Maluf e CCC: “Caçador de comunistas” no MEC faz Brasil voltar 50 anos atrás

Maluf e CCC: “Caçador de comunistas” no MEC faz Brasil voltar 50 anos atrás

“Os comunistas são o topo do país. Eles são o topo das organizações financeiras; eles são os donos dos jornais; eles são os donos das grandes empresas; eles são os donos dos monopólios…” (eonomista Abraham Weintraub, novo ministro da Educação, em palestra no final do ano passado, durante encontro de líderes de extrema direita, em Foz do Iguaçu, no Paraná).

***

Começou tudo outra vez, com os mesmos discursos de 50 anos atrás.

“Maluf assume a prefeitura e fala sobre combate à ideologia marxista”: este é o título da coluna “Acervo Folha- Há 50 anos” de hoje (página A-4).

Num mesmo dia 8 de abril como este em que Weintraub foi nomeado ministro, só que em 1969, poucos meses após a edição do AI-5, Paulo Maluf disse em seu discurso de posse como prefeito nomeado de São Paulo pelo governo militar:

“A revolução não se limitou a manter a ordem pública, a restabelecer a autoridade, a combater a ideologia marxista-leninista e a punir corruptos. Ela transmitiu a confiança nas instituições democráticas”.

Cinismo à parte, o que temos agora é o mesmo discurso meio século envelhecido.

Chega a ser engraçado Maluf falar em “punir corruptos” no início da sua carreira, mas naquela época o Brasil estava sufocado pela ditadura militar e o pau quebrava na rua Maria Antonia, região central de São Paulo, onde estudantes da Universidade Mackenzie instalaram o QG do “Comando de Caça aos Comunistas”, o famigerado CCC,  em guerra com os alunos da Faculdade de Filosofia.

O mais assustador na fala de Weintraub reproduzida na epígrafe deste texto é que ela repete quase ipsis literis o que os nazistas diziam sobre os judeus em 1930, como lembrou Gerd Wenzel, colunista da Deutsche Welle, em texto reproduzido pelo portal Brasil 247. Comparem:

“Os judeus são o topo do país. Eles são o topo das organizações financeiras; eles são os donos dos jornais; eles são os donos das grandes empresas; eles são os donos dos monopólios”.

É a reprise de um filme de horror comemorado por Bolsonaro na semana passada. Apenas os judeus, bodes expiatórios de Hitler, em 1939, foram substituídos pelos comunistas, em 1964.

É inacreditável que, 55 anos depois do golpe militar, o novo ministro da Educação de Bolsonaro se inspire em Paulo Maluf para combater o marxismo-leninismo.

Na nota “Nome de Guerra”, o “Painel” Folha informa na mesma página: “Membros do próprio governo brincaram nesta segunda (8) com a mística que se criou em torno de Weintraub chamando-o de `caçador de esquerdistas´”.

Quem conhece bem o novo comandante do MEC conta que, perto dele, o caricato e perigoso Vélez Rodriguez, defenestrado na segunda-feira, parece um tucano da ala moderada.

Pelo seu currículo, quase todo no mercado financeiro, Abraham Weintraub (significa uva para fazer vinho), que prefere ser chamado de Abraão, tem tanto a ver com políticas educacionais quanto eu com energia nuclear de última geração.

Como Vélez, ele também é seguidor da escola de filosofia esotérica de Olavo de Carvalho, que foi consultado e aprovou seu nome. Na mesma palestra em Foz, disse o novo ministro:

“Dá pra ganhar da esquerda se os conservadores adaptassem as ideias de Olavo _ sem ser chato”.

Outra pérola do grande educador do bolsonarismo:

“Se um comunista chega com o papo ´nhoim, nhoim´, xinga. Nesse diálogo, não dar para ter premissas racionais”.

De fato, racionalidade é a última coisa que se pode esperar dessa gente esquisita da nova ordem que tomou o Brasil de assalto.

Depois não adianta vir com a história de que precisamos todos “torcer a favor do governo para o bem do Brasil”.

Só quem vive fora da realidade pode imaginar que a torcida vai tirar o Brasil do buraco em que se afunda cada vez mais.

Assim como já tem gente com saudades do Temer, “aquele grande estadista”, logo podermos sentir falta no MEC do colombiano ensandecido que não sabia falar português.

Se for assim, é melhor deixar tudo como está para não piorar ainda mais.

No lugar do chanceler do Olavo de Carvalho, o caçador de ursos, quem eles nomeariam?

Melhor nem pensar nisso.

Vida que segue.

 

20 thoughts on “Maluf e CCC: “Caçador de comunistas” no MEC faz Brasil voltar 50 anos atrás

  1. Eu sempre digo aos energúmenos que ainda procuram comunistas debaixo da cama antes de dormir, aqueles que hibernaram nos anos 50 do século passado e acordaram no 19. ano do século 21: “Tenham cuidado, pois um dia vocês vão dar de cara com o Ricardão, todo peladão, com o para-choque duro e vai sobrar até para o corno”.

  2. Cara amigo Kotscho,num país onde quase nada está funcionando, só as leis de murfhy funcionam:”Nada é tão ruim que não possa piorar”
    Seria engraçado se não fosse trágico,ver o bozo demitir um sinistro e colocar outro mais sinistro no lugar!!!
    Tá dificil ver uma luz no fim do tunel!
    Estão assassinando nossos sonhos e matando nossas esperanças!!
    Como diria o poeta Renato Russo:”Antes eu sonhava,agora já nem durmo”
    Força amigo! Estamos juntos na Resistência !!!

  3. Sinceramente?! A impressão que se tem é que essa gente de “bem” tomou um LSD tão poderoso que tiveram ” bad trip” e não querem mais sair desse estágio.

  4. Um ministério que teve um olhar tão diferente anos atrás, além de tantas conquistas, no meu entender a palavra Educação e tudo que envolve esse tema, chegou em lugares que nunca na estória desse país tinha chegado, na periferia, nas ruelas, no interior. Agora só bate cabeça, acho que trocaram seis por meia dúzia.

  5. Medonho. Os sinos tocam há 99 dias. Quase ninguém acreditou. Qual Mariana, arrebentou a primeira barragem do atual governo. Que “Brumadinho”, deitado eternamente em berço esplêndido, tome atitude e acredite que há tempo para salvar vidas humanas e a própria natureza. Nosso futuro depende do levante de “Brumadinho”, por quem os sinos ainda dobram esperançosos.

  6. No lugar do chanceler aloprado, nomearia o Tiririca original da Câmara. Se 57 milhões de abestados elegeram outro “tiririca” para o Executivo, qual a solução? Coerência no momento é o que se impõe. Isso, diante de um país em transe de alucinação. Depois do golpe, o país vai bem, obrigado. Onze “deuses” tiriricas no STF e no Congresso de merda, digo: Maia e “Alcoolumbe” , toda “Excelência” é autoridade constituída. E, incrível, não virou palhaçada. A pátria Mãe, pesadona e cheia de graça, deu a luz um nariz apropriado para cada “Pudê”.

  7. Poxa, será que acabou o estoque de generais dispostos a assumir um ministério? Deveria ter colocado logo mais um ai no MEC e estaria resolvido a questão.
    Piada do Delfim Neto ontem no Roda Viva: DIREITA E ESQUERDA NO BRASIL SÓ SERVE PARA INDICAR DIREÇÃO DE RUA.

    1. Delfin teve o timão nas mãos. De pijama ,ainda não se recompôs do fiasco de acertar sempre o passo ao ouvir o “ordinário, marche”.
      Rumos da piada feudal e sem sal. À DIREITA, o céu da mansão dos dominante; à ESQUERDA, a favela, hoje comunidades, além do cemitério de velhinhos “suicidáveis”, que Paulo Guedes, sadicamente… esconde nas entranhas da reforma da previdência.
      Para os dominantes, o pobre sempre foi matéria prima de piada, principalmente agora, após a revogação da Lei Áurea.
      Revoltante, só falta o bolsa suicídio. E não é piada de caserna! É o que desejam os tchutchucas da direita empoderada na cacunda do povo e nos cofres dadivosos do governo.

  8. Ilimitada possibilidade de piora. Teremos saudades do Vélez, segundo especialistas, um moderado! E ando achando o Reinaldo Azevedo ponderado. Mais um pouco, torço para o Mourão. Tempos sinistros, mestre. A escuridão aumenta e o túnel também. Nunca pensei , aos sessenta anos, assistir a este circo de horrores. O que foi feito de tudo que a gente sonhou?

  9. Quer dizer que agora haverá no MEC um novo Kit?
    Sim. O novo Ministro, preocupado em alvejar a esquerda comunista, lançará o substituto do Kitgay.
    Uall ! E daí?
    Em breve nos bancos escolares o Kit-kids “Caçada sinistra”. Haverá contagem de pontos.
    Esquerdista identificado igual a 5 pontos.
    Preso , 7 pontos e doutrinado 10 pontos.
    A contagem terá peso importante para a nota do ENEM.
    Boa sorte. Em breve, o Kit Kids “Caçada sinistra”.
    Humm! Os professores que se cuidem.
    Qual o pior, kitgay, ou Kit-Kids ?
    Sei lá, os dois parecem coisa de pedófilo.

  10. Especialista em finanças na Educação? Que tal os alunos se interessando pela reforma Previdência? Não custa pautar. Eles, abismados, denunciariam o estupro que se planeja contra os pensionistas e aposentados. Maldade dos ricos contra seus pais e avós. Golpe baixo do Ministro Paulo Guedes, via tapeação da capitalização. Estudar tudo, inclusive o que está acontecendo com os velhinhos do Chile, da Grécia, entre outros 20 países. Vai Abraão. Pauta a reforma da Previdência na Educação. Será uma festa na escola que perde tanto tempo com bobagens e não faz as crianças pensarem. Vai Abraão.

  11. Prezado Kotscho: “No lugar do chanceler do Olavo de Carvalho, o caçador de ursos, quem eles nomeariam?” Quem sabe um caçador de porcos, mas, cuidado, porque como diz o outro nunca lute com um porco porque os dois acabam sujos; e o porco gosta disso.

  12. Kotscho, depois do “conge” temos mais uma pérola do inefável ex-juizeco e atual ministreco Moro. Conversando com Pedro Bial lascou um “… tivemos algumas RUGAS com o ministro Gilmar Mendes…”. Quá-quá-quá… “rugas, conge, SOBRE forte emoção, pode VIM a ser”. Pessoal, nem o Jesus da goiabeira dá jeito.

    1. Isso depois de falar câmEra em vez de câmAra e “HOUVERAM 100 mil reais”. E ele ainda não consegue falar Massachusetts corretamente. É o que falta para conseguir a tão sonhada cidadania usamericana.

  13. ô, Marcia, me ocorre então perguntar ao novo ministro, via um dos blogs por ai:
    a) O que o sr acha das escolas de Brejo Santo, Ceará e se deveriamos ou não tentar uma estratégia de replicá-las em escala nacional? b) O que o sr acha de Paulo Freire?

  14. O que mais incomoda na atual conjuntura é o estado de letargia em que se encontra o brasileiro, inclusive eu, que pensa e lembra do Brasil decente que já fomos num passado recente. Não deveríamos estar nas ruas? nosso judiciário, tão midiático, não se manifestará? e o legislativo, a banda não podre do legislativo, não se pronunciará? Vamos deixar um bando de lunáticos comandados por um louco eleito por alienados acabar com o Brasil, humilhar sua gente?

  15. Kotscho:
    e que tal a cara de pau do Delfim na sua coluna de hoje na Folha? Será que ele já se esqueceu que foi um dos sustentáculos da ditadura?
    josé maria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *