Brasil X Bolsonaro: maioria da população rejeita os pacotes do governo

Brasil X Bolsonaro: maioria da população rejeita os pacotes do governo

Pesquisas do Datafolha publicadas nos últimos dois dias mostram que a maioria da população rejeita os pacotes dos superministros e Paulo Guedes e Sergio Moro para as reformas na Previdência e na Segurança, os únicos projetos apresentados pelo governo nestes 100 dias.

Diante disso, Bolsonaro fez muito bem em cancelar o pronunciamento que faria na noite de quarta-feira. Não tinha, simplesmente, nada de concreto para falar e mostrar sobre o que fez até agora.

Isso explica também porque o presidente caiu em todas as pesquisas de avaliação do governo na semana passada.

Até agora, o governo Bolsonaro simplesmente não existe na vida ral das pessoas. É só fumaça ideológica para agradar os guerrilheiros bolsonaristas das redes sociais.

Twitter e WhatsApp podem servir para vencer campanha eleitoral movida a fake news, mas não para governar.

Nesta quinta-feira, o Datafolha mostrou que ampla maioria da população rejeita as propostas do pacote anticrime de Sergio Moro, um dos paus da barraca furada do governo:

  • 64% dos entrevistados defendem que a posse de armas deve ser proibida.
  • 72% discordam que a sociedade fique mais segura com pessoas armadas para se proteger.
  • 79% acham que policiais devem ser investigados caso matem em serviço por “estar muito nervosos ou sob forte emoção”; para 82%, têm de ser punidos assim mesmo.

Na véspera, 51% dos brasileiros, segundo o Datafolha, rejeitaram a reforma da Previdência apresentada pelo ministro Paulo Guedes.

“Há clara polarização das respostas de acordo com as posições na eleição presidencial de 2018: entre os que elegeram o presidente Jair Bolsonaro, 55% são a favor da reforma e 36% contrários. Já entre quem votou em Fernando Haddad ou branco ou nulo, 72% se dizem contra as mudanças”, informa o Datafolha.

Com as reformas empacadas no Congresso, onde ainda nem chegaram a ser discutidas no mérito, resta ao governo criar factoides, como tirar os radares das estradas, medida já contestada na Justiça.

Sem nenhum sinal de articulação política, sem base aliada formada, com os indicadores econômicos todos piorando, até a inflação, o país corre o risco de entrar em colapso.

Os superministros vão sendo cada vez mais desmoralizados pelo próprio governo. Bolsonaro até agora não descobriu o que está fazendo na Presidência da República e quais são as suas responsabilidades.

Bolsonaro ignora solenemente o que acontece na vida real dos desempregados, com as empresas em dificuldades e as famílias das vítimas da violência. Até hoje, não se manifestou sofre o fuzilamento com 80 tiros disparados por agentes do Exército contra a família do músico Evaldo Rosa dos Santos, no último final de semana, no Rio.

Vive em outra realidade, conduzido por seus filhos, por sua vez orientados pelo guru Olavo de Carvalho, que nomeiam e trocam ministros da Educação.

Nos últimos dias, os generais que o cercam recolheram-se em obsequioso silêncio, também sem ter o que dizer sobre o que está acontecendo no país, com a economia estagnada e o mundo político em permanente convulsão.

O capitão reformado pode xingar os números das pesquisas, mas elas mostram o que pensa e sente o brasileiro.

E este sentimento mistura revolta com medo, decepção e insegurança, como se pode constatar nas mesmas redes sociais que o elegeram Bolsonaro, faz apenas cinco meses.

O mesmo Brasil que elegeu Bolsonaro hoje é majoritariamente contra ele e seu desgoverno, e já está perdendo a paciência.

Vida que segue.

 

15 thoughts on “Brasil X Bolsonaro: maioria da população rejeita os pacotes do governo

  1. Kotscho:
    que tal você, atuando como jornalista “investigador”, comentar sobre este tal de Olavo de Carvalho e como ele, que nem morador é do Brasil, tem esta aparente força?
    Abraços,
    josé maria

  2. Caro amigo Kotscho,só se combate um idéia ou uma ideologia com outra melhor e mais convincente!
    Este desgoverno faz todo tipo de crítica a esquerda no brasil,mas falta-lhes o fundamental para sua críticas serem levadas a sério:CONTEÚDO!
    Os seu argumentos são todos fundamentados nas falácias e fake news!
    Todos eles são incapazes de debater suas opiniões e posições por absoluta falta de conteúdo!
    São totalmente despreparados dirigir um pais continental como o brasil!
    Cheios de pré-conceitos e conceitos ultrapassados não passam de um bando de neonazistas fantasiados de democratas!
    Torço e luto por um brasil melhor,mas não vai melhorar nada enquanto essa turma de tresloucados estiver lá!
    Força amigo! Estamos juntos na resistência

  3. “100 dias sob o domínio dos perversos” é a coluna imperdível de Eliane Brum no El País Brasil do dia 10, ontem. A jornalista logrou a melhor síntese analítica sobre o ‘modus operandi’ do bolsonarianismo. Vale conferir!

  4. A maioria da populaçao rejeitava essas propostas antes das eleiçoes, mesmo assim foi eleito, essa nao esta fechando, e nao vale dizer que foi só anti-petismo.

    1. Música ao vivo. Chega de números, vamos cantar? Tenho uma certeza. “Uminha” só, infelizmente.
      O quarteto de duvidoso sucesso na boca de urna,
      TRÊS REBENTOS E UM BOLSONARO,
      ensaia há 100 dias, a música que está na boca do povo:
      Desalento, de Chico Buarque.
      Primeiríssimo lugar no “data musica”.
      Cantando aí, gente, com o Balaio:
      .
      Sim, vai e diz
      Diz assim
      Que eu chorei
      Que eu morri
      De arrependimento
      Que o meu desalento
      Já não tem mais fim
      Vai e diz
      Como sou
      Infeliz
      No meu descaminho
      Diz que estou sozinho
      E sem saber de mim.
      .
      Sim
      Sim, vai e diz
      Diz assim
      Que eu rodei
      Que eu bebi
      Que eu caí
      Que eu não sei
      Que eu só sei
      Que cansei, enfim
      Dos meus desencontros
      Corre e diz
      Que eu entrego os pontos.

  5. Sem programa de governo, sem proposta, sem soluções, sem rumo, sem sensibilidade, uma incompetência total. Muito triste de ver o país na mão dessa gente tão despreparada mas com um cinismo e arrogância de doer, paciência tem limite.

  6. Independentemente de entrar no mérito se a proposta de revisão das aposentadorias apresentada pelo governo Bolsonaro é boa ou não, uma coisa é certa (mas nem todos tem esta consciência: A REFORMA PRECISA SER FEITA, caso contrário o sistema vai naufragar.
    E ai que entra a capacidade e a cortagem de fazer: O PT em 14 anos de governo se acovardou em contrariar interesses escusos e afundou a previdencia e a economia. Se Haddad fosse eleito, estaria governando para estes 72% de petistas apontados na pesquisa da Folha e, uma vez mais, não teria a coragem necessária para fazer as reformas que o pais precisa. Ainda bem que não ganhou; ganhou o Brasil e os brasileiros que querem um pais melhor.
    Quanto ao pacote do ministro Moro, pode sim ter algo que pode ser corrigido durante a tramitação do projeto e a posse de arma é uma delas. Mas no geral, o pacote é muito bem vindo e certamente aqueles que vivem da corrupção e desvios de caminhos, estão tremendo na base, pois, se ele ja estivesse valendo, muitos destes larápios que estão sendo “ainda” investigados, já estariam atrás das grades.
    ´E muito dificil corrigir de uma hora para outra o que foi distorcido legalmente por anos a fio, mas tenham certeza, ainda veremos muitos espertos fazendo os acertos com a justiça.

  7. Vamos à procissão procissão com fé.
    Devagar com o “andor”, que o guru não é de barro.
    Afinal, ele não está entre os miseráveis,
    não mora no Brasil, tem a chave e o dono do cofre na mão, esnoba o Presidente, troca de Ministro, entre outros ocultos poderes.
    O guru não é de barro, mas tem pouquíssima gente na procissão e quase ninguém segurando a alça do andor. Aleluia, o povo encontrou uma virtude do Olavo Guru, a rima.

  8. Prezado Kotscho: Muito bem colocado por você de que “Twitter e WhatsApp podem servir para vencer campanha eleitoral movida a fake news, mas não para governar.” E entendo que aqui se encaixa a frase de Carl Sagan que diz que “Os relatos espúrios que enganam os ingênuos são acessíveis. As abordagens céticas são muito mais difíceis de encontrar. O ceticismo não vende bem.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *