Querer comparar Lula a Bolsonaro é como equiparar Obama a Trump

Querer comparar Lula a Bolsonaro é como equiparar Obama a Trump

“Dividir por dois e polarizar, na esperança de que isso torne as coisas fáceis, é uma distorção cognitiva. Na prática, as dicotomias alimentam simplificações falsas e complicam ainda mais o cotidiano” .

(Sergio Vilas-Boas, pensador e escritor).

***

Em marcha batida a caminho da irrelevância, a capa revista Veja desta semana com o título “A era dos extremos” desfralda novamente a bandeira da “terceira via” para enfrentar a “polarização entre Lula e Bolsonaro”.

Nada de novo. Já fizeram a mesma coisa na campanha eleitoral do ano passado em busca de um “candidato competitivo” para enfrentar “os dois extremos”.

Sem encontrá-lo, já que todos foram ficando pelo caminho, embarcaram na aventura bolsonarista para derrotar o PT.

Deu no que deu.

A libertação de Lula, há uma semana, deixou tão irados os defensores do “centro” (leia-se tucanos, centrões e adjacências) que eles perderam qualquer racionalidade nos seus argumentos para combater o líder petista.

Outra vez sem candidato eleitoralmente viável, investem em “novos nomes” como Doria, Huck, Moro e até Amoêdo (quem?), sabendo que eles todos juntos não têm a menor chance de chegar a um segundo turno.

Colocar Lula e Bolsonaro juntos no mesmo balaio de extremos, como se fossem duas faces da mesma moeda, é algo tão cretino e irreal como querer equiparar Obama a Trump e responsabilizar o estadista democrata pela eleição do fanfarrão republicano.

Não há como comparar os “dois extremos” em nenhum campo, sob nenhum aspecto, correndo o risco de cair no ridículo.

Para começar, Lula nunca foi de extrema esquerda e fundou um partido popular vindo das bases, ao contrário de Bolsonaro, que está criando de cima para baixo um partido para a extrema-direita furiosa nos moldes da Arena, o partido da ditadura militar.

“Lula e Bolsonaro não são equivalentes. O populismo de Bolsonaro é excludente e anti-democrático, e o de Lula constrói um “povo” inclusivo e democrático”, ensina o economista e professor Thomás de Barros, doutorando em Teoria Política e Psicanálise na Sciences Po Paris.

Vale a pena ler a entrevista que Barros concedeu hoje ao Estadão para entender melhor essas diferenças fundamentais.

Opostos em tudo, basta lembrar um abismo que existe entre os dois: enquanto Lula defende a democracia e os direitos humanos, Bolsonaro é um defensor da ditadura e da tortura.

Obama e Lula são dois estadistas respeitados em todo o mundo, após oito anos de governos que combateram as desigualdades sociais.

Trump e Bolsonaro assustam o mundo com suas posições radicais, governam pelo Twitter e provocam conflitos em lugar de defender a paz.

Sei que não adianta escrever nada disso para quem vê a política como um instrumento de guerra para combater os inimigos reais ou imaginários em clima de permanentes conspirações.

Mas é desonesto usar o espaço na velha ou nas novas mídias para mentir aos leitores e internautas em busca de audiência fácil, falseando a verdade factual.

Restam no Brasil meia dúzia de jornalistas que ainda vivem nos tempos da Guerra Fria e fazem do combate ao PT e a Lula um meio de vida, uma razão de existir.

É falsa essa polarização que estão criando criar entre “dois extremos”.

Só temos um extremo, o de Bolsonaro e, enquanto não encontrarem um candidato da “terceira via”, vão continuar batendo no melhor presidente brasileiro de todos os tempos, segundo todas as pesquisas.

Lula não vai entrar nessa dividida, por mais que provoquem.

Se alguém ainda tiver dúvidas, vá ao Recife ver o Festival Lula Livre, com a presença do próprio, hoje, no Recife.

Lá, vai encontrar um Brasil que luta para defender suas conquistas e resgatar as esperanças de viver em paz, com emprego, saúde, educação e comida na mesa.

Acima de tudo, luta para defender a liberdade reconquistada com muitos sacrifícios, depois de mais de duas décadas de ditadura.

O sol está voltando a brilhar, já dá para respirar melhor e deixar a tristeza de lado.

Bom domingo, bom almoço.

Vida que segue.

 

9 thoughts on “Querer comparar Lula a Bolsonaro é como equiparar Obama a Trump

  1. Perdeste a noção??? Falta apenas elogiares os Clinton como exemplo de democracia e humanismo!!!!!
    Pelamordedeus……não existe mais esquerda no mundo? Não existe mais a idéia do que seja direito universal?
    Obama antítese de sociopata ?? Falta chamar Hillary e Bill de anjos.
    Preciso pedir ajuda a Satanas porque depender da “inteligencia ” dessa “esquerda intelectual” entendo porque milhões se ajoelham diante de Edir Macedo!
    Edir Macedo…..meu novo Messias

  2. Pouco interessam as comparações, exceto aos próprios partidos e suas principais lideranças, que buscam polarizar-se para popularizarem ao máximo a bipolarização suficiente a levá-los ao segundo turno.
    Há uma questão, contudo, que deveria chamar a atenção do lulopetismo, se pretenderem um desfecho histórico diferente de 2018, em 2020 e especialmente em 2022.
    A última pesquisa disponível procurou uma medida da percepção popular para os responsáveis pela crise que assola a população desde 2015.
    Perguntados sobre quem eram os maiores responsáveis pela situação crítica do país, mais da metade apontou o dedo para as administrações petistas, com Dilma Rousseff liderando folgadamente o quesito.
    O PT e Lula têm enormes problemas para resolver, não apenas em sua agenda futura, mas também com o memorial descritivo do dilmismo, que ainda pesa como um fardo na lembrança coletiva de acordo com os marcadores qualitativos de opinião.
    O desastre do presidente apaniguado pelas milícias armadas e virtuais não será suficiente, por si só, para criar uma conjuntura eleitoral distinta daquela que sufragou o autoritarismo no poder.

  3. Obama além de ‘trair’ o povo americano com o grande bail out de 2008, é também um criminoso da guerra e único presidente da história americana que sustentou dois mandatos inteiros em conflitos…e é ele que hoje cinicamente pede para os candidatos democratas oferecerem menos transformações para a população…..Trump até então tem minguado potenciais confrontos e até a presença militar dos EUA pelo mundo, e mesmo que de forma farsesca ele se elegeu justamente em cima do abandono que a classe popular americana sentiu depois de 2008.

    Nada disso tem a ver com o Lula, ainda bem… agora que interlocutores progressistas continuem assim numa bolha, isso tem …

  4. Prezado Kotscho: Já deu para perceber, somente pelos telejornais das grandes mídias familiares, que “enquanto não encontrarem um candidato da “terceira via”, vão continuar batendo no melhor presidente brasileiro de todos os tempos” e também vão usar aquela surrada tática de colocar um contra o outro, para desgastar os dois e, assim, apresentarem nesse cenário, que chamam de polarizado, o tal candidato de centro que tanto querem. Estão fazendo isso descaradamente. “Se você não cuidar, os jornais farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo.” (Malcolm X).

  5. Mestre, por falar em comparação, sabe quando a gente pensa que já viu tudo e então lá de Araçatuba, interior agro-pecuário de São Paulo, surge link sobre o minguado protesto de ontem contra o STF e prova que não é bem assim:

    https://twitter.com/jairmearrependi/status/1196132476365819905?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1196196804708184070&ref_url=https%3A%2F%2Frevistaforum.com.br%2Fpolitica%2Fo-brasil-descobriu-um-pre-sal-de-constrangimento-diz-duvivier-sobre-ato-por-impeachment-de-gilmar-mendes%2F

    E que a loucura não para nessa ‘marcha das loucas soltando as frangas’, ao revelar-se o local onde essa pato-insanidade amarela ocorreu, conforme link abaixo:

    https://www.instagram.com/p/B4-dqCBngn7/?utm_source=ig_embed&utm_campaign=embed_video_watch_again

    Enquanto isso, lá em Recife…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *