Nos Arcos da Lapa, no Rio, mais de 30 mil cantam e gritam: Lula Livre!

Nos Arcos da Lapa, no Rio, mais de 30 mil cantam e gritam: Lula Livre!

Se Lula visse isso, poderia morrer do coração, mas ele está preso em Curitiba onde só pega a TV aberta.

Neste momento, quase nove horas da noite de sábado, a multidão calculada em mais de 30 mil pessoas está na praça em frente aos Arcos da Lapa, no Rio, cantando e gritando Lula Livre!

Dezenas de cantores e atores já se revezaram no palco para contar a vida de Lula e cantar músicas que exaltam a liberdade.

Como os jornais nada noticiaram, só descobri isso agora à noite, por acaso, ao entrar nos blogs independentes e no Facebook, que estão transmitindo o evento ao vivo, com imagens da TVT (Tv dos Trabalhadores, em UHF). O portal Brasil 247 também está ao vivo.

Nas emissores de televisão abertas e nos canais de notícias, até agora não vi nada e já escrevi três notas no meu Facebook.

Até tinha esquecido de atualizar este Balaio, mas ainda dá tempo.

Quem está assistindo ao Jornal Nacional, e só ficou sabendo disso agora, pode ir lá na rede social para conferir: há muito tempo não se via uma festa tão bonita num país chamado Brasil.

E ainda estão anunciados Chico e Gil para encerrar a noite.

A vida também pode ser bonita.

Vida que segue.

5 thoughts on “Nos Arcos da Lapa, no Rio, mais de 30 mil cantam e gritam: Lula Livre!

  1. Nem o mar está para peixe, nem a situação para festa. Tudo muito bonito, mas em nada resolve ou ajuda a equacionar o tamanho da encrenca. A entrevista de Haddad, disponível em Carta Capital, não avança um milímetro na solução da ‘problemática’. A festança não faz sentido, exceto se houver a convicção do lulo-petismo de que a eleição já estaria ganha de antemão.

    1. O Netho tem que crescer e virar Avhô. Quem criou a “problemática” foram os coxinhas golpistas. A “solucionática” é LULA LIVRE!

      1. Menos, jovem Fernandho. A “problemática” de que falo vem de mais longe. Encontra-se nos escritos conhecidos como “Cadernos do Cárcere”, distante anos-luzes dos maurícios paulistanos. Nada há para festejar e muito menos comemorar. Considerando os posicionamentos de Haddad, como prenhes de elementos vagos, puramente retóricos, na entrevista dada a Carta Capital, vê-se que os movimentos do lulo-petismo não estão sendo capazes de resolver, sequer equacionar, de modo minimamente exequível, a “problemática do imediato eleitoral”, no sentido de uma ”politica realística”, na expressão de Antonio Gramsci.

  2. Prezado Kotscho: As TVs abertas não passam mesmo essa manifestação popular a favor da libertação do Lula. O espaço delas está reservado para o tal do Centrão e seus associados. Nas TVs pagas a situação não é, também, muito diferente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *