“Tudo menos o PT”: com Toffoli e Moro, a Justiça toma partido

“Tudo menos o PT”: com Toffoli e Moro, a Justiça toma partido

“É a eleição mais doida que eu já vi. Não é uma campanha presidencial e sim um plebiscito entre quem quer Lula e quem não quer” (Duda Mendonça, marqueteiro da campanha de Lula em 2002).

***

Diante da ofensiva “Tudo menos o PT” desencadeada na reta final da campanha por um conglomerado de interesses nacionais e estrangeiros, a definição dada por Duda Mendonça à eleição de 2018 é perfeita.

Duda sabe do que está falando. No começo dos anos 90 do século passado, na disputa municipal de São Paulo entre Paulo Maluf, para quem então trabalhava, e o petista Eduardo Suplicy, ele lançou um dos seus geniais bordões:

“Não temos nada contra o Suplicy, mas não queremos mais o PT aqui”.

Desde sempre, Lula e o PT dividiram o eleitorado a favor e contra o partido e seu líder.

Hoje, o Suplicy desta campanha presidencial é Fernando Haddad, contra quem também os adversários não têm nada. Só não querem devolver o poder ao PT.

Quem faz o papel  de Paulo Maluf da vez é o capitão Jair Bolsonaro, não importa o que ele pense ou diga.

Como antagonista do PT, ele já conquistou boa parte da elite (?) brasileira, tão bem descrita por um dos seus membros, o empresário Ricardo Semler, na página 3 da Folha desta terça-feira.

Sob o título “Alô, companheiros de elite”, ele escreveu:

“Agora, estremeço ao ouvir amigos, sócios e metade da família aceitando a tese de que qualquer coisa é melhor do que o PT (…) Apenas reconheço que as elites deste país sempre foram atrasadas, desde antes da ditadura, e nada fizeram de estrutural para evitar o sistema de castas que se instalou”.

Pois foi exatamente para combater esse sistema de castas e iniciar um processo de mudanças estruturais que o PT ficou 12 anos no poder e gerou as legiões do antipetismo militante, que agora encontraram seu legítimo representante na figura grotesca de Jair Bolsonaro.

Ricardo Semler é uma rara exceção entre as pessoas do seu meio, um out-sider dos donos do poder.

Se os donos das empresas apoiam o capitão, os seus empregados devem fazer o mesmo, como já sabem até os porteiros das sedes de todas as castas do mercado financeiro, do alto empresariado e do baronato da mídia e, principalmente, daquela que exerce um papel central nesta eleição disputada sob o lema “Tudo menos o PT”: a guirlanda da Justiça brasileira.

Sem dar bola para a torcida, num país que ainda se divide entre quem manda e quem obedece, se tiver juízo, o novo presidente do STF, Dias Toffoli, e o juiz federal de primeira instância Sergio Moro se uniram na segunda-feira para fazer a sua parte na ofensiva final contra Lula, o PT e o seu candidato a presidente.

Já nem fazem questão de disfarçar. A seis dias da eleição, Moro ofereceu à mídia a bala de prata da “delação premiada” de Antonio Palocci feita à Polícia Federal há seis meses, e Toffoli sacramentou a decisão de Luís Fux para proibir Lula de dar entrevistas até o final do segundo turno. Por que será?

Toffoli foi além: em palestra a estudantes de Direto da USP sobre os 30 anos da Constituinte de 1988, sem ninguém lhe perguntar, já foi logo dizendo a que veio:

“Prefiro chamar golpe militar de movimento de 1964”, proclamou, para espanto dos jovens que o ouviam, que reagiram em seguida com uma nota de protesto do glorioso Centro Acadêmico 11 de Agosto, de tantas lutas pela liberdade, em que os estudantes afirmam:

“São justamente posicionamentos como este, que menosprezam os graves crimes contra a humanidade e o brutal desrespeito aos direitos humanos ocorridos durante o regime militar, que estimulam o recrudescimento do discurso de ódio e autoritarismo, lamentavelmente crescentes em nosso ambiente político”.

Ex-funcionário do PT e do governo Lula, Toffoli deu uma guinada tão radical nos últimos tempos, para não ser tachado de petista, que convocou para a sua assessoria um general da reserva, fato inédito na história do STF.

A Justiça brasileira não se avexa mais de tomar partido dos que querem manter o país dividido entre a Casa Grande e a Senzala, na perfeita imagem de Mino Carta, um dos poucos jornalistas brasileiros do primeiro time que não cedeu ao poder das castas em seu meio.

Toffoli e Moro, ainda jovens, são apenas os dois exemplos mais escrachados de figuras que parecem saídas da República Velha, quando o voto feminino ainda era proibido.

Se o golpe militar de 1964 não foi um golpe militar, o que terá sido então o golpe de 2016, deflagrado unicamente para derrubar o governo do PT, com a importante participação do Judiciário lavajatense da República de Curitiba, comandada pelo cruzado Sergio Moro, que agora quer melar a eleição?

Os historiadores do futuro certamente reservarão um bom espaço para contar como os três poderes irmanados, tendo à frente o Judiciário, se degradaram para levar o Brasil de volta ao passado e interditaram seu futuro.

Esta “eleição mais doida” de que fala Duda Mendonça será um divisor de águas na sociedade brasileira, qualquer que seja o seu resultado final.

Nunca antes na nossa História, como diria Lula, tivemos uma divisão tão clara das duas forças que se enfrentarão no próximo domingo, colocando frente a frente os representantes da Casa Grande e da Senzala, da civilização e da barbárie, da ditadura e da democracia.

É isto que está em jogo. Você decide.

Vida que segue.

 

28 thoughts on ““Tudo menos o PT”: com Toffoli e Moro, a Justiça toma partido

  1. Quando Lula entrou em 2002 eu pensei….agora o PT e associados nunca mais sairao do poder…farao tudo para se manterem no poder…dito e feito…partidários como vc estao levando a coisa prum lado bem perigoso. Seja mais responsável com a suas palavras. isso pode acabar muito mal…

    1. Já acabou muito mal. Ele disse apenas o que é cristalino para mim. Está acontecendo. E vc aí querendo censurar o Ricardo. Não sei quem é vc. Mas se é trabalhador como eu, está do lado errado.

  2. Quando Moro descaradamente tornou pública parte da delação de Palocci a menos de uma semana das eleições, imaginei que o STF pudesse até mostrar sua força, evitando essa interferência absurda do legislativo na política. Enganei-me redondamente: Toffoli cospe no prato em que comeu, se omite e ainda, covardemente, endossa a decisão aloprada de Fux proibindo a entrevista de Lula à Folha. Quanto medo que esse povo tem da verdade!
    Está na hora de Haddad abrir a boca, deixar também a Manuela falar, denunciando a farsa das eleições e mostrando a força do PT e dos trabalhadores desse amado Brasil.

  3. Muito se fala aqui das “elites” que preferem o Bolsonaro., mas se analisar a ultima pesquisa do IBOPE, podemos ver que Bolsonaro cresceu exatamente em redutos antes petistas, como no nordeste, na classe mais pobre e também entre os negros. Crescente também é sua preferencia entre as mulheres. Parece que o Elenão saiu pela culatra.
    Por outro lado, estou perplexo aqui coma a confissão do Blog (coisa que todos nós ja sabiamos e eles não admitiam) e sua contrariedade com o Tofoli, sendo um soldado das fileiras do PT e sobretudo de Lula, não estar mais disposto a sujar a mão todas as vezes que o PT assim o quiser. Doravente so em casos seletivos…. Tá batendo o desespero

  4. Com Bolsonaro, virá mais investimento para o Brasil? Conta outra, não virá. É só ler o Post, Financial Times, The Economist …
    Ficou para a história da mídia americana, o desalento transfigurado no rosto do jornalista da CNN, quando o mapa eleitoral ao vivo dava como irreversível a vitória de Trump. Recuso-me a aceitar que a Globo fará o papel triste de sancionadora da barbárie, diante da perplexidade de todo o mundo civilizado: uma anti-CNN de carteirinha. Não vai! Há uma imagem internacional em jogo, da emissora e do país. É hora de escolher entre Amanpour e Steve Bannon; a hora chegou!
    Eles vão rachar internamente, ainda aposto nisso! O globo de hoje, triste, triste!, não será o de amanhã.

  5. Quando a poeira baixar e puderes ver com mais calma, perceberás que a elite nunca quis Bolsonaro. Quem o quis desde que se lançou candidato há 4 anos foram os excluídos do interior. Ele fez o que ninguém mais fez. Foi lá nos rincões e ouviu. Agora fica difícil ver, mas quem acompanha sua tragetório além de suas frases desbocadas podia prever um cenário assim.
    Bolsonaro apanhou dia e noite em todos os grandes meios de comunicação. Se há complô foi a favor do PT. Porém a população cansou-se.
    O PT apostou em uma cisão. Lula esticou a corda, que está prestes a arrebentar.
    Podem atacar o quanto quiserem quem quer que for. Não há como apagar um plano de governo que prega “controle social” do Judiciário. Não há como apagar entrevista de Dirceu. Não há como apagar Twitter de Lula. Não há como apagar mensalão, petrolão, pedalada.
    Historiadores do futuro nada poderão contra um sociedade que acordou.
    A internet revolucionou essa eleição e mudará os rumos do Brasil. Não há mais dono cativo da verdade. Não há mais como esconder fatos.
    Isso não tem a ver só com Bolsonaro, mas com o direito do Brasileiro saber sua história de verdade. Não como alguns gostariam que fosse.

  6. Lindo texto só ficou faltando as declarações de José Dirceu que o PT está muito perto de tomar o poder que é diferente de ganhar as eleições e ameaçou de fechar o STF e mexer no judiciário, se isto não é autoritarismo eu não sei o que é. Vida que segue e viva ao jornalismo imparcial de ambos os lados

  7. Essa senhora Juraci já faz ameaças explícitas
    !!! “Responsabilidade” agora virou votar em fascista !!!
    Chegamos no ápice da insanidade e do delírio !!!

  8. Quem mora no Sul-Sudeste sempre soube da altíssima rejeição ao PT. A duas regiões têm 85 milhões de eleitores. Isso anula qualquer vantagem no Nordeste. Quando Lula deu uma rasteira em Ciro Gomes, e insistiu numa candidatura improvável, ele impediu o crescimento de postulantes de centro-esquerda, ainda que fosse outro nome do PT, menos rejeitado, e lançado lá atrás. Será que Haddad terá tempo de diminuir sua rejeição?

  9. Caro Ricardo, não sei se você tem contato com os líderes da campanha do Hadad, mas a meu ver está na hora de todos os apoiadores e cada eleitor falar das propostas do Hadad e parar de atacar o Bolsonaro. É hora de ganhar votos dos indecisos mostrando as propostas do Hadad. Os que votam no Bolsonaro não irão mudar o voto, por mais que falamos o quão despreparado ele é e que seu plano de governo é ruim. É hora da falar das propostas do Hadad que claramente são melhores que o do Bolsonaro. É necessário passar isto para todos os diretórios, militantes e ativos em redes sociais.

  10. Deixe de ser ignorante, o PT nunca esteve no poder senão através do poder do voto democraticamente dado pelo povo, conforme a Constituição.
    A mesma Constituição que seus mentores, os golpistas, pisoteiam para assumirem o poder através do golpe e lhe cegam a ponto de não permitir-lhe enxergar que “não dá para levar a coisa prum lado bem perigoso”, pela simples razão que esse lado bem perigoso, graças a essa ‘gente de bens’, estabelecido está e mantém-se no país de uma das maiores economias do mundo, há mais de séculos, condenando-o e sua gente ‘não de bens’ ao atraso, a miséria e a violência, gerados na “nossa” DESIGUALDADE de bens, uma das campeãs mundiais.

  11. Caro Kotscho.
    Sábia leitura do atual momento que nos encontramos, povo com memória fraca, o que esse país era antes do Nosso Presidente Lula, talvez só os mais velhos lembrem, eu vivi esse tempo e me recordo das inúmeras dificuldades, em todas as esferas, não vamos nos abater. Bora votar 13

    1. É uma pena que o povo tenha memória fraca, Marize.

      Esses dias estavam dois colegas de trabalho, alguns não tão moços assim, dizendo que não mudou nada com o PT. Tive que discordar na hora.

  12. O RK, Jura, a quem leio ha algum tempo, me consta que tem lado, não partido.
    O lado é uma coisa grande, e partido esta nele contido…
    Vou tentar te explicar o que é lado e o que seja partido.
    O general alemão Dietrich von Choltiz,
    comandava a forte gurniçao alemã que ocupava Paris em 1944. Quando o hitler sentiu que a cidade seria perdida para os aliados, deu ORDEM taxativa a Choltiz para DINAMITAR as pontes e destruir principais edificios da cidade.
    Choltiz , entre o Partido nazista e a cultura/historia/patrimonio da humanidade que era Paris escolheu esteultimo Lado… nao o partido. Desobedeceu a ordem e o resto é Historia.

  13. Caro Kotscho, boa tarde.
    Meu receio, pra não dizer medo, é que, ganhando Haddad, surja uma solução mirabolante. E só consigo imaginar os contorcionismos jurídicos e parlamentares para implantar o parlamentarismo. O senhor acha possível tentarem algo assim?

  14. Como tenho dito, Kotscho e Balaieiros, essa quadrilha multidisciplinar fraudará as urnas. Essa bala de prata, Toffoli etc… é só cortina de fumaça, pois Bolsonaro nunca teve chances de vencer, como demonstram as pesquisas e os protestos (#EleNÃO) de sábado. Se o coiso tinha votos para passar ao segundo turno, porque o bombardeio contra o PT agora e não depois ? Reflitam, pelo amor de Deus !!! Se necessário, inventarão qualquer desculpa e prenderão Haddad e suspenderão as redes sociais. Estamos fud…. e mal pagos. Como brasileiro é pacato, sugeri que retirássemos nossas faturas (TV a Cabo, Internet, telefonia celular e fixa, cartões de crédito etc…) do débito automático, pois nem precisamos deixar de pagá-las pra invertermos esse jogo. Mas, nem disso, o povo brasileiro é capaz. Mas repito o que já disse: se acontecer uma revolta, que fechem estradas, portos e aeroportos. Ninguém entra e ninguém sai antes do acerto de contas. Infelizmente, é o que nos aguarda, que Deus tenha misericórdia do povo brasileiro.

  15. ¨Mal pra quem,cara pálida?A ditadura já tomou posse?Espere pelo menos a eleição terminar.Vamos que vamos firmes votar 13 de cima em baixo.
    Os cães ladram e caravana passa.
    Mas um show de texto Kostcho.

  16. ACALMAI IRMÃOS…NA GLÓRIA TUDO CESSARÁ
    Era assim que o meu querido amigo Pastor Cabrera inicava as suas pregações.
    E se ele estivesse vivo, hoje teria muito trabalho para livrar os eleitores do Bozo de uma entidade que está os deixando todos loucos.
    Fico de 10 a 15 horas todos os dias na internet, especialmente no face.E, tenho notado que os partidários do Bozo estão entrando em um estado de loucura coletiva…coisa esquisita.
    Deus tenha piedade…né brincadeira não, estão possuidos pelo que pode haver de pior no inferno.

  17. Se existe uma área em que Lula e o PT erraram a mão foi na jurídica. O que o ex-advogado militante do PT faz em um único dia (A decisão contra a liberdade de expressão e a interpretação do golpe de estado) é digna de equiparação ao perfil de Palocci.

  18. Se o “Golpe de 64”, que contou com o ? Exército nas ruas ?, está sendo ressemantizado para “Movimento”, por “iniciativa” de Dias Toffoli, Presidente do STF…

    … estaríamos errados ao nomear o “Golpe de 2016” como sendo um ? “Rearranjo das Placas Tectônicas do Congresso” ! ? ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *