Ao rifar Marília Arraes, Lula e o PT arriscam a sobrevivência do partido

Ao rifar Marília Arraes, Lula e o PT arriscam a sobrevivência do partido

“Estão ensaiando uma valsa na beira do abismo” (Ciro Gomes, ao saber do acordo entre PT e PSB na quarta-feira)

***

Marília Arraes, candidata ao governo de Pernambuco, que vinha fazendo uma bela campanha popular, era a única nova e forte liderança do PT nestas eleições.

Quem mais perdeu com o acordo entre PT e PSB, que sacrificou a candidatura de Marília, não foi Ciro Gomes, como a maioria dos jornais e analistas avaliaram nesta quinta-feira.

Foram Lula e o PT, que rifaram o futuro do partido.

O maior golpe foi no principal patrimônio deste partido que eu vi nascer das bases operárias do ABC paulista e acompanhei até a chegada ao poder, em 2003: a sua militância.

Para chegar lá, o partido enfrentou um monte de obstáculos, ganhou e perdeu muitas disputas, acertou e errou, mas procurou sempre se manter fiel às suas origens, dando orgulho aos anônimos militantes que empunhavam suas bandeiras.

Isso acabou. Que petista vai querer agora fazer campanha pelo partido de graça, sacrificando horas de estudo ou de trabalho, enfrentando adversários nas ruas, ouvindo xingamentos, arriscando-se por uma causa que perdeu a razão de ser?

Em lugar de orgulho, é mais provável que agora estes militantes sintam vergonha de defender um partido incapaz de bancar suas novas ldieranças contra os velhos caciques aos quais se aliou nos últimos anos.

O que fizeram com Marília Arraes é tão grave e vergonhoso para a história do partido como aquela foto trágica de Lula e Fernando Haddad, na campanha municipal de 2012, pedindo apoio a Paulo Maluf, justo ele, o velho antagonista dos petistas, nos jardins da mansão dele, todos eles sorridentes.

Não tenho a menor ideia dos motivos que levaram a direção do partido a fazer este acordo para o PSB ficar neutro nestas eleições e se afastar de Ciro Gomes _  este sim, um antigo e fiel aliado do PT.

Quem ganha com isso? Com a desmobilização da militância petista, a justa ira e o isolamento de Ciro, fragmentando ainda mais o campo da esquerda, e a insistência em levar a candidatura de Lula até o fim, a ferro e fogo, pagando qualquer preço, quem ganha é a direita, que se uniu em torno de Geraldo Alckmin, e o candidato das trevas, Jair Bolsonaro.

Do jeito que as peças ficaram colocadas no tabuleiro da eleição, corremos agora o risco de repetir a França e promover um inédito embate entre direita e extrema-direita no segundo turno.

O sacrifício de Marília Arraes no altar das conveniências de momento vai cobrar um alto preço no futuro, colocando em risco a própria sobrevivência do PT como maior partido de massas do país e da América Latina.

Em lugar de Marília, teremos nos palanques do PT no nordeste os senadores Eunício de Oliveira e Renan Calheiros, do MDB, legítimos representantes da oligarquia contra a qual o PT se insurgiu quando foi criado.

Lembro-me bem de quando Lula e o PT refugaram o apoio de Ulysses Guimarães, o “Sr. Diretas” e presidente da Constituinte cidadã, no segundo turno contra Fernando Collor, em 1989, alegando que não queriam um representante da velha política no palanque.

Naquela eleição, o petista seria derrotado por uma pequena margem de votos, mas não era isso o mais importante em Ulysses, que ficou com menos de 5% no primeiro turno.

Era o simbolismo de um homem que lutou contra a ditadura, estava ao lado de Lula nos palanques das Diretas Já e foi fundamental para tornar possível aquela primeira eleição direta para presidente da República após a ditadura militar.

A política, como sabemos, não é feita só de votos, mas também de símbolos que representam para o eleitorado a esperança de uma vida melhor e mais digna.

Muitas águas rolaram e muitos anos se passaram de lá para cá, e o PT foi deixando pelo caminho muitos desses símbolos fundadores do partido, até chegar à atual situação, em que a sua única liderança nacional continua sendo Lula.

A indigência da atual direção do PT, completamente perdida e sem comando, é resultado da falta de espaço e de interesse para a criação de novas lideranças e o surgimento de novas ideais e projetos para o país.

O que está em jogo neste momento não é só o destino do PT, mas do próprio país, em que o partido ainda joga um papel fundamental.

O fato é que o PT envelheceu muito cedo e já não empolga a juventude, boa parte dela hoje encantada com o troglodita Jair Bolsonaro, transformado no tal “fato novo” desta eleição.

Estratégias políticas e jurídicas à parte, que disso não entendo, tudo o que está acontecendo me dá, acima de tudo, uma enorme tristeza por ver a derrota de uma geração de brasileiros que batalhou por uma sociedade mais justa e solidária.

Encarcerado numa cela solitária em Curitiba, condenado num processo iníquo, impedido de participar da campanha eleitoral, com acesso apenas a advogados e dirigentes do partido, meu bom e velho amigo Lula não pode imaginar o que está acontecendo aqui fora, a profunda decepção dos velhos militantes com os rumos que o partido tomou.

Desse jeito, nada vai nos trazer de volta o sonho que sonhamos juntos quando esta longa trajetória começou.

Virou um pesadelo, lamento constatar, sem conseguir entender aonde querem chegar.

Não desista, Marília Arraes, nós precisamos de você para manter viva a chama da esperança que venceu o medo e está se apagando lentamente.

Vida que segue.

 

87 thoughts on “Ao rifar Marília Arraes, Lula e o PT arriscam a sobrevivência do partido

  1. maravilha seu texto, venho batendo nessa tecla há tempos.. e o que mais me incomoda é o fato deles não perceberem o imenso potencial que tem em mãos.. escrevi um texto sobre isso: ..
    “nasceu num rancho pobre, esperto que só, não sentou no banco de escola, mas deu lições a muito doutor, enfrentou o império para libertar seu povo, foi caçado, preso: Jesus, o que estão fazendo? ”
    https://jornalggn.com.br/blog/jruiz/jesus-o-que-estao-fazendo

  2. Me desculpe caro Kotcho, mas a hora agora não é de “bancar novas lideranças”.
    A hora agora é de enfrentar esse golpe gigantesco com todas as forças.
    Acho um absurdo essa percepção de q é Lula (e sua candidatura), massacrado incessante e impiedosamente, que deve ser penalizado para atender, nesse momento crucial da vida nacional, aos desejos e aspirações de “novas lideranças”, do Ciro, da Globo, do Merval… É soda….

    1. Também não concordo com Kotcho. Não é o momento de lançarmos lideranças novas. Estamos em guerra, o Brasil está em guerra . O que a direita está fazendo com Lula e o PT não tem outro nome. Tem que se combater o inimigo (Schmitt) não apenas eleitoralmente mas também na Justiça e nos grandes conglomerados da Mídia. É uma guerra sem fronteiras. Fala-se muito em Ciro. Quem é Ciro? detentor de 5% dos votos , um candidato que muda o discurso de acordo com a conveniência.

      1. Se há uma guerra, então a estratégia está errada. O PT está dando de bandeja a eleição ao PSDB, trabalhando para fragmentar a esquerda e pensando apenas em si, sem enxergar que é pior ao Lula ter Alckmin no poder que não ser candidato agora.

      2. Você resumiu bem o que é o PT: Um partido com projeto de poder. Votei nesse partido em 2002, 2006, 2010, 2014 (Marina) e Dilma. O melhor candidato dentre os presentes em 2018 é o Ciro, qualquer eleitor esclarecido consegue perceber isso. O problema é que as pessoas colocam querem um messias e não um presidente. Porra, o cara é do Nordeste, é de Esquerda, já foi ministro do Lula, apoiou o PT nas horas certas, criticou quando tinha que criticar, o que tá faltando pra vcs? Reveja seus conceitos, pois isso tá virando loucura.

        1. Projeto de poder que confronta o projeto atual e que foi colocado em prática em 4 mandatos e aprovado por 41% da população. No Nordeste ainda mais.. É pouco? Os conterrâneos de Ciro não pensam assim. O Brasil não acha.

          1. Desculpe, corrigindo, aprovado por mais de 80% da população quando transmitiu a faixa presidencial a sucessora que coincidentemente era do mesmo partido.

      3. Os 8% do Ciro já são maiores do que os do Alckmin, Haddad e do Wagner, mas enfim, petista ainda acha que presidiário é candidato, fazer o quê.

    2. Perfeito a sua observação, na verdade esta pressão para que o PT lance o tal plano B, é para eliminar o desconforto que a imprensa tem de divulgar pesquisas com o LULA em primeiro.

    3. Ah, pelo amor de Deus! Vocês ainda acreditam nessa história pra boi dormir de que o Lula é apenas uma vítima? Mesmo depois dele aceitar Renan e Eunício nos palanques de seu partido, mesmo depois de tudo o que aconteceu? A esquerda brasileira é autofágica, mesmo. E sequer aceita as suas responsabilidades pelo grave quadro de convulsão política e social que enfrentamos hoje. Principalmente o PT, que vai sacrificar a pouca credibilidade que lhe resta ao se aliar a meia dúzia de caudilhos e oligarcas (notórios corruptos) apenas para inviabilizar a candidatura de Ciro. Por pura birra, é ridículo! O momento seria de parcimônia e de união. E Lula, com o perdão da palavra, está politicamente morto nestas eleições. Aceitem o fato. Aceitem que, com tal atitude, vocês estão dando o poder de bandeja a gente como Alckmin ou Bolsonaro.

        1. Triste, o tal cadáver está tão morto que venceria no primeiro turno todos de bolsonari a tucanos, passando pelo Ciro. E as mesmas pesquisas afirmam que seus eleitores votam em seu ungido

  3. Ontem, no aniversário de um amigo,comentamos que é urgente a união em torno de Ciro Gomes pra evitar o mal maior. Ciro não é o candidato dos sonhos, mas é o possível nesse momento para fazer frente ao pior dos mundos (direita e extrema-direita). Mas interesses pessoais estão minando isso.

    1. Ismael, a candidatura Ciro não estava somando, mas sim dividindo o campo progressista, nao esquecer que houve um golpe, e essas forças não estão pra brincadeira. Ciro cometeu um erro e não pode culpar ninguém, cavou sua sepultura ao se aproximar da direita. Queria o eleitorado progressista abracado ao núcleo duro dos golpistas. Não dá pra servir a dois senhores ao mesmo tempo.

    2. Concordo parcialmente com sua colocação caro colega. Acredito que a classificação de Ciro como “candidato dos sonhos” seja estritamente subjetiva, pois depende daquilo que cada indivíduo tem por “sonho” de candidato ideal. Quanto ao preparo político, ideológico e posicionamento firme quanto às propostas que serão eleitas junto com o candidato, Ciro não deixa margem para dúvidas do que estará sendo escolhido pelos eleitores que votarem nele. Digo isso pois tenho acompanhado as palestras e entrevistas que o candidato vem realizando desde a deflagração do golpe contra a população (e contra o PT) e vejo reiteradamente essas propostas serem apresentadas e explicadas, com seus “quando”, “como” e “porquês”. Sua colocação quanto a união em torno do Ciro, em minha opinião, é uma ideia sóbria, o que nos tem faltado a muitos nesses tempos terríveis que estamos vivendo. Se houvesse qualquer outro nome tão preparado quanto o Ciro para fazer isso -unir as esquerdas- através de causa identitária, seria sóbrio (para permanecer com a mesma palavra) apoiarmos a união das esquerda em torno de tal nome. O PT tem sua relevância histórica e atual, é fato indiscutível isso, mas tentar manter um plano de poder em detrimento da nação… Não podemos chamar isso de militância, ao menos não de militância saudável. Há outras formas de o PT se reacomodar no cenário político, mas para isso o PT precisa aceitar que, da mesma forma que sempre fizeram os demais partidos de esquerda, agora, é a sua vez de apoiar outro partido de esquerda como liderança no combate aos “inimigos” do povo.

    3. Mais uma vez minha sugestão para que o BRASIL deixe de bailar a beira do abismo:
      – Lula se candidata ao senado. continua sua luta com a justiça com a mesma força, se elege em qualquer estado e se torna o maior líder político brasileiro de todos os tempos.
      -Ciro-Haddad(ou Marília ou outro do PT) se elegem no primeiro turno e viabilizam o projeto comum PDT-PT.
      -As forças progressistas se unem para eleger o mair número possível de parlamentares íntegros e comprometidos.
      LEMBREM-SE QUE O BRASIL É MAIS IMPORTANTE QUE TODOS OS POLÍTICOS (inclusive Lula)JUNTOS.

  4. Prezado e Velho amigo Ricardo.
    Tenho acompanhado sua luta no cotidiano e hoje constato mais uma vez sua lucidez sobre o quadro politico brasileiro e reconheço que está cada vez mais difícil uma saída honrosa para os eleitores brasileiros.

  5. Faço minhas as suas palavras, meu caro Kotscho.
    Essa direção burocrática do partido foi picada pela mosca azul e não quer largar o osso e o pseudo protagonismo.
    Realmente vamos entrar num buraco sem fim.

  6. Kotscho, excelente sua análise, sua reflexão e desabafo. Você diz: “Em lugar de Marília, teremos nos palanques do PT no nordeste os senadores Eunício de Oliveira e Renan Calheiros, do MDB, legítimos representantes da oligarquia contra a qual o PT se insurgiu quando foi criado.” Ciro Gomes resumiu em uma só palavra essa e outras opções do PT nesta eleição: trata-se de coronelismo. O único ponto sobre o qual tenho dúvidas em seu post de hoje é a possibilidade de Lula desconhecer o que se passa aqui fora. A direção do PT não teria autonomia para fazer o que está fazendo sem o aval de Lula. Tudo indica que ele é o mentor dessas alianças, o responsável por podar novas lideranças do partido, como Marília Arraes, e por dificultar a aproximação de Ciro Gomes com aliados no campo da esquerda.

    1. Eu ia falar isso, Theresa! Não é possível que Lula, dessa vez, “não saiba de nada”. Não sou partidário, mas estou considerando a possibilidade de Ciro como uma opção de equilíbrio (penso eu), apesar do aparente desequilíbrio do candidato em alguns momentos. O PT trabalhar contra uma opção diferente de esquerda, mas ainda alinhada em muita coisa com seus princípios, acredito ser um grande erro.

  7. O “paciente” está preocupado com seu umbigo, ontem no Globonews Ciro foi bem enfático em dizer que o “casamento ” com o PT havia acabado……pelo visto os “partidos amorosos” do pete, que não estão dando certo, acabam- se sendo o grande mal (traidores), foi assim com temer, Marta, Mariana, com o falecido Hélio bicudo (que nem uma nota de pesar passou por aqui) é agora o Ciro. Tudo isso porque o “paciente ” só olha seu umbigo…..esse é o “gênio ” da esquerda que dizem que salvaria o Brasil. Não sei o que é mais gostoso o chororô corintiano ou chororô petista, vida petista que segue para nos divertir.

  8. Kotscho, a atual direção do PT justifica que essa decisão foi tomada com a anuência do Presidente Lula, e até mais, com a tomada estratégica de decisão do próprio Lula.

  9. Belo artigo. Realmente é desanimador tudo isso. Eu sempre na linha de frente na luta, hoje me sinto traído. Fui extremamente prejudicado na minha vida por defender o PT, e, hoje parafraseio o título do livro do Juca Kfouri – “Confesso que Perdi”.

  10. Caro mestre Kotcho,
    Fiquei revoltado com esta notícia, também, infelizmente considero um verdadeiro tiro no pé do próprio PT. Não que eu seja contra o Lula ser livre, mas há nuances a serem consideradas, ainda mais num momento trágico como este.
    Acredito que a direção do PT e alguns militantes estão personificando muito a figura de Lula salvador. Acredito que a ideia de um país justo mediante qualquer quadro da esquerda deva ser a finalidade sempre, independente da figura de Lula. Não sei se o senhor já pensou nisso, mas imagine que o Lula se vá, de morte morrida ou matada (será que esta última opção é tão paranóica assim?!). Como ficaria o nosso projeto de país? Um abraço!

  11. Com toda a certeza. Além do mais o Ciro tem uma proposta de desenvolvimento para o país consistente. Eu acho que o PT não deseja a vitoria do Ciro, para não ter que vivenciar uma boa administração de um governo dele. É a velha política que não olha para o país, só para os seus interesses eleitorais.
    E vamos combinar: O Lula já foi presidente 8 anos, já tem 73 anos e enfrentou um câncer, a realidade econômica hoje é diferente, o país está polarizado pelos governos PSDB e PT e nós queremos outros rumos para o Brasil.

  12. Muita hora no agito para que se acalme, Mestre. O importante é que na política, a razão sobreviva, afinal deve orientar-se pelo cérebro.
    Como diz o sereno e arguto, Fernando Brito: “(…) É uma bobagem esta história de que o PT ‘isolou’ Ciro. Quem isolou Ciro foi ele mesmo, ao dar ênfase exagerada às suas legitimas diferenças com PT e achar que bastaram os anos em que esteve com Lula e Dilma para credenciá-lo a absorver os votos do ex-presidente.”
    E prossegue, abordando os inevitáveis danos colaterais: “Com todo o respeito a ele [Ciro] e também aos pré-candidatos do PT que tiverem de remanejar suas ambições pessoais por tal ou qual cargo local, o que está em jogo é o Brasil.”
    O Brasil, Mestre, que já não abraça sua gente, dilapida-se, sem direção, atolado à espera do caos e onde, de maneira precisa, uma réstia de esperança é observada por Brito: “E o Brasil está se movendo por conta de Lula, que é o centro de gravidade desta eleição, mesmo preso em Curitiba. A ‘ideia Lula’, que não é contida por grades, espalhou-se e dá a eleição ares de um estranho plebiscito.”
    E concluí, traçando o cenário: “Os a favor do ex-presidente, na prática, estão coesos, como mostram as pesquisas e não mostram as candidaturas. O antilulismo, porém, é um saco de gatos a se engalfinharem.
    A realidade da eleição vai se encaminhando para um só ‘Lula’ e vários ‘antilula’. Dos quais, teme a direita, sairá um talvez tão horrendo que não consiga liderar os outros.” Touché!
    PS: Marília ‘desfilia-se’ do PSB e ‘filia-se’ ao PT em 2016.

  13. Pois acho que no fundo o PT está querendo que Bolsonaro vença para tentar ser fortalecer na oposição . O famoso “quanto pior melhor”. No caso, deve achar que isso é melhor do que ficar na sombra do Ciro. E vamos lembrar: Lula acabou de declarar apoio ao golpista Eunício Oliveira, cupincha do Temer. Francamente, o PT já era….por sua própria culpa.

  14. Depois de rifar José Pimentel e a neta do Arraes, minha impressão é esses dois eram pessoas sérias… Tem outro político petista (que discordo de muitos posicionamentos dele), o Paulo Paim, do RS…. certamente está na mira do PT para ser rifado também, em troca de algum “Renan ou Eunício gaúcho”.
    E ainda estufam o peito para criticarem o Geraldo Alkmin!

  15. Caro Kotscho!
    Seu diagnóstico é perfeito. Tenho a impressão que o PT também aprisionou Lula em Curitiba. São sucessões de erros que invalidam a postura estrategista que Lula sempre havia demonstrado
    Desde o último palanque em São Bernardo, antes da prisão, deveria ter sido posto como uma possibilidade real a impossibilidade de Lula ser candidato à presidência, sabendo que o judiciário assim desejava. Era o momento de apontar um representante das esquerdas; fosse Boulos, Ciro, Manuela, Haddad, ou quem julgasse melhor, e todos trabalhassem para consolidar a unidade.
    Desta forma, sacramentada a exclusão de Lula, teríamos uma opção abonada para nos aglutinarmos.
    Agora, as esquerdas irão pulverizar os votos e este quadro apocalíptico de no segundo turno termos Alckimin e Bolsonaro, conforme premonizado pelo senhor, está cada vez mais latente.
    Pobre Brasil!!!

  16. O PT fez pior no Ceará. Rifou seu senador, ex-advogado do sindicalismo bancário. Trocou-o pelo MDB da Odebrecht. Pimentel foi reciclado pelo “Índio”. Marília é mais uma conta no colar do pragmatismo petista, que deu no que deu. A propósito, até Guevara entendia que o pragmatismo fazia parte da disputa política. Todavia, o antológico “Chê” não usava a expressão “pragmatismo” sem adjetivação. A expressão do ícone revolucionários era: “pragmatismo consistente” e “pragmatismo coerente”. Não há notícia de aliança de Guevara com Fulgêncio Batista e os cubanos de Miami. O PT trocou um senador histórico (das primeiras horas de todos os duros combates) por mais um símbolo da alta picaretagem, não do MDB do Doutor Ulysses (com quem Lula não quis conversa em 89). Mas com a escória do PMDB que está distante anos-luzes do MDB de Ulysses. Quando o “pragmatismo” chega a tal ponto, certamente há de se resgatar a expressão de “Chê”, com a qual vetava aqueles que se apresentaram como “aliados”, após a tomada de Havana: “pragmatismo oportunista”. Sem coerência e nenhuma consistência. Chê proclamava: “o oportunista não se sacrifica pela revolução”. Um exemplo clássico que “Chê” utilizava para demonstrar a natureza do “pragmatismo coerente”: a sugestiva menção de Churchill ao coisa-ruim: “Se Hitler invadisse o Inferno, eu faria uma referência favorável ao diabo na Câmara dos Comuns”. Neste exemplo fica claro o “pragmatismo coerente”, onde Churchill explicita nenhuma dúvida em identificar o seu maior, principal e, naquela conjuntura, verdadeiro e único inimigo, contra o qual todas as forças na sua Ilha e, mais tarde, dos verdadeiros aliados, deveriam ser arregimentadas. Churchill disse essa frase clássica quando questionaram sua determinação em buscar aliança real com seu antípoda, Stalin. Foi Churchill quem articulou o fornecimento de armas e suprimentos a Stalin para sustentar a defensiva soviética contra o IV Exército da Wermacht, o mais poderoso e famoso contingente alemão na Frente Leste. Decapitar Pimentel em troca do ‘Índio’ é o que se poderia denominar de “pragmatismo imbecil”.

  17. Menos, Kotscho, menos. Que drama. Arriscar a sobrevivência do partido? desmobilização da militância? O problema ocorreu em um, importante, mas apenas um estado da federação. Ficará algum trauma, sim, mas não será desastroso assim, não. Quem é militante saberá assimilar isto, pois faz parte da vida partidária.

  18. Olá Kotscho.
    Aqui no Ceará a covardia foi a mesma. Rifaram o Senador Pimentel. Ele não terá o direito de concorrer a reeleição para o senado porque o diretório estadual do PT decidiu não ter candidato ao Senado. Com qual objetivo? Beneficiar o pústula, Eunício Oliveira, do MDB e Cid Gomes, que creio, será também candidato ao senado pelo PDT. Isso, mesmo sem formalizarem aliança. É uma união velada. Agora. vê se cabe na cabeça de alguém, não ter candidato ao Senado, quando o candidato a governador tem as mais reais e melhores chances de ser reeleito? É de uma sandice e cinismo gritantes.
    A atitude do PT do Ceará é simplesmente vergonhosa, nojenta e acima de tudo covarde.

  19. acho ate coerente seu comentario ,mais acho que quem vota no pt e no lula,nao vota no bolssonaro muito menos no alckimim ,ora se o ciro nao passa de 6 por cento,aceitar o pt apoiar o ciro e dar um tiro no pe,se ele for para o 2 turno ai sim, mais ele nao vai pq se o pt se aliou ao renan ,o ciro queria se aliar ao centrao,,,

  20. Embora sempre defensora e militante não filiada, confesso que houve um tempo, não agora devido a esse acordo, mas após o impeachment, em que pensei: perdi meu maior cliente, cliente de 20 anos e que era o meu esteio, por ser contra o impeachment, defender Dilma, etc. Fiquei a pé. Mas deputados e senadores, não. Continuam com seus salários líquidos e certos, embora alguns não tenham movido muitas palhas contra a retirada da Dilma. Me senti uma boba, nunca mais consegui me recuperar financeiramente e a família sofre com isso. Bem, eu não conseguiria mesmo ficar quieta pois sabia que a consequência do golpe seria a terra arrasada. A decisão foi minha.

  21. A politica nao e para amadores, a verdadeira fissura na esquerda seria o PSB se aliar ao PDT, assim, nessa formula, dois partidos voltam a orbita petista. Marilia Arraes é jovem e pode esperar ate 2022, o Brasil nao.

  22. Depois dos textos de incrível submissão e chapa-branquismo publicados no 247, no DCM e principalmente no Conversa “Fiada” do sabujo mor PHA, finalmente um texto lúcido, cristalino e preciso e escrito por alguém com autoridade moral.

  23. Como que o Lula não pode imaginar o que está acontecendo aqui fora? Ele é o principal culpado por isso e essa jogada para isolar Ciro e, por tabela, desacreditar o PT de vez tem o seu dedo! Não é verdade que a direção atual do PT está sem rumo, pois o rumo dela é ditado pelo “grande amigo” Lula. Como é triste ver um partido em que sempre acreditei ter figuras como Gleisi Hoffmann e Lindbergh Farias como testas de ferro, além de um Lula tresloucado olhando apenas para o próprio umbigo e se esquecendo do Brasil.

  24. De acordo, Kotscho.
    Mesmo cometendo erros, como qualquer ser humano e como qualquer político sob pressão (obrigado a bater o escanteio para ele próprio cabecear em seguida), Lula sempre ouviu muita gente antes de uma decisão. Mesmo também que esta tivesse, no final das contas, a sua assinatura inconfundível, como se em aparência ele não tivesse dado ouvidos a ninguém!
    Na masmorra “medieval” de Curitiba, o confinamento politicamente induzido pelos seus adversários acaba produzindo um encolhimento brutal do diálogo; o que, sem contradição, reforça o poder da cúpula do partido. Com isso não quero insinuar que Gleisi e outros se beneficiem deste isolamento ou mesmo, de forma oposta, justificar o passo em falso (rifar Marília), como apenas decorrente da falta de consulta e de entendimento continuado. De mãos atadas, neste último caso, Lula e quem pouco poderia conversar com ele.
    O que eu temo é converter-se esta privação da atmosfera própria da política em caldo de cultura pouco propício para uma avaliação realista; nunca esquecendo que, enclausurado e praticamente incomunicável, a Lula talvez faltem agora os filtros que ninguém utiliza melhor do que ele.
    Com a eleição na esquina, temo também uma falta de conexão das lideranças com Haddad e Amorim. Tomara que eu esteja errada!

  25. Mau caro jornalista, vc está sendo trágico. Como em outras ocasiões, você colocou o carro diante dos bois e nem tentou ouvir a outra parte, como faria um jornalista. Vc mesmo diz “não tenho a menor ideia dos motivos que levaram a direção do partido”. Bastava procurar o partido e ouviria suas razões, amplamente divulgadas, razões com que concordo plenamente
    Tenho 73 anos, como vc, lutei contra a ditadura, eu na Ação Popular, como você, servi a Deus e o diabo, vc na grande imprensa e eu como gerente de banco. O PT de que vc fala era um PSOL da época que, com seu purismo, não se aliava a ninguém mas também não chegava a lugar nenhum. Se ganharmos a eleição vamos governar com quem? Só com o PSOL e o PC do B? Não gostou? Vá para dentro do partido, debata a questão, brigue, mas, pelo amor de Deus, não venha passar para seus leitores seu desânimo, como fez outro dia, ou sua avaliação emotiva e emocional.

  26. Querido Kotscho. Para com isso. Quantas alianças foram feitas em 2002? Quantos candidatos a governador foram “sacrificados”, no seu linguajar equivocado, em favor de candidatos de outros partidos para priorizar a candidatura do Lula, numa campanha da qual você fez parte? Temos uma situação de absoluta urgência para tirar o país da sanha de Temer e da direita. A comparação com Maluf é ruim. O PSB não é Maluf. Você reproduz o discurso de que a aproximação com o PSB tem como objetivo isolar o Ciro como se este movimento não tivesse nada a ver com a unidade do campo progressista que todos cobravam até ontem. Que se somem PT, PSB, PCdoB, PSOL e PDT. Sem isso, estamos todos fritos. Preferir manter Marília, por mais maravilhosa que seja, a investir todas as fichas na unidade, é fechar os olhos para a absoluta necessidade de reconduzir o campo progressista ao Planalto.

    1. Concordo com você num ponto, meu caro amigo Camilo: do jeito que as coisas vão, se tudo der certo, estamos todos fritos… Ser der errado, então…
      Onde você está vendo unidade no campo progressista? Também gostaria que se somassem todos os partidos citados, mas você ainda acha isso possível?
      Tomara que você tenha razão. Eu não quero ter razão, só gostaria de ver uma saída que impeça a disputa entre direita e extrema-direita no segundo turno. Abraços, Ricardo Kotscho

      1. Parabéns Kotscho, pela suas análises sempre precisas e isentas!
        O meu receio, dado o andar da carruagem, é que em futuro próximo nos sobre apenas o grito infanto-estudantil de “Fora, Bolsonaro!”, especialmente nas apresentações artísticas que não forem proibidas!!! VADE RETRO!

  27. “Piano piano se va lontano” assim segue nosso Alckmin, enquanto o outro lado comeca a se estapear, golpista…golpista, desta vez é para o senador do pt Humberto Costa…..e Ciro manda recado “aberração ser vice do PT “…….cadê o gênio para colocar ordem na casa?

  28. Lula está a muitos dias preso, parece não estar entendendo o que está acontecendo aqui fora. Não duvido os dirigentes do partido terem mentido ao Lula de que havia uma mobilização nacional pela sua liberdade, coisa que não acontece, e acha que ainda pode comandar o partido como quiser. Estou agora assistindo a entrevista de Geraldo Alckmin na GloboNews, acredito que nem com 10 minutos vence, Lula aposta na polarização e aposta errado. Ciro tende a subir nas pesquisas, se no governo com suas habilidades administrativas será amado, enquanto isso Lula estará enfrentando as outras acusações na lava-jato, sua imagem será destruída tanto quanto ele destruiu a de FHC. Ciro não é tão conivente como Lula com conchavos, deve durar mais tempo que Lula no poder, por isso o medo de Lula, não pode existir depois de tão pouco tempo alguém que faça um governo melhor que o dele. O povo pode esquecer Lula se sua vida melhorar, melhor o povo sofrendo mas amando Lula para o PT.

  29. Muito bom Kostcho. O PT teria prestado um enorme papel ao Brasil se tivesse orquestrado a união, ainda que isso representasse um revés eleitoral momentâneo. E Lula teria, mais ainda, se eternizado na História. No entanto, ambos jogaram tudo no lixo por uma miudeza hegemonista e egocêntrica. Outra vez mais fica claro o que Brizola queria dizer quando chamava o PT de “a esquerda que a direita gosta”. Ou o que o General Golbery planejava, quando protegia Lula e ajudava na construção do PT. Apesar de em lados opostos, ambos sabiam da natureza de um partido que se considera a superação de tudo o que veio antes. Você lembrou do desdém do PT para com Ulysses, me fez lembrar do desdém de Lula para com os comunistas, dizendo que “são pessoas que não tem coragem e sempre pensam estarem acima da verdade”. Ou do desdém para com Brizola, quando lhe recebeu na volta do exílio e sequer se levantou para cumprimentá-lo. Na campanha de 89, não era por acaso o apreço dos artistas Globais por Lula; ele foi moldado para ser bem quisto no Leblon, era o que a direita precisava para eliminar o velho revolucionário Brizola. Não por acaso, Lula foi vaiado e chamado de “traidor” em seu enterro. Hoje, Lula e o PT novamente fazem o jogo da direita e traem Brizola, na figura do seu descendente, Ciro Gomes. É a natureza de galinha do partido e do seu líder maior.

      1. Sim mestre. E esta grandeza de Brizola bem que poderia ser retribuída hoje. Ainda dá tempo, basta que o pragmatismo dos últimos 20 anos dê um pouquinho de espaço à honra.

  30. Prezado Kotscho: Concordo com seu sentimento de que “Desse jeito, nada vai nos trazer de volta o sonho que sonhamos juntos quando esta longa trajetória começou.” Mas, mesmo assim, não podemos desistir. “Há homens que lutam um dia, e são bons; há os que lutam muitos dias e são muito bons; há os que lutam um ano, e são melhores. Porém, há os que lutam toda a vida. Estes são os imprescindíveis.” (Bertold Brecht).

  31. Ricardo! Parabéns pela coragem e sinceridade. Coragem de colocar o dedo na ferida, única forma de possibilitar uma possível e mais do que bem vinda reflexão. Sinceridade porque sei o quanto de sua vida e do seu coração estão envolvidos em tudo isto mas você consegue se distanciar e olhar e escrever com a razão. Um abração fraterno.

    1. Valeu, Antonio Carlos, obrigado. É o que tento fazer todo dia aqui: contar o que está acontecendo e não o que eu queria que acontecesse.
      É difícil escrever só com a razão, mas é necessário, para ser honesto com os leitores. Abraços, Ricardo Kotscho

  32. Que ironia!!
    Enquanto o PT rifa seus quadros mais emergentes para se aliar aos golpistas como Renan Calheiros, em Alagoas, em Pernambuco, rifa a emergente neta do Arraes, para se aliar a Paulo Câmara do PSB, que chegou a exonerar 04 secretários para votar a favor impeachment da Dilma, e ao PMDB mineiro (que votou 100% pelo impeachment da Dilma), no Ceará já tinha rifado o Senador Pimentel para se aliar a Eunício “golpista” Oliveira, no Piauí, rifou a Senadora Regina Sousa, para se aliar a Ciro “golpista” Nogueira do PP, só para ficar nesses exemplos.
    Como quando alguém perde de um lado, outros costumam ganhar, eis que as boas notícias aconteceram nas campanhas dos adversários, principalmente na escolha qualificada da senadora gaúcha Ana Amélia como vice do Alkmin, e a junção do PV, com o Eduardo Jorge como vice da Marina. Como dizem os mais velhos, “aos poucos as melancias vão se ajeitando na carroça”!

  33. É! Tá difícil ver um partido que perdeu o rumo, e que não assume os erros, e joga a culpa em golpistas. Pára né?! Tudo começou com o Mensalão, repetindo a velha política de sempre e que sempre criticamos, o partido, mais precisamente, Zé Dirceu, quis imitar a velha política, mas não fez a lição de casa, bateu de frente, foi arrogante, pagou pra ver, e o Roberto Jefferson foi provocado e jogou merda no ventilador, me senti enganada. Mas, até ai pensei, bom não tinha muito que fazer, pra ter o congresso nas mãos só no toma lá da cá. Mas, ai a coisa começou a piorar chegamos ao poder com discurso moralista, a favor da ética, e nos ferramos , esquecemos que “À mulher de César não basta ser honesta, tem de parecer honesta”. Demos armas para os “golpistas” e agora ficamos querendo justificar. Desculpem queridos petistas,mas percebam eu me inclui, afinal, votei sempre no PT. O PT tirou várias pessoas da miséria?! Ok! Deu acesso a universidade pra quem não conseguia nem sonhar com isso, ok! Tenho uma sobrinha que se não fosse o ciencias sem fronteiras nunca faria um intercambio. Mas, pera aí! Não podíamos realizar isso, sem se aliar com a escória da política, sem usar a mesma cartilha?! O cara que é um LIDER não podia governar com a rua?! oPTamos pelo mais fácil e deu no que deu. Tem pessoas que votavam no PT e que vendo esse desespero do partido pelo poder, estão anunciando voto em Bolsonaro…o mundo tá maluco. Agora não querer investir em novas lideranças tá passando do ridículo, Lula não viverá para semente.

  34. Lula trocou Marília Arraes e Ciro Gomes por Fernando Pimentel e Renan Calheiros sacrificando a unidade da esquerda. Sobra Alckmin para combater Bolsonaro?

  35. Parabéns!!!! Você colocou com muita clareza e lucidez o que de fato vem provocando desencanto e decepções entre os militantes e jovens que não conseguem mais ter o mesmo entusiasmo quando tínhamos em 1.989, e saímos na rua com panfletos e falávamos nos pontos de ônibus com as pessoas sobre a realidade do País e a necessidade da luta dos trabalhadores. Os “Quadros simbólicos” da luta e da militância não devem ser relegados ao segundo plano, e muito menos serem apagados das causas em favor do nosso povo excluído e explorado. Os efeitos do golpe estão ecoando na mídia golpista, que ainda hoje já anunciavam a inadimplência alta no pagamento das prestações do financiamento da casa própria adquirida via Caixa Econômica. Abraços! Hasta La vitória! Padre Antonino.

  36. #ResisteMarilia

    Ricardo Kotscho põe o dedo na ferida do acordo espúrio, safado, absurdo, entre a cúpula do PT e do PSB ,que rifou a candidatura da vereadora Marília Arraes para garantir a “neutralidade” do PSB e, com isso, isolar o candidato Ciro Gomes. O que os caciques do PT, Lula à frente, fizeram foi jogar um caminhão de cal no pouco que resta da história do partido e, de quebra (e muito mais grave) potencialmente entregar o segundo turno a uma dobradinha Bolsonaro-Alckmin. Vai nos obrigar a escolher entre o Troglodita e o Xuxu Murcho. Vergonha, vergonha, vergonha!

  37. Mestre, em função da enxurrada de ‘oportunistas políticos’ atraídos à ‘deixa’, pensava contradita-lo de forma mais incisiva, quando surgiram os comentários mais que francos, do Ari (02/08 – 17:57) e do seu amigo, Camilo Vannuchi (02/08 – 19:06), dizendo-lhe tudo que deveria ser contradito, dispensando outros de o fazerem. Gostaria apenas de lembrar que:
    ‘A maioria dos jornais e analistas’ permanecem no ‘Partido da Dona Judith’.
    Quem fragmenta o campo da esquerda é justamente a ‘candidatura Ciro’ e o acordo com o PSB resolve isso, daí a grita à direita e a ‘la Ciro’.
    A militância, principalmente a inorgânica, nunca deixou de sofrer ‘golpes’, poucos internos, porém mais doloridos, e nem por isso deixou de ser o maior patrimônio do PT.
    PS: Se não, leia ‘Agosto’ de Eleonora de Lucena, hoje, na Folha.

    1. Caro Dias, também recomendo a todos a leitura do artigo da Eleonora de Lucena, na página 3 da Folha de hoje, que resume bem o que também penso sobre as próximas eleições.
      Além de brilhante jornalista, Eleonora é uma mulher de coragem que bota o dedo na ferida e fala com todas as letras que eleição sem Lula não tem legitimidade.

  38. Veio-me à lembrança, uma frase de Brizola e também uma das suas profecias. A profecia feita em 1989: “Lula precisa ser ministro, governador, e daqui a 12 anos será um bom presidente”. Após Lula chegar ao poder, ditou a frase: “O PT é como uma galinha, que cacareja à esquerda, mas bota seus ovos à direita”. O caudilho dos pampas não deixava de ter uma visão premonitória sobre Lula e o PT, com alguma dose de razão. Jamais poderia imaginar, no entanto, que os luminares do lulo-petismo fossem terminar seus dias de glória dentro de uma delegacia de polícia.

  39. Aconteceu a mesma coisa quando João da Costa tentou a reeleição a Prefeitura de Recife em 2011!!! Abriu margem para Eduardo Campos alçar voos maiores!!! O resto nós já sabemos o que aconteceu!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *