Sem Lula, “Ninguém” lidera: candidatos sem voto e eleitores sem candidato

Sem Lula, “Ninguém” lidera: candidatos sem voto e eleitores sem candidato

Chegamos ao final da semana, a quatro meses e meio das eleições, na situação escalafobética resumida no título desta coluna.

Não mudou quase nada na nova pesquisa CNT/MDA em relação às últimas divulgadas por Datafolha e Ibope, mas um índice ficou meio escondido nas análises.

Sem Lula na lista, quem continua na frente é o candidato “Ninguém”, com 45,7% dos entrevistados, ou seja, a soma de brancos e nulos (29,6%), mais os indecisos (16,1%).

É quase metade do eleitorado que não tem em quem votar, algo que nunca aconteceu antes nas eleições presidenciais, a tão pouco tempo da abertura das urnas.

Bem distante, depois de “Ninguém”aparece o candidato da bala, Jair Bolsonaro, com 18,3%.

Um segundo turno entre PT e PSDB, como aconteceu nas últimas quatro eleições, parece cada vez mais impossível.

De um lado, mesmo preso e interditado pela Justiça, Lula continua com 32,4%, a léguas de Bolsonaro, mas na outra ponta o tucano Geraldo Alckmin aparece com apenas 4%, embolado com os nanicos.

Este é o resultado esdrúxulo de uma disputa entre candidatos sem voto e eleitores sem candidato, dois anos depois do golpe parlamentar que tirou o PT do poder.

Entre os golpistas dos partidos no governo, o desespero é tamanho que o grão-tucano FHC agora prega uma união dos candidatos do “Centrinho” (PSDB, MDB, PTB e PPS), em oposição ao velho “Centrão” de Eduardo Cunha formado pelas bancadas BBB por uma penca de pequenos partidos.

O único problema é que faltam votos para todos os presidenciáveis até agora lançados pelos aliados de FHC.

Mesmo com Lula fora da disputa no momento, os dois candidatos da aliança governista abaixo de Alckmin não chegam a 1%: Meirelles tem (0,5%) e Rodrigo Maia pontua 0,4%.

Mais esperto que todos eles, Michel Temer já desistiu da reeleição e só pensa em escapar da Justiça ao final do mandato.

Na falta de outra opção, o presidente agora admite até fazer aliança com o desafeto Alckmin, a piada pronta do abraço de afogados.

E os tucanos, sem saber o que fazer para desatolar Alckmin, já pensam até numa chapa “puro sangue” com João Doria de vice. Dá para acreditar?

Não resta mais tempo para FHC inventar outro Luciano Huck, Joaquim Barbosa fugiu da raia e não há novo “outsider” à vista.

Correndo por fora, Marina Silva, nossa resiliente “fadinha da floresta”, continua no bloco de cima, sem sair do lugar, candidata apenas dela mesma, sem partido formado, alianças, recursos e tempo de TV. É um mistério.

Do lado oposto da disputa, a oposição de esquerda também está numa encruzilhada, à espera de uma definição do PT, que continua bancando a candidatura de Lula.

Com isso, Ciro Gomes não encontra campo para deslanchar e consome suas energias na busca de alianças que possam unir o bloco.

Na extrema direita, Jair Bolsonaro continua atirando para todo lado, mas está empacado há bastante tempo, sem conseguir passar dos 20% do eleitorado.

Lamento, mas é o que temos para o momento. E não há nenhum risco de melhorar. A temperatura deve esfriar ainda mais, congelando este cenário.

Bom final de semana pra todos.

Vida que segue.

 

19 thoughts on “Sem Lula, “Ninguém” lidera: candidatos sem voto e eleitores sem candidato

  1. Com muito amor na mente e no coração -Por quê as autoridades competentes não cassaram o registro do PT,PMDB,PSDB -EXTINGUINDO-OS.Chega da BANDIDAGEM.O povo brasileiro não merece.Bem como, o povo venezuelano não merece a desgraça que o Lula ajudou a colocar na presidência da Venezuela -N.Maduro!.

    1. Cassar o registro do PSDB e PMDB, deixando Aecio solto e Temer na presidência pra usar nosso dinheiro e fundar outro partido que abrigue os dois mais o restante da quadrilha golpista. Tão inteligente e ainda se acha em condições de dar palpite sobre a Venezuela, sem dar um pio sobre a Argentina de Macri. Eu sinto inveja de uma mente privilegiada como essa. Bom fim de semana, Balaieiros

  2. Ingênua é o mínimo que tenho sido chamada, ao propor uma aliança das esquerdas, nem em bloco nem como uma frente, com o PSDB, com o partido do França e com todas as franjas democráticas dispersas do tecido político-partidário. Os termos do acordo: a maturidade maior das esquerdas leva a abdicar de um projeto de poder federativo para 2018, com a condição dupla da a) incorporação, não desfigurada, do extraordinário êxito redistributivo das políticas de inclusão social; b) a liberdade imediata de Lula, ainda que pudéssemos experienciar a sua inelegibilidade forjada como uma das maiores violências cometidas contra a democracia na história deste país. Estacionado nos 4 pontos percentuais, o PSDB (que estará proibido para todo sempre de bancar Doria e de fazer alianças com fascismo dente-de-leite do MBL) seria salvo da degradação absoluta da sua origem social-democrata, salvo de si mesmo portanto, ao compor uma aliança civilizacional (eu usei a palavra civilização, notem) contra a barbárie do bolsonarismo em franca expansão. O risco, senhoras e senhores, não é o percentual atual do candidato da extrema direita, mas a pulverização que lhe favorece em qualquer cenário sem Lula.
    De resto, fizemos, todos nós do amplo arco de esquerda e centro-esquerda, o dever de casa ao defender com todas as nossas forças a candidatura de Lula. O que me preocupa agora é a integridade física do (nas palavras de Obama) “cara”, da pessoa que nos tornou uma nação respeitada no mundo. No Brasil de Moro, Doria e Bolsonaro, gigantes como Obama, como Mandela, estariam também presos, acusados de alguma coisa difusa contra a qual não poderiam se defender.

    1. Esse seu plano mirabolante (eufemismo pra luná…. deixa pra lá) tem a vantagem de fazer uma Revolução Francesa mais outra Russa, sem guilhotinar uma única cabeça, sem enforcar um unico pescoço, sem disparar um unico tiro e sem proferir um unico palavrão. E, o melhor, sem contar com com a participaçao do Papa Francisco. Talvez voce tenha esquecido quantos protestos com mortes ocorreram na Africa do Sul pra que um acordo remotamente parecido com esse seu libertasse Mandela, colocando um fim ao Aparthide. Tenho péssima memoria, perdoe, se disse alguma asneira. Nesse quesito (asneiras), só perco pro Rafael Andrade Couto.

      1. Minha crítica ao PSDB é severa: o golpe, Brasil profundo; a narrativa dele, artefato tucano. Golpe de amadores grotescos, narrativa de aprendizes de feiticeiro com algum verniz de magia negra jurídica, decisionista. A ironia: fomos descritos (e confinados), nós da esquerda em geral, se me permite, como desajeitados populistas corruptos, bolivarianos fora do tempo histórico. Mas quem deu por aqui o atrapalhado golpe “venezuelano”; em dose dupla, o golpe da direita e da esquerda (contra o judiciário) consumados no país vizinho? Não fomos nós! O anti-esquerdismo, ele sim, confiscou grosseiramente o amarelo de Garrincha e Sócrates; inventou um bi-ciclo histórico com pedaladas; isolou Lula na masmorra, como teria feito com Obama e Mandela se fossem pernambucanos, ex-operários e líderes populares. Deu no que deu: ou pegam carona tardia no “bondenaro” ou não sabem como parar o troço. Eles, ironia indesejada, são os perfeitos “idiotas latinoamericanos”, golpistas dizendo que as instituições funcionam.
        Uma dúzia de anos e nós, vistos como atrasados, só reforçamos a democracia! Na oportunidade que tiveram esculhambaram com as regras do jogo. Quem é o idiota?
        A segunda ironia: a única chance de sobrevivência do PSDB é se tornar, ainda que contrariado, social de novo, com o apoio, não há mais tempo para outra coisa, de um arco de esquerdas que ele espezinhou, as usual, com a bobageira de praxe, pseudo-Sorbonne, das páginas “2”. Viável a ideia? Em nenhum país do mundo, exceto o Brasil. Agora, com Bolsonaro na presidência o Brasil morrerá e ninguém estará a salvo. Luná… é brincar neste momento de Sanders vs Clinton, na borda do precipício! Mas gosto da sua verve, mesmo quando ela se volta contra mim. Isto eles nunca entenderão.

  3. Petista… conformai-vos….. quem gosta de passado é espelho retrovisor…… já passou da hora de esquecer que Lula não faz mais parte da eleição.. Ele escolheu outro caminho e foi surpreendido pela justiça, embora voces continuam a pregar que é injustiça.
    E o pior do que não ter Lula é também não ter em quem por em seu lugar, porque ele mesmo nunca deixou aflorar dentro do partido novas lideranças.Todas as correntes internas do partido foram sufocadas, principálmente por Jose Dirceu, que hoje se despede de vez da vida publica… vai para outra moradia . O Lula achou que era eterno e vez por outra lançava mão de algum poste de plantão e botava lá concorrer… e até aconteceu de ganhar.
    Hoje a situação é outra, novos tempos, novos nomes, embora muitos não aceitam o que está posto ai. Mais é a vida que segue, quer o PT goste ou não.

  4. Pois é caro Kotscho, então o povão decidiu dar o recado que sem o nome de Lula na tela da urna eletrônica, “Ninguém” será eleito e “Ninguém” governará o Brasil !!!
    E crise que segue…
    Quem mandou darem o golpe ???

    1. “Ninguém” será eleito e “Ninguém” governará o Brasil !!!
      ————————————————-
      Temos um presidente, eleito na chapa do PT e q está governando.
      Teremos um(a) novo(a) presidente em 2019 e q irá governar.
      Vc escreve sempre com a emoção e nunca com a razão.

  5. ‘Cê’ que pensa, Mestre, o rei sol, o dólar, não a do lar, vem quente, subindo a temperatura, para derreter de vez o inquebrantável ‘otimismo’ global, sobretudo de Miriam Sardenberg, ameaçando queimar todo o estoque de divisas acumulado pelos governos, Lula e Dilma, que garantiram o Brasil não quebrar nesses quatro anos de lambanças da seletiva Lavajateira, aquela que para pegar os ovos de ouro e poder acusar, condenar e prender, o PT, mata as galinhas e não deixa absolutamente nada em pé para aguentar a combustão.
    Melhor rever o final: E não há nenhum risco de não piorar para os golpistas. A temperatura deve esquentar cada vez mais, botando o fogo a crepitar também neste cenário.

    1. Quem bem definiu a situação da Copa, foi o baterista do IRA, o André Jung: “A um mês da Copa e nada de verde e amarelo… sinto que o movimento paneleiro, hoje morto de vergonha, é o responsável pelo fracasso nas vendas de camisas, bandeiras, faixas e outros símbolos pátrios. A camisa da seleção virou uniforme de pato”

  6. Desemprego, preço da gasolina e gás de cozinha dispararam, retorno do fogão a lenha, aposentadorias no brejo, instabilidade jurídica instalada, corrupção fora de controle, Moro e Dória soltos em Nova York, Temer, Aécio, Alkmin e Paulo Preto soltos no Brasil, cenário eleitoral desanimador e as hienas do Balaio rindo de nossas previsões pós golpe. Durma com um barulho desses !!!

  7. Parece que a surra que as redes sociais aplicaram nos tradicionais institutos de pesquisa na eleição do Trump ainda não foi entendida pela velha guarda da mídia.Qualquer enquete direta,feita com ou sem espírito ideológico,seja de centro,esquerda ou direita aponta um vencedor já no 1° turno.E o vencedor é o mesmo candidato que a presente matéria tentou não falar o nome, igualando-se desta forma no desespero dos partidos do governo e de FHC conforme citado .

  8. Diante desse quadro estou pensando em me lançar candidato inspirado no partido do Álvaro Dias, o ‘Podemos”.
    Estou pensando em uma sigla sugestiva com o título
    “Nem Podendo”, com “ph”!

  9. Candidatos sem votos, eleitores sem candidatos, isso é o resultado da tentativa da grande mídia juntamente com o partido da justiça do Sergio Moro, associado a elite financeira que não aceita que o povo possa escolher seu candidato, eles querem indicar alguém para o povo escolher, é como se dissessem tem tantos candidatos porque o povo insiste neste LULA! É mais ou menos assim podem escolher qualquer um desde que não seja o LULA este nos não aceitamos, escolhe outro.

  10. É decepcionante saber que nós brasileiros somos um povo muito pretensioso, que se julga o mais esperto do mundo, quando, na realidade, somos apenas um enorme exército, de mais de 200 milhões de pacóvios imbecis e inconsequentes cidadãos, que nos deixamos explorar por meia dúzia de espertalhões que nos trazem na coleira, fazendo-nos de idiotas, metendo descaradamente a mão em nossos parcos e minguados bolsos, e ordenando desdenhosamente o que devemos fazer, pensar e valorizar!
    Patriotismo, dizem esses espertalhões, é torcer pela seleção canarinho de futebol! E nós, bovina e patriidioticanente, não nos mancamos que o que eles queriam realmente é nos transformar em “patriidiotas”. E conseguiram!
    Xuxa Meneghel, ninfeta no filme nacional “Amor, estranho amor”, que conta uma história passada num prostíbulo de luxo, moça libertina e dissoluta, tornou-se, com amplo beneplácito dos pais brasileiros, “a rainha dos baixinhos”!;
    Senor Abravanel, vulgo Sílvio Santos — este fez escola e merecia um livro! — renomado charlatão de riso fácil e debochado, que ficou bilionário explorando com muito tacto essa singular faceta de nosso “esperto” caráter, é o brasileiro mais admirado pela turba que se julga esperta e que, por ser esperta, admira demais sua invulgar astúcia para o charlatanismo, e o tem como um deus, sem se dar conta que esse perspicaz espertalhão ficou bilionário tomando o suado dinheirinho de seus irmãos, notadamente dos menos favorecidos que, acreditando em sua afiada lábia de hábil camelô, compravam o seu Baú da Felicidade: arapuca comercial que vendia um carnê pagável em prestações mensais e concorria a sorteios feitos no programa televisivo do astuto e debochado apresentador; esses carnês quando quitados, se não tivessem sido contemplados nos sorteios, retiravam seus valores em mercadorias vendidas nas Lojas do Baú a preços escorchantes; não obstante pagas antecipadamente pelas vítimas do inescrupuloso apresentador, as mesmas mercadorias, quando compradas — a prazo, — no comércio normal, saiam por metade do preço.
    Mas a falta de escrúpulos desse vil e talentoso senhor Senor Abravanel, quando se trata de tomar dinheiro dos trouxas, não tem limites. Vieram em seguida os infames jogos telefônicos: arapuca em que a vítima fazia sua fézinha por telefone, para concorrer igualmente a prêmios, nos programas televisivos do espertalhão; a cobrança vinha na conta telefônica e deu a ele muito lucro!
    Hoje, já octogenário, o infame talento do sórdido beldroegas continua operando a todo vapor! Atualmente ele explora a “tele-sena”, jogo que concorre com os jogos oficiais da Caixa Econômica Federal — loteria federal, quina, lotofácil, lotomania, mega sena, etc. — que fazem parte do monopólio governamental de exploração dos jogos de azar; isso leva a crer que para continuar explorando a tele-sena, o ilustre mentirocrata de riso fácil e debochado está utilizando, além de sua invejável e insidiosa verve, muito cacau de sua bilionária fortuna para “convencer” a fiscalização a deixá-lo em paz.
    Para finalizar sua curta biografia, vale lembrar que foi badalando os milicos no tempo da ditadura militar que ele ganhou a concessão do seu canal de televisão!
    E por aí afora vamos assistindo a uma sequência infindável de ladroeiras e malandragens que esses espertalhões inventam pra nos levar no tapa, e que nós, “verdadeiros otários”, obedientemente adotamos como lei ou religião.
    Face a essa triste, lamentável e, porque não dizer?, até caricata realidade, foi muito fácil para os ditos espertalhões, unidos a seus correligionários e adeptos usufrutuários, vendo-se perigosamente em vias de perderem as mui fartas, rendosas e inescrupulosas boquinhas que os alimenta há anos — a eles e a suas respeitáveis famílias –, depor uma presidenta honesta, que vinha dando sequência a uma fase de governos eficientes que muito nos valorizaram, substituindo-a por essa gentalha corrupta e impatriotica de corruptos que está no poder.
    Cabe-nos agora a árdua missão de os repelir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *