Escândalo do Morogate: Lula estava certo em lutar até o fim para provar sua inocência

Escândalo do Morogate: Lula estava certo em lutar até o fim para provar sua inocência

“Não troco minha liberdade pela minha dignidade”, repetiu Lula mil vezes a todos os que o visitavam na cela, desde que foi condenado e preso sem provas, em abril do ano passado, pela dupla Moro & Dallagnol.

Em nenhum momento o ex-presidente fraquejou nesta determinação férrea de provar sua inocência, nem mesmo quando foi impedido de disputar uma eleição praticamente ganha.

Só poderia duvidar disso quem não conhece o caráter deste sertanejo teimoso, que saiu dos fundões do nordeste num pau-de-arara, para se eleger primeiro presidente operário da nossa historia.

Para Lula, provar que a Justiça cometeu um crime ao condená-lo, com base em convicções, “provas indiretas” e matérias de jornal, era mais importante do que voltar a ser presidente.

As revelações feitas pelas reportagens do site The Intercept neste final de semana apenas confirmam o que Lula e seus advogados vinham falando desde o começo desta farsa judicial, e todo mundo já sabia, até o papa Francisco:

  • O ex-juiz Sergio Moro e o procurador federal Dalton Dallagnol se uniram, não para acabar com a corrupção, mas para acabar com Lula, o PT, a soberania nacional e as grandes empresas do país, a serviço de interesses econômicos e políticos daqui e de fora, como Bolsonaro está deixando mais claro a cada dia.
  • O principal objetivo foi alcançado: tirar Lula da campanha presidencial de 2018, mas a Operação Lava-Jato, que se achava acima das leis e da Constituição, com o apoio da mídia e do STF, deixou tantos rastros que agora todo o processo, como a própria eleição, podem ser anulados.
  • Com Lula preso, está em andamento o processo de destruição das conquistas sociais e dos direitos dos trabalhadores, e a entrega do pré-sal e da Amazônia a empresas privadas.
  • Os inacreditáveis diálogos entre Moro, Dallagnol e outros procuradores não deixam a menor dúvida desta armação, em que o ex-juiz foi ao mesmo tempo investigador e assistente da acusação, num processo contaminado desde o início, com o grampo nos telefones de Lula e Dilma, sem que as cortes superiores tomassem qualquer providência.
  • Por não ter nenhuma ligação com a Petrobras, o alvo da Lava-Jato, o processo do triplex do Guarujá, em São Paulo, não poderia jamais ter ficado nas mãos de Moro em Curitiba.

Numa das conversas com Moro, Dallagnol digitou com todas as letras:

“Falarão que estamos acusando com base em notícia de jornal e indícios frágeis… então é um item que é bom que esteja bem amarrado. Fora esse item, até agora tenho receio da ligação entre Petrobras e enriquecimento, e depois que me falaram tô com receio também da história do apto… São pontos em que temos que ter as respostas ajustadas e na ponta da língua”.

Tranquilizado por Moro, quatro dias depois destes receios, Dallagnol apresentou o famoso PowerPoint para acusar o “esquema criminoso do PT”, que serviu para a condenação adrede preparada pelo ex-juiz, agora ministro da Justiça de Bolsonaro.

Em outro trecho da denúncia é reproduzida esta mensagem de Dallagonol, que não deixa dúvidas sobre as “provas” da acusação:

“Tesão demais esta matéria de O Globo de 2010. Vou dar um beijo em quem de vocês achou isso”.

Assim foi montada a farsa dos grandes “heróis nacionais” para condenar o melhor presidente da República da história, e que era favorito para voltar ao cargo, segundo todas as pesquisas.

Com toda razão, o Comitê Nacional Lula Livre divulgou nota nesta segunda-feira exigindo das cortes superiores “a imediata libertação e o pleno reconhecimento da inocência” de Lula.

Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, um dos maiores criminalistas do país, expressou em nota o que a maioria dos juristas manifestou após a divulgação da reportagem do site Intercept:

“É necessária uma investigação profunda para saber se havia uma organização criminosa tentando usar a estrutura do Poder Judiciário em proveito próprio e com fins políticos. O Brasil precisa e merece saber a verdade. O Judiciário está sob suspeita”.

Para saber a verdade, recomendo a leitura na íntegra dos diálogos entre Moro e Dallagnol , reproduzidos pelo site na internet.

Flávio Dino, governador do Maranhão, foi direto ao ponto: “Moro é suspeito e todos os seus atos são nulos”.

Resta saber se agora, finalmente, o Supremo Tribunal Federal vai colocar na pauta o processo que mudou os rumos políticos do país e até hoje deixa na cadeia um ex-presidente, que não desiste nunca de provar sua inocência.

Vida que segue.

 

35 thoughts on “Escândalo do Morogate: Lula estava certo em lutar até o fim para provar sua inocência

  1. Mestre, isso era sabido desde o início!!!Por isso que eu não entendo a insistência do Lula em fazer parte desta farsa, pois ao insistir em recursos derrotados na véspera pela quadrilha do judiciário, ele acabou justificando a narrativa cínica de que “as instâncias judiciárias brasileiras estão funcionando corretamente”…Era para ele pedir asilo em uma embaixada e não fazer papel de palhaço, além de economizar uma fortuna em advogados! Que deixasse os golpistas falando sozinho e agisse com a hombridade que o momento exigia…Lula talvez queira se tornar um mártir, mas não é de mártires que o Brasil precisa neste momento crítico!

  2. Nenhuma surpresa… quem conhece um pouquinho de qualquer coisa ( e o Koscho conhece muito) sabe a muito tempo que foi tudo armado.. Pena perpétua para o Moroso por traição nacional,,, junto com todos os marrecos de fala fina de Curitiba ( e de Maringá..)..

  3. Caro amigo Kotscho,acredito que a divulgação destas conversas é só a ponta do iceberg, a dupla Moro/Dallagnol, cometeram muito mais crimes do que os que apareceram até agora !
    Falta saber também, a mando de quem cometeram estes crimes, a que favoreceram(instituiçoes,paises,empresários, etc)
    A verdade só começou a aparecer , e a eleição do bozo já se mostrou frauduleta, uma vez que condenaram o Lula sem provas para evitar de ele se novamente eleito presidente e mesmo após a prisão manobraram para que não fosse entrevistado,pois nas palavras deles a entrevista poderia ajudar a eleger o candidato do PT!
    E agora quem os bolsonetes vão chamar de heroi,sabendo que o grande heroi deles não passa de uma fraude!!!
    Força amigo ! Estamos juntos na resistência!

  4. Mais cedo ou mais tarde já se sabia que a verdade viria à tona! Só não se esperava que fosse tão cedo. Eu, particularmente imaginava que a verdade só se restabeleceria após a morte de Lula e já com o país completamente entregue ao deus mercado e de quatro para o Tio Sam!
    Esperar que o Supremo, com Alexandre de Moraes, Fux, Rosa Weber, Carminha, Barroso e seu Presidente Dias Toffoli tomem as rédeas da história colocando o país de volta nos trilhos é também acreditar em contos da carochinha!!
    Este stf nunca foi em letras tão minúsculas como agora!!

  5. Que vergonha, uma sujeira, era claro que tinha alguma coisa errada, espero que tomem providências e que a justiça seja feita, Lula Livre Já.

  6. Há muita fumaça e pouco fogo. O fogo, no entanto, é suficiente para fazer derreter o combate aos corruptos, corruptores e cúmplices da bandalheira; particularmente aqueles que repisam o palavrório de que nunca souberam de nada nem tiveram coisa alguma que ver com a sangria sistemática do erário. O fato concreto é que os procuradores e os magistrados devem ser investigados pelo CNJ e pela Corregedoria do MP, antes de quaisquer desdobramentos. Há muito delinquente nadando nas águas turvadas da Lava Jato e farejando uma ótima oportunidade de reabrir a magnífica pizzaria que serviu sempre o andar de cima. O sistema judiciário está em xeque há longo tempo.

  7. – Alô!
    – Oi, Ney…
    – Quem fala?
    – O assessor do doutor Sergio, que deseja falar-lhe, um instante.
    – OK!
    – Oi, Ney…
    – Oi doutor, tudo bem?
    – Mais ou menos, liguei pra falar do estrupo…
    – Mas eu não estuprei ninguém, doutor.
    – Eu sei, tô com capitão nessa e te apoio, mas…
    – Mas o que, doutor, está me deixando tenso…
    – Relaxa garoto, é sobre estrupo meu…
    – Como assim, estupro seu?
    – Estão acusando-me com um vazamento…
    – Ela te filmou também?
    – Não, nós mesmo produzimos o material vazado e…
    – Nós quem?
    – A turma da vaza jato.
    – Nossa doutor, até suruba na vaza jato vazou, é?
    – É, infelizmente vazou… Mas o que quero…
    – Conta aí, a delegada, a loirinha, o japonês…
    – Não, não é exatamente esse tipo de suruba que vazou.
    – Como assim, que suruba e estupro vazaram, então?
    – A do estrupo da Justiça, de quatro, com direito a tapões na bunda e puxões de cabelo.
    – Igual eu, sem estupro, não estou entendendo?
    – Nem eu, Ney, mas é o que estão a dizerem.
    – Caracas! Agora entendi, fuderam a Justiça e o Brasil e não as moças… chiiiii!
    – Pois é… dá pra passar o celular do… (Acabou a bateria)
    PS: Quem diria, né Mestre? Enfim provas, pra começar, e um post pra arrasar, anunciando o fim da farsa a jato.

  8. Pura fumaça. Contatos entre o MP e o juiz são normais durante a montagem do processo e nada indica conduta abusiva do Moro. Imagine então os procuradores reconhecerem que precisam de provas convincentes ou comemorarem o encontro de uma.

    Aliás, se tudo estivesse acertado com o juiz, por que o MP estaria procurando mais provas e festejando seu encontro?

    O crime está em hackear as mensagens. Ou, se isso não foi feito, em inventá-las.

    1. Ernesto meu fui,
      Wilson Aragão, autor de “Capim Guiné” que tanto sucesso fez na voz de Raul Seixas, também compôs “Guerra de Facão” gravada pelo Falcão e Zé Ramalho. Tem um trecho da música que cabe feito uma touca nesse teu comentário :
      “A dor do jegue, tadim nasceu sem chifre
      A dor do chifre é não nascer em certa gente
      A dor da gente é confiar de mais nos outros
      A dor dos outros é que nem todo mundo é besta…”
      Espero que se um dia tu precisares entrar na justiça contra alguém que te prejudicou não venha descobrir mais tarde que o juiz da tua ação combinava e orientava o advogado da outra parte antes de te lascar a sentença. A Lava-Jato” se fué”, acabou, já era.

    2. Você acharia normal contatos entre o juiz e o advogado de defesa do réu na montagem do processo? O réu é a outra parte no processo penal. Daí porque o comportamento dos envolvidos é absolutamente ilegal e contamina irremediavelmente um processo em que haja ocorrido, determinando sua anulação. Portanto, não é fumaça, mas é fogo mesmo, e bem alto.

      1. Os contatos são normais, Ruy, pergunte a um amigo advogado para conferir. O irregular seria o juiz estar armando com uma das partes. Mas não há nada disso nas conversas.

        E, se houvesse, ainda seria preciso questionar a sua veracidade. Não se trata aqui de cópia de documentos ou gravações de voz, mas de transcrições de mensagens que teriam sido trocadas. Quem garante que o Glenn ou quem está por trás dele não inventou uma parte do material? Palavra de hacker agora é lei?

        1. “Arnesto”, “contatos normais?”. Em que momento a defesa do Luiz Inácio mereceu o mesmo tratamento dado aos acusadores? Não há registro nenhum. A defesa do Lula sempre foi tratada aos ponte-pés pelo juizeco. Já com o Dallagnol e demais, mesuras, salamaleques, colóquios, orientações, “…façam assim…”,”…façam assado…”.
          Quando o “conge”juizeco grampeou o diálogo da Pres. Dilma com o Luiz Inácio e mandou divulgar na globo, justificou esse CRIME dizendo que o “importante é o conteúdo”, não a forma como foi obtida. Agora é diferente? “…o Glenn inventou…”. Olhe, “Arnesto”, fique quieto.

    3. porque nao tinha nenhuma prova, como o evangelissíssimo dalagnotti confessou.
      E qualquer coisa ate o ultimo minuto – antes do JN- valia o esforço.
      Engula, arnesto, é so o começo.
      Mundialmente o savonamoro esta fudiscado.
      Nacionalmente ele vai espernear um pouco.
      E quem o nomeou vai ser mais pária ainda.

  9. Tudo faz sentido agora: sem dar nomes aos bois, sabe-se que eles teriam articulado algo como a prisão de Obama, se “procurassem” e “ajuizassem” por lá. Com eles, Obama seria queniano, não americano; no Power Point, a genealogia delirante passaria por causa e esta em seguida por prova.
    Precisa lembrar? Blogueiros presos, faixas arrancadas da universidade, reitor humilhado até ficar sem saída, delações arrancadas com um jogo de terror psicológico emprestado dos porões da ditadura, autodocumentário narcisista da epopéia do depoimento sob coação, dosimetria incrivelmente coincidente, coach para lá, coach para cá.
    Quase não precisava dizer mais nada, porque evidência alguma serviria para convencer de outra coisa os adoradores de heróis hipermorais de HQ. Mas querer que essa conversa veiculada no “Intercept” passe por “contexto” discursivo usual de quadros jurídicos do estado. Aí é demais!
    Algumas já vinham falando do desfiguramento da promissora lava-jato inicial em uma missão para punir seletivamente e limpar para a extrema-direita o campo eleitoral (o verbo foi usado nas conversas); uma cruzada jurídica carregada de motivos religiosos inconfessos. Já tinha sido aventado o caráter autoexplicativo do juiz “enviado por Deus” e ao mesmo tempo santo vingador da (assustadora) menoridade brazuca, ao assumir o ministério da justiça-de-tudo num governo da extrema direita da extrema direita do planeta, só eleito como resultado de concatenação punitiva politicamente interessada. Algumas repetiram a mais não poder o encurralamento da civilização com este estado delirante dentro do estado, situação anterior à posse.

  10. COXINHA DESCONSOLADO :

    “O pior disso tudo é que a enorme indenização que esse Lula receberá do Estado será paga com o MEU dinheiro”

  11. Kotscho, FHC de sua poltrona de couro já se manifestou.
    Para ele tudo normal e nada de grave aconteceu.
    E nao era de esperar outra coisa do FHC. Para ele tudo normal ao tungar as aposentadorias do setor privado ao estabelecer o fator previdenciário e reduzir o direito ao benefício pela metade. E quando, nao impos limites as aposentadorias do setor público, deixando a porta escancarada para a construçao de aposentadorias milionárias como hoje estamos vendo.

  12. Sem entrar no mérito da questão principal (se o Moro está certo ou errado ou… se as provas valem ou não valem) creio que estamos aqui diante de uma encruzilhada terrivel. SE… o Moro fez esta tabelinha com o Dallangnol e prejudicou o Lula, devem as provas dos autos serem anuladas?
    Mas SE… as provas que Moro fez coisas erradas foi conseguida através de hackeamento criminoso dos aparelhos do Juiz e dos procuradores, estas provas terão validades para o fim de anular um processo?
    Será que não estamos diante daquele famoso proverbio: Ladrão que rouba ladrão, tem cem anos de perdão?
    Cada cabeça uma sentença

    1. Caro José Antonio, já corre pela internet um posicionamento (não sei se é fake) no qual o Min Alexandre de Moraes afirma que não existem provas ilíctas contra funcionários públicos que cometeram ilegalidades.
      Eu, particularmente, acho que provas ilegais são provas ilegais em quaisquer circunstancias. Mas como vivemos num país completamente amalucado, vai que ele esteja certo?!!!

  13. Agora cabe ao STF, dizer se ainda podemos voltar a ser uma nação, ou se continuamos sendo um territóio, tomado de assalto por um bando de marginais.

  14. Meu caro Kotscho, as vezes nos traimos em nossos preconceitos como em “que saiu dos fundões do nordeste ” . Eu que conheço Garanhuns e sua história , posso lhes dizer que a setenta e tantos anos atrás quando o bebê lula sofria no frio agrestino, a elite local estudava em 3 dos melhores colégios do nordeste. Um fundado por presbiterianos americanos , onde o inglês era fluente . Um católico diocesano onde o alemâo era fluente e outro denominado Santa sofia onde o francês era fluente. Nesta mesma época ocorria apresentação de peças de Moliere , Goethe e Shakespeare todos na lingua de origem

    1. Claudio Roberto, Lula não estudou em nenhum destes três colégios, pode ter certeza.
      Saiu dos fundões do nordeste, sim, do antigo distrito de Caetés, que pertencia a Garanhuns, e hoje é município.
      Estive lá várias vezes. Garanhuns é uma bela e próspera cidade, eu sei.
      Mas onde Lula pegou o pau de arara para vir a São Paulo, quando estive lá ainda vivia na miséria, sem água e sem luz, em casas de pau a pique.
      Quem levou água e luz para esse povo foi o Lula. A miséria e a riqueza sempre viveram lado a lado nesta região, onde o problema não é a seca, mas a cerca. Não é preconceito. É a realidade. Abraços

      1. sómente o “Luz para todos” de Dilma levou energia eletrica para also mais que cinco milhoes de familias que nunca a tinha visto.
        Por isso mesmo e só por isso puderam depois, comprar sua geladeira ou TV a prestaçao. Usando no interior o cartao do bolsa familia que eh aceito pelas lojas comerciais do local.
        Sempre disse que se a Dilma recebesse, em gratidão, apenas R$ 1,00 POR cada TV, geladeira ou eletro domestico vendido PELA EXCLUSIVA RAZAO de ter criado seu Luz para Todos… ela montava uma aplicaçao financeira simples mas que quintuplicaria… sim quintuplicaria- sua magra e honesta aposentadoria hoje de pouco mais que $ 5.000.00 por mes. Faça as contas e faça justiça a quem merece, esta todo o mundo desafiado.

      2. apenas digo … grande parte da população não tinha acesso a educação , porém a circulação de idéias existia , mesmo que em um nicho espécifico e isto destroi a idéia de um “fundão” palavra que me parece ser sinônimo de “ausência total de perspectivas ” . Um grande homem que estudou n cidade foi o Noel Nutels , , um entre os inúmeros judeus que migraram para Pernambuco nos anos 20 e 30

  15. O greeenwald não é bobo. Ja confirmou tudo com sua equipe.
    Não usou sua munição mais pesada no primeiro round da batalha. E no minimo vão aparecer mais algumas fontes…
    Politicamente o marreco de maringá esta indo para a forca. Juridicamente ainda não sabemos… Mas quem vai ao final definir isto é a politica, não os rabulas do vademecum/data venia.
    Os processos politico, juridico, de midia e a recessão economica brasileira vao retro alimentar-se entre si. Ah, se vão.
    Mas porem como dizia meu amigo la atras… “Num tá como eu quero ainda”…

  16. Prezado Kotscho: É verdade que “O ex-juiz Sergio Moro e o procurador federal Dalton Dallagnol se uniram, não para acabar com a corrupção, mas para acabar com Lula, o PT, a soberania nacional e as grandes empresas do país”, o que dá fortes indícios de que não houve violência nessa ação, mas sim que foi uma ação consensual. O povo é que foi estuprado. Diretas Já!

  17. O sentimento de superioridade moral da “gente de bem” acaba de ser lançado para o espaço. Nunca verás como hoje tantos hipócritas dobrando em vão sua pose de autoconfiança. Para eles, para as “Marias e Zés-do-26/05”, Moro fez o serviço. Que sacrifiquem o ex-juiz, é o que pensam, pois já cumpriu com o seu papel (vocação divina?) de perseguir e excluir a esquerda. Ou que o santifiquem, já que ao enviado por Deus parece ser lícito atuar como juiz e acusador na moita ao mesmo tempo.
    No fundo, por trás da cortina de fumaça do combate à corrupção, queriam outra coisa: o encurralamento do jogo moderno entre liberdades coletivas e individuais. Para esta “gente de bem”, corrupção sempre equivaleu à degradação moral de padrões muito tradicionais de vida. Já sabemos o que sai do canto da sua boca quando ficam na defensiva.

  18. Esta conversa de hacker está mal contada.
    Um hacker não teria aceeso a tamanho volume de informação.
    Minha opinião é que esta fonte anônima é alguem de dentro da CIA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *