O que a campanha de Haddad está esperando para desmontar o “Mito”?

O que a campanha de Haddad está esperando para desmontar o “Mito”?

Semanas atrás, circulou na internet vídeo mostrando um batalhão de milicianos sem camisa e com calças camufladas, marchando na orla de Copacabana, aos gritos de “Mito!Mito!Mito!” como se fosse a coisa mais normal do mundo.

No começo dos anos 30 na Alemanha, de onde vieram meus pais, também não prestaram muita atenção em cenas assustadoras como essas, que não vi registradas na imprensa.

De onde, afinal, vem esse “Mito”, carregado nos ombros dos seus seguidores?

Faltam agora só duas semanas e dois debates, na Record e na Globo, para a campanha acabar.

Os outros três debates, na Band, na Rede TV! e na Gazeta, já foram cancelados porque Bolsonaro deu WO.

O que os responsáveis pela campanha de Fernando Haddad e o próprio candidato ainda estão esperando para sair da defensiva e partir para cima de Jair Bolsonaro, mostrando quem é esse “Mito”, o candidato militar que foi expulso da Escola Superior de Aperfeiçoamento de Oficiais (ESAO) e punido com 15 dias de cadeia, por insubordinação, antes de largar a farda para virar político profissional?

É por isso, para não ser desmascarado, e não só pelo seu colossal e assustador despreparo, que o capitão aposentado aos 32 anos foge dos debates como o diabo da cruz.

Mantido na bolha desde que sofreu a facada há mais de um mês, Bolsonaro virou um candidato fantasma, que não põe a cara nas ruas, e só aparece nas redes sociais e nas “entrevistas” das emissoras amigas, agora disputando a sua simpatia diante da expectativa de poder.

Basta uma rápida pesquisa na internet, digitando Bolsonaro-Veja-bombas-atentado, para encontrar farto material sobre a verdadeira história deste militar aloprado que foi acusado de preparar um plano para explodir bombas em unidades militares do Rio e no sistema de abastecimento de água da cidade.

Reportagem do portal Diário do Centro do Mundo (DCM), assinada por Kiko Nogueira, revela que a autora da denúncia na revista Veja, em 1987, Cássia Maria, foi ameaçada de morte pelo capitão quando se preparava para depôr no caso. Relata Kiko Nogueira:

“Ele fez um gesto com as mãos, como se estivesse disparando uma arma contra ela. `Você vai se dar mal, disse-lhe.

Cássia passou a precisar de proteção policial. A história foi registrada pela revista e pelo Jornal do Brasil. Trinta e um anos depois, esse sujeito é líder nas pesquisas eleitorais, com basicamente os mesmos métodos”.

Por que não vão atrás desta repórter e colocam seu depoimento no programa de televisão? Afinal, a revista Veja pode ser acusada de tudo, menos de ser petista.

“Sem o menor constrangimento, Bolsonaro deu uma detalhada explicação sobre como construir uma bomba-relógio”, escreveu Cassia Maria em sua reportagem, que foi ilustrada por um croquis desenhado de próprio punho pelo então militar da ativa. Mais adiante, a repórter dá detalhes:

“O explosivo seria o trinitrotolueno, o TNT, a popular dinamite. O plano dos oficiais foi feito para que não houvesse vítimas. A intenção era demonstrar a insatisfação com os salários e criar problemas para o ministro Leônidas Pires Gonçalves. De acordo com Bolsonaro, se algum dia o ministro do Exército resolvesse articular um golpe militar, `ele é que acabaria golpeado por sua própria tropa, que se recusaria a obedecê-lo´”

Imaginem agora este homem com o poder nas mãos, no comando do governo e das Forças Armadas, três décadas depois. Será que seus milhões de eleitores já atentaram para isso?

Já passaram pelo Supremo Tribunal Federal 11 inquéritos, ações penais, mandados de injunção e petições sobre o deputado federal Jair Bolsonaro, mas nenhum foi mais explosivo e preocupante para suas pretensões políticas do que o julgamento do dia 16 de junho de 1988 no Superior Tribunal Militar, como registra o DCM.

Está tudo lá nos autos, é só pesquisar. Por 9 votos a 4, o STM considerou-o inocente, mesmo depois de uma comissão interna do Exército, chamada de Conselho de Justificação, tê-lo excluído do quadro da ESAO e de suas explicações não terem sido consideradas satisfatórias.

Diante deste farto material sobre o candidato adversário, que não tem currículo, mas um alentado prontuário policial-militar, de que adianta Haddad continuar perdendo tempo ao explicar os erros do PT na Petrobras ou apresentando candidamente suas propostas de governo, diante das ameaças à jovem e fragilizada democracia brasileira?

Tudo que já se falou sobre Bolsonaro até agora é fichinha perto do que representa este material que pode ser encontrado nos autos dos seus processos.

Basta ligar para meia dúzia de jornalistas que eles podem dar mais detalhes. É só querer, ou deixar tudo como está, no modo soneca, esperando um milagre para impedir o pior.

Diante de profissionais forjados na ditadura, com amplos apoios de forças daqui e de fora, sem limites éticos para alcançar seus objetivos, não dá para levar a campanha na flauta.

É isto que está em jogo, e o tempo que nos resta é cada vez menor.

Vida que segue.

 

33 thoughts on “O que a campanha de Haddad está esperando para desmontar o “Mito”?

  1. Coincidentemente ou não, o fato é que pela primeira vez, ontem, a campanha do PT abriu espaço para o melhor quadro feminino da política nacional: a comunista Manuela Dávila. Desde o início da campanha do primeiro turno cobrei, aqui, a ausência de Manuela e também o fato de que Haddad ignorava Manuela nos seus pronunciamentos e a tratava como papagaio de pirata. Antes tarde do que nunca. É preciso que Manuela fale mais, porque Haddad não é mesmo uma Brastemp. Quanto a tratar o inimigo como deve ser tratado, porque o fascismo não é um “adversário” qualquer, mas a própria selvageria em movimento, não se pode recorrer a filigranas. É preciso expor o mal e a banalização do mal, como ensinava Hannah Arendt. Vamos ver se haverá outra coincidência, igual à cobrada no caso da Manuela, porque vou listar, a partir de agora, as sugestões, uma a uma, para ver se a “entourage marqueteira” de Haddad desperta. Ainda há tempo para deixar de vacilar e agir ao estilo tucano adotado pelo PT há muito tempo e que deu no que deu. Farei isso na próxima postagem par atender às recomendações do proprietário do Balaio.

  2. Conforme minha postagem anterior, eis o complemento, para que os letárgicos marqueteiros tucanos de Haddad saiam de cima do muro. Lá vão as sugestões para constarem, de forma maciça e permanente, da campanha no rádio, TV e redes sociais: 1) “O erro foi torturar e não matar”. 2)”Se ela tivesse matado mais gente, teria sido melhor”. 3)”Quilombola não serve nem pra procriar”. 4)”A PM deveria ter matado mais de mil presos, e não só 111”. 5) “Só vai mudar com guerra civil, matando uns 30 mil”. 6) “Eu seria incapaz de amar um filho homossexual. Prefiro que um filho morra num acidente do que apareça com um bigodudo por aí”. 7)”Não te estupro porque você é muito feia e não merece”. 8) “Eu sonego imposto. Sonego o que for possível”. 9)”A Amazônia não é do Brasil. Devemos entregá-la aos Estados Unidos, porque não sabemos explorá-la”. As frases ipsis literis podem ser facilmente recolhidas na Web disponível. Se a assessoria marqueteira de Haddad não for capaz disso, até poderemos vir a listar os endereços na internet. Agora é esperar para identificar as próximas coincidências da campanha do PT com as sugestões postadas por aqui, igual à ocorrida no caso de Manoela Dávila. Já vacilaram demais até agora. Não podem vacilar mais, senão vão tomar uma 7 a 1.

    1. O problema é o telhado de vidro da corrupção, o Haddad é reu em dois processos e indiciado em mais uns 8, é isso que o povo não aguanta mais, o resto fica em 2o ou 20o plano

  3. Achei o(s) programa(s) de TV de Haddad fraquissimos, pusilânimes ate agora.
    Senti uma dose de vergonha alheia – e perguntei as pessoas a meu lado: “será que a campanha do haddad não achou um único e escasso publicitário competente? nem redator?”
    Os judeus em Dachau e auschwitz tambem se comportaramexatamente deste modo, até o dia em que foram chamados para os banhos.

  4. Parece que a tática de escrever “viva Bolsonaro” ao lado de suásticas na parede do banheiro não está dando certo. Será que a variação proposta no texto funcionaria? Acho que não.

    Entre a maioria que sempre verá isso meio à distância, nem se fala. Me arrisco até a dizer que ali o Mito está por ocupar o lugar que já foi de alguém atualmente preso, o cara popular, gente como a gente, etc.

    Entre a minoria capaz de analisar o tema as escolhas já foram feitas. Existe a bolha petista/esquerdista que se julga democrática apesar de defender a mais longeva ditadura do nosso continente e ter tentado seguir a receita de seus filhotes bolivarianos. E existem aqueles, em número muito maior, que não querem lhe dar a chance de tentar novamente e ainda roubar e quebrar o país durante o processo.

    Risco de um Bolsonaro autoritário? Não é zero porque tudo é possível. Mas é infinitamente menor do que o de um organizado e vingativo PT voltando ao poder com sangue nos olhos. Não analiso os pontos do artigo em detalhe para não me estender em demasia, mas nada do que é dito ali altera esse cenário.

  5. Kotscho, para acreditar que qualquer ato da campanha de Haddad possa tirar um único voto do fascista, você só pode estar vivendo em uma bolha cheia de petistas. Se conversar com um eleitor dessa indigência por 5 segundos, (se tiver estômago), verá que não há o que fazer. Ele tem os eleitores alienados, e os interessados, esses últimos já vislumbram muita grana. Para você ter ideia, aumentou a procura por máquinas para fabricar correntões, (sou da área e por princípio não mexo com esse tipo de equipamento), pesquise no Google correntões desmatamento, a ideia dos espertos que o apoiam é desmatar o máximo em menor tempo possível, até que organismos internacionais percebam e denunciem a tragédia, e a tragédia que se aproxima é muito pior do que se pode supor.

    1. José Eduardo, você se esquece que mais de 30 milhões de eleitores não votaram em ninguém no primeiro turno.
      É a esse contingente do eleitorado que a campanha do Haddad deveria se dirigir, na minha modesta opinião.

  6. Puxa, como uma “capivara” dessa e o “marketing” do PT não aproveita? O histórico do sujeito no Exército é um prato cheio. Refraseiem Adlai Stenvenson, político usamericano:”Se vocês, nazi-fascistas, pararem de falar mentiras sobre nós, democratas, nós paramos de falar as verdades sobre vocês”).
    A Marine Le Pen, a musa do nazi-fascismo na França, diz que “Bolsonaro é um radical que só fala barbaridades”. Dizem as más línguas – e as boas também – que um dia o CAPETÃO sonhou com o Hitler que lhe disse, com aquele sotaque carregado:”Jairrr, tem horrra que você me assusta, mein junge…”.

  7. Ricardo, da até para entender esta sua indignação – e também de outros milhares de petistas – mas antes de mais nada, e preciso ter a compreensão de que nada disso vai adiantar
    E porque?
    Simplesmente porque o Brasil não quer maus o PT , o modelo de governo do PT que nesses últimos 13 anos só arruinou a situacao dz maioria, em detrimento de uma minoria amigos do rei.
    Bolsonaro e um subproduto disso tudo é qualquer outro que aparecesse com a coragem de bater de frente com o pT ia levar também
    Mostrar o passado de Bolsonaro, quem está interessado, além dos petistas
    Oras, Dilma e toda a cúpula do PT pegaram em armas, mataram, para implantar o socialismo ou comunismo aqui e ainda assim foi eleita. Agora chega de falar que foi golpe, que as urnas já mostrou a ela o seu caminho
    Nada mais a fazer meu caro , para o bem ou para o mal vem aí o trapalhão

  8. Do melhor jornal argentino, o Página 12, aqui vai a reprodução da associação da direita ao pastoreio evangélico na província de Buenos Aires, ao exemplo brasileiro, para conter o “estalido social”. Vale a pena conferir: “En varias ocasiones durante este año, en reuniones públicas y privadas, la gobernadora de la provincia de Buenos Aires María Eugenia Vidal, expresó su reconocimiento al trabajo social de las iglesias evangélicas y convocó a los pastores a “trabajar juntos por el bien común”. Esa relación con los evangélicos viene de antes, de la gestión del ex gobernador Daniel Scioli, pero se ha intensificado al punto de tener incidencia en las políticas públicas, en temas como el aborto legal o la educación sexual en la escuela, a los que los pastores se oponen de manera fervorosa. A cambio de frenar esas demandas crecientes del movimiento feminista a nivel nacional, tanto Vidal como el presidente Mauricio Macri dejaron en manos de los evangélicos la tarea de contener el reclamo social y evitar estallidos en el último trimestre del año. La negociación está en manos de Vidal y de la ministra de Desa- rrollo Social, Carolina Stanley. Lo que se sospecha, a nivel de la oposición, es que ese intento tenga como finalidad superior establecer lazos con el electorado, con vistas a los comicios del año próximo, al estilo de la alianza tejida en Brasil entre la derecha y esos influyentes grupos religiosos”.

  9. sim Ricardo…e sabemdo que sua candidatura, sua imagem junto a parte do seu eleitorado se sustenta neste estigma de mili5ar, seguidor da ordem e dos bons costumes…tem que atacar no seu calcanhar, digo coturno.

  10. …assim não pode, assim não dá…sai daqui e fui ali no 247. o nosso portal…e tá lá: Caetano repudia Olavo de Carvalho…puta que pariu…que importância tem esta notícia uma hora desta ??? Quase joguei no chão meu celular…krai…não podia ser no lugar até mesmo uma fake news indefinida, tipo: ” Informações fresquinhas afirmam que a rejeição a Bolsonaro cresce” manda um texto retirado do site gerador de leriolero e pronto…teria muito mais efeito…o problema da esquerda é a vaidade intelectual…” tô pastando mas sou mais sábio do que vc.”
    Acho que eu aqui estou produzindo coisas melhores, criei a mensagem abaoxo e joguei hoje cedo no zap:
    *==============*
    ,
    *Pelo amor de Deus*
    *Estão brincando com coisa séria*
    *Sou mãe, e estou muito preocupada*
    *EU NÃO QUERO ARMAS*
    *Eu só quero é trabalhar e viver em paz com minha família*
    *Nossos filhos não estão preparados para andarem armados*
    *Eu não quero ver um deles como um defunto ou como um assassino*
    *Já temos problemas demais em nossas vidas*
    *Se você também pensa assim, por favor, compartilha*
    *Muito obrigada*
    .
    *=============*
    agora a tarde recebi de volta de um amigo que cedo eu não tinha compartilhado, significando que ela andou.

  11. Bolsonaro é tudo isso e está solto ! Lula nem é dono do “triplex” e está preso ! E continuamos achando que resolveremos a “parada” com eleições ! Elegemos Dilma e o que aconteceu ?

  12. …eu sou um gwrador de fake news…e meu lugar de atuação éno zap.
    Como a mairia dos evangélicos detestam o Edir Macedo criei este, meio inocente:
    ” É meus irmãos, o Bolsonaro já
    se entregou ao Bispo Macedo, Amém?”
    Vou num grupo de evangélicos que entrei na campanha de um candidato a deputado e jogo lá…o resto é com o capeta

  13. Pois é, caro e prezado grande repórter RK, estou numa baita dúvida: o Coiso, que não diz coisa com coisa, é mito ou mitômano?
    Ou os democratas se unem ou este País será o IV Reich.
    A propósito, Kotscho, hoje, em São José do Rio Preto, a maior cidade do noroeste de SP, uma professora universitária grega pichou o muro de uma casa com frases racistas e fascistas.
    O morador protestou e essa energúmena o feriu com arranhões e mordidas.
    Vizinhos chamaram a polícia, que prendeu a “madame fascista”. Antes, ela tentou fugir, caiu e se machucou.
    Segundo o G1, a criatura mora nos EUA e passa férias no Brasil.

  14. Hoje, também, o Conversa Afiada publica do Ambito.com uma matéria que vai, inteira e completamente, ao encontro da tese que venho defendendo que, mais do que representar o conservadorismo e o direitismo, aquilo que tenho denominado desde o início de “candidatura militar” traz à tona um projeto militar de poder. Vale dizer: o controle do poder político e, mais do que do poder político, o poder da força, em “manu militari”. O projeto de poder militar em “manu militari” está pronto para ser estabelecido. O presidente, o vice e o ministro das três Armas são militares que chegarão ao poder central com enorme apoio popular, caso a performance da “candidatura civil” não consiga destruir o esbirro da ditadura que, como no 18 de Brumário de Marx, apresenta-se como “herói” embora não passe de um personagem e indivíduo “grotesco e vulgar”. Leia-se o PHA no Conversa Afiada: “O portal Ámbito.com, de Buenos Aires, publicou, no domingo 7/X, uma reportagem de título “Bolsonaro, um líder construído em busca de um novo projeto de poder militar”: Deve promover uma “nova democracia”, na qual os oficiais desempenharão um papel de liderança até aqui impedido pela democracia brasileira. Suas bases são o conservadorismo político, o liberalismo econômico e a promessa de erradicar a Esquerda. A cúpula das Forças Armadas entrou em contato com ele em 2014 para prepará-lo, diz o subtítulo”.

  15. Aflição, este é o meu sentimento,a diferença desta eleição é que não consigo conversar com as pessoas, dá a impressão que ocorreu uma lavagem cerebral.Concordo com vc Kotscho, é hora de ir pra cima e mostrar a verdadeira faceta deste insano.

  16. E eu aqui no meu cafofo assistindo a tudo isto e dizendo: – Eu não disse! Quando o Zé Dirceu posava para as páginas amarelas da Veja com terno impecável e com charuto cubano? Quando a Dilma segurava a inflação com o preço da gasolina, quando fazia omelete na Globo? Quando o Kotscho enaltecia os salvadores da pátria por causa do aumento de 0,20 na passagem de ônibus e era calado pela IURD? Todos temos culpa! Vida que segue!

      1. Kotsho, tenho o maior respeito pelo senhor, visito todo dia seus posts, mas agora tu estás livre leve e solto e não amarrado quando antes! Parabéns pela sua liberdade!

  17. Usando a partição sugerida pelo Kotscho. Primeira parte
    Ainda que eu permaneça (muito) pessimista, acho que que ainda não sabemos o que significa a convergência de três movimentos:
    a) uma vitória nítida de Haddad nos debates (Kennedy sobre Nixon), se estes ocorrerem;
    b) o apoio, em seguida a este debate vitorioso, de Joaquim, Fernando Henrique, Geraldo, Meirelles (a conferir), Marina e, indireto, de Francisco, junto com o suporte de uma enxurrada de artistas e figuras de proa no país, embutido no corpo do horário eleitoral (a rede social repercutirá o caráter vasto e diversificado deste apoio coincidente).
    c) Segue letra C em uma segunda parte

  18. Usando a partição sugerida pelo Kotscho. Segunda parte
    c) Previsível neste caso e visível nas pesquisas, a ascensão inesperada de Haddad modificaria o jogo em curso das alianças nestas eleições (segundo turno) para governador, com reflexos em cascata: c1- a “redebandada” parcial pelo tamanho do alerta; c2) diante dos riscos, a sensibilização dos antes ausentes e dos votos em branco e nulos. A Record tem candidato, mas a Globo não teria. Este fato pesa para muita gente. Se eles não apoiam o candidato da Record, algo tem …. As últimas declarações da extrema-direita já descartaram a imagem de um Bolsonaro razoável!

  19. Caro Kotscho,
    Grande parte da imprensa ainda mantém Bolsonaro numa bolha, caso da Folha. O senhor leu a coluna da Ombudsman ontem? Viu o que pensa Sérgio Dávila sobre Bolsonaro não ser de extrema-direita? Tem visto os comentários de Alexandre Garcia? Isso só para citar dois. O PT deve fazer isso que o senhor está sugerindo, mas não basta, tem que angariar apoios de outros partidos e pessoas.

  20. Prezado Kotscho: O roteiro para a campanha do Haddad deixar de ser morna e ir para cima do capitão covarde está bem claro aqui no seu post. É aprofundar nas fontes de informação citadas, informar o povo para que o fascismo não triunfe nessa disputa eleitoral e como nos ensinou Santo Agostinho “Enquanto houver vontade de lutar haverá esperança de vencer.”

  21. Porque um candidato não se propõe a fazer um projeto pro meio ambiente que se oponha ao projeto “Ministério da moto serra” do Coisonaro? Contratar e treinar e remunerar 5000 jovens como ‘Produtores de agua’ em agro propriedades particulares pelo pais afora por exemplo?
    A progressiva e acelerada destruição da Amazonia que já se prenuncia… vai ser outra frente de atrito – atrito é bondade nossa – do Brasil com os outros paises do mundo e sua midia. Isto é certo como o sol nascerá amanha cedo no horizonte.

  22. A campanha das armas pelo militar fascista deve ser combatida no campo do medo da classe media que ele explora tão bem e é aí que precisamos desmitifica-lo… tenho dúvidas de que a prevalência da proposta das flores contra as armas dê certo neste país de violência contra os pobres….Kotscho está correto e dá o caminho da vitoria….

  23. Qual mesmo o motivo dos prepotentes falangistas e camici neri cariocas não desfilarem na Urca? Sabem que, pelo menos aqui no Rio, as Forças Armadas não votam em Bolsonaro, não endossam o Generalíssimo/ Condottieri destas milícias de classe média, ilegais e violentas. O cartão postal da virada hiperconservadora: um Rio fascista, serpent’s egg, para o mundo. Não ao Rio fascista, diz o planeta estarrecido com o Brasil! Não a esta Venezuela-autoritária-pela-direita, pois lá no país vizinho nunca houve nada parecido com uma centro-esquerda democrática como tivemos por aqui; uma centro-esquerda civilizada que experimentamos em paz, brasileiras, com todos nossos (não poucos) defeitos e contradições. Não há mais hoje esquerda nem antipetismo cabível: há somente defesa da civilização.

  24. Tem uma turma aqui que anda meio sumida, Ênio, Cesar T, Dias, Victor Hugo, Caruso… Será que já pularam o outro lado do muro e pegaram a onda verde-amarela?

  25. Não adianta atacar Boçalnaro, pois o povo não quer ouvir. Eu mesma tive uma colega que se diz bolsonarista e ela bloqueou minhas mensagens no Whats up para não ter que ler nada contra o troglodita/energúmeno.

  26. Caro Kotscho:
    Como é que você vai mudar a posição dos fascistas se a maioria deles nem sabe o que é isto?
    Abraços desesperançados,
    josé maria

  27. A maioria dos eleitores do Bolsonaro, sabem quem ele é, do que é do que é capaz e votam nele justamente por isso. Não se iludam achando que as pessoas estão sendo enganadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *