Lava Jato empobrece empresas, mas empresários continuam ricos

Lava Jato empobrece empresas, mas empresários continuam ricos

Atualizado às 14h06:

Mensagem de Kakay

para o Balaio

Acabei de receber no zap-zap um vídeo de jovens detidos descendo de um camburão (infelizmente, ainda não aprendi a transferi-lo para cá) do meu amigo advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, advogado de Paulo Maluf e de outros políticos, acompanhado da seguinte mensagem sobre a cena revoltante:

“Todos pardos ou negros, com idade em torno de 20 anos, num calor de 40 graus e 11 pessoas num cubículo feito para duas pessoas. Seriam pessoas humanas? Teriam algum tipo de direito?Existem direitos humanos para a grande massa de desassistidos, pobres, esquecidos pela sorte desprezados por essa sociedade mesquinha?

Lembro-me Pessoa:”Arre, estou farto de semideuses, onde é que há gente no mundo?”

***

O problema é que eles, os donos, querem se salvar. Eles não querem salvar a empresa. Eles querem salvar a sua propriedade sobre a empresa. Por que eles não vendem?

(Carlos Fernando dos Santos Lima, procurador da República, na Folha).

***

Faz sentido a pergunta do procurador, um dos expoentes da tropa de choque da Lava Jato.

Quase quatro anos após a deflagração da “maior operação de combate à corrupção da história da humanidade”, eixo central das eleições de 2018 no Brasil e em outros países, um breve balanço dos resultados dá plena razão a Santos Lima, que conhece bem a história.

Basta pegar o exemplo da Odebrecht, a empresa mais atingida pela Lava Jato. Neste período, a empresa demitiu 100 mil funcionários, a metade do que tinha em 2014, e viu a receita diminuir em 32%, caindo de R$ 132 bilhões em 2015 para R$ 90 bilhões em 2016.

No Brasil da Lava Jato, as empresas empobrecem, perdendo faturamento e valor de mercado, multiplica-se o contingente de desempregados, mas os empresários continuam ricos, muito ricos, já que aqui não se costuma taxar as grandes fortunas.

Depois de passar dois anos e meio na cadeia em Curitiba, o capo da empresa, Marcelo Odebrechet já está em casa, ou melhor, na sua belíssima mansão no Morumbi, desfrutando de todas as mordomias que tinha antes. Não se tem notícia de que sua fortuna pessoal tenha perdido um único centavo.

Para justificar a demolição das maiores empreiteiras brasileiras, a Lava Jato promove eventos para devolver à Petrobras o dinheiro roubado, mas é bom dar uma olhada nestes números.

No total, já foram recuperados R$ 11,5 bilhões, mas a Petrobras anunciou, nesta quarta-feira, que vai propor o pagamento de uma multa de US$ 2,95 bilhões (cerca de R$ 10 bilhões) para encerrar as ações movidas contra a empresa nos Estados Unidos.

Ou seja, quase a totalidade do dinheiro pago nos acordos de leniência no Brasil vai agora para para os americanos que processaram a empresa.

E estes números vêm caindo: de R$ 8 bilhões recuperados em 2016, o total caiu para R$ 839 milhões este ano (uma queda de 90%) _ a mesma quantia gasta anualmente pelo governo federal só para custear a Controladoria Geral da União, um dos órgãos que cuida destes acordos.

Os tribunais de Contas da União e dos Estados, que deveriam zelar para evitar o desvio de bilhões de reais no esquema de corrupção público-privado montado há mais de 30 anos no Brasil, segundo o patriarca da maior empreiteira do país, Emílio Odebrecht, consomem outros R$ 10,8 bilhões por ano, pouco menos que o total recuperado pela operação e o que a Petrobras agora vai pagar de multa nos Estados Unidos.

Nada disso é citado nas festivas entrevistas coletivas da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, nem contestado pelos repórteres, na apresentação dos frequentes balanços da operação. Certamente, não vem ao caso.

É o caso de perguntar que fim levaram as delações do fim do mundo, que até hoje não mereceram um único julgamento de político com mandato denunciado no Supremo Tribunal Federal, com a honrosa exceção de Eduardo Cunha.

Só os 77 executivos da Odebrecht delataram 415 políticos de 26 partidos.

Os irmãos Batista da JBS confessaram que pagaram propina a 1829 políticos de 29 partidos.

Sobrou alguém? O que foi feito dos rigorosos inquéritos da Polícia Federal, do Ministério Público Federal e do Supremo Tribunal Federal para punir os delatados? Por que ninguém mais fala destas delações e não se tem notícia sobre o andamento dos processos?

Empreiteiros e agentes públicos delatores já estão em sua grande maioria cumprindo penas domiciliares em locais aprazíveis incomodados apenas pelas tornozeleiras.

***

Numa das crises do programa Casseta & Planeta Urgente, o diretor José Lavigne, ameaçado de demissão, entrou na sala de José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, criador e mentor do Padrão Globo de Qualidade, e foi logo reconhecendo o erro que havia cometido.

_ Eu vim aqui só pra te dizer uma coisa: fiz merda.

Boni não o chutou da sala, como conta Guilherme Fiuza, o autor da alentada biografia de Bussunda, que li agora nos dias de folga do fim de ano. E sacou um “inusitado raciocínio contábil”:

_ Olha, na verdade, eu não te demiti. Vi aqui que você acabou de renovar contrato. Se te demito, você recebe uma boa grana pra ficar à toa e ainda periga voltar pra cá. Vamos fazer uma coisa melhor: assina aí um cheque de 5 mil reais nominal à Casa dos Artistas. Se não doer no bolso, você não vai aprender.

Bem que os nossos heróis justiceiros da Lava Jato poderiam seguir esta lição do Boni: tem que doer no bolso.

Leitores aqui do Balaio sugeriram a mesma coisa neste rocambolesco episódio da prisão de Paulo Maluf, vinte anos após o crime cometido.

Em vez de prendê-lo na Papuda, aos 86 anos, alquebrado e doente, por que não o obrigam a devolver toda a grana que malufou dos cofres públicos? _ não com o dinheiro das suas empresas, mas do seu próprio bolso.

Os heróis justiceiros da Lava Jato deveriam pensar nisso. Em vez de gastar dinheiro público com réus presos, poderiam incrementar a arrecadação para combater o rombo fiscal. O Brasil só ganharia com isso.

Vida que segue.

 

 

19 comentários em “Lava Jato empobrece empresas, mas empresários continuam ricos

  1. Vamos por etapa, primeiro a lava jato não empobreceu nenhuma empresa, seus donos a empobreceram com falcatruas.

    Segundo quando olhamos a queda no faturamento, dessas empresas, e o número de demitidos, fica óbvio que os sócios/diretores, operavam em conluio com a classe politica..”vocês nos dão serviço e nós damos caixinhas para vocês”….tudo maquiado, emprego e faturamento.

    Terceiro quanto ao acordo da Petrobras, esta certíssimo, “com a justiça americana, não se brinca”,…. vai pagar pra ver?

    Por falar nesse acordo da Petrobras onde ficou a ética tão promulgada, no passado, pelo pete?, não era o partido digno de moralidade, de ética..e blá..blá?

    Não podemos esquecer que essa dívida com a justiça americana vem do “tresloucado” governo petista, que usou e abusou da Petrobras para fins eleitoreiros.

    Parabéns ao Pedro Parente pela excelente gestão, frente a Petrobras. Sinto falta do pete porque não conseguirei mais comprar petr a 6,00….numa péssima gestão, nesses casos, tem lá seus benefícios, só não podem ser duradoura rsrsrs

    1. Kkkkkk !
      É muito analfabetismo funcional !
      O PT realmente pisou na bola, sabe porque ?
      Porque botou dinheiro no bolso do povo, e não promoveu uma verdadeira melhora no nível da Educação e Cultura , coisa que vemos aqui com as sandices que vc escreve !
      Quer dizer que o governo do capo Temer acessorado por gente como esse Parente , que já foi governo na época do “grantucanato” e fez um monte de m… é uma maravilha , estão “refundando” ( ou não seria afundando ?) o Brasil!
      Essa é grande administração federal atual que hoje nomeia Cristiane Brasil ( filha do bandido Roberto Jefferson) aqui de minha Petropolis querida, e que é uma oportunista de 1a linha ( nunca fez nada que preste ) !
      Ora , o péssimo governo (sim,concordo !) de Dilma é uma maravilha perto dessa caca que está aí !
      E para coroar a sua ” cereja do bolo ” de ignorância : “com a justiça americana não se brinca !” eu apenas digo o seguinte : vivi nos EUA trabalhando na matriz de uma multinacional e não existe sistema corporativo-governamental mais corrupto no planeta !
      E o povo americano ( e a justiça faz vistas grossas porque é interesse nacional!)assiste isso como uns babacas porque tem o pão e circo do consumismo escroto !
      A nossa bandidagem ( sim, eu acho nossos políticos na sua maioria bandidos ! ) é fichinha perto da “Made in USA ” !
      Portanto , meu caro , menos , menos !
      Baixe a bola , leia mais !
      E caia na real !

      1. Eduardo Neves, com sua sabedoria você saberá me responder…

        Porque o lula com toda sua sabedoria e expertise em economia, não ajudou o governo dilma na maior crise já vivida por nós nas últimas décadas?..porque elle não evitou o desemprego bater a casa de 2 dígitos, no governo dilma?…porque elle não evitou a inflação bater a casa de 2 dígitos?

        Como pode a justiça brasileira condenar (caso do goleiro bruno)uma pessoa por crime sem ter o corpo da vítima?…, “sem prova”, não acha?, igual ao que querem fazer com o coitado do lula, não acha?

        Vendo o aiatolá do Irã dando declarações sobre as manifestações que ocorrem no país, dizendo que tudo era culpa dos americanos, não sei porque me veio a mente o maduro, o lula, o fidel,…enfim todos os populistas, o discurso é sempre o mesmo….”se deu certo somos os maiorais se deu errado a culpa é dos americanos” rsrsr

        Tenho certeza Eduardo que com sua sabedoria você irá me esclarecer essas dúvidas sem lero..lero

        1. Cara
          Ainda pensei que poderia por um milagre sair algum argumento concreto de sua cabeça , mas o problema seu , como tantos imbecis que aplaudem esse governo atual , é a falta de embasamento nas argumentações , a falta de noção do que falam , a falta de leitura , de cultura mesmo !
          Desisti de vc quando fala da “maior crise ( no governo Dilma ) das últimas décadas” ( Quanta ignorância – preguiça de leitura – ou não eras nascido no final dos anos 80 e nos extertores de FHC)!
          Outra coisa é esse papo de “populistas” que vcs da direita atrasada ( sim , porque não existe direita liberal – um Cláudio Lembro é ponto fora da curva – no Brasil ) insistem em qualificar e no fundo nem sabe o que é populismo ! Fidel populista = kkkkk !
          Então Roosevelt com seus programas de inclusão social ( bolsas famílias mesmo ) e intervenção estatal maciça na economia ( foi taxado de comunista pelos Republicanos – viu , já não estás sozinho na sua ignorância ) medidas que tiraram os EUA do buraco da Grande Depressão em 29 , era também populista?
          Aí não dá mesmo !!!
          Desisto de vez !!!
          Cresça e desapareça !( parafraseando o grande Geraldinho Azevedo e sua música maravilhosa ) .

          1. Você não tem respostas aos meus questionamentos, Eduardo?,
            você com toda sua “sabedoria” não consegue me responder?, encontrei mais um cheio de lero..lero?….Porque lula, seu mestre, com todo seu “expertise econômico”, culto como você, não salvou o governo dilma?….. rsrsrs

      2. “É muito analfabetismo funcional !”……….vendo seu “curriculum de urna eleitoral”, sabendo em quem você vota, e falar em analfabetismo …você é cômico de carteirinha, hilário !!! kkkkk

  2. Sobre a atualização. Que Kakay responda ele mesmo suas perguntas. Como bem citaste, defende políticos, é rico, só suas redes sociais, influente, está sempre no Supremo e Congresso. Ela vai defender os negros pobres que não podem pagar milhões de seus honorários? Caso não, que vá pra aquele lugar com sua demagogia.

  3. Não entendi o destaque ao Kakay, Kotscho. O fato de ser seu amigo não me impede de tecer algumas considerações sobre essa elite bacharelesca bilionária, notadamente especializada na defesa dos $uper ricos, os quais assentam a matriz de suas pessoas jurídicas em notórios paraísos fiscais, com o objetivo deliberado de (não) pagar impostos, em sua maioria. De outro lado, suas operadoras, as filiais, mamam vorazmente nas tetas dos subsídios, renúncias, desonerações, incentivos e anistias fiscais de toda ordem patrocinados pelos governos de turno. Vender a empresa modificaria tal situação? Absolutamente, não. Apenas mudaria das mãos de um super rico enrolado para outro super rico ávido por uma sopa de galinha morta oferecida na bacia das almas (como o Pedro Parente faz com a Petrobrás). Com dinheiro originário de que fontes são pagos os honorários advocatícios dos $uper ricos? Particularmente dos enrolados na Lava Jato e outras operações espetaculosas da PF&MP? Também não me foi possível saber onde termina a postagem do Kakay e começa a sua, Kotscho. Não é recomendável que se misturem os integrantes desse “círculo impermeável de poder e mando”, como diria Faoro no seu clássico Os Donos do Poder, com o jornalismo crítico, independente e calcado na verdade factual praticado por Você. No mais, o procurador em tela, claramente, pode até entender o bastante e o suficiente para operar o CPP, mas é de uma ignorância chã em matéria de macroeconomia, renda e emprego. Não há a menor dúvida de que não tem o menor sentido fazer operários irem para o olho da rua por conta dos malfeitos do empresariado conluiado às burocracias partidárias de alto escalão. E muito menos interromper o andamento de obras indispensáveis à infraestrutura da economia, que impactam centenas de milhares de pessoas e implicam uma relação custo/benefício ainda maior do que as decorrentes das falcatruas devido à dilação temporária no organograma de execução das obras. Ao que tudo indica, após meia dúzia de ratazanas obesas encarceradas – mas com penas aliviadas em dois ou três anos –
    os políticos e ministros de notório conhecimento voltam à cena como dantes no quartel de Abrantes. Alguém acredita na narrativa de que nada será como antes do “day after” à Lava Jato? Não são os mesmos personagens do filme dantesco anterior que permanecem comandando a cena política atual? Kakay não fica bem na foto ao posar de defensor dos despossuídos da terra, sejam negros, pardos ou brancos. Há milhões de desempregados despejados na rua e não se diga o contrário: indiretamente, sim, pelos efeitos da Lava Jato agravados dramaticamente pela desastrada condução da política econômica no último triênio por Levy (2015) e Meireles (2016/2017). Na vida existe só uma certeza para tudo que se faça ou se deixe de fazer: consequências há. Vê-se apenas um setor andando muito bem organizado no Brasil e apresentando um crescimento que desconhece a palavra crise: o “crime organizado”. Um ex-presidente do TCU chegou a dizer que no Brasil “o crime é organizado, o Estado não”. Não paira sombra de dúvida de que, nem a Lava Jato nem o Estado dispõem de instrumentos inteligentes, dotados de alguma racionalidade econômica, para lograr distinguir os malfeitos dos malfeitores. Há uma formidável lambança entre todos os segmentos envolvidos nas delações e leniências, com os órgãos de controle e os diferentes investigadores atuando mediante interpretações dissonantes e contraditórias. Sem falar na compulsão obsessiva por protagonismo midiático, mais do que evidente entre alguns delegados, procuradores e magistrados. Nesse lago nadam de braçadas largas os Kakays, costumeiramente remunerados por uma montanha de dinheiro de origem que, no caso dos réus da Lava Jato, vem a ser não plausivelmente induvidosa.

  4. CesarT, faz sim. O sentido da lei e do bom senso. A administração sabe o que foi feito nos USA e o potencial peso de futuras condenações lá. Não pagar não seria opção uma vez que impediria a Petrobrás de fazer praticamente qualquer negócio internacional.

    1. Acontece q essa ação não tem uma sentenca, pois nem foi julgada, e nada garante que outros grupos de acionistas façam o mesmo que o fundo “abutres”.

  5. Mestre, a luz dos fatos, não faz sentido a pergunta do procurador marqueteiro , “Por que eles não vendem?”, como, “um breve balanço dos resultados [NÃO] dá plena razão a Santos Lima…”, dado que empregos não fazem parte de sua preocupação e a pergunta embute solução adequada ao mundo Disney:
    Respondo-a, através de Fernando Brito – “Será preciso perder tempo dizendo que não vendem porque as empresas, metidas no imbróglio judicial e paralisados todos os seus contratos de serviço, perderam grande parte do seu valor? E que é muito melhor cortar, demitir, enxugar do que vender? E quem vai comprar? Os americanos, os chineses? (…) Aliás, só o que interessa ao Dr. Lima é por alguns na cadeia – e muitos têm mesmo de ir, porque corruptor é o executivo que faz a empresa pagar propina, não a pessoa jurídica.
    (…) 80% do dinheiro recuperado das empresas veio dos acordos de leniência que o Dr. Lima desdenha. Mas isso, claro, não vem ao caso.”
    Quanto aos valores recuperados e devolvidos, somam apenas R$1.475 bilhão, menos que a sexta parte dos quase US$3 bilhões ou R$10 bilhões, absurdamente acordados a toque de caixa com a justiça americana, relativo a uma das ações, que desinformados apressam-se em culpar o PT, quando fatos e documentos, escancaram e continuarão a escancarar, ao fim do período de exceção, ser fruto da atropelada Lava Jato e só possível graças a impensada e desnecessária abertura de ações da empresa na Bolsa de Nova York, por FHC, deixando-a a mercê de ataques de escritórios jurídicos especialistas em ‘pilhagem’, lá existentes, em conluio com ‘fundos abutres’.

  6. A indenização que a Petrobras vai pagar aos investidores estrangeiros se refere ainda à corrupção petista. Como se sabe, o PT e sua base aliada, cometeu um crime de lesa-pátria no esquema de corrupção oficial na estatal. Basta apenas lembrar que, só em subsídios para manter o preço dos combustíveis artificialmente baixo, a presidente Dilma estourou 40 bilhões de dólares.
    Ocorre que, no caso, a militância digital do PT está usando o esquema vulgar do ladrão que pratica o roubo e sai correndo gritando ‘pega o ladrão’ o que transforma a vítima em culpada.

  7. Vamos ao que disse hoje, tão logo foi anunciado o “acordo” com o Tio Sam, o advogado André Almeida que construiu o caso da ação contra a Petrobras associando-se a escritórios de Nova Iorque, assim faturando bem alto com as delações de Costa e Duque: ““Quero que a Petrobras pague proporcionalmente aqui o mesmo valor pago aos investidores americanos. Esses 2,95 bilhões serão a base de cálculo.”. Os aumentos da gasolina nas bombas tupiniquins têm razões que ultrapassam a cotação internacional do barril de petróleo. Advogados como André e Kakay ganham vinte por cento do valor das causas. No caso da Petrobras vão ganhar pelo menos três bilhões (bi, mesmo) de reais. Milton Leite diria…”Quiibeeleza!”.

  8. Para ilustrar a desinformados insistentes, o ‘Viaduto do Chá com bondes’ que Parente, o preposto entreguista na Petrobras, ‘comprou’ de ‘Fundos Abutres’, consorciados com escritórios jurídicos especialistas em ‘pilhar’ empresas ‘fragilizadas’, através da justiça americana, sabe-se hoje serem meia dúzia os ‘Abutres’ aquinhoados com praticamente todo o valor dessa incrível ‘venda’ e pasme, Mestre, nenhum possuía mísera ação da Petrobras antes das ocorrências, compraram-nas de terceiros, para armarem a ‘pilhagem’ jurídica.
    Quanto a situação financeira da Petrobras, para que ‘pinóquios’ inconsequentes não repliquem fakenews, recordemos que, em média, durante o último governo FHC , o lucro líquido da Petrobras foi de R$8 bilhões, nos governos Lula e Dilma, mais de R$25 bilhões até 2013, em 2014, primeiro ano lavajateiro expondo a Petrobras, prejuízo de R$21,6 bilhões, em 2015, segundo ano, prejuízo de R$34,8 bilhões, em 2016, terceiro ano, prejuízo de 14,8 bilhões e em 2017, quarto ano lavajateiro, em declínio, lucro de R$5 bilhões.
    ‘Contra fatos não se briga’, né, Mestre?

  9. Caro Kotscho,

    Kaká faria melhor não prestando tanto serviço a bandidos notórios feito Paulo MaluF do que apelando à caridade do leitor com retratos da nossa desgraça social. Será que o advogado alguma vez se debruçou genuinamente sobre nossas mazelas sociais, deu horinhas suas a alguma ong ?
    Me desaponta, caro colega do Sta Cruz, vc promover piedade artificial, isso tende a turvar a leitura da população em tempos de julgamento dos empreendedores da corrupção.
    Quanto ao acordo da Petrobrás, que ofereceu US$ 3 bi, a SEC dos gringos noã brinca em serviço, nossa vulnerabilidade era algumas xs isso.
    Abraço

  10. O jornalismo brasileiro que deveria ser o grande questionador e crítico dessas práticas, ao invés disso, tornou-se quase que assessor de imprensa da lava jato e alguns políticos. Os jornalistas deixaram de fazer jornalismo, com raras exceções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *