Jair Bolsonaro não inventou nada de novo: só abriu a porta do armário

Jair Bolsonaro não inventou nada de novo: só abriu a porta do armário

Para quem acha Bolsonaro muito radical, é bom ler o que escrevem seus seguidores nas redes sociais e nas áreas de comentários dos portais.

Em respeito aos leitores, não vou reproduzir as barbaridades ali publicadas, algumas delas bem assustadoras.

Eles não baixaram as armas depois da campanha eleitoral.

Ao contrário, uma vez vitoriosos, ao perceber que eram muitos, encheram-se de coragem e partiram para a guerra contra os “vermelhos”, a denominação genérica dada aos que não estão do lado deles.

O bolsonarismo já existia na sociedade brasileira faz tempo, agora sabemos, mas estava escondido nos armários e nos cofres da casa grande, só à espera de um porta-voz e uma bandeira para desfraldar na cara dos inimigos.

Da avenida Paulista dos patos amarelos às favelas e subúrbios, não demorou muito para a turma da senzala correr atrás, achando que também tinha chegado a sua hora de se vingar “contra tudo isso que está aí, táokei?”.

Atento à direção dos ventos e ao humor do eleitorado, o capitão saiu do quase anonimato para, em pouco tempo, reunir multidões à sua volta nas aparições que fazia em aeroportos desde 2014, quando decidiu ser presidente.

Ninguém o levou muito a sério, nem seus companheiros da “bancada da bala”. No início da campanha em 2016, os americanos também achavam que Donald Trump jamais seria eleito.

Mal dava para entender o que capitão reformado falava e a quem se dirigia, sempre desafiador em sua linguagem tosca de frases curtas e truncadas, sem ligação uma com a outra, apenas bordões sem nexo.

Mas todos entendiam seus gestos primitivos, fazendo arminha com as mãos e chutando bonecos de pixulecos, nos palanques improvisados.

Eleito, manteve o estilo despojado, gravando vídeos caseiros em seu bunker, com uma bandeira brasileira torta ao fundo e alguns livros fechados sobre a mesa, destacando-se um de Olavo de Carvalho.

Quem estranha esta falta de modos para um presidente da República, eleito com 57 milhões de votos, é bom lembrar que ele se dirige apenas aos convertidos, para manter a moral da tropa e animar a galera. Lixa-se para o resto.

Bolsonaro fala para seus iguais, que são milhões, e agora apareceram à luz do dia, multiplicando-se como coelhos furiosos em todas as bandas da sociedade.

Feio ficou bonito, grosseria confunde-se com autenticidade, ignorância tornou-se virtude.

Machismo, xenofobia, racismo e todo tipo de boçalidade passou a fazer parte do “novo normal” deste Brasil verde amarelo, triunfante e barulhento, que está na moda e marcha para o poder.

O governo Bolsonaro tem dia para começar e acabar, um dia passa, mas o radicalismo e a estupidez dos seus seguidores mais fiéis vieram para ficar.

Aquela história de brasileiro cordial, que me perdoe Sergio Buarque de Holanda, foi enterrada para sempre.

Marombados e marombadas mostram sua força por trás dos grandes óculos escuros, a bordo de grifes e carrões blindados, resolvem as diferenças na porrada, enquanto não se liberam as armas de verdade.

No faroeste caboclo que avança pelo país, a nova ordem da farda & toga dá o tom de modernidade ao que é apenas cafajeste.

Se não gostam da imagem refletida no espelho, atiçam seus cachorros contra os jornalistas vendidos, todos a serviço da Globo, que torcem contra porque não querem ver o país dar certo.

“Nenhum jornalista votou no Bolsonaro, pode crer, por isso vocês metem o pau nele. Mas a gente precisava mesmo de um cara como esse. Só um cara meio louco para botar ordem nesse chiqueiro”, disse-me, na manhã desta quinta-feira, um taxista que ouve a Jovem Pan o dia inteiro.

Era um senhor já idoso, que não admitia ser contrariado. “Quem te falou que o Jânio renunciou? Ele se matou porque não conseguiu consertar o Brasil. Agora eu boto fé nesse que vai entrar aí”.

Não adiantava tentar explicar que Jânio não era Getúlio, e nem todo jornalista trabalha na Globo. Típico bolsonarista, acha que nenhum político presta, é tudo ladrão, enquanto fura o sinal vermelho, xinga um pedestre na faixa e dá uma cuspida pela janela do carro.

É a nova cultura bolsonarista solta nas ruas, certamente um modelo para as futuras gerações.

Não importa como, o importante é se dar bem. Para que essa frescura de estudar, fazer uma faculdade, comprar livros, se tem tanto cara com diploma que ganha menos do que eu, não é mesmo?

Bastou correr a notícia na quarta-feira de que a Justiça tinha mandado soltar o Lula, para a fúria antipetista voltar às redes e às conversas como um rastilho de pólvora.

O taxista simplesmente não se conformava. “Já pensou soltar esse homem?”

Fiquei pensando: de onde vem e para onde vai tanto ódio?

O mais estranho é que nem oposição temos, já que parece estar todo mundo de férias, e as milícias internéticas continuam com a faca nos dentes.

Vão acabar se matando uns aos outros, na falta de inimigos.

Vida que segue.

 

 

33 thoughts on “Jair Bolsonaro não inventou nada de novo: só abriu a porta do armário

  1. Nem todos os vermelhos são perigosos.Entretanto,vermelho como o Marco Aurélio e a sua vontade de libertar além de um em especial,libertar cerca de 169.000 CONDENADOS EM SEGUNDA INSTÂNCIA!.

    1. Acaso de 2016 pra cá foram presas 169mil pessoas? Vc teve a coragem de ler a Liminar escrita por MAM? Ou vc apenas tá repetindo o que alguns jornalistas tendenciosos escreveram? Ou repetindo o mantra proferido pelos procuradores da Lava Jato?
      Me poupe!!!!

  2. Kotscho, gosto muito do seu blog.

    Seus textos são ótimos, suas reflexões incríveis e seu trabalho então sem palavras.

    Mas percebo um tema recorrente demais; numa rápida matemática de sua página inicial, de 5 postagens 4 são sobre “Bozonaro”.

    Com mais copioso respeito, seria possível mudar esse disco? Abordar temas melhores? Colocar em discussão os demais assuntos que acontecem no País?

    1. Tem toda razão, Desterrado. Procuro fazer isso todo dia, mas a nova ordem não deixa.
      Fica difícil para um repórter mudar de assunto diante dos tantos absurdos que acontecem todo dia.
      Falar do que? Do João de Deus? Mas isso os outros já estão fazendo. Quero saber onde está o motorista.

      1. Bom dia Kotscho!
        João de Deus declarou que não pode ser responsabilizado por atos cometidos enquanto esta em “trabalho espiritual”. É rir para não chorar.
        O motorista tem depoimento hj, espero q tenha melhorado da disenteria e não de outra desculpa.
        Bolsonaro deve agradecimentos ao MAM, o assunto do motorista foi para a segunda página nos últimos 2 dias.

  3. Ontem (19.12), uma bolsonarista fanática, eleita deputada federal por SP com pouco mais de um milhão de votos, postou um vídeo no qual sugere, aos berros, que o juiz Marco Aurélio deve ser “arrancado do STF”. Me pergunto como isso poderia ser feito dentro das regras constitucionais. Ou ela estaria clamando por uma intervenção no Supremo?

    1. Ministro do STF pode sofrer o impechment via senado federal, acredito q nunca tenha acontecido, mas é possível sim perante a CF.
      MAM passou sobre 2 decisões recentes do colegiado, algo tbm inédito no STF, mas não acredito q seja passível de punição.

  4. Está se desenhando, vão se enfrentar as milícias do Bozo, contra as milícias dos filhos do Bozo, contra as milícias do mbl, contra as milícias do Olavo, contra as milicias do fundamentalismo religioso, as milícias dos taxistas…..os milicos entraram de novo numa canoa furada.

  5. Por tudo narrado aqui, só se tem uma conclusão: O Bolsonaro não ganhou a eleição, quem perdeu foi o PT. e a esquerda, da qual a população está farta dela.
    O PT se quiser renascer das cinzas, vai ter que fazer uma limpeza geral no seu quadro diretivo , a começar pela sua presidente, da qual não se aproveita nada do que fala.

    1. Tu é tão rotulista …achamos que trabalhaste muito numa gráfica. Com igualissimo teor de verdade digo que quem fez a vitoria do eleito na eleiçao foi a globo + a midia + a vazajato com tres anos de criminalizaçao da politica. Funcionou magnificamente.
      Um colega disse, e achei não apenas bene trovatto – como muito verdadeira esta joia factual:
      “Esta nascendo e com muita força e mérito a nova Geni ambiental do planeta: a Republica federativa do Brasil”.
      Enfim, como direi? desmate-o ou deixe-o.

  6. Neste artigo praticas uma das coisas que criticas: a generalização = “típico bolsonarista”.
    Quanta a esta argumentação “Típico bolsonarista, acha que nenhum político presta, é tudo ladrão, enquanto fura o sinal vermelho, xinga um pedestre na faixa e dá uma cuspida pela janela do carro.” É rasa de dar vergonha. Sério que roubar milhões e furar sinal vermelho se equivalem? É o mesmo que dizer que quem roubar laranja do pé do vizinho quando criança será criminoso no futuro. Uma asneira. Só ver a punição para cada infração. Furar sinal, multa e pontos na carteira, corrupção, prisão em regine fechado.
    Quando a indecência na internet, está ai há tempo. Não pertence à direita, já que esquerda se comporta igualzinho, nem à política, já que páginas esportivas sofrem com isso há mais de uma década. Isso se deve à sensação de anonimato.
    Bolsonaro têm inúmeros defeitos. Mas ele não abriu porta coisa alguma.

    1. Sim, Edson, mesmo que você não queira, Bolsonaro abriu as portas da insanidade camuflada nos armários e não é para roubar laranjas.
      É para entregar o país de porteira fechada. Para isso ele foi eleito. Piores que ele são seus seguidores fanáticos.
      O governo um dia passa, mas o bolsonarismo veio para ficar.

      1. Só o tempo dirá quem está certo. De qualquer forma, não acho que esse tipo de análise ajude. Acho que Bolsonaro fará um bom governo e que seu maior desafio será controlar, não os seguidores, mas os fanáticos dentro do governo. A crítica precisa existir, mas ela precisa ser fundamenta e objetiva. Vi poucas análises sérias das propostas e projetos. Análises rasas e críticas pessoais só fortalece e fornece argumentos aos fanáticos.
        A exemplo, se eu não valorizasse a crítica e o pensamento contrário, jamais gastaria meu tempo aqui. Ficaria ouvindo os que só elogiam Bolsonaro, mas isso, apesar de confortável, “emburrece”.
        Boas Festas e até 2019!

  7. Eu mesmo tive uma briga sem fim com um reacionário aqui de Assis. Esses paquidermes estavam dormindo, e de repente, acordaram. É algo extremamente sério o que vem acontecendo, e ninguém sabe para onde vai. Estou bastante temeroso com tudo isso. Mas, afinal, Kotscho, onde se meteu o motorista que está sumido.

  8. Prezado grande repórter RK, há 2,6 mil anos, Buda previu o que tachou de Era da Degradação.
    É a época atual, segundo me explicou um monge budista.
    De acordo com o monge, citando Buda, as pessoas se tornariam cada vez mais arrogantes, intolerantes e, principalmente, egoístas.
    Buda pregava a compaixão, aliás, a grande compaixão, também de acordo com o monge.
    Kotscho, esta semana ocorreram dois fatos, digamos, emblemáticos, bem de acordo com os tempos atuais.
    Em Nova Iguaçu, cidade fluminense onde carcará voa na vertical, um paciente foi agredido violentamente por um segurança de um hospital.
    O paciente vomitava sangue e mesmo assim foi agredido, e por pouco não morreu asfixiado com a “gravata” dada pelo segurança.
    Já em Limeira, no interior de São Paulo, um mendigo que dormia numa praça do centro foi “ovacionado” por um troglodita marombado(não gosto desta palavra).
    O tal do marombado, rapaz novo, estava em um carro de luxo e, ao ver o mendigo, jogou pelo menos uma dúzia de ovos em cima do pobre coitado.
    Tudo isso, Kotscho, diz muito sobre um país que perdeu o rumo e a alma.
    Chamem o seu Chico(Papa), mas seu Chico tão cedo não colocará os pés no Brasil e na Argentina.

    1. Caro Sandro Villar, casos como esses dois que você citou multiplicam-se pelo país, em progressão geométrica, e a nova ordem ainda nem assumiu.
      Depois que o líder solta a tigrada, não tem mais volta. É daí para pior.

  9. Matou a pau (Ooops!) com o que escreveu e principalmente com o que deixou de escrever, citando apenas em contexto do artigo, o que a turma do teatro do absurdo mais que esgotou.
    Tornemo-nos então ‘naturalistas’ no apreciar os rinocerontes e a propósito, esperando Queiroz, “aquela história de brasileiro cordial, que me perdoe Sergio Buarque de Holanda, foi enterrada para sempre”, em uma live, na última terça, o capitão ao abordar a questão da imigração, disse: “todo mundo sabe o que está acontecendo com a França. Está simplesmente insuportável viver em alguns locais da França.”
    A France Presse repercutiu e o embaixador francês nos Estados Unidos, Gérard Araud, respondendo a crítica à política de imigração da França, feita pelo capitão, postou no twitter: “63.880 homicídios no Brasil em 2017, 825 na França. Sem comentários”.
    Pior o “sem comentários”, sem falar que em números absolutos somos campeões mundiais, representando 14% dos homicídios no mundo, e sétimos proporcionalmente a população, 31,3 homicídios por 100 mil habitantes. Não tem pra ninguém!
    Mas tem ainda quem queira armar a população e convencer o ministro da Marinha da Bolívia, existirem Justiça e Democracia, no Brasil.

  10. Alô, alo letristas poetas do morro e compositores do meu brasil pastoril.
    Tem ai um belo tema esperando vossa criaçao. Que dará samba na avenida, tipo esse que ainda esta toscamente aqui:
    ‘Cade o Keiroz, cadê”? quero o keiroz, cade voce? eu vim aki pra te prendê!
    Alo, pessoal contamos com voces!

  11. Prezado Kotscho: O titulo do seu blog de hoje “Jair Bolsonaro não inventou nada de novo: só abriu a porta do armário” sintetiza bem o que você escreveu e destacaria essa sua frase “Aquela história de brasileiro cordial, que me perdoe Sergio Buarque de Holanda, foi enterrada para sempre.”, porque há muito tempo penso que essa cordialidade é pura fantasia e o brasileiro é mesmo um grande interesseiro. Dessa maneira, se está tudo dominado e o golpe dentro do golpe foi muito bem engendrado, o que está faltando agora quando a proba família e seus amigos probos estão prestes a subir a rampa do Planalto? A pilhagem em nome de Deus?

      1. Prezado Kotscho: Acabei de ler a coluna “Cavalo” de hoje, 21/12/2018, da Fernanda Torres na Folha, conforme você recomendou. E de fato se “Nunca antes, na história deste país, tantos candidatos se valeram da palavra de Deus para angariar votos.” como ela escreveu, a coisa vai muito mal porque se essa gente não tem argumento para sustentar uma ideia ou uma posição vão acabar matando numa versão atualizada das Cruzadas. Parece que não estamos muito longe disso, certo? Mas quem sabe “Vão acabar se matando uns aos outros, na falta de inimigos.”, como você bem disse, e aí pode ser o início de uma solução.

  12. Caro Kotscho, realmente a extrema-direita saiu do armário, e se mostrou maior do que imaginávamos.
    Mas eu tenho pra mim que fundamental nesse processo foi o advento da internet. Desde que a rede mundial ganhou um número expressivo de adeptos, a direitização da sociedade tem aumentado.
    Acho que, por um lado, parece que os direitistas aprenderam mais rapidamente a manejar as novas ferramentas tecnológicas. Eles têm muito dinheiro pra espalhar mais rapidamente essa experiência.
    Por outro lado, esse pessoal que ficava no gueto ganhou sensação progressiva de pertencer a uma tribo, e foi ganhando cada vez mais força.
    Que tempos.

  13. Caro amigo kotscho, em 01/01/2019 estaremos inaugurando uma nova era na democracia brasileira, a era da burrice, onde a força bruta irá se impor contra o pensamento, onde não será mais permitido pensar,e quem se atrever a contrariar esta nova ordem, será perseguido,agredido, preso e até morto!!
    Filósofos,escritores,professores,jornalistas,e pensadores em geral não serão poupados pelos bombados sem conteudo!
    Bons tempos em que a democracia se fazia no embate de idéias,e o direito de contraditório era a base para as discussões políticas!
    A barbaridade como forma de governo só se impõe pela força(vide o n°de militares no novo governo), e ainda colocaram um general como “acessor” do presidente do stf(general ajax porto pinheiro) para garantir a conivência da justiça e enquadrar os ministros que ousem ir contra a nova ordem! Provavelmente foi este general redigiu a ordem do toffoli para caçar a liminar concedida pelo marco aurelio melo!
    Seremos resistência até o dia que cairem ou nos derrubarem,mas nunca calaremos!!!
    Força amigo! Estamos juntos naresistência!!

  14. Eliane Blum no El Pais fez a análise mais detalhada e profunda dessa explosão despertada no centro da terra Brasilis. A lava já começou a escorrer da boca do vulcão.

  15. Este filme, eu já vi. O PRN antes de 1989 praticamente não existia. Collor? Um reles governador de Estado – Nada contra a querida Alagoas. O mesmo ufanismo, as mesmas bravatas, o “bateu, levou”, o que não estiver comigo, tá contra o Brasil. O PT, senhor, não perdeu, perdemos, todos, inclusive você. Sim, ia esquecendo, ” … renascer das cinzas …”? 52 deputados federais, maior bancada eleita, 4 governadores, 6 senadores e o senhor fala em renascimento? Só se for do Cristo, porque nós, somos a fenix, velhinho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *