Boulos, Manuela e Marília: as caras da nova esquerda

Boulos, Manuela e Marília: as caras da nova esquerda

Nada como um dia após o outro, com uma noite no meio. O vento virou novamente, apenas dois anos após a onda bolsonarista que varreu o país, e logo virou uma marolinha. Relacionadas Eleição era um dia de festa, alegria, luta e esperança. E voltará a ser Fora de controle, isolado e rejeitado, quem segura Bolsonaro? Em São Paulo, Porto Alegre e Recife despontaram as novas caras da esquerda, três políticos jovens da geração pós-68, com a idade das minhas…

Leia Mais Leia Mais

Eleição era um dia de festa, alegria, luta e esperança. E voltará a ser

Eleição era um dia de festa, alegria, luta e esperança. E voltará a ser

Ao convocar os 150 milhões de brasileiros aptos a comparecer às urnas para votar neste domingo, o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, lembrou que “era triste o tempo em que não tínhamos esse direito”. Para um país que ficou mais de duas décadas sem poder votar para presidente, o dia da eleição era uma festa, com muita música, bandeiras e crianças cantando o jingle dos candidatos, um belo ritual de renovação de esperanças, em que todos se sentiam…

Leia Mais Leia Mais