Presidente Bolsonaro: para ele, a campanha não acabou e a guerra está só começando

Presidente Bolsonaro: para ele, a campanha não acabou e a guerra está só começando

Quinze dias após a sua vitória nas urnas, para o presidente eleito Jair Bolsonaro a campanha ainda não acabou.

Pelas suas manifestações em entrevistas e vídeos, o capitão reformado deixa claro que a guerra contra os “vermelhos” está só começando.

“Vermelhos”, para o novo presidente, quer dizer todos os que não votaram nele, ou seja, quase metade do país que foi às urnas.

Foi exatamente essa mesma guerra que ele moveu nos seus 28 anos como deputado federal, combatendo o PT e os movimentos sociais, e não é agora que ele vai mudar.

Quem votou no capitão deveria saber disso e não pode agora reclamar.

Para manter viva a campanha na mídia nas redes sociais, conta com a ajuda do filho Eduardo Bolsonaro, o “01”, deputado federal mais votado do país.

Em entrevista ao Estadão no domingo, o filho defendeu a criminalização dos movimentos sociais e do “comunismo” (como se isso ainda existisse), já falando em prender 100 mil inimigos para começo de conversa.

Acabar com ministérios da área social, abrir a “caixa preta” do BNDES, perseguir professores, “tratorar” a oposição, como quer o filho deputado, e fazer uma devassa da diplomacia são apenas os primeiros movimentos desencadeados pela nova ordem.

Mensagens publicadas na seção de leitores dos jornais e na área de comentários dos sites e portais na internet mostram que a estratégia é muito bem sucedida: são cada vez mais radicais as milícias mobilizadas para não deixar pedra sobre pedra.

Como a oposição sumiu, eles se sentem livres para avançar sobre todos os direitos e conquistas dos trabalhadores nos últimos 50 anos.

Como o próprio Bolsonaro previu durante a campanha, estamos retrocedendo 50 anos no tempo, de volta à república da farda e da toga que faz e desfaz presidentes, com ou sem eleição.

A guerra permanente serve também para escamotear a ausência de qualquer plano de governo, que vai sendo montado no improviso, a conta gotas, no varejão da velha política.

O único critério adotado para a escolha do novo ministério, um saco de gatos exóticos, é o da lealdade ao “projeto” do novo presidente, que nem ele sabe qual é.

Até agora, Bolsonaro só disse o que não quer mais ver por aqui, mas não deixou claro o que realmente pretende fazer com o país a partir de 1º de janeiro.

Está mais preocupado em detonar as “antigas estruturas” com os mesmos métodos da ditadura militar, para depois ver o que fará para colocar no lugar dos escombros.

Em nome da cruzada contra a corrupção, já nomeou o xerife Sergio Moro, que terá como colega de governo Onyx Lorenzoni, deputado do DEM, réu confesso de receber caixa dois.

Além dele, o DEM já ganhou também o Ministério da Agricultura e pode ganhar mais um, o da Saúde.

Com a imprensa brasileira já aceitando tudo como fato consumado, e tratando com a maior fleugma a formação do ministério bolsonariano, como se estivesse comentando o novo gabinete do governo inglês, a unica oposição a Bolsonaro no momento vem da mídia internacional, preocupada com o destino da democracia brasileira.

Não se trata, ao contrário do que escrevem os bolsonaristas, de torcer a favor ou contra o novo governo, de ser otimista ou pessimista, mas apenas de constatar os fatos que vão se sucedendo em rapidez espantosa, rumo ao desconhecido.

Faltam apenas 50 dias para a posse e já dá para imaginar o que virá depois quando eles assumirem de fato o poder.

Gostaria muito de estar enganado, mas pelo que deu para ver até agora é tudo muito assustador.

Vida que segue.

 

 

42 thoughts on “Presidente Bolsonaro: para ele, a campanha não acabou e a guerra está só começando

  1. Caro amigo Kotscho,permita discordar de voçê quanto aos numeros da votação do bozo,segue os numeros :
    Resultado final da eleição
    Bolsonaro: 57.797.466 (39,3%)
    Haddad: 47.040.859 (31,9%)
    Abstenções: 31.373.290 (21,3%)
    Nulos: 8.608.088 (5,8%)
    Brancos: 2.486.591 (1,7%)
    Pelos numeros acima 60,7% dos eleitores brasileiros não votaram no bozo,sendo que dos que compareceram as urnas 39,4% não votaram nele(Haddad + brancos+nulos) logo não concordo que vá ter apoio popular como falou o proprio José Dirceu,este governo representa a vontade de uma minoria radical de 1/3 da população brasileira e esta se apoiando na força dos militares para sufocar a oposição ao regime,fazendo através do bozo,seus filhos e generais da reserva e da ativa ameaças veladas e as vezes explicitas a todos os inimigos do regime!
    Funciona?Com o STF funcionou pois o próprio general villas boas em entrevista afirmou que pressionou o STF para não soltar o Lula!
    E estas ameaças vão funcionar contra a oposição?contra a grande mídia?contra os blogs independentes ?
    Só o tempo dirá!
    E este governo que representa a vontade de uma minoria (39%),terá força para fazer a maioria(60,7%) se curvar as suas vontades?
    Espero e luto para que isso não aconteça!
    Força Amigo! Estamos juntos na resistência!

        1. Iteralmente não foi. Muito pelo contrário. Ele sequer era bem vindo nas manifestações.
          O fato de ter reclamado do resultado era até normal, visto ter estourado todos escândalos do uso do dinheiro da Petrobrás na reeleição. E graças a Eduardo Cunha (que não aceitou as denuncias dos desvios na Petrobrás, com alegação que eram crimes do mandato anterior).
          Aliás, Dona Dilma Rousseff deve esse enorme favor ao Eduardo Cunha, e ainda reclama! rs

  2. O PT atentou contra a democracia nesses mais de 13 anos no comando do país. Se alinhou ao que tem de mais abjeto na política internacional, seu querido Deus presidiário até chamou kadafi de irmão, queriam institucionalizar o bolivarianismo no Brasil, fraudaram as eleições, principalmente em 2014 e assim por diante, assaltaram a petrobras, fora as outras estatais que ainda não abriram o baú. Vieram com o discursinho mequetrefe nas eleições de 2018 de defensores da democracia quando a única coisa que fizeram foram atentar contra a mesma. Nunca votei no PT, assim como não votei no Bolsonaro, Ciro, Alckim e Marina, não acredito e não confio nessa gente. Se as instituições fossem sérias, (vide a suprema corte mais medíocre e politizada da nossa história que até rasgou a constituição ao manter os direitos políticos daquela senhora que mentia até quando dizia que lutou pela democracia quando era guerrilheira e na verdade queria implantar uma ditadura de esquerda), partidos como PT, PSDB, PP entre outros já teriam tido seus registros cassados. Enfim o país teve que escolher entre o pior e o menos ruim. Enquanto a educação não for política de estado teremos mais de PT, PSDB, PP, DEM e PSL entre outros infelizmente.
    O que consola é saber que nos próximos ciclos eleitorais estaremos livre do PT. Mas com esses três poderes não podemos esperar muita coisa. Reformas política, tributária, administrativa, previdenciária e fim dos privilégios de uma minoria e da estabilidade do funcionarismo público, assim como privatização das estatais são essenciais para que esse país se torne uma democracia de verdade.

    1. REnata, de onde você tirou que “nos próximos ciclos eleitorais estaremos livres do PT?”. Quem te falou isso?
      Nessa eleição, o PT foi o partido que mais elegeu deputados federais e governadores.
      E continua sendo o partido preferido dos brasileiros, em todas as pesquisas.
      Antes de escrever, sempre é bom se informar um pouco.
      O Brasil só será uma democracia de verdade quando todos aprenderem a ler e escrever.

  3. Prezado Kotscho: “As ditaduras fomentam a opressão, as ditaduras fomentam o servilismo, as ditaduras fomentam a crueldade; mas o mais abominável é que elas fomentam a idiotia.” (Jorge Luis Borges).

  4. Mestre, a última vez que agiram utilizando a estratégia de destruição, através das pautas bombas em 2015, seguida de crise política forçada para poderem aplicar o golpeachment na presidente eleita Dilma Rousseff e tirarem a esquerda do poder, e olha que eram ‘os profissionais’, o Brasil terminou atolado na crise econômica e política, da qual não mais saiu.
    A eleição que serviria para unir o país com um vencedor legítimo, para agregar e sairmos dessa crise, com a eleição ‘cacareca’ de um desagregador nato e sem noção do significado de país democrático, será agudizada com a destruição do que resta dos liames que milagrosamente deixam ainda o básico das relações civilizadas em pé, juntando à crise o que faltava para desestruturar o que restava de equilíbrio na vida sã do país, a bomba de retardo social.
    Caminhamos para o desastre anunciado e parece que quase ninguém importa-se (incrível, Armínio Fraga importa-se), todos pagam para ver ‘amadores incompetentes’ baterem cabeças e quando acontecer, não haverá mais como ‘pagar’.
    Como anteviu Dilma: “Não sobrará pedra sobre pedra”.

  5. Relato perfeito. Única diferença é que torço para que estejas certo. Torço para que execute tim-tim por tim-tim.
    Quem não tem divida no cartório não com que se preocupar. A malha da rede de Moro é própria para pegar bandido.

    1. É, meu caro, o problema é que “comunista” e “vermelho” pra esse pessoal não é só petista, é todo mundo com quem eles têm diferença. Incluindo aí as minorias: gays, negros, feministas.

      Não duvido que daqui a pouco atualizem os termos pra “subversivo”.

        1. Essa turma hibernou nos anos 50 do século passado e acordou agora. Ainda falam no senador McCarthy, o chefe do FBI Hoover, John Wayne e outras bestas. Alguém avise a eles que estamos em 2018, século 21!!

  6. Prezado… os votos nulos e abstenções foram 30%,,, a votação do COISO foi de 55 % dos votos utéis… portanto o COISO teve 38.5% dos votos possíveis… muito longe de ser unaminidade…

  7. Olha, Kotscho, que tal a discussão: e se o governo Bolsonaro der mais ou menos certo? Não é difícil disso acontecer porque:

    1) A corrupção que haverá terá de ser muito mais sofisticada e tímida do que nos 500 anos anteriores. Ou seja, parecerá que terá sumido por encanto.
    2) Não vai ser difícil fazer alguma pirotecnia na área de segurança, prendendo mais um lote de bacanas e mesmo endurecendo leis.
    3) A economia mundial anda crescendo, e o Brasil deve ir atrás, ainda mais se houver uma reforma da previdência que agrade o capital.
    4) Ele ainda pode dar o tal 13o. ao Bolsa-Família, atingindo em cheio o eleitorado do PT.
    5) Ele vai gerar um mundo de notícias desfavoráveis a respeito do legado petista, ao que parece.

    Diante disso tudo, acho que sssa discussão é bem pertinente, não?

    #ficadica

  8. Política é a arte do engano, só que o bom político tem que ter a gargante bem larga, porque sapo é que não vai faltar. De vez em quando tem que dar uma cutucadinha daqui, cutucadinha dali nos desocupados pobres de espírito. A fé inteligente é sobrenatural e se distingue da emotiva porque vem do Espírito de Deus, que pôs sua mão forte no momento daquela facada…Javé tá aqui de cima vendo tudo! Ele vê o invisível!

  9. Caro Kotscho, “pena eu não ser burro, não sofreria tanto”. Essa frase atribuída a Raul Seixas é a que melhor conforta a minha maluquez misturada com minha lucidez. Pena maior ainda foi ele ter partido tão cedo pois maluco por maluco quem não preferia Raul ao Bozo na Presidência do hospício???
    O Brasil está muito doente, doente mental!!! E eu nem sabia que essa doença era contagiosa e transmitida pelo vírus do ódio cujo hospedeiro é a mosca da direita que pintou pra nos abusar. E não adianta nem dedetizar pois nem o DDT pode assim lhe exterminar porque você mata uma (Temer) e vem outra em seu lugar. Igual não!!! Maior e pior!!!
    Que loucura é essa??? Um capitão é “aposentado” do exército, segundo o exército, por ser um doente mental e mais tarde se elege Presidente da República. O Rio de Janeiro de um sábado pra domingo vira “Heil” de Janeiro!!! Cidadãos de bem paulistas elegem em nome da moral e da família um frequentador de surubas, um ator pornô, uma “loira do banheiro”, um Tiririca (outra vez), um filho de mito (que nem mora no estado) e uma doida descabelada que tem medo de cobra. E tudo numa mesma eleição!!!
    E o maluco sou eu???
    Eu não nasci há dez mil anos atrás e nunca me imaginei preferir ser uma metamorfose ambulante do que ter aquela VELHA opinião formada sobre tudo posto que em mim está cada vez mais VIVA A SOCIEDADE ALTERNATIVA!!! TOCA RAUL!!!

    1. Toca, Raul, o tempo inteiro, caro Enio.
      É o fundo musical destes tempos bolsonarianos malucos, mas nem ele conseguiria ser tão insano.
      Era um maluco beleza, louco genial. Estes de agora são deprimentes, chatos, tristes.

      1. Louco genial nem precisaria nem nascer há dez mil anos atrás. Pra entender a realidade atual. Se estivéssemos vivendo torturas de regime militar, os cerca de 400 bi á 2 trilhões de reais provavelmente desviados em transações de corrupção, dentro e fora do país incluindo até presidentes africanos; já teriam sido explicadas – centavo por centavo. Este dinheiro tá fazendo falta na saúde, educação e outros. A desfaçatez dos políticos é tão grande que teve caso dum político, aí de SP, que desviou até seringas de injeção de hospitais para o uso em seus bois lá na sua fazenda; outrossim, deixando os enfermos á mercê. Provavelmente alguns até morreram. Voltando ao assunto anterior-, é muito fácil ouvir nas redes sociais como tem-se ouvido da boca de
        incautos, chamar um juiz com formação em Havard de juizeco. Falar é fácil: o mais difícil é provar.

        1. Aí apareceu uma turma de maus bofes, rosnando preconceito e ódio, usando a 1a. frase do hino nacional alemão:”Deutschland uber alles” (Alemanha acima de tudo). Qq. semelhança com o “Brasil acima de tudo” é coincidência. Em seguida entoavam a “Horst Wesel lied”, o hino nazista. O discurso é o mesmo:”Temos que eliminar os comunistas, os socialistas, os judeus da sociedade alemã”. Alguém se lembra do “vamos metralhar os petistas do Acre?”. Seriam só os do Acre? Lá (Alemanha anos 30 do século passado) como cá, as palavras precedem as ações.

          1. O problema do médium, segundo o seu pai santo distinto, é que ele recebe em sua maioria maus espíritos (sempre, aqueles do mais baixo nível). Javé já vai até encomendar um despacho pro além. E é por isso que ele deve estar sempre rezando pra afastar essas ‘coisas’ que não vem de Deus. Ele tem que ser consciente e equilibrado na sua prática pra com isso, não deixar existir qualquer conflito com a sua razão: sabedoria, simpatia, e muita oração!

  10. Está tudo muito assemelhado à República de Weimar dos anos 30.
    O país em pandarecos com as instituições esfarrapadas.
    As finanças esbagaçadas.
    O desemprego em massa, cujos indicadores embaçam a realidade.
    O reformismo trabalhista aponta para o mais sombrio ambiente de precariedade laboral, cuja consequência é o fim daquilo que um dia já foi considerado como “mercado formal de trabalho”.

    1. Parabens pela tua coragem Kotscho, único (ou dos poucos) jornalista(s) que destoa da bajulação geral aos novos governantes.
      O momento não comporta visão de “retrovisor” e sim de defesa de valores da civilização e de conquistas da humanidade.
      Segue firme e que tenhas muitos anos de lucidez e atividade.

  11. Não há nenhuma novidade nisso. Há quatro anos, ou mais, esse roteiro vem sendo concretizado. Quantas reclamações Lula ou outro setor democrático ganhou na justiça brasileira? Respondo: nenhuma. Agora, até o bispo está do lado deles, aquele do dízimo. Antes, Dom Paulo estava do lado de cá, mas até o bispo eles trocaram porque não se ouve em CNBB tal como a da época de dom luciano Mendes, Dom Ivo, Dom Casaldaliga, Dom Helder Câmara. Será que o governo dos puros, dos honestos, dos virgens vai prender ladrões de outros partidos além dos petistas?

    1. José, a igreja de D. Paulo e dos outros católicos por você citados não existe mais no Brasil.
      Só sobrou o papa Francisco, no Vaticano, cada vez mais isolado.
      E a industria da fé dos dízimos que apoia o bolsonarismo vai avançando cada vez mais no rebanho. Esta é a triste realidade.

  12. Kotscho, nem com a milicada tutelando o coiso, não tem como como dar certo, veja ex.nos EUA, o coiso “deles”, pra combare-lo, o povo agora deu o troco e aconteceu o impensável a 2 anos atrás, elegeram deputados socialistas. Não consigo achar a matéria, pra colocar o link, mas li estudo de um historiador americano que acertou sobre a eleição do Trump, diz ele que se o mesmo se candidatar a reeleição e vencer, o que seria uma probaliidade de guerra civil e fragmentação dos EUA passa a ser uma certeza. Como o Brazil do Bozo cópia tudo que vem deles….

  13. É impossível conversar com quem não quer escutar a verdade,não precisamos de dados do IBGE,não precisamos de gráficos da economia que mostravam a intensidade de nosso mercado interno e a grandeza de nossos superavits na balança comercial,nada disso é necessário para dimensionar os governos Lula.Ao meu ver basta apenas recordamos como vivíamos,como comprávamos,como viajávamos,como estávamos esperançosos com nosso futuro.O Brasil de Lula dava orgulho e dignidade ao povo brasileiro,mas no meio do caminha não havia uma pedra,havia um golpista,Aécio Neves que armados com seus instintos mais nefastos,começou essa cruzada que por meio de um golpe nos levou ao caos.O Bolsonaro é fruto do ódio,da cegueira e da ingratidão do povo brasileiro.Diante disso o que eu penso é que dias sombrios nos espera!!!

  14. Haddad parece ensaiar o primeiro passo ao calvário. Escanteiado pelo próprio partido e seus “coleguinhas” do Insper. A escalada fascistoide está só começando.

  15. Maurício, este blog é democrático e respeita a opinião de todos, mas não publica delírios.
    Por isso, teu comentário será deletado e não publicarei mais as coisas que você escreve. Tudo tem um limite. Grato pela compreensão.

  16. Um governo que não sabe onde está e nem para onde vai tem início e fim próximo. E esse apoio popular, basicamente de “cordeiros dentro do matadouro” , universal macedônio terá seus limites. Principalmente quando a entrada de verbas federais não conseguir cobrir a entrada de dízimos pela alta taxa de desemprego.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *