Como em 1984, a sociedade civil se mobiliza na resistência democrática

Como em 1984, a sociedade civil se mobiliza na resistência democrática

A página 3 da Folha desta quarta-feira me fez lembrar o jornal de 35 anos atrás, onde eu trabalhava, quando a sociedade civil se organizou na resistência democrática à ditadura militar que então vivia seus estertores.

Sob o título “Comissão Arns, em defesa dos cidadãos _ Conquistas estão sob ameaça de retrocesso”, um artigo anuncia a nova mobilização da sociedade civil, desta vez para impedir que o Brasil seja novamente golpeado por um regime de exceção.

Em 1984, o país inteiro saiu às ruas em defesa das eleições diretas para a presidência da República, depois de 20 anos de generais presidentes, na maior campanha cívica da nossa História.

E a Folha foi o jornal das “Diretas Já”, desde o primeiro momento, acompanhando por todo o país as grandes manifestações pela volta da democracia.

Assinado por Maria Hermínia Tavares de Almeida, Luiz Felipe de Alencastro e Luiz Carlos Bresser Pereira, o artigo é um libelo contra o retrocesso que ameaça o país, cada dia mais, sob o novo governo, que ainda não completou nem dois meses.

O primeiro passo da Comissão Arns, criada por advogados, acadêmicos, intelectuais e jornalistas em defesa dos direitos humanos, será dado hoje, às 11 horas, na Sala dos Estudantes da Faculdade de Direito da USP, no Largo de São Francisco, com a participação de vários ex-ministros dos governos FHC e Lula.

Não por acaso, a comissão será presidida pela minha grande amiga Margarida Genevois.

Prestes a completar 97 anos, essa grande líder da sociedade civil continua incansável na luta para denunciar as violações de direitos sob o governo do capitão Jair Bolsonaro.

Margarida foi o braço direito e esquerdo de dom Paulo Evaristo Arns na presidência da Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo nos mais tenebrosos períodos da ditadura militar.

Na solenidade do Largo São Francisco, será lido o manifesto com os preceitos que guiarão o trabalho da comissão.

Para quem não puder ir lá, seguem abaixo alguns trechos do artigo da página 3 da Folha em que os autores justificam a criação da Comissão Arns:

***

“Eleitos pelo sufrágio democrático, o novo governo federal e governos de alguns estados, bem como integrantes da base parlamentar situacionista, têm revelado compreensão acanhada dos direitos da cidadania e visão preconceituosa em relação a valores e comportamentos aceitos em qualquer sociedade diversa e complexa. Sem falar nas suas ideias simplórias, por vezes brutais e ilegais, para atender os justos anseios da população por segurança e paz.

“As instituições do Estado democrático são fortes e sólidas, mas nem por isso necessariamente aptas, por si sós, a se contrapor à propensão ao retrocesso do novo governo. Elas dependem, para tal, da mobilização ativa de todo quantos aspiram a que as promessas da Constituição de 1988 se realizem de forma plena.

“Essa é a motivação dos 20 fundadores da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos D. Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns – que nasce com o compromisso de identificar e denunciar aquelas ações do governo que firam a integridade física, a liberdade e a dignidade humana nesses tempos difíceis”.

***

Nestas horas, nenhum democrata deverá ficar omisso. Amanhã, a vítima pode ser você.

Só a sociedade civil, mais uma vez organizada e mobilizada, poderá evitar o pior que já se desenha ameaçadoramente no horizonte.

Desta vez, eles não passarão.

Vida que segue.

 

17 thoughts on “Como em 1984, a sociedade civil se mobiliza na resistência democrática

  1. Grande mestre, é muito cínica a postura atual da FOIA DE S.PAULO e ela não está do nosso lado esquerdo da força! Na verdade a intenção do jornal, diria até que de toda a imprensa que participou faceira da derrubada da Dilma, é enfraquecer Bolsonaro para ter mais mamata para mamar e, no limite, derrubar o Bozo. As análises devem ser feitas com muita cautela, porque nesta guerra fratricida por mais poder no Governo Bolsonaro, o povo brasileiro ainda não está sendo levado em consideração…

    1. Como diria o Mino Carta,até o mundo mineral concordaria que a Folha,junto com suas co-irmãs da mídia,capitaneada por Globo/Veja,Psdb incluso, foram artífices do golpe e por consequência “dissotudoquitaítalquei”?

  2. Caro amigo Kotscho,nunca imaginei,nem nos meus piores pesadelos que sofreríamos um retrocesso tão grande em um tempo tão curto!
    Vi nossa sociedade evoluir tanto nos ultimos 30 anos e é triste perder quase todo a avanço em pouco mais de 2 anos!
    Um democrata lutar pela democracia e pelos princípios democráticos não é uma opção e uma decisão tomada no berço quando se nasce democrata!
    A luta contra a DITADURA é como a luta de um pássaro que saiu da gaiola, conheçeu a liberdade e se recusa a voltar !
    A Comissão Arns foi, é e sempre será a voz dos excluidos e persseguidos pelo regime!
    Força Amigo! Estamos juntos na resistência!!

  3. E o aposentado que não aderir? Lastimavelmente, aprovada a reforma da (im) previdência, terá um descontão de 10,5% em seu provento mensal. No Congresso muitos têm voz e “amaciarão a maçã”, então pergunto, quem defenderá a classe mais fraca? Os queridos velhinhos já contribuíram uma vida inteira para a roubalheira da (im) previdência. Então eu posso comprar 4 armas? É pouco!

  4. É Mestre, os astros parecem em movimento para alinharem o Brasil desalinhado e em rota de colisão, por obra e graça, não do espírito santo, mas de ‘gente de bem’ e ‘pais de família’, fardados ou não, que não estão no gibi, nem em outro planeta.
    Sei lá a razão, de repente, exatamente ontem, veio à lembrança slogan famoso de campanha de trânsito na década de setenta: “Não faça de seu CARRO uma arma, a vítima pode ser você”. Imediatamente repaginei-a, ‘não faça de seu VOTO uma arma, a vítima pode ser você’, pensando-a mais significante nesse tempo medíocre que vi-vemos aqui.
    Hoje, ao ler o artigo, trombo com “a vítima pode ser você” e pela coincidência investigo possíveis variantes utilizadas, além de carro e voto, e descubro livro premonitório de 2014, com o título: “Não faça de seu FILHO uma arma, a vítima pode ser você”.
    Parei por aí, escrevi e enviei-lhe esse, sem esquecer o significado que é ter-se Margarida Genevois na ativa, a irradiar luz às trevas.

  5. KOTSCHO , ACREDITO QUE UM JORNALISTA SÉRIO E INTELIGENTE COMO VOCÊ , DEVERIA SE DISTANCIAR UM POUCO MAIS DAS PAIXÕES E NÃO COPIAR OS BOLSONAROS , SOMENTE TROCANDO O LADO DO MURO. O BRASIL ESTA PRECISANDO
    DE BOM SENSO E NÃO SE EXTREMOS.PENSE E REFLITA.
    DO ADMIRADOR

    1. João Macedo, bem-vindo ao Balaio. Como é a primeira vez, só te peço para não usar apenas letras maiúsculas.
      Aqui ninguém é cego nem surdo. Pode escrever normalmente teus comentários. Não contendo ofensas, serão publicados.

      1. Concordo com o João, o RK é um jornalista muito sério e inteligente, eu o acompanho há mais de dez anos, só que depois que o Bolsonaro ganhou a eleição, ele anda mais desnorteado que aqueles coitados que moram perto das represas da Vale.

  6. Evocar Dom Paulo Evaristo Arns é sempre oportuno e esta comissão é um alento, que dá um sinal de esperança. Nunca é tarde para sacudir a poeira, ainda que esta esteja mais próxima de uma lama. E sabemos os estragos que a lama é capaz de fazer.
    Abraços!

  7. A maioria do direitos e garantias individuais que protegem os cidadãos, estão contidos na Constituição Federal, onde qualquer alteração exige 2/3 do congresso. Não consigo antever neste momento qualquer movimento contrario neste sentido. A camara dos deputados mostrou esta semana que está atenta à mudanças , quando derrubou o decreto do Mourão sobre os documentos secretos.O que se consegue visualizar ao longo do tempo, é o avanço de “direitos” de inumeros grupos, que chegam até mesmo constranger à quem deles não pertencem. Por outro lado, o direito dos “manos” estão se sobrepondo aos direitos dos “humanos”, onde se chega à estupidez de defensores destes direitos, de dizer que o policial só deve atirar em confronto, depois que o opositor atirar primeiro, mesmo em casos de evidente risco ao policial e a outros cidadãos. Endurecer o jogo e as regras para com o crime, não é nunca será retirada de direitos, a não ser na cabeça daqueles que protegem ou tem bandidos de estimação. O crime de corrupção mata muito mais que o crime com armas e deve ser combatido com duras penas, doe a quem doer. Os valores desviados de recursos publicos nas duas ultimas decadas, daria para fazer o dobro ou o triplo do Bolsa Familia, ao programa minha Casa minha Vida .
    Hoje confunde-se muito “direito” com “obrigações”.. Acham que em um protesto, podem pichar, quebrar, vandalizar, sem a contrapartida de pagar pelos seus atos. Está na hora de separar joio de trigo e pelo visto, a chiadeira é pela sinalização desta mudança de rumo.

  8. Me pergunto se devo entender desta forma – ou não:
    >As armas da vitoria do Bozzo.deixa.que.eu.chuto veio do ”pool” seguinte que formava UM só bolo de notas:
    #a grana do fundo partidÁrio, lavada, girada e aplicada na campanha
    #a grana das milicias para o 01 – contabilizada e administrada pelo Queiroz
    # a dinheirama dos doadores de campanha, c/ destaque para a Taurus + agros
    # as dezenas de milhões da Havan e outros, direto para os disparos fake do Whatzapp
    E mais?

  9. Nunca desde q me entendo por gente, eu vi um grande potência (no caso a Russia) fazer uma declaração pública tão direta e sem rodeios como essa. Disse Putin: É uma ação espelhada. Se eles colocaram seus misseis nucleares (de curto/medio alcance) na Europa, nós vamos colocar os nossos no Atlântico.
    E deu com clareza as noções da distancia e da velocidade hipersônica de seus misseis para o outro lado ir fazendo as contas..
    Armagedon garantido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *