Bolsonaro atira para todo lado: assim vai paralisar o governo após a posse

Bolsonaro atira para todo lado: assim vai paralisar o governo após a posse

Ou o capitão reformado Jair Bolsonaro não esperava ganhar as eleições ou é um político irresponsável.

Nesses primeiros dez dias após a vitória, o presidente eleito já deu suficientes demonstrações de total despreparo e de falta de um programa de governo.

Atirando balas perdidas para todo lado, Bolsonaro já deixou claro, para quem ainda tinha alguma dúvida, que não tem a menor ideia de como vai governar este país de 208 milhões de habitantes e 12,5 milhões de desempregados.

Se continuar nesta sucessão de trapalhadas, recuos, ditos e desditos, criando, fundindo e fechando ministérios, arrumando inimigos mundo afora, vai paralisar o governo federal logo após a sua posse.

Esta é a nua e crua verdade dos fatos. O resto é marketing de especulação e indústria de fake news, como se o eleito ainda estivesse em campanha, cercado por filhos, áulicos e meia dúzia de militares de pijama.

Em sua primeira incursão pelo poder em Brasília, parecia um homem assustado, desconfiado, olhando para os lados e para o alto, como se temesse novo atentado ou a chegada de um disco voador.

Revelou visível dificuldade e desconforto para responder a perguntas de jornalistas sobre qualquer assunto, simplesmente porque até agora não conseguiu definir prioridades e um programa mínimo de governo para os primeiros 100 dias.

Sobre o seu primeiro dia de governo, disparou logo cedo nesta quinta-feira um Twitter para anunciar que vai abrir a “caixa preta” do BNDES, um dos maiores bancos de desenvolvimento do mundo, criado há 52 anos por Getúlio Vargas.

O que ele quer com isso, desmoralizar o banco?

Na véspera, também pelo Twitter, decidiu fechar o Ministério do Trabalho, sem dizer o que fará com as secretarias setoriais que cuidam de emprego, proteção ao trabalhador, combate ao trabalho escravo, entre outras muitas atribuições, nem para onde irão seus funcionários de carreira.

Como se fosse um Trump tropical, dispara novas mensagens pelo Twitter para nomear ou desnomear ministros ou anunciar medidas no varejo do improviso, como mudar a embaixada em Israel para Jerusalém.

A troco de quê? O que o Brasil ganha com isso?

Entre um encontro e outro com ministros militares, o presidente da República e o do STF, o novo presidente soltou mais um nome para o seu ministério, o da Agricultura, apresentado como competente técnica do setor, uma agrônoma.

Na verdade, trata-se da deputada Teresa Cristina, do DEM, uma fazendeira do Mato Grosso do Sul, indicada pela Frente Parlamentar da Agropecuária, mais conhecida como bancada do boi ou ruralista, a maior do Congresso Nacional, que domina o Centrão.

Teresa Cristina também é conhecida na Câmara como “musa do veneno”, grande defensora da liberalização de agrotóxicos na agricultura, que esteve com Bolsonaro, semanas atrás, no bunker da Barra da Tijuca.

Não poderia ter escolhido ninguém melhor para sinalizar o que o novo governo pretende fazer nesta área.

Para o Ministério do Meio Ambiente, que ele desistiu de juntar com a Agricultura, também promete nomear um “técnico”, Pode-se imaginar o que vem por aí.

Ofuscado pelos superministros Paulo Guedes e Sergio Moro, que não param de dar entrevistas, Bolsonaro tenta criar fatos novos para ocupar a mídia e as redes sociais, mas a cada intervenção só aumentam a barafunda à sua volta e as incertezas sobre o novo governo.

Até agora, ninguém sabe como vai ficar a Esplanada dos Ministérios, que vai precisar de muitos caminhões de mudanças, sem que até agora se saiba quanto o país irá economizar com os cortes de ministérios. De 15 inicialmente previstos, os sobreviventes já passaram para 18, por enquanto.

Nunca se viu tamanha balbúrdia numa transição de governo desde a redemocratização.

Até a data da diplomação do presidente eleito causou transtornos porque ele tem nova cirurgia do intestino marcada para o dia 12 de dezembro, em São Paulo.

Acabou ficando para o dia 10, justamente a data em que se comemora a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Tudo a ver.

Além dos problemas internos que já criou para a futura governabilidade, nestes poucos dias, Bolsonaro produziu atritos com China, Venezuela, Cuba, países árabes, Brics e Mercosul.

E, com tudo isso, continua a campanha de pra frente Brasil, agora vai, nas redes sociais, acusando de pessimistas vermelhos quem não está torcendo para o governo dar certo “porque estamos todos no mesmo barco”.

De que adianta torcer, se o barco é furado, o time é mambembe e o técnico parece mais perdido do que cachorro em dia de mudança?

Acreditem: a tragédia que se avizinha do dia do jogo para valer é tamanha que já tem muita gente embarcando no “Fica, Temer!”.

Pensando bem, dos males o menor. Esse, pelo menos, a gente já conhece.

O outro, que vai assumir, é uma bomba relógio prestes a explodir a qualquer momento, mais imprevisível do que a “caixa preta” do BNDES.

Pelas primeiras amostras da nova ordem, a impressão que se tem é a de um bando de patos desarranjados perdidos no Planalto Central e na Barra da Tijuca em busca de abrigo.

Faltam apenas 54 dias para a posse. Melhor já apertar os cintos.

Vida que segue.

 

47 comentários em “Bolsonaro atira para todo lado: assim vai paralisar o governo após a posse

  1. Ricardo Kotscho, concordo com tudo o que você escreveu mas com relação à pasta do trabalho, do que adianta ele mantê-la e não fazer nada pelo trabalhador? O STF recebendo aumento e eu tendo que aceitar 50% de redução no meu trabalho para não perder o emprego?

  2. Bem, pelo menos parece que desapareceram aqueles receios, tão comuns há poucos dias, de que o Presidente Bolsonaro seria uma espécie de Hitler caboclo que, entre outras maldades, caçaria negros e enviaria homossexuais para campos de reeducação.

    O fascismo acabou rápido, o temores agora são outros. Mas estes também logo passarão.

    1. Caro Ernesto. Aqui é aquela plateia que o Mano Brown falou. Será assim por 4 anos. Lembra que já falou em golpe militar. Não haveria eleições. E tudo de pior que poderia acontecer. Como suas preces não estão sendo ouvidas para poder escrever a frase célebre. Eu SABIA. EU AVISEI. O Ricardo não sabe mais o que escrever para sua plateia. Vida que segue

      1. Quem falou em golpe, auto-golpe, etc e tal foi o vice do Messias, o general de quatro neurônios, o belo escandinavo, que se referiu aos africanos como “mulambada” e os índios como “preguiçosos”.

    2. Arnesto, quem disse as barbaridades de eliminar os vermelhos, fuzilar a petralhada, prender e exilar foi seu amado Messias.
      Rapaz, vá procurar sua manada… você ficou pra trás.

  3. Um governo sem direção pode se tornar perigoso, a violência contra os opositores serve para disfarçar o fracasso da administração. Não sei como torcer para dar certo, ele só propõe coisa errada.

  4. A primeira base eleitoral de Bolsonaroera um bando de imberbes rapazes completamente desinformados que simplesmente embarcando no politicamente incorreto, típico de humoristas de segunda linha, formavam os 15% a 18% do apoio de Bolsonaro. Após isto com o apoio de um setor completamente mafioso de pastores que vendem o céu para suas ignorantes ovelhas, somou mais uns 10%. Com a facada, que nos dias atuais muitos já pensam porque ela não foi mais eficiente. Ganhou mais uns 10%. Como o único candidato que lhe fazia frente era Lula, tirado este com o seu juiz parceiro e também meio estranho, a direita se assustou e migrou em massa para a sua candidatura.
    Na ausência de Lula, um autêntico desconhecido e também trapalhão professor paulista, que perdeu duas semanas, das poucas que tinha para ficar conhecido, tentou acordo com outras figurinhas carimbadas e inúteis da política brasileira e não chegou a nem ser conhecido pelo eleitorado.
    Resumo da ópera, elegemos um perfeito idiota para um país complexo e imenso como o Brasil!

  5. Essa “caixa preta” do BNDES, se algum dia for aberta vai dar pano pra manga. Pro outro lado, e no geral, tá todo mundo torcendo pra este governo dar certo, embora alguma agressividade demonstrada é sempre uma consequência do medo tal qual o ‘caso Peter’, do menino que tinha medo de coelho, em Contra condicionamento, Psicologia. “O país precisa de produção sustentável”, palavra da futura ministra da pasta da Agricultura. Tem que provar na prática seu perfil de boa na técnica agrônoma e na política pra justificar sua escolha. A legislação ambiental vigente não é tarefa suficiente ao uso de uma ministra: o uso de agrotóxicos/transgênicos é uma pauta específica para um interessante Debate lá no Congresso Nacional.

    1. Tião Aranha, por mais que me esforce, não consigo entender nada do que você escreve. Dá pra ser mais claro, por favor? Quem é todo mundo?
      Ninguém está torcendo pra dar errado. Nem precisa.
      O problema é que essa zorra não tem como dar certo.

  6. Eu acredito que a antecipação da diplomação deve-se à possibilidade do agravamento do estado de saúde desse senhor. Neste caso, diplomado, o vice-general pode assumir, se necessário.
    Uma espécie de revival de Tancredo Neves, aquele que foi, sem nunca ter sido.
    Como ninguém entrevista estes médicos? Não interessa o real estado de saúde de um presidente eleito? Por que não adiaram a diplomação? Teria tempo, antes da posse.
    Se este procedimento cirúrgico é tão simples, uma semana não seria suficiente para a recuperação?

  7. Mestre, entre Bolsonada de braçadas mostrar-se não apenas de peito nu, mas nu por inteiro em Brasília, Requião pegou o espírito do coiso, não perdeu tempo e ‘homenageou’ dois dos luminares acima de tudo e de todos, apresentando no Senado, o projeto de lei batizado, “Lei Onyx Lorenzoni”, que “concede a juízes o poder de perdoar políticos que tenham se arrependido e feito pedido público de desculpas por seus crimes ou acusações, tal como ocorrido em Curitiba, onde Moro, ministro do coiso, minimizou as acusações de caixa dois contra o futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, demonstrando flexibilidade em seus critérios sobre a gravidade do uso de caixa dois, dependendo de quem é o protagonista da ação. Questionado… diante do fato de que Onyx Lorenzoni é réu confesso…, Moro respondeu: “Ele já admitiu e pediu desculpas”. ”
    Sem desculpas no entanto, o Egito deu toco no Aloysio, pelo anuncio de mudança da embaixada em Israel, revogada no dia seguinte por Bolsonada, que só falta decidir a questão da ‘Taça das Bolinhas’, entregando-a ao Flamengo.
    E como isso pouco fosse, SS vem aí, entra na suruba cívica sem Jucá, aumenta o volume na ‘pick-up’ e resgata o ‘Brasil do, Ame-o ou Deixe-o’, observado por Abelardo Barbosa a berrar, enquanto à espera de acórdão do STF, caso Paulo Preto/Serra fica à beira da prescrição:
    “Vocês querem Lula Preso?” (pano a jato).

  8. O problema é que ele, realmente, é completamente despreparado. Não sabe bem o que vai fazer e joga possíveis decisões na mídia. Se houver gritaria, inclusive de quem nele votou, ele volta atrás. Aconteceu diversas vezes, já…
    Eu só estou esperando a hora de ‘passar na cara’ dos amigos e familiares que nele votaram.

  9. No caso;”abrir” a caixa preta do BNDES -Se o fizer será a maravilha dentre as maravilhas sobre a grande corrupção envolvendo este importante órgão de desenvolvimento econômico e social-Do qual nada foi revelado até a presente data.Quanto a incorporar o Ministério do Trabalho a outro Ministério é discutível.

  10. Caro Kotscho,como eu já tinha dito no comentario da coluna anterior,o perigo não é o bozo (bobo da corte),o perigo são os manda-chuvas (generais,mouro,paulo guedes ,etc)por trás do bozo!
    São eles que mandarão no desgoverno do bozo!
    O pobre coitado do bozo se achando e todos no seu entorno vendo e tendo a certeza que ele não passa de um débil a ser manipulado!
    Força amigo! Estamos juntos na resistêcia!

  11. Tenho a mesma sensação em relação ao digníssimo senhor presidente,parece desnorteado, seu vocabulário é medíocre. Triste e temerosa, parece um pesadelo. Acho que tbm não quero dizer tchau querido, quem diria.

  12. Kotscho disse tudo, o coiso tá perdido, pra completar o desastre, Kakay numa entrevista ao estadao, demoliu o juizeco ministro. Acho que a preocupação do coiso e ter cuidado pra não surgir nenhuma diverticulite apos a cirurgia.

  13. Conhece o chicaguedes?
    O Guedes é o último dinossáurio dos Chicagoboys, os quais no Chile pinoxeteiro fizeram triste historia.
    O megalomano posto Ipiranga, em cujos braços o capitão Bozzo se abandonou… espero que nao por muito tempo.
    Que não chicague muito aqui.

  14. Dilma e Temer nomearam e mantiveram um secretário da receita processado por improbidade administrativa. O fato notório foi ignorado. Há rumores que continuará. O “novo” permanece “mesmo”.

  15. eu sempre soube que quando o bolssonaro comessasse a abrir os presentes que os iludidos deram para ele, ele iria chamar alguem para indentificar cada coisa que ganhou,chamou o seu amiguinho,agora futuro primeiro ministro do brasil,michel temer,o cara tar perdidinho da silva,e a nossa imprenssa como sempre se fazendo de inocente diante de tanto amadorismo,a chibata vai arder no lombo do povo.

  16. Sinceramente Ricardo…pelo andar da carruagem, pelo que se nos apresentam até agora…repito o que já disse e vc não publicou…vamos ver o planalto se tornar um puteiro em que varias putas esquizofrênicas ficarão se batendo para ver quem vai comandar o cabaré…coisa de hospício sem nem um médico dando plantão.

  17. …é um indivíduo completamente incapaz para exercer o cargo que foi-lhe dado.Os que o rodeiam sabem disto, e se debaterão entre si para terem hegemonia sobre os outros.
    Em toda sua tragetória, nunca exerceu uma liderança, autoritário que é , usa a ignorância, para mascarar a sua incompetência em liderar.
    O momento é outro, o momento seria para serenidade. O povo esta dividido mas pode se unir no sofrimento.
    Mesmo que coloque todas as forças com armas na rua, em poucos meses não conterá o povo.
    Acho que não governará por todo o mandato.
    O capeta já causa um estrago danado quando vem de improviso, imagina o que não causa quando ele é convocado.
    .

  18. O Bolsonaro é muito bem assessorado, caso o contrario não teria ganhado votos de gays e “mulheres de malandro”, ele também conta com um exercito de bots pode fazer qualquer gafe desaparecer nas nuvens da internet.

    Não devemos deixar de observar que as atitudes do presi-cof-cof é uma copia baixa renda de as atitudes “desvia foco” de Trump, afinal de contas, quando a CLT for para as favas de vez pode apostar que o palhaço do planalto vai fazer uma de suas peripécias para desviar as atenções (lembre-se do kit gay)do assassinato do único bote salva vidas dos trabalhadores.

    Desarma as “bombas” de fake news do zapzap (esse universo alternativo onde o brasil é uma colônia soviética e lula é um soprano) é essencial para acabar com a manipulação das massas, caso o contrario o mesmo irá se repetir em 2020.

    Haddad já voltou para a toca, o que já era esperado uma vez que não detém nenhum cargo legislativo, me amedronta a possibilidade de repetição das gafes cometidas por membros mais velhos do partido dos trabalhadores durante a eleição quando falaram como se fossem jogadores de FPS de 11 anos com suas frases “tomar o poder”,” lutar até o fim” e o melhor “libertar lula a todo custo”, isso só pode ser comparado com as frases de motivação dos empreendedores de palco na sua capacidade de desmotivar eleitores comuns.

    A ultima “noticia” da globo sobre “pão Bolsonaro” é jornalismo Wando no seu apogeu.

    Observar o comportamento da seita bolsonarista ajuda a entender o “cinismo” denunciado por Peter Sloterdijk.

    saudações de algum estado do norte do Brasil

    1. Tenho alguns pontos de concordância no que é comentado pelo Kotscko, mas não é 100%, se todos os setores produtivos se unirem, se o governo tiver uma capacidade de fazer correções de curso! Se todos os assessores se comprometerem, se todos os segmentos da sociedade se integrarem, o presidente da república será o que podemos chamar de eminência parda. Com o compromisso de todo o Brasil procurar dar certo, essa profecia do apocalipse, ou esse prenuncia que você coloca do caos, com certeza não irá se concretizar!

  19. Bom dia Kotscho!
    Considero normal estes desencontros de informações, ainda mais baseado em notícias de jornais. Já tivemos notícias de futuros ministros q foram desmentidos, ministério da família já com ministro nomeado…
    É uma montagem complexa, por qual outro eleito tbm passaria dificuldades, cobranças e críticas.
    O ponto positivo até agora é vermos pessoas técnicas e do ramo para cada pasta, ao menos até o momento. Acostumamos a ter médico como ministro da economia, civil com ministro da defesa, empresário como ministro do trabalho, líderes de partido cobrando publicamente ministérios….
    Suas críticas são válidas, são construtivas e espero q a oposição seja assim tbm.
    Vamos as boas notícias, ontem prenderam 8 funcionários do detran aqui de Resende RJ, 7 deputados presos no RJ, Joesley de volta pra cadeia (de onde não deveria ter saído), deputado q foi ministro da agricultura preso e semana q vem vou viajar, ficarei 12 dias sem escrever chatices aqui.
    Abraços e bom final de semana.

  20. Que ótimo que está assim. Acharia estranho se todos estivessem batendo palmas pra ele.
    ” parecia um homem assustado, desconfiado, olhando para os lados e para o alto,” claro que sim. Ele levou uma facada e quase morreu!
    “como se temesse novo atentado” óbvio. General Heleno e Departamento de Estado dos EUA já comunicaram que foram interceptados planos para novos atendados.

  21. Prezado Kotscho: “A engenhosidade humana desenvolveu-se aparentemente sem que tenha sido acompanhada pela evolução ética e espiritual. Somos capazes de comprometer todos os sistemas naturais que são os responsáveis pela manutenção da vida na Terra, inclusive a nossa vida.”, é um trecho do post de Mário Sérgio de Melo “A vida e as armas” de 07/11/2018 publicado em https://perrengasprincesinas.blogspot.com Com a indicação da ministra da Agricultura do novo governo, considerada a “musa do veneno” pela própria bancada do seu partido, o comprometimento dos sistemas naturais do território brasileiro vem a galope. Aliás, esse cenário já era antecipado antes do resultado das eleições: “Bolsonaro já garantiu aos grandes fazendeiros e grileiros que vai “segurar as multas ambientais”. “Não vai ter um canalha de fiscal metendo a caneta em vocês!”, discursou em julho.”, segundo consta na matéria de Eliane Brum do El País “Bolsonaro é uma ameaça ao planeta”, publicada pelo portal Carta Maior em 19/10/2018.

  22. Levy no BNDES.
    Dilma realmente estava fora de si quando contratou esse servidor dos fundos premium do
    Bradesco, que trouxe ao MF da ex-presidenta o atual secretário da receita que também foi o secretário da receita de Palocci (o Italiano Alcaguete) na época em que o sigilo fiscal e bancário do Caseiro Francenildo foi violado criminosamente. Levy fez a “repatriação levyana” de capitais (a mesma que o governo Belisario Betancourt da Colômbia havia feito para beneficiar os “dineros calientes” de Pablo Escobar do Cartel de Medellin) e a Receita Federal foi transformada na maior lavanderia de “dineros calientes” da América Latina.
    Nada que piorara mudou, o que implica a certeza de que se aproxima uma catástrofe sem precedentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *