AI-5 do Guedes e licença para matar sem punição: a escalada do nazifascismo

AI-5 do Guedes e licença para matar sem punição: a escalada do nazifascismo

Entregue a um bando de vândalos alucinados, o Brasil deve ser o único país do mundo em que, neste momento, o governo, e não a oposição de descontentes, procura provocar uma convulsão social.

Nos países vizinhos, é o povo que sai às ruas para protestar contra o governo; aqui, é o governo que, numa escalada nazifascista, quer provocar a oposição para uma guerra nas ruas.

Em Washington, na segunda-feira, onde foi prestar contas ao mercado, Paulo Guedes, o ministro da Economia, chamado de Posto Ipiranga, resolveu jogar gasolina na fogueira ao afirmar:

“Não se assustem se pedirem o AI-5”.

Quem deve se assustar? Nós ou os especuladores? E quem vai pedir o AI-5?

Do nada, ao comentar a conflagração institucional em países da América Latina, Guedes disse que era preciso “prestar atenção na sequência de acontecimentos nas nações vizinhas para ver se o Brasil não tem nenhum pretexto que estimule manifestações do mesmo tipo”.

Pretexto, como assim? Quem está em busca de pretexto para colocar as tropas na rua é o capitão-presidente Bolsonaro, ao conceder licença para matar a policiais e militares nas operações GLO (Garantia da Lei e da Ordem) contra manifestações nas cidades e ocupações de terra no campo.

No mesmo dia, Bolsonaro anunciou que a União pode recorrer às GLO para reintegração de posse em área rural e disse que “certos protestos de rua acabarão” se for aprovado o excludente de ilicitude (licença para matar sem punição) para militares e policiais.

Que protestos de rua eles estão vendo, aonde?

A única grande manifestação nos últimos meses no Brasil aconteceu domingo, durante as comemorações do Flamengo no Rio, que terminaram num campo de batalha, quando a PM do governador neonazista Wilson Witzel começou a atirar bombas de gás e spray de pimenta na multidão em festa.

Assustado com a libertação do ex-presidente Lula, o banqueiro Paulo Guedes está vendo fantasmas para justificar a repressão que o governo já vem ensaiando.

“Chamar o povo para a rua é de uma irresponsabilidade. Chamar o povo para rua para dizer que tem o poder, para tomar. Tomar como? (…) Não se assustem então se alguém pedir o AI-5. Já não aconteceu uma vez?”

Lula é o objeto oculto das ameaças de Guedes à democracia em parceria com o capitão presidente que levou 2.500 militares para o governo.

Como não há nenhum protesto previsto pelos partidos de oposição, quem está chamando o povo para a rua são os que já se encontram no poder, destruindo a economia nacional e acabando com os direitos dos trabalhadores e aposentados.

A reação ao destempero beligerande de Paulo Guedes foi imediato, enquanto o dólar disparava e a Bolsa caía.

O presidente do STF, Dias Toffoli, alertou o ministro que “o AI-5 é incompatível com a democracia. Não se constrói o futuro com experiências ultrapassadas no passado”.

“Um governo de covardes, sob todos os aspectos”, reagiu Fernando Haddad, ex-presidenciável do PT.

Pelo Twitter, Lula foi direto ao ponto:

“Vamos deixar uma coisa clara: se existe um partido identificado com a democracia no Brasil é o Partido dos Trabalhadores. O PT nasceu lutando pela liberdade e governou democraticamente. Não fomos nós que elegemos um candidato que tem ojeriza à democracia”.

Estão botando chifre em cabeça de cavalo enquanto adestram suas “SS” nativas para impedir que o povo manifeste sua indignação e revolta contra tudo o que está acontecendo no país.

Querem governar pelo medo, como aconteceu na Alemanha e na Itália nos anos 30 do século passado, quando o mundo também demorou para se dar conta dos perigos que estava correndo.

É assim que os regimes totalitários começam, semeando o terror para combater os inimigos.

Quanto mais fraco o governo, quanto pior é a situação do povo, mais eles se sentem emponderados para se apresentarem como salvadores da pátria.

Nem originais eles são. Esse filme é velho, do tempo do cinema em branco e preto.

Só uma coisa é certa: desse jeito, dias piores virão, antes que o país restabeleça a plena democracia e o Estado de Direito.

Com o trio sociopata Jair Bolsonaro, Sergio Moro e Paulo Guedes solto por aí, corremos o risco de um retrocesso sem precedentes.

Espero estar errado.

Vida que segue.

 

22 thoughts on “AI-5 do Guedes e licença para matar sem punição: a escalada do nazifascismo

  1. O posto Ipiranga agiu taticamente com o propósito deliberado de inquinar o ex-presidente como responsável pela tensão política que dormita no subsolo da sociedade desde 2018.
    A tendência natural será uma escalada ainda maior do campo fascista para pautar o ex-presidente como candidato da desordem, da volta da corrupção e da crise econômica e financeira provocada por Dilma.
    Evidentemente, trata-se de aumentar a temperatura da radicalização ideológica que tem sido o tempero político que mais impulsionou o arauto da tortura chegar ao Planalto na esteira da exploração do antipetismo generalizado.
    Se o ex-presidente desde a AP470 era o verdadeiro alvo, agora então será o único objeto dos movimentos do bloco no poder inspirado nas taras da extrema direita e do dinheirismo da direita nativa.

    1. Um registro.
      Quando Dilma decidiu substituir Joaquim Levy, logo após o executivo indicado pelo Bradesco haver liderado a guinada radical à direita da formidável “gerente” e “mãe do PAC”, pouquíssima gente tem conhecimento de uma atitude da ex-presidenta.
      Dilma jamais deu um pio sobre suas conversas sobre a economia brasileiro com nada menos do que o “Posto Ipiranga”, segundo sugestões acatadas de Kassab e Afif, então homens da base de apoio do seu governo em crise.
      É suficiente o registro para diagnosticar o quanto o dilmismo-petista esteve bem próximo da direita e da extrema-direita. O que levou ao afundamento sem fundo do espectro da esquerda popular, progressista e democrática no país.
      Lula e Dilma cometeram erros crassos que pavimentaram a escalada da extrema-direita.
      Até o momento, os sinais não são suficientes para garantir que aprenderam com a magnitude e gravidade de seus erros.

      1. Qual é a ‘fonte’ do registro referente à presidenta Dilma? Parece-me bastante improvável que ela tenha dialogado com alguém da estirpe do posto Ipiranga adepto da Escola de Chicago.

        1. Karla:
          Tudo aconteceu alguns dias depois do processo de impeachment da ‘presidenta’ ter sido aberto, em meados de dezembro de 2015. A conversa aconteceu a pedido de Dilma e foi testemunhada por Jacques Wagner.
          Talvez seja essa razão pela qual Brizola dizia e reafirmava que “O PT é a esquerda que a direita gosta”.
          O texto é alongado mas a reportagem é ótima, com a assinatura de Malu Gaspar na Piauí.
          Karla, confesso que também fiquei estupefato e tive a mesma sensação. Afinal, depois de Levy, que já era um estrupício, ainda querer ouvir um especulador do mercado financeiro, é mesmo muito estranho e parece improvável; todavia é real. Igual ao “bolsonarianismo”: parece pesadelo, mas é real! Demasiado real.
          O triste e lamentável é que a esquerda e o PT, juntamente com os demais partidos, supostamente em oposição ao ‘bolsonarianismo’, continuam abusando do palavrório e do nhenhenhém.
          Acuados e no corner do ringue, em torno do Lula Livre da Silva, cujo processo de criminalização está a anos luz de ser concluído.
          O Judiciário como um todo – o poder mais tutelado pela Casa Grande -, não cederá à Senzala, como se viu no recente julgamento do TRF-4 que agravou a penalidade imposta pelo juiz que prevaricou para ser ministro.
          Ao contrário do exemplo de Evo Morales que nem processo judicial tinha e sabiamente asilou-se no México, sabedor do que a elite boliviana seria capaz de fazer com ele, Lula rendeu-se à república curitibana cometendo seu segundo erro crasso, porque o primeiro foi aceitar o segundo mandato de Dilma, que nem deveria ter merecido o primeiro pela sua sabida inépcia política e parlamentar.
          Quem tiver dúvidas sobre a sábia decisão de Evo Morales, que assista “Salvados” no Netflix: a melhor entrevista de Morales antes do auto exílio e asilo político mexicano.
          Karla, segue o link da ‘fonte’:
          https://piaui.folha.uol.com.br/materia/o-fiador/

          1. Li a matéria da Piauí. Inacreditável, porém real.
            Vi a entrevista do Evo. Ele conhecia a elite boliviana. Chegada a hora H não teve dúvida ao decidir pelo asilo político mexicano. Grata.

  2. Sangue, balas, prisões, fogo em carros, ataque a vitrines e a policia hoje nas ruas de Paris. Aniversario dos coletes amarelos.
    A democracia passa longe.
    A midia nao da destaque algum. a francesa ali mesmo, a inglesa e alemã ali a umas centenas de quilometros preferem mostrar com alarde só os de HongKong, ligeiramente mais distantes.
    A cumplicidade canalha da midia presstituta.
    O nome apropriado é esse mesmo.

  3. Prezado Kotscho: O terror de estado já está batendo na nossa porta faz algum tempo nesse ano de 2019. Ou o Congresso fecha o governo com um reforma política já ou o governo fecha o Congresso com uma ditadura extremada já. Essa segunda possibilidade, pelo cheiro da brilhantina, está mais próxima de vingar. Até o Chicago Boy do Posto Ipiranga voltou a falar explicitamente em AI-5. Quando é que as esquerdas e as forças democráticas vão se juntar e partir para as ruas, com uma pauta única e organizada, para pressionar o Congresso e provocar uma ruptura com esse governo fascista? Na minha modesta opinião, essa pauta única para uma reforma política já, deveria conter: processo para a cassação da chapa presidencial militar eleita; cláusula de barreira para os partidos; eleição geral para todos os cargos eletivos (presidente, governadores, senadores, deputados federais e estaduais, prefeitos e vereadores), coincidindo com o calendário eleitoral de 2020 para mandatos de cinco anos, sem reeleição. “Um sonho sonhado sozinho é um sonho. Um sonho sonhado junto é realidade.” (Yoko Ono).

  4. Se deles, Guedes e cia, não se poderia esperar algo diferente (já que são inúmeros e inesgotáveis, vamos chamar todos os urros da caverna de “x”), qual mesmo o motivo para o PSDB todinho fugir da responsabilidade histórica de escolher entre a barbárie e a civilização no último pleito? “Não concordamos com ambos, com o Nazismo e com o desdobramento da República de Weimar, deixemos assim que predomine qualquer um”.
    Pensando na entrevista de FHC para a BBC, fica a pulga atrás da orelha: juntos, PT e PSDB, teriam provavelmente sido derrotados, mas o bloco perdedor marcaria, e não seria pouco, o sinal distintivo da civilização em comum temporariamente suspensa, compartilhada em revezamento nestes anos recentes nos três âmbitos da união: federal, estadual, municipal. Mesmo um intelectual percuciente como Fernando parece não conseguir livrar-se daquele enquadramento falsamente antitético: o país estaria polarizado entre dois populismos. Tarefa da esquerda: antes de pensar em chegar ao poder em 2026 (lutar pela vitória em 2022 é maluquice, temos ao contrário que somar forças para superar o retrocesso), caberia desmontar duas falsas polaridades: PT vs Bolsonaro (só é polaridade no esquema civilização vs barbárie); PT vs PSDB (um e outro formam no seu conjunto fraturado a civilização perdida).

  5. O retrocesso político já é um fato consumado. Caso não queiramos que ele se instale de uma vez por todas com as baionetas nos guiando, o caminho, literalmente, é a rua. A rua é o tribunal que devemos recorrer para voltarmos a ser um país democrático. Não há mais tempo a perder.

  6. Uma grande piada Kotscho.
    Caberia perguntar se o Exército e a Polícia estariam de acordo com tamanha excrescência de um atual AI-5.
    Não passa de uma baboseira por puro medo incontido da oposição. Senão dizer, medo maior do Povão.
    Falta de serenidade e criatividade está dando nisso aí.
    E claro que o Exército jamais tomará qualquer posição contra o Povão.
    Mais fácil acontecer uma botinada provinda do Jaburú.
    Mas deixando as baboseiras de alguns de lado, vamos fincar posição na defesa da democracia. É isso que importa. O Povão mesmo se encontrando em paz.

  7. A fala publica de hoje do energúmeno do planalto sobre nosso indios;
    A aprovaçao agora de novos agrotóximos, cumulativa hoje em 439; (quatrocentos e trinta e nove)
    A MP da taxaçao do desemprego;
    A mudança do instituto que aplica o exame de admissão aos candidatos a diplomata;
    O aumento sequencial da gasolina – sem que aumente nada o diesel;
    A prisão arbitraria de quatro inocentes no Pará;
    O aumento da condenação do presidente Lula pelos ideologos togados de POA
    A contemporizaçao continua da Midia sobre estas e mais algumas manifestaçoes de barbárie…
    Então vamos logo a verba do orçamento para a SS extrapartidária que o capitão está criando. Nao precisa mais de disfarces.

  8. Alguém avisa o lula que não se faz mais política no palanque numa praça ou na avenida Paulista. É rede social o canal por onde se comunica com a massa. Alguém diz ao Lula pra ele parar de dizer que acredita na justiça. Esses petistas fazem política há 40 anos e não percebem o óbvio? Eles querem o lula falando pra terem o motivo de dar o golpe porque a ladainha de recuperação da economia é só mentira. Alguém acreedita em números desse governo? Eu nao acredito. Lula, vai embora pra Paris com a tua noiva e teus filhos. Lá tu serás bem tratado e terás asilo político. Script aqui já está desenhado.

  9. Não é “governo de covardes”,Hadad. Parece mais um bando de malucos,fugitivos de algum hospício,em que guardas desavisados bobearam na vigília.A sessão do congresso sobre o impedimento foi o prenúncio desta abominação.

  10. Olá Kotscho. Sei que a minha questao é totalmente fora de contexto, mas vc tem alguma notícia do Enio? nao sou amigo e nem o conheco pessoalmente, mas eu gostava dos posts dele e a forma como ele gerenciava a doenca degenerativa dele. Abraco.

  11. Amigo Kotscho

    O AI-5 é hoje o álibi dos milicianos para endurecer o regime fascista do capitão.
    Repetido em prosa e verso, idolatrado por pessoas que sequer sabem o que representa esta anormalidade política, o AI-5 representa a fase mais negra e obscura da história brasileira.
    Enquanto os debates inócuos atolam as redes sociais, o governo prepara a intervenção militarizada nas cidades e no campo, através da Garantia da Lei da Ordem (GLO).
    Os fascistas espalham o medo, receio que sempre é vociferado por ameaças vindas das entranhas dos quartéis.
    Os algozes da tragédia humana provocada pelo AI-5 não foram punidos.
    A esquerda chegou ao poder, mas foi temerosa ao julgar os crimes cometidos.
    O álibi dos fascistas sempre foi justificar o injustificável.
    Em 1975, na época da morte do jornalista Vladimir Herzog, em outubro, vários companheiros de profissão foram presos sob falsas acusações. Enquanto isso, a Polícia de São Paulo fazia chegar às Redações que as prisões aconteciam porque os presos denunciavam colegas jornalistas em seus depoimentos.
    Os jornalistas ficaram em polvorosa e se transformaram em verdadeiros “Ubaldo”, o paranoico, criação do cartunista Henfil que, com seus traços inconfundíveis evidenciavam o medo do engajamento político.
    A situação merece mais do que tergiversar nas redes sociais.

    Ulisses de Souza

  12. Arriscaria pedir ate às entidades negras e afro no Brasil, aos artistas de todas as cores , ao Oludum e baianos todos – que pensem e montem de imediato uma reação de norte a sul, organizada mas implacável contra o mais novo capitão do mato, Sergio Nascimento – outro sérgio, pois sim,- da Fundação Palmares.
    A bola esta com eles.

  13. Depois de sairem correndo para homenagear sem êxito Bolsonaro em NY, com gritinhos de entusiamo puxa-saco, percebidos e rechaçados em boa hora pelos democratas da cidade que nunca dorme diante dos ditadores, agora vão formar platéias de “empreendedores” deslumbrados com o discurso que junta AI-5 com desmontagem predatória do estado, confisco de direitos e taxação dos desempregados.
    Quando se pensa na urgência de responsabilidade pública nas iniciativas neste campo, a resposta é mesmo decepcionante: Helite, privada. Precisamos de uma outra elite com projeto nacional e compromisso com a democracia. A que está aí acha um bom negócio fechar tudo e abrir o estado para a rapinagem conhecida. Capaz de defender a tortura aqui e posar de gente séria em Wall Street! Não vão mais deixar, aposto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *