Educação, Cultura e Meio Ambiente: a destruição do futuro do Brasil

Educação, Cultura e Meio Ambiente: a destruição do futuro do Brasil

“E aí, pessoal? Vamos acabar com a Ancine ou não?”, perguntou ele a seus seguidores, sábado de manhã, na entrada do Alvorada,

“Vamos!!! responderam em uníssono os bolsominions, certamente sem ter a menor ideia de que se trata da Agência Nacional de Cinema.

Bolsonaro até agora não tem um programa de governo, mas já colocou em execução um plano de destruição em massa do futuro do Brasil.

Educação, Cultura e Meio Ambiente são os principais alvos dos seus primeiros 200 dias de guerra à civilização.

Primeiro, entregou a Educação, principal ministério de qualquer país decente, aos cuidados do Olavo de Carvalho, o grande mentor da sua “revolução”.

Depois, acabou com o Ministério da Cultura e agora partiu para cima do cinema nacional.

Por último, chamou um condenado pela Justiça por crime ambiental para destruir os órgãos de defesa do Meio Ambiente.

Por que exatamente estas três áreas? É que Bolsonaro está convencido de que foram dominadas por perigosos comunistas.

Pela cara de ódio dele, ao acionar sua metralhadora giratória, na sexta-feira, em entrevistas a assustados jornalistas nativos e correspondentes estrangeiros, o capitão está mesmo disposto a não deixar pedra sobre pedra.

Bem que ele avisou num encontro promovido por Olavo de Carvalho e Steve Bannon com a extrema-direta americana, em Washington: era necessário destruir tudo para depois começar a construir um novo Brasil.

Ninguém o levou a sério, mas a primeira etapa do plano já está em pleno andamento: em junho, aumentou 60% o desmatamento na Amazônia e, esta semana, o MEC anunciou a privatização do ensino público.

Filmes não serão mais censurados depois de prontos, como na época da ditadura, mas antes de serem produzidos, porque ele quer fazer um “filtro”.

Para quem em seu breve tempo de Exército planejou jogar bombas no Guandu, a estação de tratamento de águas do Rio de Janeiro, o Brasil é um prato cheio.

Ainda tem muita coisa para ser destruída, e quatro anos podem não ser suficientes. Por isso, ele já está planejando a reeleição.

Não satisfeito em infernizar o presente dos brasileiros, com suas declarações e ações estapafúrdias, ele quer também destruir o nosso futuro, antes de erguer um “novo Brasil”, como prometeu, sabe-se lá quando e como.

Por isso mesmo, escolas, cinemas, teatros e florestas são suas obsessões preferenciais.

Jair Bolsonaro odeia a vida. Está no mundo só para se vingar.

Não consigo encontrar outra explicação para tanta demência.

Vida que segue.

 

15 thoughts on “Educação, Cultura e Meio Ambiente: a destruição do futuro do Brasil

  1. Aplausos para Miriam Leyton, pelo que acaba de escrever.
    Agora, Miriam, peço que vossência diga, na radio CBN que troca a notícia, durante o cafe da manhã diario em nossas casas, ao menos uma parte representativa do que voce escreveu.
    Exigimos isso – mas de qualquer modo, não retiramos os aplausos.

  2. Pode faltar dinheiro pra Educação, Saúde, Segurança, só não pode faltar pra compra de “representantes do povo” que hão de votar as reformas que o país tanto precisa. A esquerda ressentida, derrotada e aos frangalhos agora chora na cama que é lugar quente. Ficar preso ao passado não dá futuro. Levante a cabeça e siga à frente, o mais rapidamente que puder. Faça as pazes com seus adversários, enviando-lhes pensamentos de otimismo, simpatia e amor, e todas as mágoas se afastarão e você viverá mais feliz e risonho. O RJ está na situação que tá, faltando até com pagamento dos aposentados dos serviço público. Não estão querendo lá construir um autódromo de fórmula um, como se já não bastasse o de SP?Quando se reconhece o erro, a caminhada torna-se MAIS segura. mais confiante. Errar todo mundo erra. Ignorância é persistir no erro. Democracia é seguir a maioria. Dinheiro sempre teve com sobra. O que falta é a boa vontade. E pena que a maioria está com o governo. Dito isto, não tenho intenção de ofender ninguém. Numa discussão vence sempre quem tem o mais forte argumento.

  3. Mayday, mayday, mayday
    Estação Brasil sem rumo
    Mayday, mayday
    Perdendo altitude, velocidade
    Mayday, louco a bordo ,mayday, destruindo tudo
    NASA copia mayday Brasil, câmbio
    Estação Brasil necessita eliminar lixo tôxico
    NASA confirma um lugar pra Lua.
    Estação Brasil despacha chefe com camisa de força
    NASA confirma lançamento em 1 hora
    Mayday, mayday, lixo presidencial partindo
    Calma lá Brasil, querem poluir a LUA com quem a gente tá pensando?
    Mayday, Estação Brasil caindo, maydaaay.
    NASA recusando passageiro perigoso.
    Estação Brasil pi pi syçwkxzyyshp ipicubummm

  4. Está atirando com a metralhadora para todos os lados e pessoas, deve ter diminuído a dose de psicotrópicos, não é possível, qdo a gente pensa que ele vai ficar mais moderado, a pessoa consegue ficar pior, se é que possível. Não respeita ninguém, se acha o dono da verdade. Sinônimo de truculência.

  5. Urgente: precisamos criar o futuro, em caso de omissão, ele não existirá. Com governos democratas, isso já nos amedronta, corrupção no meio. Imagine, com desgovernos destruidores de extrema direita e satélites outros, capacho dos dominantes e escravocratas. O caminho da vida que segue é exuberante, mas os portadores de necessidades mentais plenas e usuários de divas médicos eleitos por 57 milhões de analfabetos e autocratas funcionais nos empurram ao fundo do poço, cemitérios de sonhos de miseráveis, famintos e desempregados. Em caso de má vontade de leitura exegética acima, desculpe-me, leia-se: Jair Messias Bolsonaro, o demolidor do presente .
    Sua alma está envenenada, seu espírito é cego, sua fala cheira cobiça, vingança e podridão. Puro desamor! Conhecereis Bolsonaro e ele vos condenará. Seu piscar é raio mortífero, seu olhar uma sentença de morte, seu falar provoca uma avalanche de desmentidos. Seu riso é de um idiota e não de um sábio. O Brasil vive o regime bolsonarocídio. Desculpem-me, são fatos e não versões; são crimes consolidados e não ameaças ensandecidas. Conhecereis a verdade e Deus não admitirá nada além disso.

  6. Educação, Cultura e Meio Ambiente. Isso tudo está em extinção e EXTINÇÃO É PRA SEMPRE.
    Os povos civilizados são simples, querem viver de bondade mútua e não de desgraça alheia.
    O homem, o maior problema ecológico que existe. Ele está destruindo o irmão, a filha, a avozinha, a mãe… a família brasileira, a si mesmo. Quer saber, Bolsonaro não é tão culpado, ele se acha poderoso ao fazer o que os poderosos sugerem. Seus filhos deveriam esquecer um pouco a política e aconselharem o pai presidente de 210 milhões de pessoas. Alertem papai: ele está desconstruindo a si mesmo, a natureza, uma Pátria esperançosa e pobre, nas mãos de banqueiros bilionários. Família Bolsonaro, permaneça em silêncio apenas um mês. Será o silêncio mais nobre, eloquente e cristão que esse país terá conhecido. Meditem, aprendam libras, leiam a Bíblia, escrevam ensaios, estudem PELO AMOR DE DEUS. Colaborem com o bem comum do povo brasileiro. Isso é atitude cristã. Vivam segundo nossas energias mais elevadas. Os bolsonaros podem contribuir de alguma forma para que as coisas melhorem. Amém.

  7. Que tal fazer um filme sobre a história do capitão água, de meteórica passagem nas trincheiras das FFAA e seus rebentos embaixadores do nepotismo tupiniquim.
    Aí, quem sabe, o capitão presidente da extremosa direita suicida, pomposamente se regale todo ao enfrentar os generais melancia e sossega o facho!

  8. Prezado Kotscho: Esse pessoal que respondeu “Vamos!!!” deve ser o mesmo pessoal que votou e acompanhou as falas e as posições do ex-capitão, quando atuava no baixíssimo clero na Câmara, e que acabou levando suas ideias de extrema direita para a presidência. Para mim não causaria surpresa se qualquer hora esse pessoal virilize uma foto cortando a unha do pé em cima da mesa posta no almoço de domingo, entre pratos de macarronada e de brachola. Além de todas manifestações reacionárias é muita grossura. Ontem, 21/07/2019, a Band News reprisou o primeiro debate dos presidenciáveis de 1989. Que falta fazem um Brizola e um Lula no debate desse nosso cenário político atual. Diretas Já!

  9. A cada dia ele fica mais proximo do mesmo destino de Dilma. Oxalá os Deuses nos ouçam, mas que tenham vergonha na cara e não o deixam com os direitos politicos.

  10. O Irã, quinto maior parceiro comercial do brasil, um comércio quase só de mão única e favorável a nós… nao reagiu aparentemente ate agora ao sabujismo puxa saquista do capitão.boca.suja em paralisar seus navios.
    Talvez porque os iranianos sabem que reaçao mais incisiva deles agora vai servir de justificativa para mais demonizaçao midiatica contra Teerã.
    Mas trocar de fornecedor de milho etc nao é dificil. Acho que o mexico por ex deve ter muito
    e se falta um pouco, planta.

  11. Você é o que pensa. Bolsonaro pensa que é.
    O rebento das urnas não sabe que está. E quando se está, necessário mostrar-se Autoridade.
    Deixar de fazê-lo é assumir-se “otoridade” egocêntrica de “papai sabe e pode tudo”.
    O Poder Executivo é passageiro, tem de pensar no bem comum do povo. Respeitando-o, porém. Colocando-se no lugar do governado. Um soma com o outro. Eleito, governa para todos.
    Estar no lugar do outro e respeitar seus direitos e sonhos. Isso tem o nome de ALTERIDADE. Vencer eleição é passo inicial, a democracia representativa quer do eleito, AUTORIDADE, e não “otoridade”.
    Exige alteridade de Bolsonaro e o quer interagindo democraticamente com justiça, competência e sem nepotismo.
    Insisto, autoridade não existe sem alteridade, e sem esta, o presidente naufraga no egocentrismo.
    Ninguém pode se omitir. Simples assim, para o outro, o próximo é você.

  12. A estética do escracho e a ética do vitupério subiram de relevo.
    Um judeu russo que virou o mundo de pernas para o ar em 1917 dizia que “o político é pessoal”.
    Uma militante dos direitos civis nas marchas pelo Sul norte-americano dos anos 60 dizia que “o pessoal é político”.
    O fato é que não se chegou ao atual estado das coisas por espontaneísmos nem voluntarismos.
    Há mais e maiores atores nesse desfecho histórico que levou a direita e a extrema-direita a ditar o ritmo e dar o tom à governança e às instituições, sem qualquer oposição minimamente efetiva e elementarmente organizada, que ainda não assumiu suas indelegáveis responsabilidades e insiste em transferir sua cota de erros crassos (a dizer o mínimo) a gregos, troianos e moicanos.
    A escalada ideológica patrocinada pelos tanques de pensamento dito liberais em conúbio com a mídia grande resultou no padrão da vulgaridade explícita em vigor nos quadrantes social, político, econômico e institucional.
    Não há quaisquer medidas em curso que impliquem melhorias no ambiente sócio-econômico e político-institucional.
    Nenhumas com “s”!
    A cada dia que passa, isto sim, aumentam a precariedade das relações de trabalho, a instabilidade das forças produtivas e a insegurança quanto ao dia seguinte.
    Todas as estimativas de todos os institutos e consultorias para 2019 e 2020 já se encontram frustradas e foram inteiramente revistas com base nas expectativas de 2018.
    Há um junho de 2013 – que ainda não acabou -, no meio do caminho até 2022.

  13. ” Quem é você que não sabe o que diz , meu Deus do céu que palpite infeliz ” . Vergonha , tristeza, e revolta . Não se imaginava o enorme retrocesso civilizatório que estamos vivendo com o capitão reformado , quase um terrorista; produtivo em improprérios e uma nulidade em propostas . Não merecíamos isso, mas a democracia põe e também pode tirar ; que a oposição se una para o bem do Brasil .

  14. Esse truque de fazer perguntinhas aos bolsominions na porta do Alvorada para registrar as respostas apaixonadas ( e cegas…) deles, não cola mais. Só torna mais ridículo o capitão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *