A Era da Mediocridade em marcha: será que nada mais é capaz de nos espantar?

A Era da Mediocridade em marcha: será que nada mais é capaz de nos espantar?

Escrever sobre o Brasil neste momento não é só doloroso, é inútil.

Para dizer bem a verdade, não tenho mais nada de novo a escrever para vocês hoje.

Estamos sendo governados pelo piloto automático desgovernado deste trem fantasma chamado Brasil, rodando sem destino pelo sanatório.

Será que nada mais é capaz de nos causar espanto?

Já nem sei mais o que comentar sobre o presidente eleito.

Agora que vocês já o conhecem, depois de o eleger, entendam-se com ele.

Pensando bem, acho que nem sou mais daqui, não estou mais reconhecendo meu país.

Se tem um traço comum na cabine de comando desse trem fantasma é a mediocridade.

Há também claros sinais de insanidade patológica, mas é a total ausência de conhecimento mínimo sobre os reais problemas brasileiros o que mais me assusta no novo governo.

Até para pilotar um caminhão, exige-se exame psicotécnico. Para governar o país, não.

Perto de alguns dos ministros nomeados, Cabo Daciolo até que é um sujeito bem equilibrado, quase normal, como escreve Clóvis Rossi hoje na Folha.

A Era da Mediocridade está em marcha acelerada no Brasil, como se pode notar não só nas declarações dos novos governantes, mas também nos comentários dos seus milicianos nas redes sociais, cada vez mais convictos e celerados.

Parece que o Brasil sofreu uma lavagem cerebral coletiva.

Só isso pode explicar a indicação desse místico bolso-trumpiano como chanceler de um país de 208 milhões de habitantes.

Disposto a ressuscitar a Guerra Fria, já é motivo de chacota na mídia global, mas por aqui até acham tudo muito bonito, muito natural, até pitoresco.

Ernesto Araújo é o nome dele, guardem bem este nome. Vocês ainda ouvirão falar muito nele.

Foi o cara escolhido pela família Bolsonaro, no terceiro escalão do Itamaraty, para declarar guerra ao mundo, começando por Cuba, um dos símbolos da Guerra Fria, que acabou faz tempo no resto do mundo.

“Bolsonaro com amor e com coragem”, escreveu ele na nota em que comunicou aos colegas a sua indicação para chefiar o Itamaraty.

É preciso mesmo muita coragem para nomear alguém como o embaixador Araújo, que se fantasiou de bolsominion durante a campanha para fazer campanha pelo capitão.

São as suas credenciais, sem falar no inacreditável blog em que atribui a globalização ao marxismo cultural.

As primeiras vítimas não são os 8,5 mil profissionais de saúde cubanos, que o capitão reformado prometeu expulsar do país, mas os seus pacientes, que nunca tinham visto um médico na vida nas nossas periferias e grotões.

Leio na coluna de Monica Bergamo que até 50 mil pessoas podem morrer precocemente, antes dos 70 anos, com a eventual paralisação do programa Mais Médicos e o congelamento dos recursos para a saúde.

Não se trata de um genocídio anunciado? A Confederação Nacional dos Municípios já prevê que a saída dos cubanos pode provocar um “estado de calamidade pública” na saúde.

Quem se preocupa com isso? Como já completei 70 anos, poderia dizer, se eu tivesse votado no capitão, que estou no lucro, ainda tenho plano de saúde, e nunca fui atendido por um médico cubano.

Mas, para pelo menos 24 milhões de brasileiros, a saída abrupta dos médicos cubanos pode provocar um apagão na saúde pública.

Azar dos prejudicados: foi assim que pensaram milhões de alemães, quando um militar de baixa patente, esquisito e obscuro, de bigodinho e topete, foi eleito para governar o país, e logo se transformou no Führer que declarou guerra ao mundo.

“Não é problema meu”, diziam seus seguidores, antes que ele começasse a quebrar tudo no próprio país, durante a tristemente célebre “Noite dos Cristais”, a estréia oficial do nazismo, que acaba de completar 80 anos.

A Era da Mediocridade não deixa espaço para dúvidas, receios, argumentos em contrário, alertas.

Qualquer crítica à nova ordem é recebida como “mimimi” dos que perderam a eleição.

Para a metade do eleitorado brasileiro que elegeu o capitão reformado, a guerra não acabou; ao contrário, está só começando.

Semana passada, no Rio, um ex-ministro dos governos petistas tomou um baita susto ao caminhar pela orla da praia.

Distraído, viu um marombado atiçar seu pit-bull em cima dele, e sair dando gargalhadas.

Ele não sabe até agora se o dono do cachorro o reconheceu, ou se foi só por pura maldade contra um velhinho inofensivo

É assim que o horror se instala, aos poucos, sem muita sutileza.

Quando as pessoas se derem conta dos perigos que corremos, poderá ser tarde demais.

Anestesiada, a sociedade civil permanece em obsequioso silêncio só vendo o trem fantasma passar triunfante.

E assim começamos mais uma semana, na longa e angustiante espera da posse do presidente eleito.

Vida que segue.

 

38 thoughts on “A Era da Mediocridade em marcha: será que nada mais é capaz de nos espantar?

  1. Caro Kotscho, quando estive em Havana para tratamento médico, diferente do Brasil em que um médico mais olha na nossa carteira do que na nossa cara, uma equipe de CINCO cardiologistas (como é comum em qualquer consulta por lá) examinaram o meu coração, debateram entre si, avaliaram e concluíram que o ele está perfeitamente apto para ama-los e agradece-los pelo resto da minha vida !!!
    MUCHAS GRACIAS DOUTORES e perdão por isso que está aí, “óquei” ?

  2. Os médicos cubanos são explorados por seu país, em um trabalho análogo ao trabalho escravo. Independentemente dos problemas que isto trará ao país, é inaceitável tal condição. Sem querer ser desagradável, mas eu não consigo ver como errada, a atitude do Bolsonaro neste caso. Em tempo, eu não tenho condições financeiras no momento para ter plano de saúde, e já fui atendido por médico cubano e eu sou um dos que sentirá falta de seus atendimentos.

    1. A tua estupidez é de lascar mas exalto tua preocupação com os direitos trabalhistas dos cidadãos cubanos. Poderia também empenhar-te com a mesma ênfase na defesa dos direitos trabalhistas dos cidadãos brasileiros???
      Em tempo : Em Cuba não existem profissionais liberais!!! Todos, inclusive os seus médicos, são funcionários públicos e trabalham para o seu país. No caso do contrato entre Cuba e Brasil no que eles chamam de MISSÃO “Mais Médicos” vieram para cá para cumpri-la.
      Em tempo 2: Médicos contratados da Unimed (por exemplo) recebem menos de 10 % do que o contratante por cada consulta. E aí??? O que fazer com esses “escravos”???

      1. Ênio, você se “esquece” de um pequeno grande detalhe em sua comparação entre um médico da missão cubana e o dos convênios brasileiros: o médico dos planos de saúde não são obrigados a servi-los, em geral os usam até fazer o nome e depois só no particular. Dos cubanos, uma parte é militante e, nesse caso, ainda pagariam para trabalhar, como todo militante, de qualquer cor; e uma parte, que pelo tanto de balseiros que arriscam a vida fugindo pra Miami podemos imaginar o tamanho, não voltaria pra ilha. Para mantê-los no cabresto, o regime mantém suas famílias sequestradas, e no caso do Brasil, estão aqui em regime de exceção, pois são os únicos que não podem pedir asilo político, diferente dos médico de outras nacionalidades. E como “democracia”, o Brasil do governo PT aceitou essa condição dos Castro. Porque essa exigência da ilha se todos estão tão satisfeitos com o regime cubano? Está na Bíblia, Ênio, sem liberdade nem o paraíso interessa, livro de Genesis, Adão e Eva.

        1. Caro José Eduardo, reafirmo que a SOLIDARIEDADE é a minha única ideologia. Não sou comunista e combato qualquer tipo de ditadura principalmente a militar. Porque milico para mim é parasita em qualquer lugar do mundo e, treinado para matar, só presta para guerrear. E eu sou desses que sempre penso “nas crianças mudas, telepáticas”, penso “nas meninas cegas, inexatas”, penso nas mulheres, rotas alteradas”, penso “nas feridas como rosas cálidas e não me esqueço e jamais me esquecerei “da rosa de Hiroshima, a rosa hereditária, a rosa radioativa, estúpida e inválida, a rosa com cirrose, a anti-rosa atômica, sem cor, sem perfume, sem rosa, sem nada”
          Eu vivi 45 dias em Cuba recebendo amor, carinho e a solidariedade incondicional de cada um daquele povo tão nobre, tão culto e tão lindo mas também constatei lá uma ditadura militar de esquerda tão cretina e parasita quanto as de direita.
          Escrevi o comentário para responder um ignorante que escreve o que não sabe e apenas replica o que leu de outros ignorantes e não para defender regime militar. Antes de falar mal do que se tem que falar mal, ou falar bem do que se deve falar bem , primeiro “Vá pra Cuba!!!”

    2. Na lógica replicada como sua, o médico cubano é tão explorado quanto o médico brasileiro que atende convênio médico, onde recebe menos do convênio que receberia em consulta particular (sem convênio) ou do pago por conveniados ao mesmo convênio. Tal qual o governo cubano em relação ao governo brasileiro, via Opas, com a diferença que aplicam seus ‘lucros’ em Cuba, para os cubanos, enquanto as empresas de convênio médico brasileiras, enchem o bolso de seus proprietários, até falirem, se conveniente.
      Sugiro outro Samuel, em “Esperando Godot”, para descobrir que nem sempre a sequência lógica com começo, meio e fim, acontece, e que desconfiar da vida cotidiana pode mostrar o absurdo da mesma, inclusa a nossa existência, em mundo completamente fora da ordem que aparenta ter o cotidiano.
      ‘Bolsonaro é o caos da ordem’ e descobrirá isso e o preço, sem poder voltar atrás e bem antes que imagina.

        1. Pelos comentários dos ‘amigos’ só posso entender que por serem militantes e ativistas do PT devo perdoar-lhes a visão míope e parcial sobre o assunto. Em tempo: Seria bom que vocês pensassem antes de escrever e entendessem que nem todos que aqui se manifestam, são obrigados a defenderem um partido ou as idéias expostas pelo articulista do blog. Curioso como quem tanto critica o Bolsonaro, acaba agindo como ele e seus asseclas. No final é tudo farinha do mesmo saco. Aliás a agressividade e a atitude fascista não é privilégio só da direita.

          1. Agora sim concordo com praticamente tudo o que escrevestes tirando que “somos tudo farinha do mesmo saco” (criativa essa frase, né não???)
            Somos todos farinha sim, resultante dessa máquina infernal de moer cabeças, mas de muitos sacos diferentes. Tem comentários aqui que vão do saco vazio que não para em pé (agora o “criativo” fui eu) aos dos de saco cheio. Eu me coloco dentre aqueles que só coçam o saco.

          2. É sim. Fascismo ou nazi-fascismo é DE direita. Ou DA direita. Agressividade, intolerância, racismo, ignorância diante da visão do mundo, ausência de solidariedade para com o próximo, “os pobres que se fodam…”, (“A compaixão pelos mais fracos é um pecado original e uma traição da Natureza” (Adolf Hitler).

          1. Pois é Celso Junqueira, infelizmente para você, atitudes fascistas e agressivas são sim, também comuns na esquerda. É só observar como me trataram porque tive o desplante de discordar, em um ponto, dos que aqui comentam. Afinal, parece que me manifestei num ambiente ‘Bolsonarista’. Vocês agiram como os ultra direitistas estão agindo. Farinha do mesmo saco. É tudo igual. Que bom que o Ricardo Kotscho, honra o que diz, sendo ele, a meu ver, o único democrata do blog.

    3. O Bolsonaro prometeu em campanha que, com uma canetada, expulsaria os cubanos do país. Isso não tem nada a ver com sentimentos humanitários despertados no presidente eleito e no seu eleitorado. Ele não está nem aí com direitos trabalhistas de brasileiros, não há razão para acreditar que estaria preocupado com os dos cubanos.

  3. O mais assustador em relação aos médicos cubanos é ouvir comentários daqueles que nunca nem sequer chegou perto de um, denigre os profissionais sem conhecimento. Outro detalhe, o poderoso nem foi diplomado, imagina o que nos aguarda, infelizmente não vejo luz no final do túnel. Abraço.

  4. Caro e prezado grande repórter RK, já foi dito à exaustão que Cuba tem uma das melhores medicinas do mundo, senão a melhor.
    Hoje, o Mauro Lopes contou que americanos pegam seus aviões – ou viajam em voos de carreira – e vão para Cuba tratar a saúde com os médicos da ilha.
    Europeus também são atendidos por médicos cubanos.
    Há o caso do ator Alain Delon, que foi para Cuba resolver um problema de saúde.
    E olhem que o ator é ultradireitista de carteirinha ou de grife.
    Já sobre o novo chanceler, acho que essa figura quer competir de forma desleal com os humoristas.
    O que esse rapaz fala de bobagens encabula até o Dalai Lama.
    Essa de ele atacar a China maoista é de lascar, até porque o camarada Mao começou a ser descartado pelo camarada Deng Xiao Ping a partir de 1978.
    Governo novo é fértil em besteiras, já dizia o Sérgio Porto, o Stanislaw Ponte Preta.
    Kotscho, penso que Bolsô, no que tange ao chanceler, compôs uma nova versão do Samba do Arnesto, sem pagar direitos autorais ao Adoniran Barbosa.
    No Brasil, urubu voa de costas e carcará alça voo na vertical.

  5. Li em algum lugar, há alguns dias, que você não precisa queimar a constituição para implantar uma ditadura. Hitler por sinal assim o fez. Com um congresso e um STF acoelhados, tudo é possível. Quando o Lula foi condenado, várias vezes comentei que ele deveria ter se exilado em algum país amigo. Digo o mesmo para José Dirceu. Espero estar enganado, mas nosso período de trevas vai durar muito. E atente que o sujeito nem mesmo tomou posse ainda
    A propósito, vc não sabe o que perdeu por nunca ter sido atendido por um cubano

  6. Os médicos cubanos estão em mais de sessenta países, até mesmo às margens do Tejo, pá. Atenderam já quase a metade da população brasileira segundo dados oficiais moradora em cerca de 3500 municípios. Os municípios com menos de 20 mil habitantes dependem exclusivamente do Mais Médicos. O recém eleito nem subiu a rampa do Alvorada e mesmo fora da sala já começou com a quebradeira das louçarias. Para não falar na lambança geopolítica destrambelhando as relações com a Ásia, Oriente Médio e América Latina. Pelo solavanco da boleia, os bois desse carro vão refugar essa canga.

    1. Netho, junto aos seus números, um que diz tudo sobre a saúde pública manejada pelos cubanos e cubanas. O índice de mortalidade infantil é o menor do mundo ocidental empatado com o norueguês. Os cubanos e cubanas vão deixar saudades.

  7. Comentário em 8 pontos em forma de dose de vacina (com referencias pop);

    1 – Poucos sabem mas as revistas contigo e caras da Alemanha de 1930 traziam o menino Hitler em suas capas, ele era um “Popstar” (com flash, modismos e tudo) por isso não me surpreendo com a transformação da “coisa pública” naquilo que as pessoas reconhecem como “publico ou democrático”, ou seja, reality shows com aberrações pitorescas. a grande mídia vai amar esse governo, todo dia haverá um factoide estupido para cobrir.

    2 – o discurso politico do novo-velho governo segue a cartilha de vendas de um pilantra, em resumo eles dizem com o que você deve se preocupar e vendem “a solução”(método da janela quebrada).

    3 – não se enganem caros leitores, o escola sem partido não é apenas para silenciar a liberdade de expressão, mas para privatizar as escolas publicas “alá Reino Unido”! Não preciso responder como está sendo um desastre social por lá, mas isso ocorrerá aqui de qualquer forma.

    (sussurrando)está escrito no manifesto da bancada evangélica (sussurrando).

    4 – o bolsonarismo é um universo paralelo sem contato com a realidade (ideologia diria Zizek), eles vivem em um esctasy eterno como os crentes de seitas new age ou neopentecostais que pulam e giram em cultos ao som de musicas e mantras psicodélicos.

    5 – existem uma academia de musculação e um restaurante com uma bandeira americana enorme perto da minha casa e em todos os carros que entram e saem desses lugares existem adesivos do Bolsonaro, ou seja, os pitboys estão de volta e são piores do que aqueles que o Gabriel o pensador descreveu em “o retrado de um playboy”.

    6 – a palhaçada contra os médicos cubanos me pegou de surpresa, mas nem tanto, o bolsonarismo precisa de um inimigo para existir assim como a indústria bélica precisa de guerras, se não existirem inimigos a vista eles inventarão um, aqueles que amam o pacifismo que fiquem espertos! Agora um girassol pode ser “confundido” com um fuzil e eu não estou brincando(busquem referencia no termo “americanos antiamericanos no pós 11/7).

    6.1 claro isso faz parte do plano, afinal ocorrerá com a saúde o mesmo que ocorrerá com a educação, privatização, privatização e privatização e o povo vai continuar fu…dão.

    7 – para não dizer que não falei da esquerda, assim como Pedro negou jesus para não ser linchado pelos judeus fieis de Roma, eu já recolhi minhas orelhas por aqui, convivo praticamente com membros da SS no meu bairro, as conversas são tenebrosas. meu bairro é composto por “gente falida” ou de “remediados”, justamente o segundo alvo da maquina de moer carne do califado policial do novo-velho não-governo.

    8 – existem excelentes podcasts que explicam a base do novo reacionarismo mas não os citarei aqui , apenas busquem pelos termos think thanks, irmão kosh, nova direita(nova hahahaha) e podcast.

    Feliz ano velho.

  8. Mestre, ‘o presidente Lula preso político’ é tão absurdo, que não há solução senão os lúcidos discutirem como prioridade a restituição imediata de sua liberdade.
    O Brasil está preso com ‘Lula’ e libertar ‘Lula’ é libertar o Brasil, e sem libertar o Brasil a crise permanece, o caos virá e quem não enxergar e lutar por isso, contribuirá para alongar o sofrimento à espera do caos.
    Isso dito, no mais o que interessa, passados 20 dias da eleição, é saber não haver nada melhor que Zeca Baleiro a ilustrar a quantas andam cada vez mais brasileiros, dos mais diversos quilates, quadrantes, sextantes, seitas, grupo de whatsapp, identidade de gênero, etc., a cada tuitada do ‘Minto’ e respectivas consequências, mundo afora e Brasil adentro:
    “Ando tão à flor da pele, Qualquer beijo de novela me faz chorar
    Ando tão à flor da pele, Que teu olhar flor na janela me faz morrer
    Ando tão à flor da pele, Meu desejo se confunde com a vontade de não ser
    Ando tão à flor da pele, Que a minha pele tem o fogo do juízo final
    Um barco sem porto, Sem rumo, sem vela
    Cavalo sem sela, Um bicho solto, Um cão sem dono
    Um menino, um bandido
    Às vezes me preservo
    Noutras, suicido! “

  9. Kotscho, a conta dos Bolsonazi e a seguinte: 50.000 mortes (se pudessem matariam todos) prematuras representam
    economia para a previdência e para o SUS….e o choro e mimimi de perdedor.

  10. Prezado Kotscho: Era da Mediocridade? Era da Mediocridade predadora do estado brasileiro. Para o seu post “Insanidade sem limite: médicos cearenses atacam médicos cubanos”de 27 de agosto de 2013 fiz esse comentário: “Em um trecho do artigo “Médicos cubanos: avança a integração da América Latina!” de autoria de Beto Almeida publicado hoje, 27/08/2013, no portal Carta Maior, cada dia que passa parece que fica mais esdrúxula e fora de propósito a gritaria da conservadora classe médica brasileira contra os médicos cubanos: “Segundo dados recentes do Ministério do Trabalho, existem hoje trabalhando no Brasil cerca de 70 mil engenheiros estrangeiros. Nenhuma gritaria foi feita. Neste caso, trata-se de petróleo e outros projetos, muito lucrativos para as multinacionais. Mas, quando se trata de salvar vidas, acendem-se todas as fogueiras do inferno da nova inquisição contra uma cooperação que é lógica e indispensável, solidária e humanitária. Por que é aceitável a importação de telefones, equipamentos médicos, remédios, cosméticos, roupas, caviar, bebidas, vacinas e não se aceita a cooperação de médicos de Cuba, sendo este o único pais em condições objetivas de apresentar-se prontamente e de maneira eficaz com profissionais experimentados. Será que as representações médicas brasileiras possuem sequer uma remota ideia de que estão proferindo insultos a esta bela história da medicina socialista de Cuba?””. Pelo visto agora a gritaria conservadora é comandada pelo capitão-presidente e seus blue caps, com a reconhecida truculência e insanidade sem limite do futuro governo. Conheci gente que foi tratada pelos médicos cubanos e só ouvi falar bem deles. Um retrocesso essa perda no atendimento da população.

  11. A questão da falta de médicos o Mercado solucionará. Mas, se Cuba é tão boa, por que não mudam para lá? Já deveriam ter ido. Trump e Bolsonaro vieram para salvar o Ocidente – pois o projeto de Deus jamais será interrompido. Este ultrapassa os interesses e os sentimentos unicamente materiais de ‘humanos” limitados que só sabem sonhar com as benesses do poder.

      1. Javé quando não está fazendo nada – tá divertindo com os seus pensamentos!…A sua fé o obriga sempre a olhar pra frente sem dar atenção às circunstâncias.

    1. Javé do outro lado do mundo, a escolha do seu nome é super coerente! Deve ser do outro lado do mundo mesmo, porque do lado de cá, esse nível de mediocridade não é aceitável. Trump e Bolsonaro vieram para salvar o Ocidente? Seu sonho é ser comediante, verdade? E você deve ser um ateu enrustido, porque ninguém que de fato acredita em Deus (aquele que prega AMOR ao próximo) arrastaria o nome Dele na lama dessa forma sem medo de punição. De fato, graças a pessoas legais como você, Deus seguramente já recebeu o Framboesa de Ouro e está preste a ser indicado ao Oscar de Melhor Filme Queimado.
      Boa sorte “do outro lado do mundo” se explicando com ele…

      1. Não aceita elogiar Trump, mas tá querendo premiar Javé c/ o prêmio abacaxi dos USA. Javé tá em todos os lugares, não joga ninguém na lama, e já tem reservado o seu cantinho no céu. Cada pessoa é um pedacinho de Javé. Se tem ator que imita, Jesus, tb tem quem interpreta Javé. Para “Ele” só vale a intenção do espírito: assim será julgado cada um no seu julgamento final.

    2. 1) Gostaria que explicasse como o mercado resolveria a falta de médicos em lugares ermos como o Alto Solimões.

      2) Se os EUA de Trump são tão bons, por que não se muda pra lá?
      Porque talvez não o aceitem né?

      3) Trump e Bolsonaro como representantes de Deus na Terra? Sem comentários.

      1. A voz do povo é a voz de Deus. Tem vencer no voto. Será que os quase 60 milhões de votos totais, sem falar da diferença dos 11 milhões tb são fascistas, porque pensam diferente? (como quis dizer um presidente de partido). Isto é que ser antidemocrático, pois não respeita a opinião da maioria! Calado tá errado.

  12. No ano de 2014 estava com problemas de stress e pressão alta. Fui atendido aqui em Joinville por uma médica cubana. Recebi excelente atendimento, orientações e fui muito bem encaminhado. Depois comecei a ser atendido por uma profissional da cidade mesmo. Não posso reclamar do atendimento da cubana nem da joinvilense. Mas percebi a grande capacidade dos cubanos, um olhar apurado para as necessidades básicas.

    Só isso mesmo por hoje. Abraço caro jornalista!

  13. A “Legião de Imbecis” de que Umberco Eco falava assumiu o poder. Já se pode perceber uma nova era começando: “Era dos Imbecis”.
    Mário Magalhães, que escreveu a monumental biografia de Carlos Marighella, e também está produzindo a de Carlos Lacerda, já levou ao prelo uma nova obra especialíssima sobre o ano de 2018: ” Ano do Apocalipse”.
    Quem leu “o guerrilheiro que incendiou o mundo”, não pode perder o que chegará às livrarias no início de 2019.

  14. Ricardo Kotscho
    Beleza de artigo que li num face não sei de quem e já postei no site Resistencia Democrática Judaica. Para te alegrar em função de teu adequado desânimo com nosso Brasil te envio um breve texto que imagino poderás gostar.
    Lebn iz shver
    Lebn iz shver, a vida é pesada, integra a velha tradição judaica. Cansei de escutar essa frase, mas não entendia o que era, e com o tempo gravei-a como um significante. Um significante importante, pois a entonação dessa frase era diferente de tudo. Havia um peso solene que concluía uma conversa. Sobravam motivos para os velhos judeus dizerem que a vida é pesada. Podiam recordar os anos de fome, a destruição dos Templos e o antissemitismo que culminanou no Holocausto.
    A vida também foi pesada para os negros com a escravidão. Milhões de seres humanos foram sequestrados da África, para servirem aos brancos das Américas como se fossem animais. E foram também os brancos que dizimaram os índios. Não faltam exemplos na História que a vida é mesmo pesada, e mais ainda para os pobres, a maioria da população.
    Lembrei a expressão Lehn iz shver porque vivemos tempos pesados. Há uma sensação de surpresa frente os ventos conservadores que já atacam a saúde e educação pública. Entretanto, diante do peso, dos sofrimentos, é preciso alguma leveza para não afundar. Foi o que fizeram os judeus, os negros, São Francisco de Assis, entre tantos outros.
    Diante do peso é preciso mudar o ponto de observação da realidade. Ver o mundo por outra ótica, outra lógica, escreveu Italo Calvino em a Leveza no seu livro de propostas para o novo milênio. Conhecemos e desconhecemos o ser humano, o Brasil, à esquerda e a direita. Temos a tendência a idealizar e hoje vivemos a desidealização do nosso querido Brasil.
    Parece simples, mas não é, pois podemos pensar que nós estamos certos e aí mora o perigo. Podemos, por exemplo, idealizar a esquerda e quando somos surpreendidos com o maquiavelismo da direita nos entristecemos. Fomos o governo, mas o poder mesmo sempre foi e tende a ser dos que efetivamente mandam. Um exemplo é o da deusa Justiça, que nunca teve os olhos vendados a não ser nas esculturas. Ela sempre viu por baixo da venda e tem em suas mãos a espada que usa quando lhe convém. Hoje vemos que idealizamos a justiça, pois ela é política e só faz justiça a quem lhe interessa e é injusta quando lhe convém. Muitos processos são arquivados, outros relevados com pedidos de desculpas. Corruptos e ladrões são só os adversários, e algum boi de piranha para disfarçar.
    Estamos construindo um norte para caminhar. Já brilha uma Mangueira com o samba sobre Marielle e o Brasil que não está no retrato. Redes sociais estão sendo criadas que não dependem mais da grande mídia. Creio que há muito para conversar, crescer e inventar novos caminhos. É hora de enxugar as lágrimas, parar de repetir que a vida é pesada e nos fortalecer na vivacidade pura da graça. Lembrar que os judeus criaram o humor judaico, os negros dançaram, inventaram a capoeira, os índios nos ensinaram o amor a natureza. Confio que não vamos afundar, já podemos cantar e dançar o samba da Mangueira. Vamos sorrir com os humoristas, e usufruir dos artistas. Apesar do peso da derrota, vamos em busca da poesia que nos redimi. Com calma é preciso perceber a beleza da vida, a beleza da nossa humanidade sofrida.

  15. O pior está se fazendo sentir no presente. O país de Paulo Freire, autor de método de alfabetização aplicado em várias partes do mundo, terá um ministro da educação paraguaio. Conservador e consensual de pastores evangélicos: Malafaia e Macedo. Imaginem a mente dessa pessoa pra ser da turma desses dois detentores do dízimo. Falta anunciar o ministro da família que, certamente, será na ortodoxia da TFP e da Opus Dei. E não vão dar um superministério pro mineirinho, afinal ele tem importância na vida política brasileira, segundo o ministro do STF. E por falar nos deuses, às custas de quem estão discutindo o sexo dos anjos em Buenos Aires, certamente voltarão ao Brasil com a fórmula da felicidade pronta e a solução de todos os problemas da humanidade…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *