Ataque ao 247 e demissão de crítico do governo: a escalada da intolerância

Ataque ao 247 e demissão de crítico do governo: a escalada da intolerância

Marco Antonio Villa ganhou a vida descendo o pau nos governos do PT e apoiou Bolsonaro nos seus comentários na Jovem Pan.

Agora, virou crítico do governo, e sente na pele a peia da intolerância: para agradar Bolsonaro, a emissora da extrema direita resolveu tirar o colaborador do ar por 30 dias. Por qual motivo, a mando de quem?

É algo inédito: se não são férias, e não são, segundo Villa, então é aviso prévio. Demissão com prazo determinado não existe.

A figura do “historiador” que mudou de lado não tem a menor importância e não é flor do meu jardim.

Mas o que está em jogo é algo sagrado para a democracia: a liberdade de expressão.

O desgoverno Bolsonaro dividiu os jornalistas e veículos de mídia em amigos e inimigos, como em tudo que faz.

O capitão reformado pelo Exército aos 33 anos vive em guerra permanente. Não sabe fazer outra coisa, muito menos governar o país.

Chama os amigos para dar entrevistas encomendadas e coloca seus bate paus para perseguir quem considera inimigo por criticá-lo.

A prática não é nova e fez muito sucesso durante a ditadura militar, que ele tanto elogia e da qual sente saudade.

Passei boa parte da minha carreira sob censura, quando trabalhava no antigo Estadão, e sei o que é isso.

Amigos meus não só foram tirados do ar, mas presos e torturados. Vladimir Herzog foi assassinado nos porões do DOI-CODI.

Na madrugada desta quarta-feira, a escalada continuou: milicias digitais tiraram do ar o portal Brasil 247, que abriga o grupo Jornalistas pela Democracia, do qual faço parte.

Esse grupo, liderado por Leonardo Attuch, pratica o crime de ser crítico deste desgoverno e é um oásis de independência editorial e compromisso democrático na mídia brasileira.

Claro que os cachorros loucos das redes sociais bolsonaristas não gostam do que publicamos e resolveram cortar o mal pela raiz.

É assim que começa, e ninguém sabe como vai acabar.

As nuvens negras de 1964 estão voltando para assombrar os brasileiros, sob o comando do capitão expulso do Exército e seus saudosistas generais de pijama.

Vale tudo se for para aprovar a reforma da Previdência dos patrões e dos bancos: dinheiro para emendas de parlamentares e anúncios oficiais a granel para a imprensa amiga.

Com o porrete numa das mãos e um saco de grana no outro, o governo pensa que vai implantar na mídia o pensamento único do projeto de destruição do país, prometido por Bolsonaro no encontro com a extrema direita americana, em Washington, sob as bençãos de Olavo de Carvalho, durante o asqueroso beija-mão a Trump.

Ainda bem que nunca trabalhei na Jovem Pan e durante 11 anos mantenho esse Balaio, só Deus sabe como, onde escrevo o que quero e não posso ser demitido. Aqui eu sou o dono e único funcionário, sem direito a folga semanal…

Vida que segue.

 

25 thoughts on “Ataque ao 247 e demissão de crítico do governo: a escalada da intolerância

  1. Mais atos e ações lamentáveis do (des)governo Bolsonaro e sua trupe. Só tenho uma crítica ao post: Ao 247 não se pode atribuir qualquer isenção. Sou leitor diário do site e posso afirmar que eles tem lado sim.

    1. Henrique Crato, se tem uma coisa que nunca fui é isento, no sentido de “isentão”, café com leite, maria vai com as outras.
      Sempre tive lado na vida e nunca escondi de ninguém. Mas posso te garantir que sou absolutamente independente e livre em tudo o que escrevo.

  2. A questão é muito simples: enquanto a reforma da Previdência e pacotão anti crime estiverem nas mãos de Guedes e Moro, respectivamente, Bolsonaro, mesmo que por caminhos tortos, será “poupado” pela mídia…São estes “pacotes” que esfolarão o povo, que terá que trabalhar como um escravo e sem direito algum e que, caso não morra de morte “morrida” antes de se aposentar, terá sempre a polícia com plenos poderes em seu encalço para qualquer eventualidade…Villa é um pessoa inteligente, apesar de reacionário, e me espanta ele não ter percebido este cenário dentro da Jovem Pan e em toda a grande mídia. Bastava ele abrir os ouvidos e ouvir os comentários dos “palpiteiros” sentados ao seu lado na emissora…

  3. Que ponto chegamos, vi mesmo essa notícia, apesar do seu discurso contra o governo Lula e Dilma, fiquei chocada em saber do seu afastamento, sem dúvida nenhuma é um alerta. Está tudo realmente de ponta cabeça, o que se esperar de um governo que fez o que fez com o programa mais médicos antes mesmo de assumir e deixar tantas cidades descobertas pelo menos com um profissional. Lamentável.

  4. O esportista Cláudio carssug já tinha pedido demissão dessa empresa que mais parece um lixão a serviço desse desgoverno ,ontem na luciana Giménez deu ater vontade de vomitar q nojo era uma babassao com Eduardo bostonaro,que lástima

  5. Kotscho:
    só por curiosidade, no seu tempo de comentarista na TV record (junto com Heródoto Barbeiro e Nirlando Beirão) havia censura?
    Abraços,
    josé maria

    1. Caro José Maria, posso te garantir que, durante os sete anos em que trabalhei como comentarista político na Record, com Heródoto e Nirlando, nunca sofri nenhum tipo de censura.
      Tínhamos absoluta liberdade editorial, assegurada em contrato. Meu contrato foi rompido abruptamente, assim como o do Nirlando, na calada da noite.

      1. Bueno, foram dali ‘saidos’ os dois, Nirlando e voce que tinham algo a dizer, uma opinião propria sobre os fatos do Brasil e do mundo. Cristalino isso.
        Nao saiu o trapezista campeão do muro, o nem la nem cá, inodoro, incolor, o destergiversante do sim senhor. O Herodoto barbeiro.
        Aquele que aventura no maximo uma levissima penteada no noticiário e no IDEÁRIO da grande Midia anglo-ocidento–tupiniquim que ha tempo nos intoxica as mentes.

  6. Caro amigo Kotscho, este “historiador” de araque, é mais um dos tantos bolsonetes arrependidos que ao ver a merda que ajudaram a eleger, começaram a criticar o monstro que eles ajudaram a criar, e agora estão sendo atacados pelo exercitos de robos do bozo na internet e sendo atacados na vida profissional pelo bozo e seus asseclas!
    Estes bolsonetes arrempendidos estão todos provando do próprio veneno que ajudaram a espalhar e envenenar este pais desde 2013 e culminou cam a eleição do bozo !
    São vítimas e algozes das próprias escolhas!!
    Força amigo! Estamos juntos na resistência!!
    Cada dia mais reforçada por bolsonetes arrependidos !

  7. O mencionado “historiador”, um pitbull raivoso e valentão durante os governos do Partido dos Trabalhadores em particular e das esquerdas em geral, parece que tornou-se uma cadelinha de madame, uma indefesa cadelinha mimada e perseguida por aqueles por quem abanava o rabo. Trata-se de um covarde que levou um pé no traseiro da turma de sua estirpe que ele tanto protegia.

  8. Que ponto chegamos, vi mesmo essa notícia, apesar do seu discurso contra o governo Lula e Dilma, fiquei chocada em saber do seu afastamento, sem dúvida nenhuma é um alerta. Está tudo realmente de ponta cabeça, o que se esperar de um governo que fez o que fez com o programa mais médicos antes mesmo de assumir e deixar tantas cidades descobertas pelo menos com um profissional, ou seja, amadorismo total.

  9. Parabéns pelo belo trabalho Ricardo Kotscho… realmente, a vida que segue…e a esquerda na eterna luta pela democracia.
    Mais uma vez, parabéns pelo trabalho….

  10. Prezado Ricardo

    Depois que o antigo proprietário se afastou por doença, seu filho destruiu a emissora. Só escuto os esportes lá e o corresponde internacional (Ulisses Neto), que são a única coisa que prestam lá agora

  11. O “historiador” em questão foi um ferrenho crítico dos governos petistas, um pitbull da direita raivosa contra as políticas públicas de Lula e Dilma. Com o afastamento desse pitbull da jovem pan, me parece que ele se transformou em um cachorrinho de madame. Outrora radicalmente contra tudo e todos ligados ao PT e às esquerdas, agora, depois de levar um pé no traseiro de seus pupilos que se encontram no desgoverno, age não mais como um pitbull mas como um cãozinho desprezado por sua dona, sem mimos e sem ração.

  12. Incrível, são 55 mortos em prisão de Manaus, com o ministro da justiça longe, politicando em Portugal e a mídia fazendo cara de paisagem, como se violentamente sob a guarda do Estado, tivessem perdido a vida 55 frangos da granja Brasil Colônia e não humanos.
    Mais abaixo, no sudeste, ‘Amarco’ Villa, acreditando possível creditar democracia a Bolsonaro, o Zagalo na goela da Classe Dominante, para impedir a retomada do poder, no voto, pelo PT, ao criticar o incapaz eleito, viu-se prontamente confinado na geladeira da JP, onde comenta, para não prejudicar interesses outros do dono junto a verbas do desgoverno, enquanto a mídia, lépida em antecipar bandeiras da liberdade de imprensa e de expressão contra o PT, faz se agora vagarosa e desentendida, fingindo não tratar-se do que se trata, escondendo o fato de forma leviana e oportunista.
    Isso posto, Mestre, no caso não o Ipiranga, resta-nos, revigorados sobretudo pelo exemplo que nos da hoje o Papa, quando a anomalia ‘olavoliva’ passar, graças a resistência, exigir que não repitam-se equívocos e vacilos passados, quanto a necessidade de submeter-se todos que atentam contra a democracia, dando vivas a barbárie, oprimem o povo e traem e subtraem o país, a lei, não a lavajateira golpista, chocada ao norte, mas a civilizada, de lesa-Pátria, de civilizados, homens e mulheres, que sonham e refletem à luz da lua, fazendo florescer a vida à luz do sol, jamais em nossa cara, em nossa alma.

  13. Prezado Kotscho: Se “a emissora da extrema direita resolveu tirar o colaborador do ar por 30 dias” parece que o castigo veio a cavalo. Cavalo do Duque de Caxias, o patrono dessa gente.

  14. Nao consigo tirar da cabeça a seguinte impressão.
    A midia e o andar de cima, ja hoje docemente constrangidos, cobrem, apoiam e estao se mostrando dispostos a levar bem mais adiante o desgoverno do bebê.de.Rosemary que ocupa o planalto.
    Enquanto este puder de alguma forma cortar os direitos trabalhistas e privatarizar/diluir grandes nacos da previdência.
    E que cumpridos 2/3 do que o miliciano de rosemary planejou, dentro de 20 anos o meu Brasil terá perdido riqueza, bem estar e MESMO o precario equilibrio social de que não ha muito tempo desfrutavamos.
    Estaremos para os europeus e norte americanos e chineses como hoje a Nigeria, o Togo ou Tanzania estão para Espanha ou Italia. As coisas são relativas neste campço e esse será aproximadamente o abismo da condiçao a que o delirio eleitoral de 2018 nos levará. So tenho a duvida se os milicianos conseguirao implantar seis decimos daquilo que, junto com o andar la de cima, pretentem fazer. Claro que isso me angustia um bocado pelos filhos e netos. Estou ha meses aconselhando esses jovens – algo que nunca antes fiz – a se prepararem para construir suas vidas em outro pais.

  15. Há semeaduras que colhem ferraduras. Villa, Nunes, Azevedo e Mainardi foram os principais coadjuvantes midiaticos que levaram ao bolsonarianismo a ocupar o Executivo. Agora, o quarteto tem procurado de todas as formas demonstrar distanciamento da catástrofe que incentivaram desde 2015. Benedito Valadares, cacique da República Velha, diria que estamos em “época de vaca desconhecer seu bezerro”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *