Nas redes sociais, a disputa para presidente agora é entre Lula e Moro

Nas redes sociais, a disputa para presidente agora é entre Lula e Moro

Desde o furdunço jurídico do último domingo, quem entra nas redes sociais pode pensar que a disputa presidencial agora se dá entre o ex-presidente Lula e o juiz Sergio Moro.

Os outros candidatos todos simplesmente sumiram do mapa dos comentários. Ninguém mais fala neles, a não ser nos links patrocinados.

Sem mostrar forças para enfrentar o petista nas urnas, os adversários se limitam a apoiar as decisões de Moro e seus aliados da República da Lava Jato.

O cenário é tão surreal que a guerra se dá entre os seguidores de um candidato que está preso e lidera as pesquisas, e outro que não pode ser candidato porque não se filiou a nenhum partido dentro do prazo legal.

Ou seja, esta é uma disputa virtual. Virou uma questão pessoal de vida e morte para o juiz de primeira e última instância de Curitiba, que já não consegue esconder os objetivos políticos das suas decisões jurídicas.

Para Moro, que continua em Portugal, Lula tem que ficar preso e não pode ser candidato, e acabou.

No mundo real, a campanha ainda não começou e não apareceu ninguém até agora capaz de conquistar os corações e as mentes dos internautas-eleitores, a menos de três meses da abertura das urnas.

Nas últimas 48 horas, o embate Lula X Moro continua sendo o tema da maioria dos comentários, mas notei nesta terça-feira que se generalizaram muito as críticas ao comportamento da Justiça brasileira, a grande derrotada nas trapalhadas de domingo.

As últimas pesquisas Ipsos-Estadão já tinham registrado queda na aprovação do Judiciário e de Sergio Moro, enquanto os índices de Lula seguiam no sentido contrário, chegando a aprovação a 42%, o mais alto entre os políticos.

Estes levantamentos não medem intenção de votos, apenas a aprovação ou desaprovação de homens públicos.

“Nada mais evidente que o sórdido partidarismo da Justiça”, escreveu o leitor Clóvis Pacheco F., em comentário enviado ao Balaio às 9h25, resumindo o que li neste e em outros blogs.

Enquanto isso, o Supremo Tribunal Federal, sob o comando da austera ministra Cármen Lúcia, que poderia colocar um pouco de ordem nesta zorra federal, colocando em pauta a prisão após condenação em segunda instância, continua em obsequioso recesso, assim como o Congresso Nacional, que finge não ter nada com isso.

Com um governo finado, mas ainda em exercício, “a população a tudo apenas assiste bestificada”, como no dia da Proclamação da República, lembrando a célebre frase de Aristides Lobo.

Façam suas apostas. Ao final deste inacreditável combate jurídico-político-midiático, quem vai ganhar: Lula ou Moro?

Vida que segue.

 

17 comentários em “Nas redes sociais, a disputa para presidente agora é entre Lula e Moro

  1. Perdoe jornalista, mas não está correto dizer que “No mundo real, a campanha ainda não começou e não apareceu ninguém até agora capaz de conquistar os corações e as mentes dos internautas-eleitores, a menos de três meses da abertura das urnas.” As pesquisas a que se refere, que o Presidente Lula lidera, são voltadas para toda a população votante, nessas apurações estão todos os segmentos, não há particularização de nenhum grupo, de ninguém, todos estão incluídos na tendência apontada pelas pesquisas, logo, também os internautas -eleitores. Tudo o mais dito, como de costume, perfeito.

  2. LULA PRESIDENTE: Vamos encher o STJ de habeas corpus,somente aassim vão providenciar a soltura do LULA,o judiciario não terá como estancar a voz do povo,já sabem que vão perder as eleições em outubro,será uma verdadeira enchorrada de votos para lula. LULA PRESIDENTE.até outubro

  3. O teste será realizado nas urnas. Quanto do respaldo popular angariado por Lula, o ex-presidente conseguirá transferir ao seu “cover”? Quanto da rejeição popular de Lula será somatizada pelo seu “cover”? O “cover” disporá de capacidade própria de ampliar o respaldo popular? O “cover” disporá de capacidade própria de reduzir a rejeição popular? O “cover” somaria ou diminuiria o respaldo popular? O “cover” somaria ou diminuiria a rejeição popular? Isto é o que importa. Aparentemente, a tática lulo-petista não melhorou em nada a situação do ex-presidente, mas certamente implicou o esculacho definitivo do Poder Judiciário, onde Lula deposita a sua tática de defesa criminal e eleitoral. Moro já está de malas prontas para o Tio Sam. Lula continua vendo o sol nascer quadrado, sem que o “cover” tenha sido escolhido.

  4. Não estou acreditando no que li:Lula e Sérgio candidatos a presidente!!!!.A história recente do Lula afetou o cérebro de muitos.

  5. Boa sacada sobre o que rola nas redes sociais, Mestre, a propósito, precisa a coluna da Cruvinel no JB, assim concluída:
    (…) Num Judiciário não contaminado pela política, não pressionado pelos que temem a candidatura Lula, ele teria sido solto sem drama, sem que Moro e os desembargadores do TRF-4 tivessem que se expor tanto.
    Caberia então…, ao Ministério Público Federal recorrer da decisão.
    Não a Moro dar ordens à Polícia Federal. Derrubada a liminar, Lula seria preso novamente.
    (…) Mas se o establishment não pode suportar a liberdade de Lula por algumas horas ou dias, a situação é de alta fragilidade. E não se resolverá com Lula preso.”
    O óbvio mais que ululante, também apontado nas pesquisas de aprovação/desaprovação pública, em que Moro desaba e Lula encorpa, daí o desespero, refletido inclusive nas irrefletidas redes sociais.

  6. Desde que começou o processo que resultou no golpe, estava mais ou menos claro que nada aconteceria com base em nossas instituições – judiciário e congresso. Naquele momento, o PT, enquanto maior partido de esquerda, deveria ter liderado e começado a ORGANIZAR as massas. Infelizmente, ficou apenas na luta parlamentar e judiciária. Em momento algum, o povo é lembrado a não ser por chamadas para manifestações esporádicas. Oras, um olhar na história mostra que a direita só ouve a voz da força. Desde a prisão do Lula, era para se colocar em marcha todo um movimento de massas, sobretudo com greves. Agora talvez seja tarde, pois temos uma população anestesiada pela mídia que dificilmente se predisporá a lutar inclusive e sobretudo por seus direitos mais ainda com um desemprego brutal. Podemos ver os blogs progressistas com seus (longos) textos repletos de indignação, muitos deles de alcance extremamente limitado inclusive por sua linguagem intelectualizada. E daí? Tudo continuará como antes já que nada ameaça nossa direita pois os luminares do judiciário e do congresso sabem que nada lhes acontecerá. No máximo transformar o Moro num boi de piranha, já que ele vem se tornando peça inconveniente para o próprio judiciário. De qualquer forma e, a menos que alguma coisa fora da curva aconteça, não tenho dúvidas de que Lula ou seu indicado vencerá a eleição de outubro.

  7. “Nada mais evidente que o sórdido partidarismo da Justiça”, escrevi, e tive a felicidade de ver minhas palavras citadas pelo prezado colega! Este velho confrade e leitor constante, o Pachecão dos tempos do Sindicato, agradece honradíssimo!

  8. Prezado Kotscho: Se “Virou uma questão pessoal de vida e morte para o juiz de primeira e última instância de Curitiba, que já não consegue esconder os objetivos políticos das suas decisões jurídicas.”, acho que ele tá mais pra carancho do que pra tucano.

  9. Grande Kotscho:

    Lúcido, preciso e didático.

    Você e o Nirlando Beirão, fazem-nos muita falta no HORÁRIO NOBRE DA TV ABERTA

    Go ahead… Keep it up my friend.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *