2019 finalmente começa em Brasília: governo com a faca e o queijo na mão

2019 finalmente começa em Brasília: governo com a faca e o queijo na mão

Métodos e manobras à parte, o fato concreto é que o governo Bolsonaro fez barba, cabelo e bigode nas eleições para a direção do Congresso Nacional.

Se não fossem os desatinos e as trombadas entre os quatro feudos do governo (militares, lavajateiros, ultraliberais e olavistas), Bolsonaro teria céu de brigadeiro para começar a governar, com os outros dois poderes sob controle e a oposição desmantelada.

Quando voltar da cirurgia, o presidente vai encontrar uma Brasília dócil e submissa, disposta a atender todos os seus desejos.

Com a faca e o queijo na mão, poderá aprovar a toque de caixa a reforma da Previdência, caso seus fundamentalistas fanáticos sosseguem o facho e não atrapalhem.

Para isso, conta com a boa vontade de Rodrigo Maia, que deu um passeio na eleição para a Câmara, e um Senado sem Renan Calheiros na presidência, agora com o desconhecido Davi Alcolumbre teleguiado por Onyx Lorenzoni, que já está costurando uma aliança do PSL com o PSDB.

Nada de “nova política”, portanto. Em certos casos, mudaram só as moscas; em outros, nem isso.

Os maiores problemas para Bolsonaro continuam dentro do seu governo, com o vice, o falante general Mourão num papel nada decorativo, muito ao contrário, e o PSL em pé de guerra brigando por nacos de poder.

O que virá depois dos 100 dias de lua de mel é outra história, mas de qualquer forma sua situação é muito mais tranquila do que a de Dilma Rousseff, que iniciou o segundo mandato já enfrentando a guerra aberta para derrubá-la, comandada por Eduardo Cunha na presidência da Câmara, em parceria com o MDB de Michel Temer e o PSDB de Aécio Neves.

Para superar sem maiores traumas este período, o capitão reformado precisará controlar seus três filhos parlamentares, domesticar o PSL e torcer para que não avancem as investigações sobre as ligações dos Bolsonaros com a milícia carioca, uma tarefa aos cuidados de Sergio Moro.

É o que temos para o momento, enquanto o presidente se recupera da cirurgia.

Vida que segue.

 

10 thoughts on “2019 finalmente começa em Brasília: governo com a faca e o queijo na mão

  1. Nada mal para ineptos do baixo clero como o Coiso e o Nome de Chuveiro. Quem diria que eles conseguiriam o que aqueles gênios da política não conseguiram em 2015. Mas falta uma coisa na comparação entre os dois períodos: o povo. Em fevereiro de 2015 a imprensa, repleta de defensores do governo, não noticiava. Porém o povo se manifestava nas redes, que ferviam com a preparação da gigantesca manifestação de março.

  2. Bem observado, Mestre, mas o primeiro terço dos ‘100 dias’ sequer precisou de oposição para ter-se a sensação do país de pernas para o ar e alguma coisa fora da ordem, além de Mourão e permanecer ‘atolado’.
    Como o define Carta Capital, no país do “Lucro Acima de Tudo e Lama Acima de Todos”, de fato nem tudo é involução a aprofunda-lo do nível critico ‘Renan’ para o abissal ‘Alcolumbre’, por exemplo.
    Atente-se que, ao invés apenas do consagrado ‘Memórias de um Sargento de Milícias’, temos agora sendo publicadas, as ‘Memórias de um Capitão de Milícias’, onde a evolução não só fica patente, como temos, no lugar do Major Vidigal, o juiz premiado Ministro da “Justiça”, por ‘serviços eleitorais’ prestados de 2014 a 2018.
    Mas cá entre nós, é sempre a onipresente lesma lerda em nossa história, apenas que agora com as Milícias atuando de forma diversificada e expandida, tendo por sede, ‘Rock River’, e por gerentão faz-tudo e ponte entre operacionais e braço político, Queiroz, em plena luz do dia, na Cidade Maravilhosa, engulho do ‘nosso Brasil’, como ‘Tucanópolis’ e outras, nesse tempo.

  3. Mino Carta em editorial de Carta Capital está irretocável no seu texto opinativo: “O Diálogo Impossível”. Vale dizer que, talvez, a liderança nas duas Casas seja mais problemática ao governo do que se imagina.

  4. Prezado Kotscho: Câmara, senado, judiciário e milícia a favor, o que mais que esse governo militarizado quer? Será que quer explicar a corrupção e o crime organizado de quem o apoia?

    1. Prezado Kotscho: Segundo o site da Agência Brasil de 04/02/2019 “Jair Bolsonaro disse no texto enviado aos parlamentares, que o governo brasileiro declara guerra ao crime organizado. “Guerra moral, guerra jurídica, guerra de combate. Não temos pena e nem medo de criminoso. A eles sejam dadas as garantias da lei e que tais leis sejam mais duras. Nosso governo já está trabalhando nessa direção””. A pergunta é: essa “guerra” também vai ser declarada para o próprio umbigo, os familiares e seus associados?

  5. Na Câmara, o DEM que já foi PFL, que já foi ARENA está sobrando e esperava esta oportunidade há 30 anos. Já no Senado acredito que a vitória foi um tiro no pé! Renan tem mais malabarismo político que qualquer um de seus pares. Não se está aqui dizendo que é um vestal. Nada disso. Ele tem um transito mais fácil por todos os partidos sejam de situação ou oposição. Neste momento em que serão colocadas as votações de reforma da previdência e outras mais, este transito, este dialogo é de suma importância. Alcolumbre é mais um bolsominion! Será engolido pelas raposas do senado na primeira oportunidade.
    Vejo tempos difíceis para o atual governo!!

  6. Análise perfeita!
    O maior problema do Bolsonaro pai está em “casa”.
    A oposição se dividiu em 2 blocos, os q serão contra tudo proposto pelo governo e os q serão a favor dos projetos em melhora do país.
    Ciro jogou bem e conseguiu o maior bloco da oposição.
    No senado tivemos a demonstração q o povo tem voz, votação acompanhada em bares, com torcida única pela não eleição do Renan e pelo voto aberto.

  7. Alguém acredita que a turma do Mourão, vai deixar o Bolsonaro sair vivo daquele hospital ???
    Vão deixar passar uma oportunidade desta, para não tirá-lo do caminho???
    Depois é só colocar a culpa no PT…afinal…não é possível que aquele hospital não tenha um enfermeiro filiado ao PT…especialista em injetar bactérias indestrutíveis em pacientes…né não ???

  8. Análise precipitada! De fato não estou entendendo nada nestas análises dos “especialistas”: um dia, o governo já acabou em virtude das denúncias contra o clã Bolsonaro; no outro, já tem o controle do Congresso e nada de braçadas para acabar com o Brasil! Na verdade até o momento existem apenas suposições. O bicho vai pegar mesmo quando a tão falada REFORMA DA PREVIDÊNCIA for apresentada pelo Posto Ipiranga, uma reforma que ninguém sabe ainda como será, aí sim começaremos à ter alguma noção das coisas. Antes disso os analistas estão fazendo o que sempre fazem: chutando para todos os lados!!!

  9. E o Brasil acabou caindo nas mãos de políticos apoiados por fanáticos fundamentalistas terraplanistas, geocêntricos para quem o que vale é Adão, Eva, a maçã e a serpente. Teoria da Evolução? Darwin? Esse era um comunista safado. Como Marx. O nosso chanceler (???) Ernesto Araújo (Ôh “Arnesto”) disse que temos que combater o “marxismo cultural que vem da Revolução Francesa”(!!!!!!). Marx nasceu em 1818. Lançou seu Manifesto em 1848. A Revolução Francesa aconteceu em 1789. Isto é: Marx influenciou um evento que aconteceu 59 antes e 29 anos ANTES de nascer. Puxa… o cara não era fácil, mesmo.
    Só para lembrar: quem votou Bolsonaro, votou Mourão. Talquei?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *