Lava Jato, 5 anos: República de Curitiba se alia à Petrobras e justiça americana

Lava Jato, 5 anos: República de Curitiba se alia à Petrobras e justiça americana

Segunda-feira, 11 de março de 2019.

Neste mês em que comemora cinco anos, a Operação Lava Jato, deflagrada para “combater a corrupção”, e que deu origem à República de Curitiba, comandada por Moro & Dallagnol, declara a sua independência.

Depois de prender um ex-presidente da República e eleger outro, e detonar amplos setores da indústria nacional, a República de Curitiba, enquanto o resto do país estava distraído com o Carnaval, fez um acordo por baixo do pano com a Petrobras e a Justiça americana, para botar a mão em R$ 2,5 bilhões de reais destinados a uma fundação privada a ser administrada pelos próprios procuradores federais do Paraná, sem prestar contas a ninguém.

Desta forma, a Lava-Jato lava o dinheiro sujo da corrupção da Petrobras em proveito próprio, sem se dar ao trabalho de explicar ao distinto público o que, afinal, pretende fazer com o bilionário butim.

Em operação casada, 80% das multas de mais de R$ 3 bilhões pagos pela Petrobras à Justiça americana serão repatriados para a Lava Jato.

É algo tão escandaloso e inconstitucional que, desta vez, ao contrário do que pensavam Moro & Dalagnol, habituados a não dar satisfações nem ao Supremo Tribunal Federal, há fortes reações à maracutaia.

Informa a coluna Painel da Folha:

“O acordo que destina R$ 2,5 bilhões para uma fundação a ser criada pela Lava Jato será alvo de grande ofensiva esta semana. O TCU espera ser demandado até a sexta(15), e ministros cogitam responsabilizar pessoalmente os dirigentes da Petrobras que autorizaram o pacto, inclusive com bloqueio de bens.

No Congresso, o PT discute ações com outros partidos. Além de recorrer ao STF e ao STJ, a sigla vê base para questionar a atitude de procuradores no Conselho Nacional do Ministério Público”.

Ministros do TCU já classificaram o acordo como “absurdo” e lesivo à União, mas o STF até agora permanece em obsequioso silêncio.

Marco Aurélio Mello foi o único ministro do Supremo a se manifestar até agora contra esta operação tabajara.

A tentativa de criar um poder paralelo e autônomo já vinha sendo tentado pela Lava Jato há mais tempo, mas parece que agora exageraram na dose.

O que todo mundo se pergunta é para que a Lava Jato precisa de tanto dinheiro para combater a corrupção, se o Judiciário, o MPF e a PF já recebem verbas suficientes do Orçamento da União para fazer o seu trabalho.

Como acontece nestas horas, surge todo tipo de especulação, até a criação de um fundo para a disputa eleitoral de 2022, que já foi antecipada por Rosângela Moro em favor do marido nas redes sociais.

Moro e Bolsonaro até agora não comentaram o assunto, pelo menos em público, o que alimenta as suspeitas sobre o destino dos bilhões, enquanto as instituições “em pleno funcionamento”, não tomam uma providência.

Só um estado de completa anomia social, que leva a uma apatia coletiva, pode explicar tamanha desfaçatez de quem se julga acima das leis, que nunca foram para todos.

Neste fim de semana, muita gente veio me perguntar do que se trata, diante da perplexidade geral causada pelo noticiário.

Para passar o pano, o presidente Bolsonaro continua tuitando adoidado suas abobrinhas e ameaças, levando cada vez mais brasileiros a não acreditar em mais nada.

A repulsa à nova ordem está crescendo tanto, que cada vez mais amigos meus, para evitarem a depressão, resolveram não ler mais jornal, não acompanhar o noticiário na TV e evitar as redes sociais.

Pois é exatamente isso que querem os estrategistas do governo para implantar suas reformas anti-sociais na surdina e rifarem as riquezas nacionais na bacia das almas: um povo amedrontado, desinformado, desmobilizado, sem capacidade de reagir aos desmandos diários e aos escândalos que se sucedem, um superando o outro.

Não há limites para a insânia.

Chego a pensar que esta estratégia macabra é tão sofisticada que não pode ter sido criada só por brasileiros.

Aos poucos, as peças vão se juntando para demonstrar o que está por trás da Operação Lava Jato nestes cinco anos de poder absoluto da República de Curitiba.

Como aconteceu no golpe de 1964, talvez só daqui a alguns anos, quando forem liberados os documentos do Pentágono, saberemos como Jair Bolsonaro saiu diretamente do folclore do baixo clero da Câmara para a Presidência da República.

Até hoje acho estranho ter que chamá-lo de presidente.

E vida que segue.

 

9 thoughts on “Lava Jato, 5 anos: República de Curitiba se alia à Petrobras e justiça americana

  1. Bolsonaro e Moro não são aliados! Na verdade Moro está no (des)governo “apenas” como uma grife e é vigiado de perto por pessoas de confiança do Presidente. O jogo está sendo jogado e creio que esta tentativa de golpe feita pela Lava Jato foi um tiro no pé! Resta saber o teor da “parceria” que a operação tem com os EUA, pois ela não está preocupada com o Brasil. Bolsonaro e Lava Jato amam os EUA, mas de formas e por motivos diversos e ambos têm estratégias diferentes para contar com a bênção do Tio Sam…

  2. Mestre, o Brasil abandonou a falsa realidade mitigada para viver em anomalia permanente, com o povo decidido apenas engolir e ruminar bovinamente o que lhe servem, silencioso: “Quem foi, quem foi, que falou no boi voador. Manda prender esse boi, seja esse boi o que for”.
    Mais um pouco e teremos bois levitando por aí.
    Enquanto isso, moros & delanhóis explicitam aos que nunca tiveram olhos de ver a bandalha a que sempre serviram, em pé, sendo armada para o assalto final ao poder, ao patrimônio e ao que resta de vergonha nacional, com exposto patrocínio do norte para todos saberem e orgulharem-se de quem os salvam de tornarem-se nação soberana.
    Incrível, desfilam à nossa frente o atraso presente, enquanto completam a coleta e a entrega do país ao papel de colônia americana, como se estivéssemos estacados no piso, quando ruminantes estamos todos livres e desimpedidos à reação, porém presos em nossa eterna e covarde submissão.
    E pensar que toda essa tão decantada, tocada, replicada e mal contada, ‘maior corrupção do mundo, do PT’, factualmente, sequer arranha o calcanhar dos prejuízos causados ao Brasil pela Lava Jato, na Petrobras e nas indústrias da construção pesada e naval.
    PS: De fato estranho chama-lo, não sendo por incapaz.

  3. Essa operação ou é uma ação entre amigos, um fundo para financiar futuras campanhas eleitorais de dallagnois, marenas e moros, uma grande lavanderia ou tudo isso junto e misturado. Mais um “acordo caracu” com a turminha da zona Norte. A História nos mostra que fazer “acordos” com eles é pedir p/ levar rasteira. “Os Estados Unidos não têm amigos e sim interesses” (Royalties não sei pra quem. Acho que Foster Dulles – Secr. de Estado do governo Eisenhower).
    Outro “acordo” já fechado: Alcântara. Já era.
    E assim caminha a Humanidade.

  4. Kotscho, nada mais surpreende quando a Petrobrás está enfiada em mais uma tramoia.
    E essa dicção é de justa colocação, uma vez que a Lava Jato existe – e que já deu tantos prejuízos à Nação – pelos simples fato da acintosa omissão da “Firmona” via de sua Auditoria Externa e Interna.

  5. Até agora o melhor artigo sobre este assunto “escabroso”. Ricardo Kotscho, com razão, cobra um posicionamento da Oposição ao desgoverno do Bozo. Nós, brasileiros honrados, não temos que pagar mais uma maracutaia do Partido da Lava Jato (PLJ). CADÊ os acionistas da Petrobrás que se calam?

  6. Que podridão! É a ducha explícita e dourada do mau caráter. Indignação total. No batuque silencioso dos generais de pijama, fodam-se todos os aposentados e pensionistas.
    Haja cruz, sacrifício e sangue. A língua ferina de ” fhc” já os sangrara no madeiro infame, cravando-lhes a coroa de vagabundos. O odioso amante de ironia duvidosa, jamais fez alguma coisa para impedir o calvário desses ” vagabundos “.
    Somos todos heróis mal pagos! Vagabundos e heróis da Pátria, contribuintes durante 35 anos para com o INSS. O Post de hoje é assustador, eis que revelador de verdade nua e crua de um governo que se recusa a tomar posse de seus deveres. Só quer o golpe aos mais fracos. Refis e desvinculação de receitas aos fortes.
    O rebento das urnas e seus “generais civis e militares” fazem o que querem. E agora, o “vagabundo” dói menos aos velhinhos aposentados. O letrado Ph.D jamais mexeu com os proventos do pobre.
    A reforma da Previdência meterá uma facada no bolso de todos. A ameaça expõe criminosa e cruel perseguição aos que mal saciam a fome, porque a farmácia se associou de todos………..
    Até agora, legislador e redes sociais não aludiram a esse crime. O incontestável Post mostra a podridão dos dominantes.
    Os dominados pela direita bolsonazista terão desconto de 10,5% em seus ganhos. Só Deus para impedir facada mortal.
    Antes morrer na lama de Brumadinho do que perder a vida nas mãos assassinas de Governo que… DOURADAMENTE MIJA EM NOSSAS PARTES ÍNTIMAS e estupra nossa esperança de uma vida que segue indefesa.

  7. Ue, não estou entendendo nada.
    A Petrobras não pagou indenização aos acionistas americanos por alegados prejuizos lá? por queixa da CVM de lá? Ainda que o dinheiro nao tivesse saido ainda do Brasil, era deles, correto?
    Então como é que o Depto de Justiça de uoxinton pode pegar a grana dos outros -uns USD 670 MI dos aplicadores e passar para as mãos do Dallagnol, assim ? e a troco de que? Me explique quem tiver informaçoes de onde exatamente veio essa propina que eu nao sei.

  8. Prezado Kotscho: Se como você escreveu “a República de Curitiba, enquanto o resto do país estava distraído com o Carnaval, fez um acordo por baixo do pano com a Petrobras e a Justiça americana” imagine as fortes emoções que virão pela frente. Agora, antes das seis da manhã, ao ligar a televisão dei de cara com a apresentadora do jornal matinal chamando o repórter na rua do Rio de Janeiro para dar novas informações sobre o caso Marielle. Senti o repórter meio constrangido ao iniciar a reportagem, mas reconheci logo de cara o portão de entrada de onde ele transmitia as novas informações. O portão de entrada é o do condomínio onde morava até 31 de dezembro de 2018 o “capitão”, hoje presidente da república, e que no qual foi preso um policial dos dois suspeitos do assassinato da vereadora e de seu motorista. Como segundo a reportagem esse policial morava no luxuoso condomínio será que por acaso o “capitão” não o conhecia, por exemplo, de reuniões ordinárias do condomínio em que muitas das vezes se discute o importante assunto do estacionamento de bicicletas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *