Sem inimigos externos, capitão agora declara guerra ao Nordeste e à Amazônia

Sem inimigos externos, capitão agora declara guerra ao Nordeste e à Amazônia

Sabemos que os militares em geral estão sempre em busca de uma boa guerra para justificar sua existência.

Nosso capitão-presidente não foge à regra. Está todo dia só em busca de conflitos com meio mundo, aqui mesmo.

Como não conseguiu invadir a Venezuela nem transferir a embaixada brasileira para Jerusalém, decidiu declarar guerra aos governadores do Nordeste, aos índios, ribeirinhos e ao que restou da  floresta amazônica, depois de sete meses de desmatamento acelerado.

Inimigo juramentado da ciência, da cultura e das leis, liberou as armas e as moto-serras, e avança com suas tropas sobre a única região do Brasil que não controla, os nove estados do Nordeste, governados pela oposição.

Em sua segunda visita ao Nordeste em menos de um mês, ele disparou para todo lado, afirmando que governadores da região “fazem politicalha” e querem criar “uma nova Cuba”, segundo o relato de João Pedro Pitombo, na Folha.

Depois do áudio que vazou num café com jornalistas, há duas semanas, em que ameaçou retaliar os governadores “de paraíba” que não seguem suas ordens de comando, B. foi a Brumadinho, na Bahia, para desafiar seus desafetos:

“Não estou aqui com colegas nordestinos para fazer média. Mas não existe esta questão de preconceito. Eu tenho preconceito é com governador ladrão que não faz nada para o seu estado”.

Covarde que é, mesmo cercado sempre por um batalhão de seguranças, o capitão não deu o nome do “governador ladrão” e fez uma ameaça aos demais na base do “dá ou desce”, no linguajar da caserna, “para que não façam politicalha perante a minha pessoa”.

“Não vou negar nada para o estado. Mas se eles quiserem que realmente isso tudo seja atendido, eles vão ter que falar que estão trabalhando com o presidente Jair Bolsonaro”.

A República Federativa do Brasil virou a República da Família Bolsonaro como se tivesse recebido nas urnas uma fazenda de porteira fechada para fazer o que bem entender.

O aprendiz de ditador não mede mais as palavras que vai atirando a esmo e acusou a “esquerda canalha” de querer dividir o país.

“Para alguns governadores, é o Nordeste e o resto. Querem fazer disso uma Cuba? O Brasil é um só, não queiram dividir regiões”.

Mas é exatamente isso que ele está fazendo ao se rebelar contra o Consórcio Nordeste, formado pelos governadores da região, para fazer parcerias em busca de sobrevivência, já que o governo federal e a Caixa Econômica cortaram brutalmente os recursos para estes estados.

Diante da ofensiva das forças federais capitaneadas pelo capitão, com a retaguarda dos generais de pijama, os governadores do Nordeste fizeram muito bem em ignorar as declarações do presidente.

Aliás, é isso que todos deveríamos fazer, para não dar mais corda a esse napoleão reformado, que quer se vingar da sua vida fracassada no Exército, de onde foi convidado a se retirar, e na Câmara, onde nunca conseguiu sair do baixo clero.

“Eu, Johnny Bravo, Jair Bolsonaro ganhou, porra”, gritou para os jornalistas que queriam entender o que estava acontecendo.

Para Johnny ou Jair, qualquer pergunta é uma ofensa pessoal.

Melhor deixar o dito cujo falando sozinho e cuidar da vida.

E vida que segue.

 

8 thoughts on “Sem inimigos externos, capitão agora declara guerra ao Nordeste e à Amazônia

  1. Dos mais conhecidos, senão o mais longevo e influente crítico da produção vinícola mundial, o ex-advogado Robert Parker dispõe de uma escala famosa de classificação qualitativa.
    Se o presidente fosse uma garrafa de vinho, a sua nota seria entre 50 – 59.
    Qualquer vinho catalogado nesse intervalo é “um vinho considerado inaceitável”.

  2. Prezado Kotscho: “Sabemos que os militares em geral estão sempre em busca de uma boa guerra para justificar sua existência.” É verdade. Mesmo porque se você tirar a guerra e a truculência deles não sobra nada para essa categoria profissional. Não conheço nada que preste que eles dizem que fizeram para o país, quase sempre com base na força, ao longo dos anos da sua existência na pátria amada Brasil. Ou será que existe alguma coisa boa que deixaram que ainda não consegui enxergar? Os presidentes da ditadura de 64 foram uma coisa boa? O atual presidente é uma coisa boa que deixaram?

  3. Logo, B e D estarão se cutucando. Pior, D e B querem vencer em 2022. Ainda de mão dadas, metem o pau no PT.
    A polícia de D age como na ditadura.
    B quer chegar lá.
    Se não há governo, desviar o foco é a meta de A,B,C,D… Acho que B está perdendo a chance de cutucar D. Cadê os 719 kg de ouro?
    A polícia de D dançou na bateia. B devia, cobrar D. Belo desfoque. Ou, foi a paraíba que ficou com o ouro de alto quilate.
    Se B perder a deixa, D agradece e joga a culpa no PT.
    B, nas eleições, na campanha e nos “debates” ficará com o ouro de tolo.
    B, pergunte pelo ouro. Dessa mina, D não escapa.
    Cadê o ouro, D? Está em São Paulo?
    Cadê o ouro, B? Saiu pelas fronteiras abertas?
    Tem algo estranho nesse reino do ouro. Cadê o ouro, D? Cadê o ouro, B?
    Sonhei que o ouro decolou duas horas depois, ali mesmo em Cumbica. O Brasil cumbicou de novo?
    B, pergunte ao D, pelo ouro. Chance de ouro de cumbicar de vez o D, parceiro doce hoje, amanhã, adversário azedo e de ouro.
    Cadê o ouro? Ouro de tolo pro povão.
    Aí tem gente grossa metida nessa mina até a bateia. Veio nobre.
    Cadê o ouro?
    Um país tão bonitinho, esqueça o nióbio, B e pergunte ao D, pelo ouro.
    Tá sobrando tolo!

    1. bacaaaana P, será que o D está pensando o mesmo que você? Havia algum avião com regalias diplomáticas neste aeroporto ?
      E o B, estaria pensando o mesmo que eu ? Este ouro não está em alguma garagem de alguma mansão em São Paulo ?

  4. Sem inimigos externos, vá lá, Mestre, mas o ora repaginado Johnny Bravo, a atirar nos inimigos internos, Brasil acima e abaixo, sei não, talvez as rajadas extras de estupidez disparadas no atacado, sejam apenas pra desviar o foco dos amigos externos, particularmente dos paraguaios, em função de águas enlameadas que vazam do contrato de Itaipu, em tentativa de conte-las antes que cheguem ao Planalto Central, no Brasil.
    Não à toa o monopólio midiático familiar obsequiosamente ignora o escândalo, fingindo nada saber dos fatos que envolvem suspeitas umbilicais ao desgoverno brasileiro, mantendo a imensa maioria de nossos cidadãos ‘ignorantes’ e de tal forma ‘burros’, no assunto, tal qual, dessa forma desinformados, chegou-se ao absurdo na reforma da previdência de apoiarem medidas que encherão ainda mais as burras dos banqueiros, esvaziando ainda mais os direitos, as proteções sociais e os bolsos dos desiguais ‘burros’ brasileiros, que protestam contra si arrastando junto à tragédia os ‘não burros’ igualmente prejudicados, algo inacreditável na história da humanidade.

  5. O capitão movido a ódio está cada vez pior. No começo, falava as besteiras e recuava. Agora não. Está à vontade. E mentindo cada vez mais.

  6. Fiquei com saudades do tempo em que combatíamos a ditadura com o apoio do Dom Paulo Evaristo. Atualmente temos de nos virar porque os pastores evangélicos não nos apoiariam, nem se desejássemos. O que não é o caso. Um abraço para você que está em plena forma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *