Como destruir um país em dois anos: o legado de Temer, oposto ao de JK

Como destruir um país em dois anos: o legado de Temer, oposto ao de JK

Em mais um ataque de megalomania e total falta de noção da realidade, Michel Temer resolveu se comparar a Juscelino Kubitschek para “comemorar” os dois anos do golpe que derrubou Dilma Rousseff.

“O Brasil voltou, 20 anos em 2”, dizia o convite para a festa no Palácio do Planalto, um plágio canhestro e mentiroso do bordão de JK que prometeu fazer o Brasil progredir “50 anos em 5”.

Como bastava tirar a vírgula para resumir esse período de regressão que devolveu o país às trevas, rapidamente trocaram o slogan para “Maio/2016 – Maio/2018: O Brasil voltou”.

Voltou para onde? cabe perguntar.

A lambança do convite é apenas mais um retrato do fim de feira deste governo golpista que acabou antes do final do mandato, preocupado apenas o seu “legado”.

Só pode ser delírio querer vender a ideia de que o Brasil voltou aos bons tempos nas mãos desta gente corrupta e medíocre, que destruiu os direitos sociais, concentrou a renda, aumentou a mortalidade infantil, fez o brasileiro voltar a cozinhar no fogão a lenha, aumentou o número de desempregados para 14 milhões de trabalhadores e não passa uma semana sem ser ameaçado por novas denúncias.

“É de um ridículo atroz. Não há nenhum ponto de contato entre os dois governos”, rebateu a historiadora Maria Vitória Benevides na coluna de Bernardo Mello Franco em O Globo.

Autora do livro “O governo Kubitschek _ Desenvolvimento Econômico e Estabilidade”, Benevides lembra que o período de JK foi marcado pelo otimismo, ao contrário do que acontece hoje:

“Foi um período de euforia, desenvolvimento e criação de empregos. Agora o sentimento da população é de desencanto”.

Com a economia parada à espera das eleições, sem qualquer sinal de esperança no horizonte, as contas públicas arruinadas, o Congresso Nacional só esperando a Copa do Mundo e as festas juninas para sair em campanha, Temer está comemorando o quê, exatamente?

Sem poder sair às ruas com medo de ser novamente escorraçado, como aconteceu em São Paulo na tragédia do prédio dos sem-teto, Temer se vangloria de ter baixado os juros e a cotação do dólar, que já voltou a subir, consequência da recessão econômica e da instabilidade política destes dois anos de desgoverno.

Entre a realidade da vida dos brasileiros e a fantasia vendida pelos marqueteiros do Palácio do Planalto, há um abismo em que Temer empurrou o presente e comprometeu o futuro da Nação.

Nesta volta ao passado que o período Temer representou, vai levar bem mais de 20 anos para o Brasil recuperar a confiança e a auto-estima, recuperar os alicerces de um país democrático e o respeito do resto do mundo.

Quando ainda conspirava para derrubar Dilma, Temer proclamava que era preciso unir novamente o país e se ofereceu para exercer este papel.

Pois ele conseguiu unir o país, mas foi contra o seu governo, rejeitado por nove entre cada dez brasileiros.

Este é o seu legado, o oposto daquele de JK, o presidente que nos fez ter orgulho do nosso país e confiança em dias melhores.

É muita cara de pau, um acinte.

Vida que segue.

 

58 comentários em “Como destruir um país em dois anos: o legado de Temer, oposto ao de JK

  1. Não voto no temer, mas é o legado da Dilma? Por favor caro jornalista. . Quero um posto dizendo sobre a herança da Dilma! !! Ou esse jornalista é parcial?

    1. Calma, Sr. Nogueira. Sobre o legado de Dilma Rousseff já escrevi dezenas de matérias neste blog, que você não deve ter lido, na época em que ela era presidente.
      O que estão comemorando hoje é o legado de dois anos de Michel Temer, e foi sobre isto que eu escrevi.
      E é post, não posto. Grato pela participação, abraços, Ricardo Kotscho

    2. Sr Nogueira, quer saber qual o legado da Dilma ? Compare os níveis de emprego, o valor do Salário Minimo, o preço dos combustíveis e do gás de cozinha no inicio de 2016 e nos dias atuais, dois anos após o golpe. Sr Nogueira, se V Sa não vota no Temer, deve ter votado no Aécio.

      1. Caro Victor Hugo, você escreveu ao Nogueira o que eu iria escrever. Na realidade, fazer perguntas capciosas como a dele, verdadeiros sofismas, mais turva as águas do que as clareia!

        1. Meu caro Clovis, esses analfabetos de pai e mãe não cansam de repetir a mesma ladainha no Balaio. Muito irritante ter que respondê-los, mas “vamu qui vamu”, como diz meu mano Everaldo.

    3. Claro, vc não vai lembrar do Aécio e seu partido criando uma das maiores crises políticas que já vimos. Tb não vai lembrar do Eduardo Cunha, das pautas bombas, do boicote do congresso a todas as iniciativas do governo no congresso. Claro que não pois você comprou a narrativa da Globo e da mídia. Dê uma olhada nos números de dezembro de 2014: éramos felizes, não? Mas não deixaram a Dilma assumir de fato o segundo mandato. Isto é história, está nos jornais. O resultado está aí. E tem tudo para ficar muito pior

      1. Para o país, Sr. Clovis. Dilma era a tartaruga na árvore. Ninguém sabe como foi para alí. Uma incompetente alçada à presidência pela popularidade de se antecessor.

        1. Sr Rodrigo Expósito, quanta asneira !!!! Um mal só é necessário quando a alternativa a ele é outro maior. Em que o governo Dilma é pior que o governo Temer ? Nos indices economicos ? Nos sociais ? No desemprego ? No combate a corrupção ? Temer congelou os investimentos em Saude e Educação por vinte anos , mas perdoou a dívida de banqueiros, latifundiários e jogadores de futebol. Sr Espósito, respeite os Balaieiros. Nossos ouvidos não são penicos nem vaso sanitário. Vire essa “metralhadora” pra lá.

          1. Estou gostando demais dos comentários do Expósito. Esse cara veio de encomenda. (No meio do caminho tinha uma pedra).

        2. É mesmo? Os números de dezembro de 2014 não dizem isto. E mesmo com Aécio e seu partido, Eduardo Cunha e o boicote no congresso, as pautas bombas, estávamos saindo da crise. Dê uma olha nos 3 últimos trimestre anteriores ao golpe? Notou algo? (PIB -1,2, -0,6 e -0,3, ou seja, no trimestre seguinte voltaríamos a crescer

        3. “Ninguem sabe como foi para alí”? Esses golpistas perderam a noção da realidade que não sabem nem o valor do voto popular. Lamentável!

    1. Temer é apenas um mal, completamente desnecessário. Traidor, vil e venal. Uma carcaça moral. Os que o apoiam o fazem por semelhança.

  2. Quando o que diz e andou dizendo Bolsonaro emergir com visibilidade total, quando a rejeição ao Temer não ter mais para onde subir, talvez seja a hora da maior rachadura histórica da classe média brasileira. Isto precisa se dar em 150 dias.
    O momento em que o teor do discurso na Hebraica (“arroba”) e em outros lugares reforçar os motivos que levam muitos a tomá-lo como herói será também a hora decisiva da cisão civilizatória: parte da classe média largará a narcista e simplista ideia fixa de que, na crise brutal que nos engole, a culpa-de-tudo-é-do-PT e dirá não ao mergulho na barbárie. Sim, resta saber quando vai se dar e qual o tamanho desta cisão; certo é que os aprendizes de feiticeiro, responsáveis pela poção demonizatória das esquerdas, já andam brigando entre si. Seu amadorismo contrasta com a glamurosa imagem vendida de alta profissionalização: batem cabeça impotentes, sem saber como colocar de volta o pitbull na casinha. Caberá a nós da esquerda, mais uma vez, uma dose maior de responsabilidade histórica e a demonstração de maior maturidade no tocante aos nossos adversários no campo democrático, assustados por aí com o efeito da sua própria travessura. Esta maturidade mais elevada não se confunde com a tentação sempre presente, nefasta, de um sentimento de superioridade moral. O centro dizimado para se reerguer, coisa possível somente com o apoio das esquerdas, terá que incorporar um vasto programa de inclusão social e lutar pela liberdade de Lula. Não menos do que isso!

  3. Caro Kotscho, dos mesmos criadores (investidores) do golpe de de 64, esse golpe de 2016 era pra ser um crime perfeito, mas como nada é perfeito nesse mundo, não contavam com Elsinho Mouco.
    Mouco, que no dicionário da lingua portuguesa significa o surdo, aquele que não ouve bem ou não ouve, é o marqueteiro e conselheiro que há 15 anos serve Michel Temer em campanhas eleitorais. A proximidade de ambos não é meramente profissional. Apesar de não possuir cargo formal no governo postiço, Elsinho é o único marqueteiro da história do Brasil que tem gabinete no Palácio do Planalto. Fica no 4º andar, próximo das salas dos ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (que ocupava a Secretaria-Geral da Presidência até outro dia). Ele é contratado indiretamente para cuidar da comunicação do governo por meio da empresa Isobar, que trata das redes sociais da Presidência — o que justificaria a sala com secretária. O espaço foi uma exigência contratual do próprio Temer segundo a Revista Época da Globo.
    O resultado é que ninguém tira a vitória da esquerda na próxima eleição !!!
    O único obstáculo contra essa constatação é que os preços da alfafa e do farelo continuam em baixa, de graça a melhor dizer.

  4. Caro Kotscho, estou diante de um mistério: onde foram parar o seu equilibrio, a sua lucidez, que sempre o colocaram no time do Clovis Rossi, Elio Gaspari e André Singer, dos melhores e mais respeitáveis criticos do panorama brasileiro ? Criticar o Temer, ok. Mas atribuir sòmente a ele a responsabilidade pela situação atual, esquecendo a preciosa colaboração de Dilminha, é um pouco demais, não acha ? De uns tempos para cá, você parece ter ficado sectário, o que nunca foi ! Perdoe-me a critica, mas a minha admiração por você me dá esse direito. Grande abraço.

    1. Críticas são sempre bem-vindas, caro Maurício, fique à vontade. Critiquei duramente a presidente Dilma durante o seu governo. Logo no início do segundo mandato, previ que aquele governo iria acabar antes de começar, estava caminhando para a autodestruição. Falei do Temer porque ele hoje é o presidente, e o país só piora todos os seus índices sociais todos os dias. Voltamos ao mapa da fome. Se você pegar os indicadores econômicos de Dilma e Temer também regredimos, sem falar na destruição dos direitos trabalhistas. Não se trata de ser sectário, mas a cada momento mostrar as coisas como as coisas são, e não como a gente gostaria que fossem.

    2. Sr Mauricio Teixeira, admirar uma pessoa não dá a ninguém o direito de criticá-la. Criticas precisam ser honestas e razoáveis. E as suas à Dilma não são honestas e a Kotscho não são razoáveis. Dilma não pediu e não deu motivos pra ser impedida. Que Temer assuma as consequências de sua traição, pois aceitou ser vice por livre e espontânea vontade. Se V Sa crítica Kotscho, aceite que lhe faça o mesmo, de forma honesta e razoável: seja mais justo e coerente quando criticar Lula, Dilma e o PT. Muito deprimente o papel de boquirroto que tanto V Sa quanto Rodrigo Espósito desempenham no Balaio. Dê a Cesar o que é de Cesar. Muita desonestidade atribuir a Dilma o desgoverno golpista de Temer & Cia Ltda. Passe bem, Sr Teixeira. Boa tarde, Balaieiros.

      1. Golpe só acontece quando a tomada do poder se realiza pela força; e nada disso aconteceu. Se tivesse sido tomado pela força, comum no 3º mundo, imediatamente deveria ter feito uma nova constituinte. De Direito Constitucional, eu entendo um pouco.

  5. PS: o assunto é controverso, mas ao elogiar o legado JK não podemos esquecer o assalto aos cofres da Previdência para construir Brasilia, ilha da fantasia, a corrupção nessa construção (só JK não se beneficiou…), a inflação dai nascente, a destruiçao de uma prioridade ferroviária ( fundamental num pais continental como o nosso) e o desprezo pelo transporte público (tão importante para o povo).
    Otimismo, simpatia pessoal, gostar do Peixe Vivo, magnanimidade com os inimigos etc, são bons demais, vá lá, mas vamos devagar com o andor, concorda ? Ou não ?

    1. Caro Maurício, sempre há controvérsias sobre os grandes personagens políticos. Neste caso, destaquei a diferença entre o clima de otimismo que o país vivia naquela contra o desencanto dos dias atuais. Estamos numa encruzilhada, sem perspectivas à vista. Abraços, Ricardo Kotscho

    2. De vez em quando, aparecem alguns dizendo que J.K. fez o que fez “ao custo da inflação”. Bobajada:
      “O índice inflacionário da época era de 13,5% AO ANO, irrisório diante das obras que JK vinha realizando no setor básico da economia, bem como da taxa de crescimento econômico do País, que se mantinha em 7% ao ano. A MÉDIA DO CRESCIMENTO DOS 5 ANOS FOI DE 8,3%” (FGV). Entrou com a dívida externa de US$ 1,8 bilhão, saiu com US$ 2,2 bilhões, um aumento também irrisório diante dos investimentos. São dados da Fundação Getulio Vargas. Isto desmente alguns mal-informados que dizem que foi o governo JK responsável pela nossa dívida externa e a inflação. Ah, tem mais: foi no governo JK, em 1959, que o Brasil pagou o maior salário mínimo de sua História. Equivaleria hoje a cerca de US$ 677″ (Dados da FGV).
      JK inventou a corrupção de Brasília ou foram os governos militares? Não compare os políticos pré e pós 1964.
      “… a destruição de uma prioridade ferroviária…”. Pausa para gargalhar. Em 1978 (dezoito anos depois de JK deixar a presidência), eu viajava de trem do Rio até minha cidadezinha no Sul de Minas.
      Maurício, devagar com o andor pois o santo é de barro… estude mais a História do Brasil. Não custa nada, não dói, mas evita que escrevamos besteiras.

  6. O sistema político hoje, como funciona, subtrai a capacidade de expressão e a representação da sociedade. Nem uma verdadeira reforma política fizeram, pois não tiveram base parlamentar para fazê-la. Daí, apareceu na história um tal de Cunha. Que todos conhecem, aquele do impeachment. O que estava em jogo com a falta das reformas políticas era a própria identidade histórica do PT: a grande disjuntiva entre se adaptar às instituições do Estado vigente, com todas as conseqüências negativas que daí decorre no que tange á questão partidária de ser ao mesmo tempo governo. Ou, mobilizar seu peso eleitoral e social para transformá-las de acordo com os valores os quais se funda. Sem reformas, afundou-se o PT, nas mãos da Dilma. O Temer era o seu vice, eleito por eleitores do próprio PT. Só lembrando, que, as reformas políticas, que nunca vieram á contento, apesar de permanentemente em pauta nos governos Fernando Henrique Cardoso e Lula, não foram nestes anos ao centro da agenda. Em geral, neste período, 85% das leis aprovadas no Congresso foram de iniciativa do Executivo, mas nem tiveram a coesão suficiente nas respectivas bases parlamentares desses governos para votar uma Reforma Política Perfeita. O próprio FHC, disse que com esse número grande de partidos não tem como governar. Sem nenhuma paixão política partidária, o centro do debate é o seguinte – e não existe nesta história um só culpado: “o Temer”. Como queira que fosse o nobre jornalista. Vou mais além, fechando com chaves de ouro: – “O Brasil é um grande Estado rico distribuindo riqueza não com os pobres, mas com a grande massa de empresários ricos… Quem enxerga de forma globalizada sofre muito, pois vê com clareza as facetas e as maracutaias de pessoas que exercem manobras em um universo de ignorantes produzidos por aqueles que precisam controlá-los… Se um dia isso acaba, não sei, mas que é preciso fazer a diferença, isso precisa”.

  7. tiraram uma presidente honesta que foi contra o sistema politico corrupto e colocaram um presidente corrupto cara de pau que trabalha com o sistema podre da politica, e o melhor presidente da historia do brasil tar na cadeia por causa de uma elite que nao aceitou as mudanças desejadas por todos,todo mundo ganhou no governos do pt,agora o brasil tar se afundando e o povo calado pagando o pato,,,alguns merecem o que vem por ai,,,

  8. kotscho tem comentário que não vale apena comentar os cara-pálida aqueles que saíram nas ruas de verde e amarelo contra a corrupção que seguravam o pato amarelo dizendo que um dia a dilma caindo no outro o brasil voltava a gerar emprego realmente gerou mais foi muitos pais de família pro olho da rua os que estão trabalhando como eu não sabe se vai continuar pois cada dia piora mais e mais um abraço até

  9. Bem, não votei no Temer, e nunca votarei.
    Mas reconheço o mal menor, dele não ter assumido a cabine de comando de uma aeronave onde a pilotA não reconhecia mais os comandos. Nesta aeronave estava os mais de 100 milhões de empregados, e esta mesma pilota tinha deixado no aeroporto 14 milhões de sem empregos, mesmo sobrando assentos na aeronave!

  10. Prova factual do que trata o POST, e que ninguém, absolutamente ninguém comenta, repercute ou menciona a fala desse golpista da mala. E quando mencionado seu nome, o q a turma do cercadinho do Itaú gritou, é elogio perto do que se diz dele.

  11. Em tempo ‘muito propício’ para comemorar-se 2 anos de governo do vampirão, Mestre, em homenagem aos, ‘patos amarelos’, ‘paneleiros de varanda’, ‘coxinhas’, ‘tocucunhas’ , ‘discípulos de frota & kataguiri’, ‘fãs da Pomba Gira’, ‘sapos verdes’, ‘pixulequeiros’, ‘manifestoches’ e por aí segue o desfile global de adestrados que tantos esforços fizeram para que ele acontecesse, permita que responda para onde voltou o Brasil (com inestimável ajuda dessa esforçada ‘gente do bem’ e ‘pais de família’), deixando os sinônimos das educadas e civilizadas, ‘golpista’, ‘medíocre’, ‘ridículo’, ‘cara de pau’ e ‘acinte’, de lado, e trazendo à realidade o slogan que substituiu o anterior (escrito certo sem por vírgula torta):
    “Maio/2016 – Maio/2018: O Brasil voltou [à Merda]”.

  12. Concordo com o que disse alguém em um dos comentários precedentes: enquanto a alfafa e o capim forem distribuídos gratuitamente, haverá gente a celebrar o golpe conduzido pela quadrilha chefiada por Eduardo Cunha e “com o supremos, com tudo” (cf. Jucá, Romero). Esse naipe de nativ@s ignorantes descreem do Estado Democrático de Direito e deveriam comemorar com Temer os dois anos do épico feito. Não se envergonhem, nem se lastimem do ignóbil alçado à direção do país. Parabéns aos brasileir@s que ficaram pendurados nos cabos de suas panelas! Agora não adianta maldizer a mulher honesta que golpearam em nome da ética proclamada pelos ladrões para tentar afastar o espectro da culpa. Segurem o repuxo e bico calado, pra não passarem vergonha.

  13. Kotscho, meu querido, menos de 1000 brasileiros destruiram o futuro de quase 200 milhões. Temer é insignificante como político e principalmente como ser humano. Não se esqueça que a destruição do Brasil tem sido plantada e regada pelos donos de emissoras de rádio e tv há muitos anos. O crime organizado, liderados pelos donos do Instituo Milênio, pelo judiciário e pelos partidos derrotados no voto popular, se uniram acabar com “tudo isto que aí está” – dignidade, trabalho, emprego com remuneração justa e uma vida menos indigna. É pra chorar, meu amigo.

  14. Cá entre nós. Quem era (e sempre foi) o “MT”? Não seria possível esperar coisa melhor. De onde nunca saiu nada, não sairia nada que se pudesse aproveitar. Onde está o início do problema, segundo a Lei de Murphy, aquela que sentencia que tudo que pode dar errado dará errado? Está, exatamente, em Joaquim Levy. O secretário da fazenda do Rio de Janeiro de Cabral e terceiro escalão do Bradesco foi escolhido como Ministro da Fazenda e tomou posse em 02/01/2015 com a assinatura de Dilma no Diário Oficial da União. As vacas tossiram com a sua “reforma trabalhista”. A economia foi estraçalhada pela política econômica, com sua agenda neoliberal e financeira. Este, sim, foi o começo do fim do governo Dilma II. O resto veio de cambulhada. Dilma era uma amadora. Incapaz de lidar com a política como ela sempre foi. O erro fatal de Dilma foi ambicionar um segundo mandato, sem ter humildade para devolver o bastão a Lula. Só os fundamentalistas da Dilma (não são mais do que meia dúzia hoje), ainda a defendem dentro do partido, embora muita gente interessada tenha insistido, à época das vacas gordas herdadas da Era Lula, para que a “gerente” ou “gerenta”, reivindicasse um segundo mandato. Até o ‘mundo mineral’ esperava dela apenas um “mandato tampão”, não mais do que uma antessala, ao posterior retorno de Lula em 2015, que não dispunha de votos no Senado para alterar a Constituição com vistas ao terceiro mandato. Quando o “MT” sentou na cadeira marcada pela sina dos Iscariotes, sua sentença de morte já estava determinada. Ao insistir em dar continuidade à agenda desenhada por Joaquim Levy, o Cartel do PMDB não poderia recolher melhores resultados, ao contrário. Em verdade, para o lulo petismo, o “golpe” dado pelo Cartel do PMDB foi a salvação da lavoura. Toda a maldição da política econômica “levyana” recaiu, com peso redobrado, sobre o governo malsinado do “MT”, do “Bicuíra” e do “Angorá”, para não falar do “Carainho” , que já se encontra encarcerado na Papuda (respondendo pelos 50 milhões em espécie encontrados no seu apartamento baiano). Levy e Meireles são patronos de uma mesma agenda econômica. Não por acaso, todos os que se meteram com essa agenda “levyana”, não passam de estelionatários dos votos de 2014. Afinal, uma coisa foi prometida, outra completamente distinta foi entregue. Não por acaso, para tomar o exemplo mineiro, ninguém em BH quer o “mineirinho do pó” como candidato a senador, nem a deputado federal. Até agora, Dilma foi cogitada como senadora, mas a cada dia que passa, já se fala em uma candidatura a deputada estadual, sequer a federal. Dilma e Aécio foram rebaixados pelos seus próprios partidos. Não é mera coincidência. Já quanto a Temer, não se pode comparar o “MT” (‘tem que manter isso, viu), a absolutamente nada. Simplesmente porque o “nada”, não tem termo de comparação.

      1. Estimado Kotscho. Vou fazer melhor. Pouparei as vistas. Nada de novo temos visto, exceto rematados e repetitivos equívocos e escândalos, que se ampliam. Agradeço-lhe a paciência e generosa hospitalidade. Se voltar aos comentários, ‘fá-lo-ei’ tão somente quando as candidaturas presidenciais estiverem formalizadas e registradas. Grato. Fraterno abraço.

  15. Todo político brasileiro que tenha algum laço com a IEP ( Imprestável Elite Paulista ) só nos leva à perpetuação da nossa miséria. Junta à Rede Globo são os principais responsáveis pelo nosso atroso secular. Enquando estas duas pragas não forem destruidas, não há esperança.

  16. Ele é tão cara de pau que quando ele se apossou do governo apos o golpe, ele disse que a sua prioridade era a geração de empregos, passado dois anos ele faz um balanço do mandato dele, e não toca no assunto que ele disse que seria prioridade.

  17. “Os Estados Unidos jamais permitirão o aparecimento de um novo Japão abaixo do equador” (Henry Kissinger-Secrt. de Estado do governo Nixon).
    Isso explica muita coisa, não é? E ficamos aqui batendo cabeça à procura de respostas. Elas são o “óbvio ululante” do Nelson Rodrigues.

  18. Prezado Kotscho: Estou de pleno acordo com você: “É muita cara de pau, um acinte.” “Os que vencem, não importa como vençam, nunca conquistam a vergonha.” – Maquiavel.

  19. O brasil está fatiado tanto pelas idéias como pelas opiniões,o que estamos vendo é a destruição dos valores morais e éticos,sendo substituidos pela hipocrisi emfunção de valores materiais que nada representam para uma vida digna:vejamos a mídia(globo,SBT,Record,Band)todas destruindo a soberania do país defendendo bandidos e corruptos,tudo em proveito próprio.nada representam pois são todas tendenciosas e viraram o lixo da informação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *