“Tem alguma notícia leve, boa, tranquilizadora, generosa?”, pergunta a leitora

“Tem alguma notícia leve, boa, tranquilizadora, generosa?”, pergunta a leitora

Tinha acabado de ler o comentário com a pergunta da leitora Maria Thereza Medeiros no meu Face, quando resolvi responder a ela no meu blog.

Só então descobri que o Balaio estava fora do ar no World Press, sem aviso prévio, pela primeira vez em 10 anos.

Tomei um susto, porque agora a gente desconfia de tudo, mas o especialista Paulo Lindoso localizou logo o problema: era um desocupado com endereço na Ásia acessando o blog só para sacanear _ uma prática que ele me disse ser comum.

Antes assim, menos mal.  No Brasil desta nova ordem moro-bolsonariana a gente já pensa logo em coisas piores.

Já tinha até esquecido o que iria responder à leitora…

Bem que eu gostaria ter essa notícia, cara Maria Thereza.

Mas depois de ler os jornais e portais deste domingo não encontrei nada inspirador, muito ao contrário.

Desde que comecei a escrever diariamente neste blog, no longínquo dia 11 de setembro de 2008, no portal IG, os leitores mais antigos são testemunhas de que sempre procurei dar notícias boas aqui, falar de lugares encantadores que conheci nas minhas viagens, contar histórias de personagens interessantes, elogiar umj livro, um filme uma peça de teatro.

Está tudo aí no arquivo do Balaio, pode conferir.

Nos últimos tempos, estas notícias começaram a rarear, você sabe.

E não só por conta do agravamento da crise política e econômica, mas também porque sofri alguns acidentes de percurso que me impedem de viajar para fora de São Paulo.

Confinado contra a vontade na minha bolha, já não consigo correr atrás da notícia e fazer aquelas reportagens de antigamente, rodando o país de ponta a ponta até completar 50 anos de estrada em 2014.

Por coincidência ou não, minha fragilização física coincidiu com a progressiva degradação do país em todos os campos da atividade humana, sem exceção.

Sem poder ir ao Brasil real, onde a vida pulsa e sempre há novidades para contar, fico aqui no computador comentando notícias de segunda mão, e olhando pela janela, para ver se algum passarinho, uma árvore ou um tipo típico dos tempos do Rubem Braga sobreviveu e me inspira a escrever.

Tá difícil, cara leitora. Para começar, nem toda notícia boa para mim pode ser boa para você ou para os outros leitores do Balaio.

O que seria uma notícia boa hoje, capaz de te tranquilizar e ser generosa com a gente, ser boa para todo mundo?

Notícia boa para mim têm sido os boletins dos meus cinco netos e a disposição dos mais velhos para remar contra a maré da mediocridade que assola nosso país, dispostos a dar muro em ponta de faca como eu fazia quando mais novo. Por isso, um deles já foi até ameaçado de morte na escola.

Quase todo dia mais eles me surpreendem pela generosidade, preocupados com o sofrimento dos outros, a desigualdade social brutal e a violência institucionalizada nas relações pessoais.

É isso que me anima a não entregar os pontos, escrevendo todo dia sobre aquilo em que acredito, mesmo sabendo, como diz meu amigo Frei Betto, que não vou ter tempo de ver a semente germinar.

Este Balaio sempre teve uma visão crítica e independente em relação aos governos, novos ou antigos, mas eu não sei fazer de outro jeito , e isso talvez explique a falta de patrocínios e apoios neste blog.

Não sei brigar com os fatos. Conto o que está acontecendo de bom ou ruim, e não tenho culpa se, ultimamente, as notícias negativas sejam preponderantes e as boas se escondam de mim.

Já me dou por satisfeito de ter perdido poucos amigos neste interminável Fla-Flu político e conquistado outros, que não pensam como eu, mas não tripudiam sobre os derrotados.

Ao contrário, são solidários. Ainda tem muita gente boa neste país, de todos os lados, menos daqueles que agora querem simplesmente eliminar seus adversários, transformados em inimigos da pátria do “ame- ou deixe-o” redivivo.

Os sinais de retrocesso, de volta ao passado da ditadura militar, de intolerância e arbítrio, já estão por toda parte e, no entanto, é preciso continuar acreditando que amanhã há de ser outro dia.

Sinto-me, sim, derrotado nesta altura da vida, por ver ameaçadas todas as conquistas sociais e civilizatórias da minha geração, e por isso continuo escrevendo.

Ao ver o blog fora do ar nesta manhã cinzenta de domingo, o primeiro da nova ordem, me senti desligado do mundo, voltei aos tempos em que minhas matérias eram censuradas no Estadão.

Agora foi pior, porque não podia nem escrever para ser censurado depois. Foi como se tivessem me tirado da tomada…

Ainda bem que foi só um susto, e consegui escrever para Maria Thereza, que não conheço pessoalmente, o que sinto e penso neste momento, na encruzilhada derradeira da vida.

Espero que ela e os demais leitores possam me contar histórias boas para melhorar o astral deste domingo.

Não sei qual é o time de vocês, mas para mim só tem um jeito deste domingo terminar feliz: é o meu São Paulo botar para quebrar em cima do Flamengo, daqui a pouco no Morumbi, para fazer a alegria da minha neta Bebel.

É dessas pequenas alegrias que a gente vai sobrevivendo…

E vida que segue.

Em tempo: sou muito agradecido aos amigos Paulo Lindoso e Ronald Scapin, dois craques no ofício, que conseguiram botar de novo o Balaio no ar.

 

30 comentários em ““Tem alguma notícia leve, boa, tranquilizadora, generosa?”, pergunta a leitora

  1. Notícia boa,tem – O Brasil passou em mais um teste democrático .E o mais votado foi eleito!.A despeito de muitos que apregoavam o fim do mundo para o Brasil.

  2. Haver alguma “NOTÍCIA LEVE, BOA, TRANQUILIZADORA, GENEROSA?” Nos jornais da Noruega, Dinamarca, Suécia, Finlândia, Islândia, Holanda, Bélgica, deve haver muitas!

  3. Kotscho. Sou seu fã há muito tempo. Leio o balaio diariamente. Espero ansioso por suas postagens sempre lúcidas sensatas inteligentes. Vc mistura inteligência sabedoria conhecimento e carinho no seu texto . Também sou de esquerda. Militei no PC do B e no PT. Depois saí. Mas continuo na mesma trincheira de luta por um país e um mundo mais justo. Li e reli seu livro Do golpe ao Planalto. Tenho um pedido. Gostaria que vc fizesse uma postagem com os livros que mais te marcaram em sua vida tanto pessoal e profissional. Pode me mandar um email com sua longa lista de livros. Estou ansioso para ler tudo o que vc já leu. Obrigado por vc existir. Alex Paulo 75 99125 0860

    1. Caro Alex Paulo, minha memória anda cada vez pior. Guardo vagas lembranças dos livros que li e nem lembro dos autores. Te recomendo todos do Machado de Assis, Jorge Amado, Luis Fernando Veríssimo, Fernando Morais, Mario Prata, José Hamilton Ribeiro, Audálio Dantas e do Gay Talease. É do que me lembro.

  4. Como dizia vovó:-Depois do temporal… vem a enchente com a leptospirose e a hepatite C.
    Mas nem sempre a antiga sabedoria tem razão. Pode ser que ainda existam juízes em Berlim.
    Pode ser que a sociedade desperte e esconjure os maus espíritos que nos assolam.
    Como restou provado, é mais fácil chegar ao poder do que mantê-lo.
    Não quero o naufrágio do meu país mas suspeito que o o piloto entrante vai fazer tanta bobagem que logo teremos um substituto tentando consertar o estrago.
    Ânimo meu amigo pois os de nossa geração já passamos por muitos desastres.

  5. Mestre, no momento em que Helinho faz o segundo no ‘Morumba’, estava a dizer que, olhar pela janela, para ver se algum passarinho traz notícia boa, é saber que passarão.

    1. Alento para o coração, nestes tempos tribulados, em que a tempestade se desenha, inevitavelmente poderosa, no horizonte da democracia, ter no Balaio um seleiro de sabedoria e esperança.

  6. Pensando melhor, acho que tem. É a entrevista da Manuela D’Ávila. A melhor do pós-eleição. Pode ser lida na íntegra no “O Cafezinho”. A gaúcha é o melhor quadro feminino da política nacional. É boa, generosa e tranquilizadora. E, sobretudo, extremamente lúcida. Valeu, Manu!

  7. Kotscho, como fiquei algum tempo fora, não soube de suas tribulações. Mas, observando a foto do seu perfil, pude ver sua aparência debilitada. Sinto um pesar por seu sofrimento e me coaduno com você, pois mesmo sem saber o que motivou sua debilidade, eu entendo, já que eu tenho uma enfermidade já lá se vão 25 anos. Sou diabético e o peso da doença com minha idade, fazem-me sentir o meu tempo se abreviando. Mas bola pr’á frente, você ainda tem muita lenha para queimar, ainda vai me irritar muito, e espero viver o suficiente para encher sua paciência. Mas, sem nunca perder o apreço e respeito que tenho por você.

  8. Prezado Kotscho: “Com o coração se pede. Com o coração se procura. Com o coração se bate e é com o coração que a porta se abre.” (Santo Agostinho).

  9. Prezado Kotscho: Você quer uma notícia boa? Lá vai: “Nordeste, a sede da resistência a Bolsonaro”, é o título da matéria de Murilo Matias, publicada em 04/11/2018 na CartaCapital. O subtítulo dessa matéria diz que a “Região é a única a garantir vantagem a Fernando Haddad na disputa presidencial e desponta na vanguarda do progressismo nacional.” É ou não é uma notícia boa?

  10. Sou feliz por fazer parte dos perdedores, não abro mão de minha opinião, não abro mão de agir mais com o coração do que com a razão.
    Sinta-se feliz também, somos ganhadores, temos alma e coração. Mesmo sendo minoria, precisamos existir e não desistir.

  11. Caro Kotscho , a melhor noticia deste final de semana é um pesquisa na Argentina que demonstrou que mais de 80% da pupulação de lá abomina o período da ditadura e não aceitaria a volta dos militares ao poder!
    E eu aqui no Brasil morrendo de inveja dos argentinos!
    O governo atual da Argentina não é nada de bom,mas pelo menos não foi eleito por uma rede de Fake News e nem é defensor da Ditadura e da tortura!
    Força Amigo ! Estamos juntos na Resistência!!

  12. Caríssimo Ricardo,
    Nem o seu SPFC lhe traz boas notícias com os gestos e expressões bolsonaristas de um de seus jogadores, no último jogo contra o Flamengo. Muito tristeza de todos os lados.
    Aquele abraço, Eduardo Bicudo

  13. Uma coisa melhorou, vai ser estimulada e alavancada para cima e para o alto: A Caricatura, que vinha sendo superada pela Realidade, com Trump tínhamos o que Temer, agora é meter a mão no Bolso e fazê-la vibrar!!!
    Ainda mais com o auxílio moradia do Moro na Justiça…
    Vamos balançar esse Balaio pra frente que atrás vem gente como a gente…

  14. “Notícia leve, boa, tranquilizadora, generosa”, tem não à leitora, Mestre, mas tem sim, para o mundo, nova jabuticaba: O ‘Fascinismo’, que junta e mistura, ódio, violência e ‘verdadeiras’ mentiras.

  15. Kotscho, porque você não publicou o outro comentário que eu fiz? Você não disse que o espaço é democrático? Ou será que é democrático até que não incomode o PT e os seus militantes que moram neste blog?

    1. Nem todas as bobagens são publicadas, Cleudecir.
      O blog precisa respeitar suas próprias regras para mantger um mínimo de civilidade.
      Já disse várias vezes que este espaço não é porta de banheiro público. Não tem nada a ver com PT.

  16. Amigo Kotscho,
    Mesmo atrasado na postagem rs, vou compartilhar um depoimento de um agricultor sobre aquela Geada 18 de Julho de 1975, eu tinha um ano de idade, comparando com esse momento que estamos vivendo.

    “Foi difícil ver os estragos, foi um desânimo. Chegamos a chorar porque não sabíamos o que fazer. Perdemos todo o café. Então decidimos cortar todos os pés, e iniciamos o replantio. Como éramos pequenos agricultores, na época, era difícil pensar em plantar outra coisa”

    Kotscho não esqueça, a geada passou, continuemos plantando a democracia.

  17. Postei boas notícias, investimentos anunciados, aberturas de vagas de emprego…
    Não publicou para a turma no blog não ficarem sabendo?
    Fiz questão de colocar os nomes corretos das empresas, para facilitar a pesquisa das informações q escrevi. Caso deixe, posso escrever novamente e colocar os link´s confirmando.

  18. É Kotscho sinto falta de vc e do Nirlando Beirão no jornal do Heródoto que era o único ao qual consegui assistir até a saída de vcs.Agora a TV fica desligada ou como meu marido costuma dizer:pra que vc assiste a TV japonesa se vc não entende nada de japonês. Respondo: é por isso mesmo
    Cansei de tentar entender ,de tentar escutar tanta pobreza no atual jornalismo televisivo.Ontem até no jornal da RTF,canal 5 francesa passou uma reportagem falando que o novo estilo de governar é do Trump que não está nem aí para o mundo do lado de fora dos states e bem pro lado de dentro (vide falência e crise eterna de desemprego). Realmente não há boas notícias. Apenas uma .Ainda existem pessoas preocupadas com o outro, pessoas que sabem realmente a grande farsa que está acontecendo.Como vc diz,vida que segue. Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *