PT quer fazer jejum e greve de fome em meio a desemprego e miséria

PT quer fazer jejum e greve de fome em meio a desemprego e miséria

Após o empolgante festival em apoio a Lula, com Chico, Gil e mais de 50 mil pessoas, nos Arcos da Lapa, no último final de semana, o PT anuncia para os próximos dias novas manifestações, mas  em sentido contrário.

Em lugar de festa e cantorias pela liberdade do ex-presidente, o partido convocou para o próximo sábado, dia da convenção do PT que vai oficializar a candidatura de Lula, um jejum nacional em solidariedade aos militantes do MST que iniciarão uma greve de fome.

Na mesma convocatória, o PT pede que os militantes levem comida para famílias pobres das periferias do país, avisando que foi “Lula quem mandou entregar”, segundo nota do Painel da Folha.

De onde terão saído estas iniciativas que remetem a métodos de luta ultrapassados já no século passado, que aqui nunca resultaram em nada?

Como é que alguém pode propor jejum num país que, em 2018, segundo o IBGE, já tem 14,83 milhões de pessoas em situação de extrema pobreza (1,5 milhão a mais do que no ano passado), que normalmente não podem fazer três refeições por dia, como pregava Lula em suas campanhas?

Será que os pregadores do jejum sabem que contamos com mais de 13 milhões de desempregados, muitos deles que, no desespero, reviram o lixo para buscar comida?

Milhões de brasileiros já fazem greve de fome todos os dias, sem ninguém pedir.

Famílias inteiras morando nas ruas e debaixo dos viadutos dos centros urbanos fazem filas para ganhar um sopão à noite oferecido por almas caridosas.

Jejum e greve de fome podem chamar a atenção em países ricos, mas não no Brasil, onde o número de miseráveis aumenta a cada dia na recessão que se prolonga e nesta agonia do desemprego que não acaba.

Fazer isso, nesta situação em que o país vive, é pedir para apanhar, virar meme e deboche nas redes sociais, tirar o foco das outras lutas que se multiplicam em defesa da libertação de Lula.

Bem diferente é a iniciativa de convocar uma grande manifestação em Brasília, no próximo dia 15, em frente ao prédio do Tribunal Superior Eleitoral, onde o PT vai fazer o registro da candidatura de Lula.

Neste dia, o PT espera reunir de 30 a 40 mil pessoas em Brasília para pressionar os ministros do TSE, liderados por Luiz Fux, que já comunicou sua decisão de rejeitar o pedido de registro antes mesmo de recebê-lo, “ad liminem”, ou seja, no ato.

Mas se aderirem ao movimento do jejum do dia 4, é capaz de faltar força aos militantes para chegarem até Brasília, sem falar nos que estarão fazendo greve de fome.

À medida em que se aproximam as datas fatais para Lula poder participar da eleição, parece que está faltando juízo a alguns dos seus correligionários.

Como Lula sempre costumava repetir, muito ajuda quem não atrapalha.

Se um assessor se aproximava dele anunciando que tinha uma grande ideia, desdenhava. “Então guarda pra você, não conta pra ninguém…”.

Vida que segue.

 

16 thoughts on “PT quer fazer jejum e greve de fome em meio a desemprego e miséria

  1. Kotscho, por favor, não entre na vala comum dos mentirosos blogs petistas. Não cabem 50 mil pessoas naquele espaço de modo algum. Entre no Google Maps e marque os limites ocupados que o programa calcula a área automaticamente. Depois veja quantas pessoas você precisaria colocar por metro quadrado para chegar a essa multidão. Isso não é uma questão de ideologia, mas de informação correta.

    1. Ernesto, eu não estava lá para saber ao certo, mas deu para ver pelas imagens que havia uma multidão, calculada pelos organizadores e policiais em pelo menos 50 mil pessoas. Acho bem possível.
      Foi o número que toda a chamada grande imprensa publicou. Mas isso é o de menos, não faz a menor diferença o número de pessoas. Eu escrevi sobre o significado político e histórico do ato, é outra coisa.

      1. Falando em Arnesto, Mestre, não esse que não mora no Brás, não convida prum samba e só chegado a ‘baita de uma reiva’ e vagar de blog em blog, tentando provar que o PT e Lula não possuem apoio popular. Imagine então se possuíssem?
        Mas ‘nóis nao semos tatu’, tanto que nosso negócio é de bar em bar, como o povo, feito os saudosos Adoniram e Vanzolini, rondando a cidade, ‘rolando um dadinho, jogando bilhar’.
        E por falar de bar em bar, o motivo de estar aqui a falar em Ernesto e ‘Largo da Lapa’, no Rio, é sugerir que por lá passando, não deixe, se já não deixou, de ir ao ‘Bar do Ernesto’, que é o único Ernesto que vale a pena, no caso.
        PS: “Ói, turma, num deu prá esperá.
        Assinado em cruz porque não sei escrever e agora também calcular: Arnesto [que não mora no Brás e muito menos nos Arcos da Lapa]”.

    2. “Arnesto” eu devo de te dizer que costumo sim me influenciar por pessoas que considero mais inteligentes do que eu, pelos mais burros, JAMAIS !!!
      Se mais ou se “menas” gente esteve presente não importa. O que vale, valeu e valerá é o simbolismo, a emoção avassaladora, o vigor contagiante, o valor histórico e a repercussão mundial do ato por LULA LIVRE !!!
      “Isso não se faz Arnesto, nóis num se importa, mas você devia ter ponhado um cadeado na tua retórica morta”

  2. Caro Kotscho, tu estás abastado de razão. Concordo com tudo da primeira letra ao ponto final.
    Em tempos de crise, no quesito “ideias”, os jericos (leia-se no caso “assessores”), para se justificarem, costumam emergirem do seu plácido ócio remunerado aumentando assim a produção.
    E eu digo de cátedra porque, tendo já trabalhado em muitos mandatos, fui do “métier” (ofício, “profissão”, ocupação). Conheci e ainda conheço muitos políticos (de variados partidos) que caíram em desgraça exatamente por conta de atos ou “ideias” de algum “assessô”, que invariavelmente nunca é lembrado, citado ou punido quando a “pica” chega. Nesses casos, quem paga pelos erros do mandato é sempre o eleito, é o “Vossa Excelência” e com justa razão !!! Quem mandou contratar e escutar os tais “gênios” ???
    Eu não estou dizendo que é sempre assim, afinal o político também tem lá as suas próprias “ideias”, seus próprios “atos de ofício” e suas próprias lambanças, afinal no Brasil, a maioria absoluta dos nossos políticos começaram suas “carreiras” exatamente nessa função, a de “assessô” de algum outro.
    Essas figuras costumam chegar no candidato já nas pré-campanhas, prometendo e se dizendo “donos” de milhares de votos nas suas regiões e passada a eleição, se contratadas, passarão os próximos quatro anos do mandato atendendo telefone, uma ou outra demanda no gabinete e no resto do tempo jogarão “paciência” no computador até a próxima eleição quando vão buscar os seus tais votos que quase nunca se confirmam.
    Não era o meu caso, eu sempre cumpri outros tipos de tarefas nos gabinetes em que já trabalhei. Sempre que procurado por algum desses “cabos eleitorais” eu dizia:
    – Mas se já começa com todos esses teus votos, por que não te candidata tu mesmo ???
    As respostas sempre eram enroladas. “Roleiro” é “roleiro” em qualquer profissão.
    Enfim, eu tenho “horrô” a “assessô” !!! (nem todos é claro)

  3. Quem conhece alguma coisa do lulo-petismo sabe que nada se move dentro do partido, sem o aval de Lula, que sempre aponta o sentido e a direção da movimentação. Portanto, da mesma forma que os chamados intelectuais e artistas se aglutinaram (“espontaneamente”) sob os arcos da Lapa, também o ‘exército do Agustine Stédile’ não vai às ruas sem a condescendência plena do ex-metalúrgico. O problema é que, em lugar de apresentar uma plataforma concreta para acabar com os 14 milhões de desempregados, o PT de forma catatônica e ciclotímica, faz festa e greve de fome, simultaneamente.
    O partido perdeu o rumo e a direção após o encarceramento do seu general. O fato é que desde que Dirceu foi para o xadrez, o lulo-petismo seguiu o caminho do buraco sem fundo. Lula perdeu o capitão do time e ficou à deriva cercado de áulicos e arrivistas. A situação só não está pior para o lulo-petismo porque a conjuntura econômica ficou catastrófica e a desgovernança estarrecedora por onde quer que se analise a situação real do país. Por incrível que pareça, a melhor coisa que poderia acontecer para o PT e o lulo-petismo foi a queda de Dilma. Não fosse o denominado ‘golpe parlamentar’, todo o espólio monumental da crise econômica e social seria debitada integralmente na conta da ‘presidenta’ e do petismo.

    1. Dilma foi literalmente impedida de exercer seu segundo mandato. O pior que havia na política e no congresso uniu-se para boicotá-la. Não obstante, se olhar para o PIB dos 3 últimos trimestres antes do golpe, verá que estávamos saindo da crise (-1,2/-0,6/-0,3). Mas aí veio o golpe…

      1. A despeito da ‘aliança’ escoriada pela escória ‘aliada’, o réquiem de Dilma II já estava anunciado no pós-junho de 2013. Ao rifar Haddad (Dilma não escorou o subsídio dos 20 centavos, nem a sugestão do prefeito de utilizar a CIDE), as esperanças de sobrevida econômica de Dilma II eram para lá de escassas. Havia alternativas melhores além da que foi escolhida: a “contração fiscal” brusca e bruta (a vaca tossiu). Esta opção (a solução Levyana) transformou a desaceleração, já convertida em estagnação em 2014, numa recessão aberta sem reversão (que se consolidou no governo do ‘MT’). É certo que os objetivos perseguidos no período anterior, antes das jornadas de Junho, como por exemplo, a reindustrialização, o programa de investimentos da Petrobrás e mesmo a infraestrutura, dificilmente poderiam se reafirmados, tanto por conta de uma
        deterioração disseminada dos indicadores econômicos, como também em razão da escalada da Lava Jato. A combinação da opção ortodoxa (opção Levyana) conduzindo à recessão, com o acirramento previsível da luta política (quando o PT jogou todas as fichas na Comissão de Ética para decapitar o ‘Caranguejo’), levou à crescente e incontornável
        prevalência do ambiente recessivo (que seria futuramente agravado pela mudança da política monetária do FED), ocasionando o que temos hoje: a pior crise já presenciada no
        país; muito mais grave do que a dos anos 30, 70, 80 e 90. Em miúdos: Dilma estava marcada para morrer quando inverteu sua correta promessa eleitoral e fez a ‘sua’ opção Levyana. Menos mal que o grotesco erro Levyano tenha sido abraçado pelo governo do ‘MT’ com a tal ‘equipe dos sonhos’ (que vem resultando no mais amargo dos pesadelos).

  4. Sinceramente meu Veinho.
    Depois de tanto rir comecei a pensar:
    -Quem sabe, o filho da mãe que teve esta idéia, foi o mesmo que orientou para que nomeassem para o STF, a Carmem Lúcia, o Fux, a Rosa Weber e os outros porcarias que colocatam lá…né n?o ???

    1. Será que quem deu a ideia para a greve de fome de agora dos movimentos populares é aquele mesmo!?!?… aquele que preso por ocasião da greve dos metalúrgicos em 79, enquadrado na LSN… também fez greve de fome!!!! Dizem que ele quebrou o jejum comendo umas bolachinhas ou chocolatinho escondido rsrsr

  5. Kotscho, como jornalista e repórter experimentado, sabes que nada há de estranho em seitas convocarem jejuns e suicídios, pra economizar, a seita PT convoca os dois atos de uma só vez, o jejum que, por consequência leva ao suicídio politico. Para esse povo não basta o cabresto do bolsa família, agora tem o cabresto porta aporta. Os testemunhas de Jeová levam a “palavra”, o PT a comida. A zueira já começou: Marba, Ceratti, Sadia e Perdigão dão dia de folga aos funcionários no dia 4 de Agosto.

  6. Prezado Kotscho: Você tem razão no seu comentário do post de hoje, mas entendo que “estas iniciativas que remetem a métodos de luta ultrapassados já no século passado” não estariam totalmente desconectadas com o nosso tempo, mas que podem funcionar com um grupo pequeno que faça greve de fome e com objetivo bem específico, que não é o caso da manifestação. “O Jejum é uma arma potente. Nem todos podem usá-la. Simples resistência física não significa aptidão para jejum. O Jejum não tem absolutamente sentido sem fé em Deus.” – Mahatma Gandhi.

  7. Meio assim com esta notícia!
    “Quando tudo nos parece dar errado
    Acontecem coisas boas
    Que não teriam acontecido
    Se tudo tivesse dado certo.”
    Renato Russo

  8. Depois do “empolgante festival”, mais uma faceta dos petistas ” A greve de fome” tem muita gente torcendo para q façam até Lula ser solto..”daqui 12 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *