Nova Previdência? É só a velha maracutaia dos votos comprados para ferrar os pobres

Nova Previdência? É só a velha maracutaia dos votos comprados para ferrar os pobres

Neste mundo de faz de conta em que vivemos, o mercado vai poder dormir tranquilo, e os mais pobres vão se ferrar outra vez.

Mais dia, menos dia, a “Nova Previdência” será aprovada.

Quase metade da população apoia a reforma, segundo o Datafolha, mas a imensa maioria não sabe nem do que se trata.

Venderam o peixe como salvação da lavoura para o país não quebrar, torraram bilhões em propaganda mentirosa e compra de deputados e tem muito imbecil achando que a vida agora vai melhorar.

Quem vai pagar essa conta somos todos nós, agora e no futuro, mas o país continua bestificado assistindo ao balcão de negócios instalado no Congresso.

Ficarão felizes todos os comentaristas da TV, que este ano não falaram de outra coisa, em todos os telejornais: a reforma tem que ser aprovada ou será o caos.

Como se já não vivêssemos há anos no caos instalado com o golpe de 2016, que está rifando o país e acabando com todos os direitos trabalhistas, enterrando os programas sociais e destruindo o meio ambiente como um exército de ocupação.

Com o governo da “nova política” abrindo as pernas para garantir os 308 votos, saíram lucrando as bancadas evangélicas e dos ruralistas, dispensadas de pagar impostos, entre outras benesses.

No monstrengo do projeto parido pelo governo e cevado pelos parlamentares, todos os privilégios foram mantidos para as corporações fardadas e togadas e 80% do trilhão economizado vai sair do andar de baixo, dos que já ganham micharia.

Falo como aposentado, mas penso nos que virão depois de nós.

O que recebo hoje do INSS, depois de 55 anos de trabalho como jornalista, não dá nem para pagar o plano de saúde.

É com 55 anos de idade que irão se aposentar os policiais, com salário integral, dez anos a menos do que os simples mortais, aposentados em sua maioria com menos de dois salários mínimos.

A mesma turma que prega a “lei igual para todos” agora vende a mentira de que também a “aposentadoria será igual para todos”.

Não será. Ao contrário, vai aumentar o abismo entre as aposentadorias do serviço público e dos militares, protegidos pelo “direito adquirido”, e as dos trabalhadores do INSS, tratados como cidadãos de segunda classe.

Essa reforma da Previdência, defendida pelo mercado, os empresários e a grande mídia, é o golpe mais perverso já praticado contra os trabalhadores brasileiros.

Prometeram que no dia seguinte à aprovação, os donos do dinheiro vão voltar a investir bilhões e gerar milhões de empregos, mas o que estamos vendo é um crescente processo de exclusão, que só vai aumentar com as novas regras.

Em centenas de cidades do interior, a economia gira em torno da aposentadoria dos trabalhadores rurais, que serão garroteados em seus benefícios.

Quando a ficha cair, será tarde demais.

Não se poderia esperar outra coisa desse governo movido a vingança, que a cada dia decreta novas maldades para infernizar a vida de quem não é devoto da seita deste Jim Jones tupiniquim.

Basta ver as caras assustadoras do capitão e seus asseclas, os sorrisos melífluos, desfilando ódio pelo palácios e plenários, para impor a “nova ordem” a ferro e fogo.

Pobre Brasil, pobres de nós, náufragos desta tragédia anunciada.

Ninguém poderá alegar que foi enganado. Bolsonaro está apenas cumprindo o que prometeu na campanha.

Vida que segue.

 

18 thoughts on “Nova Previdência? É só a velha maracutaia dos votos comprados para ferrar os pobres

  1. Duas pauladas de uma vez só.
    As mortes do jornalista Paulo Henrique Amorim e do sociólogo Chico de Oliveira deixam os campos do jornalismo e das ciências humanas gravemente desfalcados. Ambos no mesmo dia 10, um pela manhã o outro de madrugada.
    Muita gente ingênua e desinformada embarcou na retórica reformista redentora do trilhão do Posto Ipiranga.
    Ninguém percebeu que o buraco previdenciário nada tem a ver com a coluna das despesas, já garroteadas desde priscas eras, com as emendas tucanas e petistas.
    Ao derrubar a CPMF ao final de 2007, cerca de 50 bilhões àquela época, e aproximadamente 70 bilhões atualmente, deixaram de ser recolhidos anualmente.
    É exatamente essa conta feita em papel de bodega que o frentista do Posto Ipiranga fez.
    A CPMF funcionava como colchão amortecedor das crises financeiras (não por acaso foi renovada e aumentada na Era FHC para fazer frente às crises mexicana, russa, tailandesa e coreana dos anos 90).
    Agora, no lugar da antiga CPMF que atingia o andar de cima (coincidentemente foi a FEBRABAN que comandou a campanha pela sua derrubada), o frentista do Posto Ipiranga vai buscar o mesmo valor da CPMF extinta em 2007 para tapar o buraco cavado por Joaquim Levy nomeado por Dilma II, que aumentou com o “MT” e seus “çábios” inventores da Ponte para o Futuro da Ponte que Caiu e ficou ainda maior com o samba de uma nota só voltado para o lombo dos velhinhos e velhinhas que vão morrer de trabalhar sem ver a cor de suas aposentadorias de ora em diante.
    O doutor Ulysses costumava dizer que “a previdência era sagrada” e que mexer com os “velhos, nunca velhacos” implicaria “ser amaldiçoado por 5 gerações”.

  2. Kotscho, vem ai campanhas bilionarias de bancos e fundos de pensao oferecendo o paraiso. Como convencer um cidadao que ganha 1.000,00 deixar 150,00 numa conta poupança que sera resgatada em 40 anos. Deus ta vendo.

  3. Jorrando sangue dos pobres que acreditaram no tenente que pediu reforma.
    Capitão nunca foi.
    Um recruta zero à esquerda, eleito pela direita dominante e escravocrata.
    O Balaio vem DENUNCIANDO, há meses tudo que está acontecendo com a história do povo brasileiro. Calhordas!
    Três Poderes Calhordas e Canalhas.
    TPCC, não é sigla, antes fosse.
    É o DIABO em maldita trindade:
    demônio executivo,
    lúcifer judiciário
    e satanás legislador em causa própria.

  4. Que tal um país livre reunindo São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul?
    Se eles podem roubar, eu devo pensar.
    E aí gente do Sul-sudeste? O Sul está sempre certo e paga a conta.

  5. Prezado Kotscho. Parece que vou explodir de indignação e não vejo a sociedade civikl se movimentar de verdade, não o faz de conta de sempre. ABI, OAB , CNBB, estão todos participando de um imenso faz de conta que me faz muito mal pois me sinto impotente.

  6. O mal no Brasil é que a Juztissa é sega. O Brasil não precisa de justiça. Bem feito, a Justiça prescinde do Brasil. Moro não prescindiu de Bolsonaro e vice e versa. Moro fugiu para voltar e prescindir de Dallagnol.
    O único que pode prescindir é o moderador. Será?

  7. A ditadura da farda deu o primeiro passo. Tanto faz, o povo já estava no fundo do poço. Então subiu? Não, desceu. Moro pulou antes no poço e o peso de sua consciência rebaixou o poço Brasiu, siu, siu. Moro está com cara de poço e o poço prometeu fazer cirurgia plástica. Não dá pra ver o Moro, camuflou-se com a lama. A lama vai acabar se suicidando. E o povo… morreu. Este comentário é um lamaçal só. Pra quem viu o vazamento dos conges, até que esta lama é “menas” pior. Que vergonha, o Brasil não merece, muito menos o Balaio. Perdão, Kotscho. É o desespero, amigo. E mais $ 3,5 bi pra lama da campanha. Chega dessa lama. Vou para Araxá, lá sim.

  8. Ferram os pobres e de primeira. Ferrão de ouro. É um país pra poucos. Ainda bem que a caserna, recolhida em sua insignificância… não tem líderes. A farda não faz o ditador. De primeira, SORTE DO POVÃO. Pelo menos, a ditadura da elite dominante não chega aos bancos escolares. Humm 519 anos depois e tudo pelo avesso. Até a caserna tem medo do tiro sair pela culatra. Basta Moro, o fujão. Já recolheram o seu passaporte? E os 39 quilos de cocaína? Será que o Moro tem a ver com esse cheirinho? Até tu, conge? Então o general ganha 19 mil por mês e disse que tem vergonha. Aha uhu, então tá explicado a coca no bornal. É troco pra tropa! A caserna era mais lúcida no tempo das carabinas… Ferram o povo com ferrão de ouro, que ninguém é de ferro. E hoje tem mais votação. Só pra eles que o país é de poucos. Os ricos tem a faca e o queijo na mão…. os pobretões só tem a vontade de comer. Já falei que a caserna não tem líderes? 519 anos depois, produziram um Bolsonaro e 3 “fios” desencapados. É a fome, amigo. Falta queijo e troquei a faca na reciclagem. Ganhei meio ovo cozido e uma foto do Faustão. Será que o cara quis gozar na minha cara? O bão das perguntas é que ninguém responde. Quietinho aí.

  9. Prezado Kotscho: Você está coberto de razão quando diz que “tem muito imbecil achando que a vida agora vai melhorar” e que “ficarão felizes todos os comentaristas da TV, que este ano não falaram de outra coisa”, mesmo porque esses comentaristas representam suas empresas que tem uma alta dívida com a previdência, certo?

  10. Em todas as principais decisões que mudaram o rumo da economia no Brasil, o PT foi contra. Não seria diferente agora. O Plano Real que estabilizou a economia, a Lei da Responsabilidade Fiscal e muitas outras importantes, o PT sempre foi contra. Mas afinal, qual é a proposta do PT? resposta: NENHUMA a não ser fazer o caos. O articulista deste blog já cobrou aqui diversas vezes: Onde está a oposição? Qual é sua proposta? Se for para resolver os problemas da Nação, não tem.
    Se nesta reforma da previdência ficaram algumas “castas” fora do alcance, porque os deputados do PT não apontaram e exigiram que fossem enquadrados? Pelo contrário, por eles, as benesses seriam bem maiores, atingindo outras categorias ligadas ao partido.
    Veja a vergonha que é o Governador do Piaui, Wellington Dias pregando a necessidade de seu estado ser incluido na reforma e sua esposa, deputada do PT votou contra. Nos estados são contra, em Brasilia são a favor da reforma.
    Definitivamente, o Brasil dispensa qualquer ajuda – e comentário – de partidos como PT e PSOL, que só querem o caos como meta de voltarem ao poder. Adios muchachos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *