebe 14,5 salários (férias + 1/3 + FGTS + 13.o). Fora isso, tem multa de 50% na rescisão, 2 dias a mais de aviso prévio por ano trabalhado, abono do dia do comerciário, PLR, Tickets refeição, Vale transporte, Cesta basica, abonos de dias, etc. etc.. Aconteceu como o aterro de uma represa, quando a aguado reservatoriofica maior que sua capacidade… estourou.
    Agora é chorar o leite derramado e falta debom senso. Não bastasse tudo isso, rompeu o vinculo empregaticio,entra na justiça do trabalho, que de mão abanando não sai. Na justiça federal criminal, se não tiver recibo assinado que o gatuno levou suborno,não adianta testemunhas, por mais convictas da verdade for. Jana justiçado trabalho, é so levar uma pessoa que diz que “passou” por lá eviu ele trabalhando fora de hora, que ja leva horas extras à vontade + DSR + reflexos e tudo mais .
    Realmente…. é insuportavel… o que era exceso do lado do empregado, agora é do lado do empregador..,. O tempo dirá quem tem razão

  8. Por mais que este governo transpire mentiras, o tempo não mente, saldo negativo de 12,3 mil vagas justamente no mês em que foi implantada a reforma da CNI. Parabéns Temer, Maia, Eunício, Jucá, Marun e Cia, com seus aliados e apoiadores! Até parece que a precarização na vida de milhões de brasileiros irá trazer conforto, descargo de consciência
    e sensação do dever cumprido quanto aos poderosos a que prestam servidão, enganam-se, pois, esta sensação de “saciedade“, tem prazo de validade. Ninguém consegue congelar o tempo e outubro de 2018 vai chegar, imaginam mesmo que o povo irá esquecer? Muitos são os partidos que estão a caminho da extinção política e o PTB está entre eles, parabéns também Roberto Jefferson! Estão apostando demasiadamente na propaganda do governo, no palaciano balcão de negócios com suas verbas “condicionadas“, na amnesia dos eleitores, nos discursos enganadores em palanques eleitorais das mal-acostumadas raposas do congresso e representantes da velha política. Seus mandatos serão cassados nas urnas…

  9. Muito boa e importante essa análise do PTB de Vargas a Jefferson. E triste demais a derrocada dos direitos trabalhistas nesse malfadado governo Temer…

  10. Kotscho sabe muito bem que o atual PTB nada tem a ver com o PTB de Getulio, Jango e Brizola. O PTB atual é fruto de artimanha do general Golbery entregando a legenda a Ivete Vargas, em detrimento de Brizola e da grande maioria dos autênticos trabalhistas, que então criaram o PDT…

  11. A culatra não tem mais vida útil. Esse propagandicídio será fatal para o impichado e ilegítimo governo. “Viceja ” a mídia poderosa, em conluio com traidor de 3% de aprovação. Este, na escatologia da vida política, aquela do… plim-plim, faturando 90% da propaganda oficial. Culatra estuprada pelo infame propagandicídio. Depois de tudo, indulto criminoso no meio, 2/3 do Congresso serão massacrados pelas urnas de outubro próximo. Boas Festas e Feliz Ano Novo. Que viver votará. Jamais teremos um governo meia boca e ordinário como o desses criminosos.

  12. Parabens pelo artigo Kotcho! Bem que gostaríamos que não fosse verdade, mas não há como negar. Ótima comparação com o jogo de futebol, ainda que o São Paulo tenha mais chances contra o Barcelona do que o empregado contra o grande empresário
    (e olhe que sou santista!) E quando o primeiro não sai de mãos abanando da Justiça do Trabalho, podemos estar certos de que o segundo, mesmo assim, economizou bastante. Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *