Novos temas para as palestras sobre a ética da Lava Jato de Moro & Dallagnol

Novos temas para as palestras sobre a ética da Lava Jato de Moro & Dallagnol

Agora que foram pegos com a boca na botija, e o STF resolveu finalmente tomar uma providência para afastar Deltan Dallagnol do comando da Lava Jato, caso isso realmente aconteça, ele e seu parceiro, o ministro da Justiça Sergio Moro, poderão ganhar o resto da vida com palestras de autoajuda sobre sua ética particular no “combate à corrupção”.

Sem ninguém me pedir, de graça, elenco abaixo alguns temas que os dois poderão desenvolver (aos caros leitores peço para acrescentar outras sugestões nos seus comentários).

  • “Faça as suas próprias leis e fature com elas”.
  • “Nunca volte atrás, mesmo que você esteja errado”.
  • “Como enganar um país inteiro durante 5 anos, eleger presidente, ganhar ministério e sair assobiando”.
  • “Mande às favas os escrúpulos e finja-se de santo missionário enviado por Deus”.
  • “Faça sempre cara de indignação com a corrupção (dos outros), mesmo que não tenha provas”.
  • “Tenha sempre um delator de estimação para qualquer emergência”.
  • “Em terra de cego, ofereça sempre um prato feito para jornalistas famintos a serviço dos patrões”.
  • “Mantenha sempre um ar de superioridade moral diante da platéia de abestados”.
  • “Demonstre como a ética pode ser flexível na defesa dos teus próprios interesses”.
  • “Não tenha nunca vergonha de mentir, se isso ajudar a alcançar teus nobres objetivos”.
  • “Se as coisas apertarem para o teu lado, arrume logo uma viagem, de preferência para os Estado Unidos”.
  • “Na dúvida, crie um power-point para enganar os trouxas”.
  • “Quando tudo der errado, peça ajuda a militares amigos para demonstrar força”.
  • “Ande sempre cercado de seguranças e assessores para mostrar a tua importância”.
  • “Em último caso, passe a fazer palestras de autoajuda para garantir o leite das crianças”
  • “Crie uma empresa fantasma com laranjas familiares para pagar menos impostos e seja feliz”.

As opções são infinitas. Haverá sempre alguém que pague para ouvir os ensinamentos dos “heróis nacionais” que salvaram o país das mãos dos “comunistas” malvados.

Bom final de semana.

E vida que segue.

 

 

19 thoughts on “Novos temas para as palestras sobre a ética da Lava Jato de Moro & Dallagnol

  1. Como produzir um coach “purificador” depois do outro para idiotas endinheirados e burocratas do espírito se sentirem moralmente superiores em resorts paradisíacos e anfiteatros kitsch de entidades voltadas apenas para seus interesses particulares, sem nenhum sentido público e social relevante.
    Como fazer delações seletivas na antevéspera da próxima eleição presidencial.
    A via curitibana de desfigurar ao extremo instituições honradas e competentes como a PF e o MP, através de uma hegemonia networking de intimidação interna, chantagem midiática e sedução hipermoral.
    Como ser quadro operante da extrema direita, passando publicitariamente para o mundo a imagem fake oposta de incansável investigação transparente e imparcial da corrupção endêmica.
    Como esconder Queiroz e empostar no pântano sua própria voz (rima Voluntária).
    Repressão do futuro: teledeportação do “alienígena” Glenn, descrito como criatura indesejável por revelar impiedosamente para todos nós o sentido extra-terrestre de um julgamento sem juiz , contaminado com provas inventadas.

  2. Ameace condenar com uma multa altíssima. Depois convença o réu a delatar quem você quiser, reduza a multa a 1/3 pedindo outro 1/3 para você mesmo.

  3. …”(aos caros leitores peço para acrescentar outras sugestões nos seus comentários).”

    “Tenha um hacker de estimação para qualquer eventualidade”.

  4. Simples assim, viraram heróis de quadrinhos, imaginários, de pensar que aqui na minha cidade teve até outdoor referenciando Moro e Cia. Uma hora a casa cai não é?

  5. – Como ser um herói para trouxas.
    – Como usar a impressa em prol de seus interesses e contra uma nação.
    – Curso avançado de pawerpoint, versão incriminando petralha.
    – Como vazar informações (inclusive diálogos de presidentes) sem cometer crime.

  6. RK, na mosca. Suas “sugestões” abordam todos os aspectos da Lava-Jato. Apenas no item
    “Tenha sempre um delator de estimação para qualquer emergência”, acrescento: “Se ele chamar Léo Pinheiro, melhor”.

  7. Implodindo agosto. O STF demorou.
    Atento, Kotscho faz as mesmas denúncias há anos.
    Moro fugirá e o capacho Dallagnol também o fará. Recolham passaportes desses carrascos.
    O Brasil sairá da prisão infame que a Direita o meteu. Construam presídios de dimensões amazônicas para os lavajatistas.
    Suicídio à vista? Só para quem preza a honra e dignidade. Não é o caso.
    Para cada “Lula”, preso atropelando-se o processo legal, prendam mil parciais e leprosos lavajoteiros da Direita.
    O mundo aplaude. De plantão todos!
    As embaixadas amigas instaladas em terras tupiniquins, não tem vocação para Spas de bandidos assassinos do Direito Constitucional.
    Moro, Dallagnol e quadrilheiros na cadeia.

    1. Segundo notícias, dalagnol fez uma palestra nesta semana em Curitiba e foi aplaudido de pé no começo e no final por cerca de 900 médicos, incorruptíveis cidadão de bem, que tem tabela diferenciafa para quem quer nota fiscal em consultas ou procedimentos.

      1. Ué, nao convidaram nenhum jalecado cubano para o evento? Ah, nao poderia pagar a taxa?
        Ontem, falar nisso, vi o jogo Brasil 0 x 3 Cuba no volei masculino. Ta certo, perder tambem faz parte e acontece. Mas os nossos aparentemente tinham se auto supervalorizado… em vista de suas atuações, midias e $alarios vigentes em nossa Liga. Foi meio acachapante, viu CBV, e fomos superados amplamente em acho que todos os quesitos: emocional, ataque, saque, bloqueio e defesa. Nao somos ainda tão bons assim.
        É bom pra repensar as coisas.

  8. – Onde está o dinheiro do Palocci, que ficou fora do “acordo” de delação.
    – Como fazer um “acordo” de delação super elegantemente premiada dizendo que o dinheiro foi parar nas mão de outros para não precisar devolvê-lo.

  9. Pautas/palestras
    1) Caserna:”A ordem é dada; Globo:A missão é cumprida”.
    2) Bozo, o mais nefasto político dos últimos 500 anos.
    3) Lavajato: Maternidade do processo ilegal.
    4) A arte de prender o favorito e vencer o pleito.
    5) Traição explícita: Era uma vez um conge
    6) Como esconder um Queiroz por dia.
    7) Moro fez em meses… a Europa precisou de milênios.
    8) Dentro de um pijama pode ter um militar.
    9) Como manchar o Exército de Caxias.
    10) O segredo de tantos generais num governo civil.
    11) DRU… a lei que desvincula as receitas da União.
    12) Como palestrar sem a presença de 15 milhões de desempregados.
    13) Votar na Direita é apoiar a violência endêmica.
    14) Como a elite captura o orçamento público e manda o pobre pra cadeia.
    15) O Estado brasileiro é o Banco dos poderosos.
    16) A reforma da previdência é tão somente para encher o bolso dos ricos.
    17) A classe média apoia a previdência para manter como capacho o povo miserável.
    18) No Brasil, só os ricos concorrem aos privilégios educacionais.
    19) Combater a corrupção: Morro incorporou essa farsa e prendeu Lula.
    20) A face militar de Bolsonaro é a milícia.
    21) Bolsonaro é um representante típico da classe média raivosa e vingativa.
    22) PSL… mero fantoche das classes dominantes.
    23) O presidente odeia o conhecimento que não tem.
    24) Paulo Guedes tira do pobre e suja as mãos de sangue e dá aos poderosos.
    25) guedesnaousaavirgulaparaninguementenderomalquefazaosfilhosdaterraperdoemekotschosempontofinal

  10. Prezado Kotscho: “Como trabalhar em conluio para eleger um governo de extrema direita e ajudar o presidente escolhido na sua candidatura para o cargo de terceiro anticristo da humanidade”.

  11. Palestra de graça tem grana dos cores públicos.
    Com adesão é disfarce. Sobram verdinhas pra “garimpar” delatores e prender o favorito das eleições.

  12. Uma única justificação seria cabível à remuneração de agentes públicos, sobretudo em relação àqueles que se incumbiram de turbinar sua imagética pública e conduta institucional de modo associado ao moralismo estatal e ao republicanismo constitucional, como sendo portadores de uma nova prática reguladora dos usos e costumes vinculados ao Tesouro Nacional.
    Qual seria, então, essa única hipótese remuneratória cabível a um agente público-estatal?
    A única hipótese plausível seria aquela hipótese em que os recursos auferidos pela remuneração do agente público – pela contraprestação de supostas “aulas” ministradas em situação análoga de “professor” e assemelhada à “docência acadêmica”.
    Com uma nítida e rigorosamente comprovada destinação: benemérita e sem fins lucrativos a entidades reconhecidamente atestadas na prestação de serviços sociais, a exemplo das APAES.
    Fora disso, não há justificação alguma e tudo não passa de tergiversação e dissimulação para driblar os comandos da moralidade administrativa e do conflito de interesses entre o escopo da coisa pública e as conveniências dos lucros privados.
    Ninguém mais do que os integrantes do Ministério Público e do Judiciário deveriam, não só saberem disso, mas, especialmente, pautarem suas condutas com base nesse regramento elementar.
    Evidentemente, há muito tempo que juízes e procuradores não se tem preocupado com a liturgia apropriada às suas prerrogativas e funções.
    Não por acaso, o país encontra-se com suas instituições em flagrante estado de degeneração explícita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *