Com Lula preso e a oposição de férias, o inimigo agora é a imprensa

Com Lula preso e a oposição de férias, o inimigo agora é a imprensa

No dia da posse, o primeiro Twitter do novo presidente foi para atacar a revista Veja com uma saudação militar: “Selva!”.

Era o primeiro sinal do que viria pela frente: durante toda a terça-feira da cobertura da posse, os jornalistas foram confinados em chiqueirinhos, sem direito de ir e vir, vigiados por agentes de segurança, sem comida nem água, fazendo filas nos banheiros e sentados no chão.

Com Lula preso e a oposição ainda de férias, como não pode viver sem inimigos, o presidente Jair Bolsonaro escalou a imprensa como inimiga do regime.

Não chega a ser uma novidade para quem viveu como jornalista os 21 anos da ditadura militar.

Mas, mesmo naquela época, não me lembro de ter recebido um tratamento tão desumano.

Jornalistas da Espanha e da China abandonaram a cobertura em Brasília por total falta de condições de trabalho, mas os brasileiros resistiram até o fim, e alguns até pareciam felizes ao entrar no ar.

Só os jornalistas mais antigos estranharam o tratamento e não acharam nada normal o que estava acontecendo.

O problema é que agora tudo no Brasil virou o “novo normal”, já que rapidamente as instituições se adaptaram à nova ordem implantada pelo novo presidente.

Nem tudo que é novo é necessariamente bom. Já tem muita gente com saudades do Temer e até do general Figueredo, que pelo menos era engraçado.

O último general-presidente também vivia às turras com a imprensa, mas não chegava a torturar os jornalistas em serviço.

Certa vez, arrisquei fazer uma pergunta para ele de supetão, na saída de uma cerimonia oficial em Lisboa, onde não havia outros repórteres.

Em vez de chamar a segurança, botou a mão no meu ombro, e deu um sorriso esperto:

“Não vem, não. Sem entrevista. Tá querendo passar a perna nos teus colegas?”

Essa gente que entrou agora está sempre de cara emburrada, já repararam?

Parece que eles estão permanentemente em posição de combate, olhando de lado, ariscos, prontos para matar ou morrer.

Só dão um sorriso quando o protocolo exige ou estão cercados de apoiadores querendo fazer uma “selfie”.

Imbuídos da certeza de que estão salvando o país, acham que jornalistas servem apenas atrapalhar o trabalho deles.

O que os novos donos do poder querem são elogios, não perguntas difíceis.

É só o começo, mas já dá para assustar. Como será daqui a seis meses?

A exceção à regra é o midiático ex-juiz Sergio Moro, agora ministro, que adora uma entrevista coletiva com jornalistas amigos.

E os terroristas que ameaçavam a festa da posse? Já foram presos?

Militares, como sabemos, sempre precisam de um inimigo para justificar a própria existência.

Sobrou para os jornalistas, mas não entendo isso: a maior parte dos veículos de mídia já apoia o novo governo, alguns até com entusiasmo.

Vida que segue.

 

23 comentários em “Com Lula preso e a oposição de férias, o inimigo agora é a imprensa

  1. Mudança radical de ideologia, de comportamento e de posicionamento geo politico. Poderá acontecer erros? Sim, isto é quase invevitável, mas a equipe como um todo é bem mais qualificada do que tivemos nas duas ultimas décadas.
    É esperar para ver.
    E onde estavam os congressistas do PT? como sempre, quando a porca torce o rabo, batem em retirada.

      1. sempre a mesma ladainha do PSDB…se o “inimigo agora é a imprensa”, para o PT, o inimigo “sempre foi o PSDB”…um inimigo de conveniência, pois estao simplesmente do mesmo lado da moeda…

      2. Ricardo, o PT tem luz propria ou ele se guia pelo passado e pelo o que os outros partidos fizeram.
        Se o PSDB errou em não ir na posse posse da
        Dilma (e eu particularmente entendo que errou) , não deveria servir como justificativa para esta ausencia agora.
        O PT precisa se concientizar que acima de seus propositos, está o nosso pais. Ele deve sim ser oposição, mas oposição construtiva. E não me venha novamente dizer que quando ele foiu governo a oposição foi destrutiva.
        Não se esqueçam que o PT foi flagorosamente expulso de campo na ultima eleição e agora, ele tem a penosa missão de reconquistar o publico que um dia acreditou nas suas propostas. E não vai ser desta forma.

  2. Acho tudo muito teatral, fico até enjoada, não sei o que vai acontecer, o homem não desceu do palanque ainda, concordo com vc, ontem assistindo os telejornais, tudo dominado.

  3. Caro Kotscho!
    A nossa imprensa não tem o caráter independente e informativo que é a própria essência do jornalismo.
    O comportamento que estamos verificando das grandes empresas de comunicação é um padrão de viés econômico. São hospedeiros e formam perfeita simbiose com qualquer sistema de poder em permuta aos interesses econômicos.
    Não há um jornalismo imparcial, informativo e investigativo. Hoje as iras são lançadas contra o PT, se voltarem ao poder tornam-se aliados; tratam a questão Queiroz com indiferença e sutiliza para não desagradar Bolsonaro; e Marielle? Já é um assunto irrelevante!
    O jornalismo, em sua maioria, é formado por maus-caracteres e alimentam nossa segregação por não concordarmos com toda esta farsa que estamos vivendo.

  4. Nada de muito novo nesse front. A mídia, sobretudo a grande, sempre é laudatória e incensa os governos, particularmente no início e intensamente nos
    cem primeiros dias. Depois, são outros quinhentos.

  5. Que alegria ver um político de direita agredir a revista veja. Essa porcaria já deveria ter acabado faz tempo: felizmente a editora abril quebrou. Espero agora que os ‘espertos’ e falsos jornalistas tipo villas e aquele outro que apresentou o Roda Viva da Cultura e que agora esbravejam na jovem pan, além de outros quaisquer que se esconderam nas rádios previamente contratadas para acabar com o PT também recebam o mesmo ultrajante tratamento. A turma da globo news está meio esperta, pois suas puxadas de tapete não estão surtindo muito efeito no novo governo. Onde irão trabalhar agora? Que delícia seria ve-los desempregados! Espero que aconteça em breve. Me desculpe, Kotscho, por ir contra alguns colegas jornalistas, mas você estás entre as exceções que continuo respeitando muito! Em tempo: e o tal de filósofo pondé, que também escreve na Folha de São Paulo e que perdeu totalmente o rumo? Ele acha que Lula e PT ainda são governo e não consegue escrever sobre outra coisa. Realmente é o samba do crioulo doido.

  6. Prezado Kotscho: Se “Parece que eles estão permanentemente em posição de combate, olhando de lado, ariscos, prontos para matar ou morrer.”, não foi essa gente desse novo governo que plantou isso? Não é típico de gente do tipo “deixa comigo” ou do “quem manda aqui sou eu”? Governo autoritário, fascista, tem esse tipo de comportamento padrão, de pistoleiros. “O medo nos governa. Essa é uma das ferramentas de que se valem os poderosos, a outra é a ignorância.” (Eduardo Galeano).

  7. Estamos entrando em um período de obscurantismo religioso, político e moral. Como dizia Nelson Rodrigues, uma onda de estupidez vai varrer este país. O professor de Biologia que falar da Teoria da Evolução de Darwin está arriscado a ser preso. Terá que falar em Bíblia, Adão, Eva, a maçã e a serpente. O de Geografia terá que dizer que a Terra é plana e o Sol é que gira em torno dela. Tempos bicudos nos aguardam.

  8. As mulheres, o universo delas enquanto ”representado” neste ministério e respectivo 2o escalão está uma vergonha á cubésima potência.
    Espero que as mais ardorosas feministas tupiniquins se manifestem sobre este pequeno detalhe.

  9. Mestre, com exceção dos heroicos resistentes na Web, esqueça a imprensa, como monopólio familiar não pode ser levada à sério, pois tornou-se um mero “armazém de secos & molhados”, com “mediáticos serviçais” de fazerem corar até os patrões familiares do dito, taoquei?
    Puro factoide de dispersão para desviar a atenção do barbarismo que passa a assolar o Brasil de A a Z, passando pelo ‘Q’ de Queiroz.
    Aproveite o tempo pra rir enquanto dá, no caso passando pelo ‘E’ de Ernesto Araújo, reservando meia horinha pra ouvir o ‘discurso de posse’ do ‘chanceler olaviano’ indicado por Zero-Um.
    Imperdível!
    Diversão garantida e grátis.
    Tem-se que manter isso cercado, mas pelo jeito, vai faltar cerca!
    O ‘Casa Verde [amarela]’ é aqui, agora!

  10. Bom dia Kotscho!
    Não irei perguntar se sentiu minha falta, já sei a resposta.
    O Fla x Flu q virou a nossa política se expandiu ao jornalismo. De um lado aqueles q defendem o novo governo e fizeram vídeos mostrando q tinham sim banheiros, lanches e ar-condicionado. De outro lado, vídeos afirmando não ter banheiro e nem o q comer.
    Não creio no q diz a Bergamo, esta tem lado declarado e foi somente para criticar.
    Tbm não vou crer q foram somente flores, como a Record quis mostrar.
    O esquema de segurança foi extremamente rigoroso, podemos discutir os excessos, porém estamos falando do presidente da república, o governante do país e q sofreu um atentado a sua vida. O Vaticano mudou tbm seu sistema de proteção ao papa após um atentado, é normal.
    Estava em Brasília e não fui a posse, na minha visão é inconcebível ficar 4h sob sol, sem cerveja gelada e tira gosto.

  11. Kotscho, não se gasta munição de verdade com um governante que não havia tomado posse, eram escaramuças com bala de festim, pra marcar posição. Agora ei ser pra valer, as críticas se darão em cima dos atos e fatos, e como vc diz, não se briga com eles. O PiG vai ter que sair da toca, senão será engolido pela mídia alternativa.

  12. Oposição de férias é licença poética. Seria ótimo se assim fosse. A oposição está batendo cabeças entre si e fazendo o papelão de baratas tontas. Ninguém da oposição apareceu para se contrapor, à altura, às avaliações e críticas dos novos ministros, especialmente na área econômica e de segurança pública e institucional de Estado.

  13. Balanceando neste Balaio a postura do colega (!?) Quartim de Moraes eu diria: a moral do quartel antigamente era pior, depois PIOROU!!!
    Espero essa mente capte…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *