A casa caiu: Lava Jato de Moro detonou o Judiciário, a mídia e a democracia

A casa caiu: Lava Jato de Moro detonou o Judiciário, a mídia e a democracia

“O povo vai dizer se estamos certos ou não” (Jair Bolsonaro, presidente da República).

***

Aha!, uhu!, comentaria o serviçal Dallagnol: quer dizer que só agora o povo vai poder decidir o que é certo?

Neste 5 de julho de 2019, dia em que desabou a casa mal assombrada da Lava Jato e do Golpe de 2016, construída com esmero pela grande mídia ao longo dos últimos cinco anos, eles resolveram virar democratas desde criancinhas.

Por que não deixaram o povo votar livremente em 2018, para decidir entre Lula e Bolsonaro, quando o ex-presidente tinha o dobro do capitão nas pesquisas de intenções de votos?

Para impedir a volta do PT ao poder, e abrir caminho para o boçalnarismo rude e ignaro, o ex-juiz Sergio Moro, agora ministro, se aliou e assumiu o comando da força-tarefa da Lava Jato, então chefiada pelo procurador Deltan Dallagnol, um tipo que se revelou sabujo e desprezível.

Agora, os dois são esculachados pelos principais jornais do mundo e a imprensa brasileira não tem mais como esconder a grande farsa da Lava Jato, que deixou um rastro de milhões de desempregados e empresas quebradas.

“Vazamentos revelam um juiz imoral”, resumiu o New York Times, ao dar a notícia que rodou o planeta, e só entrou no portal de O Globo ao meio dia, escondida numa notinha envergonhada.

No mesmo horário, Merval Pereira e Carlos Alberto Sardemberg, dois porta-vozes da Globo, cortavam um dobrado e gaguejavam na CBN, tentando ainda salvar a cara de Moro & Dellagnol, já sem argumentos para explicar o injustificável: crimes em série, um verdadeiro passeio de imoralidades pelo Código de Processo Penal e pelo Código da Magistratura.

Moro não só orientou a investigação do MPF, como pediu inclusão de provas e sugeriu a mudança de datas de operações.

Mais grave: omitiu informações solicitadas pelo ministro do STF Teori Zavascki, morto num acidente aéreo em 2017, para manter um inquérito na 13ª Vara Federal, em Curitiba.

Isso só foi possível com a complacência do Supremo Tribunal Federal e a colaboração da mídia amiga nos vazamentos para condenar o PT.

Para o capitão Bolsonaro, que não tem a menor ideia do cargo que exerce, muito menos dos códigos que regem o trabalho de juízes e promotores, as instituições simplesmente não existem.

Basta levar Moro para ser aplaudido no Maracanã, erguer a taça, zerar o jogo, passar o pano e seguir cantando alegremente, atropelando as leis no mundo de fantasia em que vivem.

Já não dá para dizer que é tudo coisa de “petralhas comunistas” porque quem fez as revelações mais graves até agora foi a Veja, em parceria com o The Intercept, um site americano.

É a mesma revista Veja que se aliou à Globo este tempo todo para desmontar Lula e o PT, e transformar Moro em “herói nacional” do combate à corrupção.

Na volta do cipó de aroeira no lombo de quem mandou dar, a maracutaia que há tempos se denunciava agora ficou nua à luz do dia, com seus personagens caricatos fazendo arminha com as mãos e gritando “Mito!”, reclamando agora de “vazamentos criminosos”.

Caíram todas as máscaras. O ilusionista juiz de primeira instância de Curitiba, comprovou-se agora, trapaceou em parceria com a mídia amiga o tempo todo e desmoralizou o Judiciário.

E o Brasil vai aos poucos caindo na real, ao ver dia a dia o país ser destruído por um bando de mentecaptos, que só não rasgam dinheiro, e sabem muito bem a quem estão servindo.

Bom feriadão.

Vida que segue.

25 thoughts on “A casa caiu: Lava Jato de Moro detonou o Judiciário, a mídia e a democracia

  1. Não trapaceou a imprensa não, Ricardo. A ex-assessora de imprensa da LJ já declarou seu espanto ao ver como a “imprensa” comprava todas as declarações, versões e acusações sem contestar ou discutir….

  2. Esta bom por enquanto.
    Mas será preciso que o greenwald acenda o estopim de um áudio direto do marreco a um procurador, a um cara da Globo ou a um togado do tribunal.carimbo de Porto Alegre. O glenn nao disse ainda se prefere ou nao apertar o laço lentamente.
    O cinico fraudador do devido processo legal e estuprador do código de processo penal está pela bola 7. Ao fim final deste escroque de toga, o bolsonarismo politicamente ficará mais isolado ainda.

  3. Moro no desgoverno é a lepra em fase terminal na cara da ELITE DOMINANTE BRASILDEIRA. Bolsonaro e a caserna devem explicações. A veja prendeu Lula. Prenderá Moro?
    Moro acusou o golpe e deve estar doente. Ficará cada vez pior. Pra mim, o “Ministro da Justiça de Vento” cometerá suicídio. Não desejo, quero que as grades da infâmia sejam testemunhas de sua derrocada. Suicídio é fim dos covardes de Curitiba. Aumentem a segurança.
    A cadeia o espera.

  4. A sentença de um ditador da justiça que enxerga muito bem e tem lado. A capa da Veja desta semana é um pedido de perdão a Lula. E a verdade vos libertará! Bolsonaro se não o fez, arrancará em breve esta página da Bíblia.

  5. A mídia é a sala de visitas da Casa Grande.
    O STF é o puxadinho da Casa Grande.
    A guinada da Veja é um movimento de descolamento do projeto de poder militar-policial e de reaproximação do centro-direita para uma candidatura “civil”, já mirando 2020 e 2022.
    A Vênus Platinada permanece apostando na sua “batmania”: antes Joaquim Barbosa, agora Sérgio Moro. Até quando não se sabe, mas esse tempo está mais longe do que perto.
    Se já era explícita a conexão intestina e privilegiada entre o protagonista do “lavajatismo” – que encarna no plano simbólico do imaginário coletivo o papel de paladino das causas justas -, e o mais poderoso meio de comunicação de massas do Brasil, agora se desvelou escancarada, articulada e combinada.
    Há riscos extremos para todos os envolvidos, que não deveriam ser subestimados ou banalizados.
    Não é possível dizer, exceto por açodamento, se o paladino do lavajatismo, ao fim e ao cabo da revelação dos conteúdos do Telegram pelo The Intercept, será levado machucado ao córner ou voltará fortalecido ao centro do ringue.
    Não seria difícil fazer do ex-juiz provinciano – que deu um salto triplo carpado e caiu em pé no Ministério que comanda a Polícia Federal e a agenda de Segurança Pública -, uma vítima do Cartel dos Corruptos e das Gangues partidárias (ainda chafurdando nas alcaguetagens de doleiros, empresários e malta de safardanas).
    Ainda não se pode dizer que a Casa “caiu”.
    A Casa Grande, é sempre bom lembrar, raramente balança.
    Pode até balançar, algumas vezes, mas historicamente nunca caiu.
    A derrubada do lavajatismo implicaria a derrubada do Poder Judiciário e, de cambulhada, toda a corporação pública-estatal, além da desmoralização das suas instâncias superiores.
    Até onde a vista alcança, Lula continua mais prisioneiro, paradoxalmente, sempre que uma revelação surge das entranhas do Telegram.
    A derrubada do ministro da Justiça implicaria a rendição do “boçalnarismo” (para usar a expressão cunhada por Kotscho).
    Isso não vai acontecer. Não depois de tudo que foi feito e desfeito para levar ao cárcere o núcleo mais duro do lulo-petismo: Dirceu, Palocci e Lula, nessa ordem.
    É mais fácil para o presidente da ‘legião de imbecis’ requisitar as FFAA para uma intervenção militar, com base no artigo 142 da CF.
    Como diria o centro-avante Jardel do Grêmio. Quando as coisas ficam muito ruins… “a esperança é a única que morre”.

  6. _ Alô, é o povo?
    _Sim, hngrdtd fdvd bbanai sye geb emmn kjg
    _ Não estou entendendo, a ligação tá ruim, preciso desligar.
    Bem gente, só entendi que o povo sairá às ruas e exigirá a cabeça de Moro, ex juiz parcial de Coritiba, novo nome da capital paranaense.

  7. Já estão pedindo Pena Capital para os criminosos comandados pelo VERDEVALDA!. Por atentar contra a Segurança Nacional.Tentando provocar uma instabilidade institucional no Brasil.Pois,a tentativa de desacreditar o Sérgio Moro e a operação Lava a Jato -Põe também em DESCREDITO todo o “poder” Judiciário.Lula teve a confirmação da sua sentença em 3 esferas do Judiciário!!.

  8. Prezado Kotscho: Se a justiça é cega o então juiz enxergava muito bem para onde queria chegar: “Moro não só orientou a investigação do MPF, como pediu inclusão de provas e sugeriu a mudança de datas de operações.” Diretas Já!

  9. Faustão na tela dominguenta é um estupro ao vivo da Arte que ele pauta para, sem camisinha, buscar o orgasmo dominical que sangra e extingue a história do povo brasileiro. Que pena, extinção é pra sempre.
    Jamais comprarei um produto anunciado no seu programa. Em cada “pograma”, o gordinho e bonitão leva uma montanha de reais igual a $ 1.250.000,00. Pelos 4 orgasmos mensais, o apaixonado pelo “ricardão” recebe $ 5 milhões. A receita confere dim por dim na declaração de imposto de Renda. Nisso, o Barrigão do faustão é “brasileiro de verdade”. Dona Receita Federal, será toda a verdade? “Confere lá, só pra nóis ri com bolso vazio e cheio de gozo”.
    30, 29, 28, 27, 26, 24………………….se vira, dona Receita, 23, 22, 21, 20, 19…….. ô loco, dona Receita, 5, 4, 3…. Bingu! que é a rima do ricardão.

  10. Bom feriado, Kotscho, acho interessante lembrar que a “notícia” do NYT é um artigo de opinião escrito pela petista Vanessa Bárbara.

    Quanto ao restante, nós temos “reportagens” tendenciosas, que criam uma história em tom escandaloso e a recheiam com uma ou outra das tais mensagens, que, além de não dizerem nada de mais, são normalmente retiradas de contexto e podem ter sido editadas pelo falso ganhador do Pulitzer ( já se comprovou que ele as altera).

    Mas acho que não adianta dizer isso para a minoria, do povo e da imprensa, que quer desesperadamente atacar a Lava Jato e libertar os por ela condenados. Assim, só pergunto: por que não apresentam uma denúncia oficial contra o Moro? É só dizer o crime que ele cometeu, mostrar a prova, comprovar sua autenticidade e pronto.

    Não fazem porque sabem não ter nada real.

    1. Acredito que está na hora do Moro chutar o pau da barraca e partir para o ataque. Tem que entrar com processo judicial e exigir Que esse cara traga a verdade duma vez por todas doa a quem doer. Ficar tentando desmoralizar a justiça brasileira a conta-gotas é inaceitável. O mais incrível é ver toda a midia brasileira dando tanto crédito a um forasteiro que veio para desmoralizar a justiça brasileira.

      1. Inocente bobo, calma. Se o ex-juizeco chutar o pau da barraca, ela cai sobre ele. Exigir que ele, Glenn, apresente todo o material que tem de uma vez e a PF, subordinada ao “conge” examine? Não seja trouxa. A justiça brasileira já está desmoralizada há tempos e foi a conta-gotas. Quanto ao forasteiro, ele mora no Brasil há uns 14 anos e ESCOLHEU morar aqui. Por que o informante decidiu entregar o material a ele, estrangeiro? Porque o “Garganta Profunda” tupiniquim não confia nos jornalistas brasileiros. Simples. Não sei a sua idade – nem quero saber – e se você já leu ou ouviu falar sobre o caso Watergate, nos anos 70 do século passado. O “Deep Throat” era William Felt, o n. 2 do FBI. Ele passava aos repórteres Bob Woodward e Carl Bernstein os caminhos para desvendar o escândalo que levou Richard Nixon a renunciar à Presidência dos EUA. A dona do WPost Katharine Graham e o editor-chefe Ben Bradlee não sabiam quem era o informante mas publicavam mesmo assim. Woodward ainda pode ser visto na CNN.
        Ôh bobão, informe-se mais. Leia a história. Não espalhe sua ignorância a esmo. Lembre-se do que Lincoln falou a respeito.

    2. Caro Brasileiro como eu: quando você classifica politicamente a articulista, você coloca teu comentário sob suspeição. O N.Y. Times (NYT) publica cartas ao Editor e classifica os que as escrevem como “contributing opinion writer” (Ver abaixo). Escreva você também ao NYT dando sua versão sobre os “leaks” publicados pelo Intercept Brasil, Folha de São Paulo e Veja. Não se esqueça que o “falso Prêmio Pulitzer” é um jornalista investigativo de primeira. Você falou uma asneira monumental. Que tal “falso Prêmio Nobel”? Você acha que as instituições que dão esses galardões as dariam para os mentirosos, vigaristas, depravados que ora vicejam no jornalismo, justiça, política e governo do Brasil? A senhora Vanessa colocou na sua contribuição nada mais do que parte importante da imprensa brasileira publicou. Fez muito bem. E se o Glenn resolve mandar o que ele tem para o NYT? É bem provável que ele já tenha mandado. Só espera a hora certa para dar a bandeirada com áudios e tudo o mais . Você acha que a Folha e a Veja entraram nessa por que são a favor do inominável Partido dos Trabalhadores? Com todo respeito, você escolheu um herói que se revelou vilão. E citando a sabedoria popular: “herói e c##ú, cada um tem o seu”.
      “The Times is committed to publishing a diversity of letters to the editor. We’d like to hear what you think about this or any of our articles. Here are some tips. And here’s our email: letters@nytimes.com.
      Follow The New York Times Opinion section on Facebook, Twitter (@NYTopinion) and Instagram.
      Vanessa Barbara is the editor of the literary website A Hortaliça, the author of two novels and two nonfiction books in Portuguese, and a contributing opinion writer.”

  11. Estamos defronte com aquela velha máxima: Os fins justificam os meios? Legalmente não.
    O juiz Sergio Moro, diante da maior corja de ladrões de recursos publicos que este pais ja viu, deixou a toga e vestiu a bandeira do Brasil, sabendo que, por vias normais jamais conseguiria colocar toda esta gangue atrás das grades e recuperar “parte” daquilo que foi desviado. Deu com os burros n’água porque agora foi pego no contra pé, usando de expedientes nada republicanos.
    Mas a pergunta que faço: E do outro lado, o expediente usado era republicano?
    E as provas encontradas (embora por caminhos tortuosos) não comprovam a roubalheira?
    E a centena de condenados (muitos reus confessos e delatores) e os milhões recuperados não valem nada?
    Seria mais ou menos como filmar o roubo, mas a prova não poder ser usado porque o ladrão não autorizou o uso de sua imagem?
    E quando Lewandoski foi a Portugal tramar com Dilma, foi condenado? E quando Nelson Jobim, a mando de Lula foi tentar cooptar Gilmar Mendes, foi legal?
    E as delações claras que teve e continua tendo – ainda nesta semana Palloci detonou Lula – não tem valor?
    Vamos repetir o caso em que Protogenes foi preso e o bandido solto e inocentado?
    Enfim… os fins justificam os meios? ou depende de que lado estamos?

  12. Michele Bachelet,enfim,abriu seus olhos e contemplou parte do sofrimento do povo venezuelano -Denunciando os fatos ao mundo!.Posta esta mensagem,pois é muito importante!.

  13. Kotscho, permita-me publicar parte de texto extraído hoje do jornal português Observador, escrito a respeito de Pôncio Pilatos pelo colunista Pe. Gonçalo Portocarrero de Almada, sob o título “Pôncio Pilatos era português?”. Qualquer semelhança com fatos recentes ocorridos também no Brasil serão mera coincidência? Leiam:

    “Se se põe à parte o direito, em que se distingue então o Estado de um grande bando de salteadores?’ – perguntava Santo Agostinho.”

    Toda a gente sabe, ou devia saber, que Pôncio Pilatos foi o iníquo representante do império romano que condenou Jesus de Nazaré à morte, não obstante a sua inocência. Ciente da injustiça da acusação contra Cristo, tentou a sua libertação. Primeiro, mandou-o flagelar, pensando que conseguiria assim aplacar o ódio dos seus inimigos, mas em vão. Depois, quis conceder ao pacífico rabi da Galileia o indulto pascal, mas os habitantes de Jerusalém preferiram a absolvição de Barrabás. Por fim claudicou, mandando crucificar o ‘Rei dos Judeus’, mas lavou as mãos diante do povo, protestando a sua inocência. Na verdade, aquele seu gesto não só não o absolveu da sua culpa, como passou a significar a hipocrisia dos que, em vez de fazer justiça, cedem à pressão das conveniências políticas.

  14. Mestre, na fila de penitentes, arrependidos e desavisados que se forma, de um dos ex da ala ‘vip’ do G.R.E.S. Virgens Indignados Com A Corrupção Petista No Brasil, certamente a Netflix anunciará, antes do término da primeira temporada da série ‘Vaza Jato’, o lançamento de: ‘Mecanismo 2: A Engrenagem Agora É Outra’.
    Enquanto o The Intercept, para a precisa continuidade do ‘espelhamento cipó de aroeira’ da ‘Lava Jato’, bem que poderia estabelecer prazo final a Globo, Estadão, Jovem Pan, etc., reivindicarem a última vaga que resta à ‘participação premiada’ na operação ‘Vaza Jato’.
    Enfim, pra não chorar a terra arrasada e o tempo perdido, com o ‘remake golpista da corrupção’ lançado pelos corruptos golpistas de sempre, só mesmo rindo com a conversão de arrependidos e, desbragadamente, com os comentários desesperados de patos remidos cá no Balaio, ainda tentando tapar os crimes de Moro e golpistas, com a peneira da mediocridade, explícita por uns e dissimulada por outros.

  15. Kotscho , era tudo que intercept queria, pendurar o juizeco no pescoço do inominavel. O marreco vai ser depenado vivo, é questão de tempo.

  16. E quando o Intercept começar a liberar os áudios? Dirão que é falso, também? Olhem, imitar a voz do marreco é difícil. Mas, quem sabe? Há bons imitadores por aí, não? Divulgar áudio na imprensa escrita é impossível. Mas temos os blogs, certo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *