Vai sair de preto ou de verde-amarelo? Qual torcida será maior nesse dia 7 de setembro?

Vai sair de preto ou de verde-amarelo? Qual torcida será maior nesse dia 7 de setembro?

Bolsonaro conseguiu provocar mais um Fla-Flu, ao convocar seus seguidores para sair de verde-amarelo nesse 7 de setembro.

Em campanha eleitoral permanente, em vez de governar o país, o presidente não se intimidou com as últimas pesquisas em que sua popularidade está derretendo.

Essa confiança vem das mesmas redes sociais em que ele baseou sua campanha em 2018.

“Mesmo sob ataque, Bolsonaro continua com poder de fogo no universo digital”, é a conclusão do último boletim do Sistema Analítico Bites, que monitora as redes.

Não é pouca coisa. Segundo Manoel Fernandes, diretor do Bites, “Jair Bolsonaro amanheceu hoje com 31,1 milhões de perfis”, superado apenas pelo primeiro-ministro da Índia, Narenda Modi, e por Donald Trump.

Sem ver qualquer sinal de oposição no retrovisor, o ex-tenente confia nas ruas, que já foram reduto das esquerdas, para se segurar num poder cada vez mais contestado após oito meses de governo.

Nas mesmas redes sociais, movimentos de estudantes e trabalhadores divulgam as manifestações marcadas para o Dia Nacional de Luto e de Luta, pedindo para as pessoas se vestirem de preto, em protesto contra a destruição do meio ambiente da Amazônia e do ensino público.

No palanque montado em Brasília, como um napoleão tropical, Bolsonaro comandará o desfile das suas tropas, onde são esperadas 30 mil pessoas na Esplanada dos Ministérios para as comemorações do 7 de setembro.

Esta semana, em entrevista à Folha, o presidente já disse que é só ele levantar a borduna que todo mundo corre atrás. O que ele quis dizer com isso?

Posso estar enganado, é claro, mas pelo que ouço dos dois lados, não há muito ânimo para participar de mais este Fla-Flu, que já está virando um programa de domingo para os bolsominions mais engajados. A maioria da população prefere manter distância.

A grande batalha do país dividido ao meio continua se dando na internet, em que as milícias digitais de Carlucho Bolsonaro, o 02, estão nadando de braçada.

Com o debate político pedestre, reduzido ao rés do chão das baixarias, desde a campanha eleitoral, Bolsonaro cada vez mais fala só para os convertidos, enquanto compra brigas insanas aqui dentro e lá fora para provar que quem manda é ele. A ONU que se cuide.

O perigo dessa beligerância permanente é estourar um confronto aberto entre camisas verde-amarelas e camisas pretas no sábado.

Os brasileiros estão “um pote até aqui de mágoa”, com licença do Chico, tentando sobreviver ao desemprego e aos desmandos de um governo sem rumo, a cada dia mais amalucado, atirando para todos os lados.

Basta uma bala perdida, mesmo de borracha, ou um maluco com uma faca na mão, para tudo desandar de vez.

Aí poderá ser a gota d´água, como cantava o Chico, aquele perigoso comunista do marxismo cultural.

Mas acho mais provável a maior torcida ficar mesmo em casa, vendo futebol ou assando uma carne na laje, sem fantasia nenhuma.

Meu palpite para o Fla-Flu é um 0 a 0.

Vida que segue.

 

11 thoughts on “Vai sair de preto ou de verde-amarelo? Qual torcida será maior nesse dia 7 de setembro?

  1. Do jeito que a oposição tem se comportado, invisivelmente, nem seria estranho que as milícias e matilhas fizessem mais barulhos para demonstrar que a direita tomou conta e dita a regra no país.

    1. Cadê o 7 de setembro de antigamente? Cadê os 715 kg de ouro? Cadê os empregos? Cadê os 39 kg de droga daquele “aviãozinho”? Cadê os juros da poupança? Cadê as provas de condenação de Lula? Cadê o STF? Cadê o Queiroz? Cadê a tropa que ia combater as queimadas? Cadê a competência desse desgoverno? Cadê o ganho real do salário mínimo? Vamos fazer um cartaz?

  2. Independência política? Ainda bem que 7 de setembro não caiu em agosto. Por isso, alimentamos a ilusão de um país livre. Em Alcântara, no Maranhão, ex território tupiniquim, comemora-se a “liberdade” em outra data. Feche as portas e janelas, tá partindo mais um foguetinho! Por enquanto, inho. Ali, nem Bolsonaro entra. Dom Pedro III, o boçal, obrou na retranca

    1. Sim, 7 X 1: certame da incompetência.
      7 mandatos de deputado + 1 de presidente = 7 X 1
      Goleada de incompetência.
      Aha uhu prefiro o 7 X 1 da “lemanha”.
      Boa, Victor Hugo, tamujuntu.

  3. A nota a servidores do Min Ciencia e Tecnologia, em Brasilia para que nao saissem muito perto das janelas para nao provocar ‘por parte dos observadores do exercito (snipers, é claro) uma reaçao ostensiva e ate letal”…
    Isso me deixou com incredulidade, a seguir espanto, depois raiva. Cada dia mais parecido com Alemanha dos anos 30.
    Elegemos e deixamos á solta um psicopata furioso com sede de sangue.

  4. Há sinais de que um novo delegado (que já foi acusado de tortura, embora posteriormente absolvido), já estaria de bagagem pronta para liderar o órgão policial, cujo titular saiu para gozar férias e não retornará para ocupar o seu principal cargo no MJ. Deverá ser nomeado juntamente com o PGR.
    Tudo junto, misturado e alinhado para o dia 17 de setembro, quando Dodge será despachada.
    Há sinais de que será premiada pelo bom tratamento dispensado ao laranjal do clã presidencial.
    Já o 7 de setembro, sempre foi para inglês ver, desde que Dom Pedro urrou de disenteria às margens do Ipiranga.
    Quis o destino, que o Ipiranga se tornasse a grife do Posto onde o país tem sido abastecido de ideias e obras que continuam arrasando a economia brasileira desde que Joaquim Levy foi nomeado para o ministério da fazenda.

  5. Prezado Kotscho: Se “Num ato inédito, a Ordem dos Advogados do Brasil e o Instituto Vladimir Herzog denunciarão o governo de Jair Bolsonaro na ONU por retrocessos à democracia e por fazer apologia à ditadura.”, como noticiou a matéria de Jamil Chade em 05/09/2019 no UOL, internamente, somente essa barbaridade, já não seria suficiente para um pedido de impeachment ou os parlamentares do Congresso acham que a apologia à ditadura é apenas mais um ato de sinceridade na fala do presidente?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *