Sem partido, sem OCDE, sem aliados, Bolsonaro está cada vez mais perdido

Sem partido, sem OCDE, sem aliados, Bolsonaro está cada vez mais perdido

De nada adiantou rastejar diante de Donald Trump como um gandula diante do ídolo.

Até agora, Bolsonaro, ou melhor, o Brasil só perdeu com essa paixão pelos Estados Unidos.

Escanteado na prometida entrada do país na OCDE, o capitão-presidente só tem colecionado derrotas em seus nove meses de desgoverno alucinado.

Ao rifar seu próprio partido alugado para fazer a campanha, Bolsonaro corre o risco de ficar isolado no Congresso nas mãos do Centrão de Rodrigo Maia.

Na política exterior, o governo é um completo desastre, errou todas as fichas.

Na Argentina, em Israel e nos Estados Unidos, seus principais aliados estão correndo sério risco de perder o poder e o capitão pode ficar com a brocha na mão.

Festejar o leilão do pré-sal pode ser muito bom para um governo falido, nas mãos do posto Ipiranga, mas é extremamente ruinoso para o país.

Estão entregando tudo de mão beijada para cobrir os rombos e, no final da festa de arromba, sem ter mais o que vender, vão ficar pelados na esquina pedindo esmolas para o FMI, como a Argentina ou o Equador.

Ainda não viramos uma Venezuela, mas não falta muito.

Logo o país cairá na realidade de que a tal reforma da Previdência, assim como a Trabalhista, não só não devolverá os empregos, como vai tornar ainda mais inviável a sobrevivência de trabalhadores e aposentados.

Assim como a Lava Jato não acabou com a corrupção, mas com a economia, a grande farsa da “nova política” da extrema direita selvagem está levando o Brasil bovinamente para o buraco.

Só os especuladores do mercado, as guildas corporativas de fardados e togados e a mídia chapa-branca estão se dando bem neste governo.

Em apenas nove meses, caíram todas as máscaras e o brasileiro que acreditou nessa mentira se vê diante do espelho como um trouxa que está vendendo o almoço para comprar o jantar e ainda gritando “Mito!”

Nada mais funciona, um desastre no meio ambiente sucede a outro na mesma semana, o processo de desindustrialização avança, junto com a fome e a miséria que voltaram a grassar por toda parte, milhares de famílias descartadas nas ruas das grandes cidades.

Logo vamos ter que fazer uma horta no quintal para comer e criar umas galinhas, se não venderem também o quintal.

Os predadores têm pressa porque sabem que a casa está caindo e não há nada para colocar no lugar.

Os militares já conseguiram tudo o que queriam e se recolheram em obsequioso silêncio para não perder as boquinhas.

Doria, Witzel, Huck e outros do gênero já brigam pelo espólio bolsonariano, que não quer largar o osso diante da cachorrada faminta.

Chegamos ao final de mais uma semana sem nenhum sinal no horizonte de reação da sociedade civil diante de tanto descalabro.

Sem governo e sem oposição, o Brasil parece tão perdido como seu presidente.

Para onde vamos?

Depois de declarar guerra ao mundo na ONU, o inominável resolveu brigar também com o Papa, o Vaticano e a Igreja Católica para agradar a família e seu rebanho neopentecostal, alimentado pela fábrica de fake news nas redes sociais, que o Judiciário se recusa a investigar.

Semana após semana, o nosso STF vai adiando decisões importantes para colocar um pouco de ordem na terra arrasada, que coloca em risco a própria democracia e o Estado de Direito.

Gostaria de desejar um bom fim de semana a todos, mas está difícil.

Como hoje é sexta-feira, agora vou almoçar com velhos amigos, tomar uma cerveja e esquecer um pouco essa tragédia que se abate sobre todos nós.

Eu sei, escrever é preciso, mas não basta. Às vezes, acho até inútil.

Todo mundo já sabe o que está acontecendo, mas ninguém reage e vamos nos afundando cada vez mais, leiloando o futuro dos nossos filhos na bacia das almas.

Vida que segue.

 

9 thoughts on “Sem partido, sem OCDE, sem aliados, Bolsonaro está cada vez mais perdido

  1. Está difícil mesmo caro Kotscho, discordo em um detalhe com vc, não encontro com facilidade quem votou nesse idiota com arrependimento, pior que tem gente que defende e acha que o país melhorou, e não está melhor por conta do PT.

    1. Pior que eu fiz essa besteira. Arrependidíssima. Minha família, também. Só que a maioria é orgulhosa, dona de nariz empinadinho, já deu até briga. Pronto falei. O Balaio é ótimo, alerta e ensina a gente. Agradeço muito.

  2. Prezado Kotscho: É a mais pura e dura verdade que a “extrema direita selvagem está levando o Brasil bovinamente para o buraco” e para o apartheid ambiental. Esse governo fascista nunca se incomodou e está se lixando para o desastre de Brumadinho, as queimadas na Amazônia e o derramamento de óleo nas praias do nordeste. “Que nunca, nunca, nunca mais esta bela terra experimente novamente a opressão de um pelo outro e sofra a indignidade de ser a escória do mundo. Que a liberdade reine!” (Nelson Mandela).

  3. A estupidez venceu, levou o Brasil consigo. Só não somos o país mais ridículo do mundo neste momento porque os EUA, centro de toda atenção, tem Trump. Que dobradinha na América! Presidentes auto-explicativos ao extremo: a melhor e mais exaustiva crítica não teria mais nada a mostrar, eles simplesmente excedem a avaliação mais pessimista, o prognóstico mais aterrador, vão além do mais sombrio dos cenários.
    Daí a sensação de impotência absoluta: mesmo a tentativa vergonhosa, com uma espionagem de estado desajeitada e ilegal, de macular a imagem do seu opositor mais forte, pode não levar ao impeachment; mesmo a comprovação, por todos os lados, da manipulação jurídica, midiática e religiosa das últimas eleições brasileiras não tem ainda o poder de levar vergonha na cara aos “enganados”. Vergonha na cara de quem insiste em ser coerente até o fim com a pior escolha possível já feita para o futuro dos seus próprios filhos. “Acabei com o teu futuro, filha, viciada que estava em MORALINA purificada”.
    O herege maior dos intolerantes nativos, ao mesmo tempo que reconhecido como o mais importante líder popular desde Mandela, foi condenado sem provas pelo futuro ministro da justiça da pior extrema direita do planeta. Respeitado mesmo entre setores dos republicanos, Biden iria ser sacrificado também no mesmo mote da corrupção como mácula só para os inimigos.
    Lá, o amor próprio da mídia está de volta em todos os lugares, menos na Fox. Aqui, Moro ainda é herói de quem sonha em ser Washington Post e NYT, mas acorda com uma voz cada vez mais parecida com os âncoras do Trump. Hora de acordar com outro despertador.

  4. Pra cair nos pés sujos de Doria, Witzel e Caldeirão, juro de mãos limpas: prefiro o Padre Marcelo, puro, inocente e meninão de fé.
    A cor da “opusição”. Ou, a besta do apocalipse e mitomaníacos farão estrago maior.
    A direita, entre nós, está em festa. Terrinha de bestas redondas e banqueiros insanos terraplanistas.
    Estes faturaram no primeiro semestre 60 BILHÕES DE REAIS. Quase este número de miseráveis no Brazuela e o desgoverno faz de conta que não sabe.
    Aliás, a única coisa que faz. Brazuela? Credo, é demais. Alguém tá perdendo o trem.
    É o último que vem nos trilhos, apitando na curva da Serra da Esperança.

  5. Excelente análise do cientista social e político Alberto Guerreiro Ramos, inédita (registrada há meio século) sobre o período precedente ao golpe de 64.
    Vale a pena a leitura. Segue o link.
    Uma passagem merece crédito especial: o exercício da presidência “é incompatível com a incontinência verbal”.
    Antes fosse apenas a “verbal”.
    https://insightinteligencia.com.br/arquivos/229

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *