Levanta a mão quem ainda apoia Bolsonaro, o pior presidente de todos os tempos

Levanta a mão quem ainda apoia Bolsonaro, o pior presidente de todos os tempos

Fora motoristas de táxi, policiais, milicianos, fanáticos religiosos, desmatadores e picaretas em geral, está cada vez mais difícil encontrar alguém que ainda defenda o governo Bolsonaro.

Entre arrependidos, enrustidos e gente que nem toca mais no assunto, o fato é que, segundo todas as últimas pesquisas, a aprovação do ex-capitão caiu para a faixa de 30%, e 50% rejeitam o presidente eleito há menos de um ano.

Os outros 20% continuam em cima do muro como no dia da eleição.

E o que faz a familícia no poder?

Radicaliza cada vez mais nos seus ataques às instituições, à ciência e à cultura, governando apenas para a seita bolsonarista e os interesses financeiros daqui e de fora que bancaram a sua campanha.

Para aprovar as reformas e a nomeação do filho 03 para embaixador nos Estados Unidos, só restou ao governo recorrer ao velho “toma-lá-dá-cá” de cargos e verbas da velha política que eles demonizavam na campanha.

Quem comanda o balcão de negócios no Senado é o próprio presidente Davi Alcolumbre, um senador inexpressivo do Amapá, que logo virou sócio do governo.

Bolsonaro ainda pode contar com a boa vontade de Dias Toffoli no STF, mas a maioria dos ministros já deu sinais de que não vai mais acobertar os crimes do lavajatismo morista, em franca decadência, após as revelações sobre o modus operandi da República de Curitiba.

A aliança da Lava Jato com o mercado, setores da mídia e a extrema direita enfezada para derrotar o PT já está se desfazendo.

Ao governo só resta o apoio de uma parte das Forças Armadas, também perplexas diante do retumbante fracasso do governo do ex-capitão, o pior presidente de todos os tempos.

Na chamada grande mídia, a debandada é geral e, pelo que tenho acompanhado, sobrou apenas um jornalista do primeiro time ainda fazendo a defesa deste governo que está destruindo o país, metodicamente, dia a dia, para não deixar pedra sobre pedra.

Em apenas oito meses e meio de desgoverno, roubaram e rifaram o que podiam do patrimônio e da soberania nacionais, numa rapina nunca antes vista antes, de absoluta submissão aos Estados Unidos.

Cada vez mais isolado dentro e fora do país, repudiado pelo mundo civilizado, Bolsonaro tenta juntar os cacos para finalmente começar a governar, mas está difícil.

A Câmara de Rodrigo Maia agora tem agenda própria, legislando só de olho nos seus interesses particulares: mais grana para partidos e campanhas.

O presidente terá alta na tarde desta segunda-feira, mas seu governo continua na UTI, sem articulação política e com a economia respirando por aparelhos.

Na próxima semana, teremos mais um vexame mundial anunciado, com a provável ida de Bolsonaro à ONU, uma das inimigas declaradas do seu governo.

Só um laudo médico impedindo a viagem poderá salvá-lo.

Vida que segue.

 

25 thoughts on “Levanta a mão quem ainda apoia Bolsonaro, o pior presidente de todos os tempos

  1. Mestre, ‘equivoca-se’ quanto ao tal atestado médico salvador, pois como Collor que apregoava ter “aquilo roxo”, o capitão, não bastasse o ‘Conge’, herói letrado que representa a ‘efeagaceana gente culta’, Irene Ravache, atesta-lo “homem forte”, jacta-se de nunca ter dado uma fraquejada na vida, a exceção da concepção da filha originária da dita, única.
    Ainda bem, pois faço votos que o distinto não apenas compareça a ONU, como convide Trump e Bibi para acompanha-lo no parlatório e à recepção adrede preparada. Ele(s) merece(m)…

    1. Sérgio escandalizou governo efeagaceano: masturbação! Sobre todos os citados, nenhuma tesão, sem orgasmo e jactância. A amarelada ONU, cabidão planetário, que se cuide. De não se perder, em tempos de petróleo beligerante. Quem sabe, a ONU lasque uma perguntinha: “O que se faz com o petróleo brasileiro”?

  2. “…os crimes do lavajatismo morista, em franca decadência, após as revelações …”. Desculpe, Kotscho, mas a realidade não pode ser invertida dessa forma. Você está se referindo a mensagens que não apenas não mostram crime algum do “lavajatismo”, como, caso mostrassem, não seriam válidas porque são roubadas e editadas.

    Por mais que alguns ministros pareçam às vezes fazer o jogo dos criminosos condenados, quero crer que o STF como um todo não jogará nossas leis no lixo e se recusará a contestar decisões já exaustivamente revisadas e confirmadas por unanimidade por mais oito juízes em duas instâncias superiores à “morista”.

    1. Para crime sem prova, uma operação bandida;
      para revisa-la, oito.
      Oposição dormente!
      O Brasil perdeu esse trem.
      Só amanhã de manhã, se acordar…
      antes da curva da morte…
      à direita.

  3. Pior é que a denominada esquerda brasileira, morreu!.Posso estar enganado(por ser muito cedo)mas, depois do presidente eleito Bolsonaro,na sequência será o ministro da Justiça Sérgio Moro.Este poderá ser eleito ainda no primeiro turno.GRAVEM BEM!.O erro maior das esquerdas é apenas ter como bandeira”LULA LIVRE”!.

    1. Ele não pressentiu nada.
      Foi usado como “pós munição” de uma elite enlouquecida pelo “pudê”.
      Arte de alta performance, nada doentio.
      Viu o resultado?

  4. …pois ele vai Ricardo, ele vai à ONU, justamente por saber que vai passar pelo maior vexame já visto naquele órgão. O cara que tem o título de o único presidente na história da humanidade que tomou posse com uma sacola de bosta à tiracolo, não vai perder esta oportunidade de ter este outro título, o de ser o único dos presidentes a falar na ONU , com todos os presentes de costas voltadas para ele.Já que não vai ser lembrado por nenhum grande feito, que seja lembrado por suas palhaçadas.
    Como dizia o Lindomar Castilho naquela sua canção: Ele é doido demais…
    ÊÊÊ mundão véi discuncertado, né não ???

  5. “””Em apenas oito meses e meio de desgoverno, roubaram e rifaram o que podiam do patrimônio e da soberania nacionais, numa rapina nunca antes vista antes, de absoluta submissão aos Estados Unidos.””””
    É possivel detalhar melhor este item, com numeros e outras informações mais?

  6. Os dados das últimas pesquisas dos institutos acreditados vão ao encontro dos observadores e especialistas apontando uma queda acentuada no apoiamento do governo e do presidente.
    Ninguém em sã consciência se mostra surpreso com o fato de que a popularidade do presidente tenha caído, já na largada, ainda que os números também mostrem um piso aparentemente estancado em 30%. O mesmo fenômeno acontece com Donald Trump.
    Observe-se que a dupla mandatária tem um mesmo bordão: a radicalização da retórica discursiva para garantir sua base eleitoral mínima, bem unida. O suficiente para vencer, na avaliação dos seus respectivos estafes, as próximas eleições.
    Caso o “mau militar” que virou presidente mantenha o “projeto militar de poder”, com total apoio das milícias paramilitares espalhadas nos cafundós das periferias (amassando qualquer oposição), tem sim, condições de fazer a reeleição, porque o anti-petismo não é um fenômeno que se dissipou e deixou um ambiente refratário à hegemonia do lulo-petismo, que viu suas forças dissiparem e seu protagonismo bastante desgastado.
    Os sinais da probabilidade de vingar, outra vez, a extrema-direita, evidentemente nada tem a ver com algum mérito próprio, mas devido ao raquitismo da oposição.
    As forças em oposição permanecem batendo cabeças, como baratas tontas.
    Aparentemente desfibradas e desfiguradas, sem capacidade sequer de fixar um programa mínimo, nem a plataforma onde arquitetar o enfrentamento eleitoral e político em 2022.
    As eleições municipais em 2020 dirão quantas mãos os opositores serão capazes de levantar.

  7. Prezado Kotscho: Mesmo que “Só um laudo médico impedindo a viagem poderá salvá-lo.”, digamos que como o Messias e seus apóstolos gostam de causar, vamos apostar que ele vai para a assembleia da ONU de cadeira de rodas e empurrada pelo seu fiel discípulo Hélio Negão, que gosta também de aparecer na foto? Love, Love, Love.

  8. Flaviana, voce admitindo ter o cara ter sido usado como ‘pos-munição’ nos leva a pensar menos nebulosamente.
    Já que dessa forma, isso automaticamente cria um paralelo fácil com o ”uso” do avião.que.não.era.de.ninguem para matar Eduardo Campos em
    2014. Ocorrido num momento em que seu desaparecimento poderia em seguida levar, a uma transferência de votos para Marina Silva,muito mais bem situada nas pesquisas.
    Lógico, por mero e hipotético raciocínio, uma maior eficiência do reu/criminoso/maluco Adélio levaria no decorrer do pleito uma vantagem pra quem?

    1. O pão e o vinho.
      Hipótese pertinente a ser provada. Consumado o perverso ato, as inevitáveis forças do mal comemorariam Xeque-Mate. O Rei não caiu. Disse pós munição, afinal o ganhador, inocente, ou não, deu um Xeque-Mate na comoção popular. Não acredito no pressentimento, insisto. Consumado, ou não, o pós facada, virou munição… virou transubstanciação.
      “O sangue me consagra, o voto me elege”!
      A parteira não teve trabalho e o rebento aí está, desgovernando. O povo não tem pão e a elite bebe vinho. Na mesa Eucarística da fatalidade, transubstanciação política.
      Saudações blogueiras.

  9. Se voltarmos alguns meses nesse mesmo blog o nobre jornalista previa o fim do Mito como Jânio Quadros. Se formos mais ao passado a previsão era de um golpe militar. Agora essa nova previsão de ninguém está com o Mito. Sem falar com as previsões que transformariam o poste e Boulos em novos líderes dos movimentos sociais que iriam para rua. Lembra convocando Boulos para ser o nome da mudança usando a tragédia de Brumadinho como pano de fundo?? Será que irá fazer uma reflexão sobre suas previsões antes de escrever?
    Quando vocês irão parar e seguir os conselhos de Mano Brown??? Habemus censura?? Vida que segue

      1. Boa a interpretação do Maurício Teixeira que, como eu, ainda insiste alimenta com luz os perdidos no escuro da paixão doentia. Quando nada, deveria respeitar a voz das urnas. É verdade que não deram sossego para Dilma quando ela estava no poder. Mas o bom senso manda que devemos sempre fazer o bem – não importa a quem – maior que as paixões políticas, o que está em jogo é o futuro do povo brasileiro. Aquela estória da águia criada num galinheiro que um dia foi morar no azul do céu quando viu pela primeira vez a luz do Sol, a beleza dos rios, dos verdes, e dos lagos…Não se deixe levar por mágoas e ressentimentos. Isso não leva a lugar algum.

  10. O melhor “thought”, infelizmente, é o do Netho: As forças em oposição permanecem batendo cabeças, como baratas tontas. Aparentemente desfibradas e desfiguradas, sem capacidade sequer de fixar um programa mínimo, nem a plataforma onde arquitetar o enfrentamento eleitoral e político em 2022. As eleições municipais em 2020 dirão quantas mãos os opositores serão capazes de levantar.
    josé maria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *