Brasil (1500-2019): país regride 50 anos em 3 meses e coloca em risco o futuro

Brasil (1500-2019): país regride 50 anos em 3 meses e coloca em risco o futuro

Os “bons tempos de 50 anos atrás” estão de volta, como Jair Bolsonaro prometeu durante a campanha.

Estão de volta as ameaças à liberdade, ao Estado de Direito, à independência entre os poderes, às conquistas civilizatórias, ao nosso futuro como nação.

Em apenas três meses da nova ordem, retrocedemos aos tempos em que imperava o medo e os quartéis mandavam no país.

Agora de braços dados com os togados, os fardados dão as ordens e aos demais cabe obedecer.

A cada dia fica mais claro que o capitão reformado foi apenas um laranja utilizado pelos generais para voltar ao poder, 55 anos depois do golpe de 31 de março de 1964, que eles vão comemorar neste domingo, a pedido do presidente.

No grande laranjal em que o país se transformou, os funcionários fantasmas dos gabinetes da família imperial são apenas um detalhe da esculhambação geral.

Nem a agenda oficial do presidente é mais divulgada, como mostra reportagem do Estadão publicada nesta quinta-feira e seus compromissos públicos agora são considerados privados.

Virou um presidente fantasma que foge das universidades e se refugia nos quartéis, visita empresários amigos e adia decisões urgentes para tirar o país do buraco.

Ao negar a ditadura militar e defender o golpe e seus agentes, que prenderam, torturaram e mataram impunemente por mais de 20 anos, o capitão aposta no caos, para jogar a população contra os outros poderes e se apresentar como o salvador da pátria amada, salve, salve.

Cada vez mais perdido no espaço, sem saber o que está fazendo na Presidência da República, arrumou uma briga cretina com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que fez a Bolsa desabar e o dólar disparar, para alegria dos especuladores que bancaram sua campanha eleitoral.

É tão sem noção que chamou hoje a crise entre o governo e a Câmara de “chuva de verão”, em pleno outono, compara ditadura com casamento e mistura questões políticas com problemas pessoais de seus inimigos imaginários.

Seus dois “superministros”, Guedes & Moro, já viraram “funcionários do Bolsonaro”, cada vez mais fracos e desmoralizados pelo próprio partido do governo e seus articuladores políticos.

Enquanto um exército de grandes empresários se reunia em São Paulo com o general Mourão, o vice cada vez mais bonachão e popular, a Câmara impunha outra fragorosa derrota ao governo com o orçamento impositivo, que o deixou de pernas e braços amarrados.

Como se nada estivesse acontecendo e voasse em céu de brigadeiro, completamente fora da realidade, o capitão está mais preocupado em preparar sua viagem a Israel, no mesmo domingo das comemorações golpistas, promessas de mais confusão no horizonte.

A reforma da Previdência já saiu das manchetes para dar lugar ao bate-boca colegial entre os presidentes da República e da Câmara, que vai descendo ao nível da sarjeta.

Multidões de trabalhadores miseráveis formam filas todos os dias em busca de empregos de salário mínimo, mas os donos do poder não estão nem aí, distribuindo medalhas uns aos outros em eventos oficiais, batendo continência e sorrindo uns para os outros.

Não é só o presente que eles estão destruindo, mas o futuro das novas gerações, com o Ministério da Educação sendo demolido a golpes de marreta ideológica e muita incompetência.

519 anos depois da chegada das primeiras caravelas, o Brasil vai sendo enterrado aos poucos, sem choro nem vela, sob o alto comando do baixo clero agora no poder central.

Vida que segue, por enquanto.

 

9 thoughts on “Brasil (1500-2019): país regride 50 anos em 3 meses e coloca em risco o futuro

  1. Caro amigo Kotscho, eu que sempre acreditei que a lei da anistia não era o melhor dos caminhos a ser seguido, mas era o único possível para uma redemocratização sem mais derramamento de sangue, acreditei que deixando os horrores da DITADURA no passado poderíamos mirar no futuro e fazer deste pais uma grande nação.
    Eu estava redondamente enganado ,pois os militares assassinos da DITADURA engoliram a lei da anistia,mas nunca aceitaram a derrota do regime!
    Ficaram anos nos quarteis preparando a volta e com sede de vingança, e conseguiram voltar da pior maneira possivel,pelo voto! O voto imbecil das galinhas nas raposas!
    Querem recontar a história no embalo das fake news,onde todos nós que não aceitamos e lutamos contra a DITADURA somos os bandidos e os assassinos e torturadores da DITADURA são os heróis .
    Agora vejo como uma necessidade urgente a revisão da lei da anistia, para que todos estes criminosos da ditadura seja presos e condenados por seus crimes contra a humanidade!
    Abaixo a lei da anistia,abaixo a DITADURA MILITAR e viva a DEMOCRACIA sem os assassinos da DITADURA!
    Força amigo! Estamos juntos na resistência!

  2. “— Ele tem problemas, sim, ele é novo no assunto. Não tem o tato politico. Vou conversar com ele e tomar as decisões que tem que tomar — afirmou.” Ricardo este texto foi publicado agora a pouco no site do ‘O Globo’ on-line. Nele o Jair se refere ao Ministro da Educação, o ‘colombiano doido’. Será que isto poderia ser uma luzinha de pisca-pisca de árvore de natal no fim do longuíssimo túnel, da incompetência bolsonariana?

  3. “A intenção da determinação feita pelo presidente, segundo ele próprio, era “rememorar” o fato e identificar pontos corretos e errados para o “bem do Brasil no futuro.”, em referência à sua orientação anterior de celebrar o golpe de 1964, e “A dois dias de embarcar para uma viagem oficial a Israel, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que pode “talvez” abrir um escritório de negócios em Jerusalém, depois de ser questionado nesta quinta-feira se vai aproveitar a visita para anunciar a mudança embaixada do Brasil no país de Tel Aviv para a cidade — promessa que fez logo depois de eleito no ano passado.”, estas duas notícias também foram publicadas a poucos minutos no site ‘O Globo’. Ricardo Kotscho, será que sua Fronte de Ferro – unida a outros que estão desafiando em ataque, à imensa rocha de burrice, incompetência, ‘falastrionice’, vaidade pessoal e boçalidade, bolsonariana – a estão fazendo, finalmente ceder?

  4. Eis o que nos tornamos: uma ditadura ELEITA. Aos que votaram com o fígado, com ódio ao PT, digo: Malditos sejam!!
    Psicólogos e psicanalistas sugerem um exame mental ao tenente desordeiro e perguntam: seria ele paranoico ou psicopata?

    1. O Olavo-Jatismo descontrolado do Apostilado multi-tarefeiro deu nesta Teocracia Suquita. Não se queixem! Depois do “jejum”, provem agora da Laranja Messiânica: uma milícia. Sem vínculo geracional com o porão sangrento da ditadura e compromissado com outra coisa (com os Direitos Humanos, com a defesa da Constituição), só com muita chantagem para forçar o militar moderno a celebrar o 31.
      Mesmo com a longa e severa desconstrução recíproca (com forte acento regional), mesmo com o uso comum de formas muito tradicionais da política, PT e PSDB vieram a compor na virada do milênio uma civilização brasileira respeitada no mundo inteiro. Reconhecimento repartido com as Forças Armadas, de atuação irretocável neste período em defesa da Constituição e como força internacional de paz. Se um jipe estacionasse na frente do STF, seria para, mediante solicitação, defender o tribunal de investidas autoritárias, jamais para constrangê-lo.

  5. Prezado Kotscho,

    o mais trágico de tudo é que a esquerda continua perplexa e incapaz de responder aos episódios escabrosos que se sucedem, porque lá atrás trocou a organização do povo para lutar contra o capitalismo pela fidelização dos eleitores para conquistar vitórias nas urnas da democracia burguesa.

    Agora, de que nos estão servindo nossos representantes eleitos? E que falta terrível nos faz a capacidade de mobilização popular, a ponto de até termos perdido a batalha das ruas em 2016!

    Então, na situação de impotência a que fomos conduzidos, só nos resta a tentativa de evitar o pior, para ganharmos o tempo de que necessitamos para reconstruir a esquerda, indo até onde o povo está ao invés de ficarmos grudados que nem carrapatos na Praça dos Três Poderes.

    Então, discordo de botar todos os inimigos no mesmo saco, quando fica claro que os aloprados do bolsonarismo, com destaque para os olavetes, querem botar fogo no circo e nos ameaçam até com o extermínio físico.

    Os militares podem estar apenas fazendo o papel do “policial bonzinho”, em contraposição à horda de celerados. Mesmo assim, são o que nos separa, neste momento, de coisas muito piores, na linha “Operação Jacarta”.

    Com eles, o jogo continuará sendo jogado e nós poderemos finalmente começar a fazer o que é urgente e necessário: reerguer a esquerda.

    Com os outros, estaremos tão empenhados em sobreviver que não nos sobrará tempo para muita coisa mais.

  6. Prezado Kotscho: Se o capitão “Virou um presidente fantasma que foge das universidades e se refugia nos quartéis, visita empresários amigos e adia decisões urgentes para tirar o país do buraco.”, parece aquele síndico autoritário que nas reuniões de condomínio, com cartas marcadas, vai tomando suas decisões acobertadas pela administradora que tem o nome sujo na praça. “Com a extrema-direita não se brinca, não se alivia, não se tergiversa, não se compactua. Quem não perceber isso – esteja na situação ou na oposição – ou está sendo ingênuo ou irresponsável, ou mal intencionado.” (Mauro Santayana).

  7. Comentário capturado no blog Tijolaço, do excelente Fernando Brito:
    Luis Carlos • 3 horas atrás

    “Do jeito que as coisas vão, não vamos mais comemorar o fim da II Guerra Mundial. Passaremos a comemorar o seu início, babando de alegria pelos milhões de mortos que ela produziu. Céus, de onde vem tanta ignorância?”.
    Na mosca.
    Soltar foguetes para comemorar a “Redentora”? Se os golpistas de agora, saudosos de 1964 querem bater uma bolinha, tomar umas caipirinhas, uns chopps e fazer um churrasquinho, tudo bem. Mas sejam discretos. Há famílias decentes na vizinhança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *