Afinal, Toffoli é ministro do Supremo ou do governo Bolsonaro?

Afinal, Toffoli é ministro do Supremo ou do governo Bolsonaro?

Tratava-se de um singelo café da manhã do capitão Jair Bolsonaro, em fase de relações públicas, reunido no Palácio do Planalto com a bancada feminina aliada no Congresso.

A rigor, nem mereceria manchetes na imprensa, se não fosse um detalhe instigante e perturbador: o que fazia ali ao lado dele o sorridente senhor de óculos, que não é ministro do seu governo, mas o presidente do Supremo Tribunal Federal?

Dias Toffoli virou habitué dos palácios presidenciais deste as cerimonias inaugurais, quando foi a uma série de posses de ministros do governo recém-inaugurado, como se fosse um deles.

Esta semana, ele já havia se sentado ao lado de Bolsonaro em outro café da manhã, com os presidentes dos três Poderes, para discutir um “pacto” de governabilidade proposto por ele mesmo tempos atrás.

Mais do que isso, o presidente do STF levou para a reunião um verdadeiro programa de governo, que Bolsonaro ainda não tem, estabelecendo as prioridades do país.

Claro que, em primeiro lugar, estão as reformas, tão reclamadas pela mídia e pelos bancos. Desemprego é só um detalhe.

Com todo respeito ao ministro Toffoli, que é meu amigo pessoal desde quando trabalhamos juntos no governo Lula, estou achando, no mínimo, muito esquisito esse seu papel.

Até onde sei, a principal missão do presidente do STF é analisar e julgar, junto com os outros ministros, a constitucionalidade das medidas do governo, não de participar de colóquios políticos.

Se ele mesmo propõe essas medidas, como poderá depois julgar? Não se trata do poder moderador? Será Toffoli capaz de votar contra as suas próprias propostas discutidas no tal “pacto”?

Empolgado com a presença de tão ilustre convidado para a reunião com as nobres senhoras parlamentares, o capitão mandou ver, em seu tradicional estilo “deixa que eu chuto”:

“E é muito bom nós termos aqui a Justiça ao nosso lado, ao lado do que é certo, ao lado do que é razoável e ao lado do que é bom para o nosso Brasil”.

Como assim? Parece que o capitão reformado não faz a menor ideia do que seja a separação de Poderes inscrita na Constituição para garantir a independência de cada um.

Por mais poderoso e amigo que seja, Dias Toffoli não é “a Justiça”, mas um representante do Poder Judiciário, que tem entre suas tarefas harmonizar as relações conflituosas entre Executivo e Legislativo _ não em bate papos de churrasco, mas no julgamento dos processos no plenário do STF.

O STF é um colegiado, cada ministro vale um voto, não um sistema monárquico.

E a Justiça não pode ter lado, ainda mais se esse lado for o de um governo que sistematicamente ignora a Constituição e faz as suas próprias leis.

Não cabe a ele concordar com “o que é certo, o que é razoável e bom para o Brasil”, como pontificou Bolsonaro, misturando as bolas, como de costume.

Será que estão todos perdendo a noção das coisas, os escrúpulos e a liturgia dos respectivos cargos de que falava José Sarney?

Se tivessem que ganhar a vida como grandes estrategistas, estariam todos perdidos porque conseguiram unir, contra o “pacto”, boa parte do Congresso e do Judiciário.

Mas nada disso importava às alegres parlamentares aliadas do bolsonarismo, felizes com a deferência, que só queriam aparecer nas fotos desta estranha confraternização matinal.

E vida que segue.

 

34 thoughts on “Afinal, Toffoli é ministro do Supremo ou do governo Bolsonaro?

  1. É de estranhar mesmo.
    Dá quase para pensar que que tem gente que não tem noção de que o STF é patrimônio do Povo Brasileiro.
    Assim como os demais poderes.

  2. Eu acredito que o ministro Toffoli,ex-advogado do Dirceu,quer ter o PRIVILÉGIO de fazer parte do governo revolucionário do Jair!.

  3. Toffoli parece ser o que sempre foi. Uma atitude típica de arrivistas corporativos e alpinistas sociais. Lamentável que tenha sido mais uma das escolhas equivocadas do ex-presidente prisioneiro em Curitiba.

  4. Leitura apavorante do contexto político- parlamentar de injustiça constitucional. Aludidas reuniões só servem para rir da bunda falante e nocauteada do Vila. Bem feito, só aprendeu a meter o pau no PT. O democrata acusou o golpe. Abatido, doravante sentirá o pau fresco e justiceiro da turma do presidente. Vila riu da cela de Curitiba e seguidores. Estes, no sarro, riem da bunda recuperanda em salmora e vinagre de gengibre com caca de elefante. Episódio humilhante do historiador protagonista, historiando o fato de nádegas próprias e abatidas. Arrogantes e prepotentes. Que dó. Fará falta. Tem gente com a pulga atrás do microfone, da câmara e da pena.

    1. Harvard não tem nada a ver com a Doutora Joana Darc. Esta, formada por Universidade das mais conceituadas.
      A rádio JP se acha Universidade do jornalismo brasileiro. Impossível tirar-lhe os méritos. Seus profissionais ao microfone informam, comentam, avaliam, ensinam palestrando à vontade, mas certamente, aprendem com a Universidade que forma “doutos” ouvintes.
      Vila faltou à essa aula. Desonrou os colegas de bancada. Vila em pauta, é pauta demissionária. Mais: Não honrou seus certificados e títulos, caso típico de autodesvalorização profissional.
      Virou Joana Dárc no palco. Rendeu-se ao falso glamour entre povo inculto e cervejeiro, cervejeiro e omisso, omisso e carnavalesco.
      Compromete os bancos escolares porque passou. Para ele, certamente, o sucesso acinzentou seu pensamento e achou que falava ao microfone da Rádio de Harvard.
      Como Joana Dárc , reinou absoluto, até que repórteres e ouvintes ilustres, não querendo desligar de Rádio, cortaram seu microfone, revelando toda a verdade do galo que canta em terreiro próprio.
      À JP, nota 10 e que continue com seu concorrido jornalismo à altura de Harvard. Sem “Joana Dárc”. Com todo o respeito.

  5. Em Banânia presidentes têm ministros do STF de estimação. Dilma tinha o dela, graças a ele conseguiu um jeitinho de manter seus direitos políticos depois de impichada. Temer tinha o seu, um que não saía do palácio, o mesmo que fazia política com Aécio, sabe como é… não custa pensar no futuro, caso o mineirinho virasse presidente, afinal, quase chegou lá. Bozo arranjou o dele. O poder está para os sabujos como o mel para as formigas. Inocente quem imagina que no Brasil justiça não tem lado, é só olhar no varejo o perfil dos presidiários e verá o lado em que está a “justiça”.

  6. Ricardo, você é amigo do Toffoli, por isso mesmo entendo sua “abrandada” nas críticas”! Mas, infelizmente, o ministro indicado por Lula o traiu e a todo o povo de esquerda, desde a época do impeachment da Dilma, com suas posições marcadamente contra a democracia! Eu, como não sou nem quero ser amigo dele, o classifico como um grandefilhodaputa!!! Abraços!

  7. Novidade, Tófoli é Brasil. Se me permite, excelência, o Brasil tem povo? O povo que a tudo paga, unodecaexcelências, precisa de STF com 2442 assessores?
    O STF é um país dentro de um país. A sorte desses 11 Ministros… vezes 222 assessores cada, resultado da conta taí em cima, que o paiseco do STF não tem povo.
    Sei que não adiantaria nada, porque o Brasil tem povo e continua tudo na mesma. O melhor é acabar com as escolas, para que meia do povo não denuncie os dois paisecos acima. E há milhares de outros.

  8. Prezado Kotscho: Será mesmo “que o capitão reformado não faz a menor ideia do que seja a separação de Poderes inscrita na Constituição” ou está querendo que esse governo fascista se transforme num “buraco negro” para que ninguém pode escapar? Tenho minhas dúvidas.

  9. Kotscho diz que STF é colegiado e não monarquia.
    Discordo, grande jornalista.
    São 11 reis.
    Absolutistas, impiedosos e escravocratas.
    Suas Altezas Reais acendem velas para a plebe.
    Povo não passa de “zé”.
    O zepovinho de sempre.

  10. Tudo isto porque a cúpula do governo petista não liam meus comentários que eu fazia por onde ia na Web., desde a época do mensalão. Eu dizia que o governo estava negligenciando o lado institucional, especialmente o judiciário. Como é que um presidente nomeia, uns bostas como o Fux, Rosa Weber, Tofolli, Carmem Lúcia, Cardoso para nossa mais alta corte ??? Não precisava nem olhar suas folhas corridas, bastava olhar as suas caras em fotos.Como é que deixam um Aragão de fora e nomeiam um merda como o Fachin ???

    1. Outra coisa que eu sempre falava: os governos do PT, não politizavam as conquistas que o povo estava tendo. A Dilma duplicou uma estrada de 200 km aqui em Goiás, certa vez eu passando por esta estrada vi apenas um outdoor desbotado dizendo que ali estava sendo aplicada verba federal. Parei em uma pamonharia para comer uma pamonha, e a senhora dona do estabelecimento elogiando o porra do Marconi, governador pelo PSDB, pela duplicação da estrada. Pode ??? Passei e-mails para deputados, ministros, os krai, para que atentassem para isto, mas, acho que nunca leram. Estavam inebriados, embriagados, com as pesquisas favoráveis ao LULA. Dificilmente vamos ter outra oportunidade como a que tivemos, para INSTITUCIONALIZAR, um pensamento progressista em nossa sociedade.

  11. O Brasil do século XXI, que por vezes fomos convencidos que o “futuro” finalmente tinha chegado para o nosso País, eis que governantes que se lambuzaram em corrupção generalizadas, e agora somada a decisões tresloucadas, de um louco que anda armado, cercado de 03 filhos pitbulls, colocaram tudo a perder. Quando vamos ter que recomeçar? FHC, já acabaram com a semente que você plantou, viu!!

  12. Aí esta um dos grandes erros do Lula: nomear Toffoli, um jurista (vá lá…) sem brilho , para o STF preferindo tantos bons nomes. Um exemplo, imagine Nilo Batista no lugar do Toffoli, Lenio Streck em vez de Fux, qualquer um(a) no lugar da Rosa Weber e assim por diante.

  13. Vaidosos ególatras com suas togas negras , implantes , tinturas e ridículas perucas; cercados de grossos livros e pilhas de processos azuis como que querendo mostrar o quanto trabalham.
    A mim não enganam, apenas procrastinam num jurisdiquês ridículo , para manter a manada ignara sempre mansa no nosso esplêndido berço.

  14. Depois desse conluio entre os poderes, qual brasileiro acredita nessas instituições ditas”democráticas”? O mundo ficará fazendo de conta que isto é democracia até quando? Que caia o rei de ouro, que caia o rei de copas, que caia o rei de espada. Que não fique nada.

  15. Grana Ricardo…GRAAAANA, alguém acha que um merdinha deste iria perder esta oportunidade de presidir um dos nossos mais importantes poderes e não sair milionário ??? Se juntou a gang do Bozo, pois sabe que vão administrar muito bem os deságios…entendeu ???

    1. …o mala tá novo, bonitão, faz uma boa conta bancária, se livra do togão, com uma aposentadoria gorda, compra um apartamento em Miami, e aí, é só alegria. Lembra do honestoso Joaquinzão ??? Pois é fazendo pupilos. Afinal né nada ruim ser massageado, de manhã, de tarde e de noite por umas loiraças americanas especialistas nisto.

  16. A Justiça tem lado? Só se for neste governo de fancaria! Ou o capitão não sabe o que diz, ou o Brasil acaba de levar um tombo fatal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *