Mesmo preso há 9 meses, Lula é o inimigo para o capitão Bolsonaro

Mesmo preso há 9 meses, Lula é o inimigo para o capitão Bolsonaro

Não passa um dia sem que Bolsonaro e família façam algum ataque grosseiro ao ex-presidente Lula, encarcerado há 9 meses em Curitiba.

Preparados para a guerra, militares precisam sempre de um inimigo a ser abatido para justificar a própria existência.

Lula foi escolhido para ser esse inimigo.

Fora do Exército há 30 anos, o mesmo tempo em que virou político profissional do baixo clero, o capitão reformado quer herdar a popularidade de Lula como seu antagonista, combatendo-o mesmo depois da eleição.

Em suas manifestações nas redes sociais, declarações truncadas e camisetas usadas pela família no melhor estilo Collor, Bolsonaro sempre dá um jeito de alvejar Lula.

Mais de uma vez, o presidente eleito já ameaçou seus aliados com a volta do PT se não forem fiéis a ele.

Com a oposição em férias, respeitando obsequioso silêncio ao vencedor, esta é uma guerra, por enquanto, que tem um lado só.

Quando o governo começar e enfrentar seus primeiros problemas podem apostar que ele jogará toda a responsabilizado em Lula e no PT.

Afinal, ele se elegeu com os votos do antipetismo e até agora não conseguiu apresentar um programa de governo.

Com seu exótico ministério montado em feudos, em que os militares se destacam,  durante o governo de transição ele se aproximou cada vez mais dos quartéis e dos templos evangélicos.

Com bobagens como escola sem partido, globalismo, goiabeiras, kit gay, vai distraindo a distinta plateia porque até agora não conseguiu dizer o que pretende fazer no governo, além de continuar batendo nos “vermelhos”, o genérico com que identifica seus inimigos.

Amigos de verdade, além de Trump e Bibi, são tipos como o motorista Queiroz, cevado no clientelismo dos gabinetes da família.

Essa dança do poder até aqui deprimente tem prazo de validade.

A mesma rede social das fake news que o levou ao poder pode se voltar contra ele, mais cedo do que imagina, quando o eleitorado se der conta de que votou numa grande farsa.

Enquanto Guedes quebra a cabeça para ver onde pode cortar e o que vender para fechar as contas, caberá a Moro mandar prender e arrebentar para ganhar as manchetes e esconder as investigações sobre a “movimentação atípica” da conta bancária de Queiroz.

É o que nos espera nos primeiros dias do novo governo.

Nada muito animador, a não ser para os mais fanáticos e cegos de ódio seguidores do “Mito”, que continuam em campanha nas redes do bolsonarismo.

Campanha para que?, pode-se perguntar.

Faltam agora só três dias.

Bom final de semana a todos.

Vida que segue.

 

16 thoughts on “Mesmo preso há 9 meses, Lula é o inimigo para o capitão Bolsonaro

  1. Caro Mestre… Os mais velhinhos como nós já vimos esta história no coLLorido…,já vimos no que deu e sabemos no que vai dar agora… uma pena para o Brasil… ou melhor.. BraZil..

  2. Todo líder, inclusive os políticos, precisam eleger um inimigo. Os religiosos por exemplo, elegem o Capiroto como inimigo, tiram até as calças dos fiéis amedrontados. O sucesso da empreitada do Bozo se deu por saber manipular seus fiéis amedrontando-os com os “perigos” da esquerda, não podemos negar que a esquerda deu motivos para sustos, como ela própria reconheceu, embora timidamente, se lambuzou. Bozo usou da esquerda seu suposto líder, Lula, embora este tenha declarado que nunca foi de esquerda, e sim uma metamorfose ambulante. Lula em seu momento de “luta” também elegera um inimigo, a elite. Como podemos ver, mudam-se os personagens, os métodos permanecem, e sempre haverá devoto carente de um demônio. O mercado de devotos é farto.

  3. A “estratégia” do Bolsonaro é tão óbvia para o Brasil atual que me espanta alguém se surpreender com essa tática. O país está rachado e o ódio ao PT, está na hora dos petistas admitirem, é tão grande que o partido se tornou a Geni da vez…O próprio Paulo Guedes, o nefasto, grita que se o governo Bolsonaro falhar o PT voltará ao poder e muitas pessoas acreditem nesta “ameaça”. Uma grande parcela da população brasileira prefere ver o capeta na frente e não o partido vermelho ou o Lula. De minha parte, torço de todas as formas para que o governo Bolsonaro dê errado, pois se ele der certo haja lombo para nós brasileiros aguentarmos as chicotadas e o retrocesso será tão grande que o país levará décadas para se recuperar!

  4. Lula mesmo preso é o “maior” vencedor na política atual!.Já seus “ex-aliados” continuam matando mundo a fora.Na Colômbia foi assassinado mais um inimigo da Odebrecht.

  5. Pro mito chegar perto da sombra do presidente Lula só se nascer de novo, coitado, concordo com vc, se com o decorrer do tempo o governo não decolar, com certeza vai provar do próprio veneno.

  6. Ricardo concordo com tudo que escreveu e o Lula não fez isto com o FHC com a herança maldita…..
    Infelizmente isto empobrece a politica tentando anular o outro isto que nos restou.

  7. Prezado Kotscho: É isso mesmo “Preparados para a guerra, militares precisam sempre de um inimigo a ser abatido para justificar a própria existência.” Eles só têm isso para oferecer para a população. A demonstração de força desse governo de ultradireita que se avizinha está no esquema de segurança montado para a posse. O que fazem dos militares poderosos é porque eles têm armas ao seu alcance para amedrontar o cidadão comum. Sem armas são desprovidos de ideias. É só observar a composição desse novo governo e ver quem está ao seu lado. “Detesto, de saída, quem é capaz de marchar em formação com prazer ao som de uma banda. Nasceu com cérebro por engano; bastava-lhe a medula espinhal.” (Albert Einstein).

  8. Nossa gloriosa força Aérea, com velhos avioes dos outros, e Exercito que sonham assim uma invasãozinha da venezuela, vão fazer um treino na terça feira no planalto central.
    Operaçao de segurança. Imagine como seria se o Lula estivesse solto.
    Tem ate misseis. Misseis é claro, apenas da categoria e do alcance que os USa permitiram que a gente construisse.
    De ora em diante certamente vao permitir que o que reste da Embraer fabrique aviões de pulverização e envenenamento agrícola.

  9. O país dos bolsonauros, é o retrato falado da falência do saber, da soberania e do futuro, é a indigência expressa na realidade anacrônica da Casa Grande, em pleno século XXI, a acoitar no alpendre e com promessa de futura admissão, essa viciada aspirante ‘gente de bem’ e ‘pais de família’, como suporte essencial à entrega e a condenação a miséria e ao atraso, do Brasil.
    Necessitam pois, apagarem Lula da memória do povo, pelo ‘subversivo’ contraste a revelar a incompetência ao ‘governarem’ e o raso e medíocre, que representam. Daí a pressa, o ataque sistemático, a violência, a doutrina do ódio e a evangelizadora mediocridade como verdade fake da hora, no virtual algorítmico adestramento de corações e mentes.
    Vamos embora pra 2019, Mestre, com esperanças no coração e lucidez resistente na mente, pois ‘Lula Vive, Lula Livre!’ e feliz 2019 de (re)conquistas a tu e a todos que só, pensam e sabem a importância do saber.
    PS: A propósito, até a Globo dobra-se a recomendar a simpatia: “Dia 31, à meia noite, beba açaí com laranja, pule 17 ondas e grite: São Queiroz! São Queiroz! Faça um depósito para nós.”

  10. A tática eleitoral sequer é nova. FHC encenou o mesmo papel no roteiro petista 15 anos atrás. A diferença é que, agora, não há como dar certo, porque além dos aloprados à disposição, o governo é demencial, conforme a insuperável dicção de Mino Carta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *